Porque estranhos também merecem seu sorriso?

Por , em 28.05.2012

Mais um motivo para você não simplesmente andar pela rua como se não se importasse com ninguém. Um novo estudo mostra que o sentimento de conexão com um estranho – um simples sorriso na rua, por exemplo – gera imediatamente uma sensação de “pertencer” e de felicidade.

De acordo com os pesquisadores, isso acontece porque nós, seres humanos, somo animais sociais, pela evolução. A falta desse sentimento pode gerar diversos tipos de complicações psicológicas, que posteriormente podem afetar nosso corpo também.

Para comprovar a teoria, eles fizeram praticamente um teste surpresa, já que nenhum dos participantes sabia que estava sendo analisado. Em uma área do campus da Universidade Purdue, em Indiana, EUA, 239 pessoas passaram por uma pessoa que: ou as cumprimentou de maneira formal, mas educada; ou deu-lhes um sorriso; ou simplesmente passou reto.

Logo após esse evento, uma pessoa chegava até o participante com um questionário social, inquirindo a sua sensação de conexão com as pessoas. Elas não foram informadas de que o estranho era parte do estudo. Para garantir o resultado, uma parcela de pessoas respondeu o questionário sem ter tido nenhum tipo de encontro.

No geral, aqueles que não tiveram nenhum encontro com o estranho ficaram no meio termo. Os que tiveram algum tipo de encontro “social”, seja o aceno ou o sorriso, sentiram-se bem socialmente. Já aqueles que foram “solenemente ignorados” sentiram-se mais excluídos.

Não custa muito ser um pouco mais amigável, mesmo com aqueles que nós não fazemos a menor ideia de quem sejam, certo? Até porque, outro estudo já alertou sobre os perigos da solidão: endurecimento das artérias (que leva à pressão alta), inflamações pelo corpo e até problemas cognitivos, de memória e aprendizagem estão na lista.

No caso da pesquisa dos “estranhos”, os especialistas atentam para o fato de que o ambiente pode alterar muito as noções de sociabilidade. Por exemplo, grandes cidades parecem “mais frias” e o interior e praias “mais quentes”, no sentido social e não apenas climático. Da mesma forma, diferentes povos apresentam diferentes costumes e percepções de sociedade e amizade (os “frios” britânicos contra os “calorosos” latinos). Mas nada impede você de sorrir no inverno ou em uma megalópole como São Paulo, certo? [LiveScience, Foto]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

5 comentários

  • Matheus Rodrigues Gomes:

    Geralmente aquele sorrisão eu dou pras crianças, pra adultos desconhecidos eu dou no máximo um boa noite ou bom dia mais discreto, as pessoas são fogo, se vc chegar dando um sorrisão elas já pensam que vc ta dando em cima delas, independente se for homem ou mulher!

  • Paulo Santiago:

    eu não dps fico no vaco vo me sentir pior kk

  • Isisdoris:

    Ah, gente… é difícil, viu.
    Eu eu acho legal andar na rua, dar um sorriso pras pessoas e tudo mas o chato é q vc normalmente só pode fazer isso com mulheres ou alguns velhinhos. ALGUNS.
    Porq homem é fogo, viu. Vc passa as vezes eles nem olham pra vc, olham pra sua bunda. Você fala um boa noite, um oi normal, eles já pensam é q vc quer alguma coisa com eles e até tentam conversar mais do q vc queria.
    Raramente um homem te dá boa noite de uma forma q vc vê q foi por gentileza. Eles dão boa noite olhando pro seu corpo todo e falando com uma voz de malícia, tipo: boa noite, princesa…
    Acho isso um saco! E por isso é difícil q eu dê boa noite pra pessoas adultas na rua. Sempre dou sorriso pra crianças ou mães com crianças, velhinhas e velhinhos. =)
    O resto, q é a maioria, passo reto e até meio desconfortável as vezes… =S

    • Moacir RF:

      hahahaha
      Esse comentário foi o melhor…
      Eu não chego a olhar o corpo todo e nem falo “princesa”…

      A verdade é que eu até gostaria de ser assim tão expansivo, mas não consigo ser assim.
      Meu pai é cumprimenta todo mundo, e eu pergunto “e se não te responderem?” ele responde: “bem, pelo menos eu fiz minha parte”.

  • Dan:

    estranhos, 🙂

Deixe seu comentário!