Procuram-se evidências do Big Bang

Por , em 15.04.2011

As evidências do Big Bang podem desaparecer daqui a um trilhão de anos, mas já tem gente fazendo alerta. Os sinais da explosão que deu origem ao universo há 13,7 bilhões de anos vão sumir, dizem alguns pesquisadores. Eles disseram também que a nossa galáxia, a Via Láctea, vai ter colidido com sua vizinha, Andromeda. Felizmente, estes cientistas identificaram algumas pistas para guardar para nossos descendentes refazerem a história do universo.

Atualmente, astrônomos conseguem ver galáxias distantes que se formaram apenas há milhões de anos depois que o universo começou a se expandir. Eles também podem estudar a radiação cósmica de fundo, uma luz difusa no cosmo que foi criada pelo Big Bang. Contudo, no futuro, estas evidências vão sumir. A luz provavelmente vai ter esmoecido e ter sido “esticada” a um ponto em que suas partículas de luz, chamadas fótons, terão comprimentos de onda mais longos que o universo visível.

E porque o universo está se expandindo, as galáxias mais antigas que estão em nosso ponto de visão, vão estar muito longe da Terra. O Sol e outras estrelas vão ter morrido e a nossa vizinhança cósmica estará mais vazia. Contudo, nem tudo está perdido para os futuros detetives cósmicos, porque alguns astrônomos poderão estudar o Bing Bang por meio das chamadas estrelas hipervelozes que forem expulsas das galáxias Via Láctea e Andromeda. Estas serão as fontes de luz mais distantes visíveis aos astrônomos do futuro.

“Nós costumávamos pensar que a observação do cosmos não seria possível daqui a um trilhão de anos”, disse o diretor do Institute for Theory and Computation, do Harvard-Smithsonian Center for Astrophysics, Avi Loeb. “Agora sabemos que não vai ser o caso, graças às estrelas hipervelozes”. Estas estrelas são criadas quando um par de estrelas binárias se aproxima do enorme buraco negro do centro da galáxia. A força gravitacional consegue romper a ligação das duas, sugando uma para dentro e expulsando a outra a uma velocidade de 1,6 milhões de quilômetros por hora.

Tendo escapado da galáxia, a estrela será acelerada pela expansão do universo. Medindo a velocidade da estrela, os astrônomos do futuro poderão deduzir a expansão, que pode levar até o Big Bang. Combinada às informações sobre a idade da galáxia formada da colisão da nossa com a Andrômeda, por meio de suas estrelas, nossos descendentes poderão calcular a idade do universo e outros parâmetros importantes.
“Com cálculos cuidadosos e análises inteligentes, os astrônomos poderão encontrar evidências sutis da história do universo daqui a um trilhão de anos”, disse Loeb. [LiveScience]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

15 comentários

  • Orlando Rios:

    “As evidências do Big Bang podem desaparecer daqui a um trilhão de anos, mas já tem gente fazendo alerta.”

    A ciencia é, na maioria das vezes um gasto com tempo, cerebro e dinheiro e o diretor do Institute for Theory and Computation, do Harvard-Smithsonian Center for Astrophysics, Avi Loeb, preocupado com isto. Que idiotice.

    Em 100 anos, penso que nem existiremos e nosso planeta terá se transformado em um imenso lixão fedorento, graças a estes mesmos cientistas inconscientes e inconsequentes que inventam lixo e destruição.

  • Alberto Campos:

    Para quem me conhece, sabe que sou contra o big bang. A minha teoria, sem o big bang,explica de maneira bem mais lógica o inicio do universo a partir do nada. Veja: “Olhando o Universo”.

  • gabriel:

    Bom como poderemos saber se o big bang existio realmente ?
    não estavamos la. porem eles poderião nus dar uma prova concreta uma prova real de arrepiar.pelomenos é o que eu acho!!!

  • Ozzy:

    pois é, um trilhão de anos, se a gente nao der um jeito em 100 anos nem a nossa existencia está garantida…

  • B49:

    Ufa. Ainda bem que é um trilhão de anos e não APENAS um bilhão.
    Que susto pois daqui a um bilhão de anos meus negócios ainda estarão na pauta.
    QUE GASTO DE TEMPO E DINHEIRO.
    BANDO DE DESOCUPADOS ESSES DITOS CIENTISTAS.

  • Pensador®:

    Estes cientistas não sabem é de nada. Não sabem nada sobre o universo, nunca vão saber.

  • rosane bastos siqueira:

    este é para o alex lekko
    com os estudos podemos sim saber o q vai acontecer amanha!

  • Vitor:

    O Eco um dia tem que acabar,oras! Os radioastrônomos ja sabem disso faz muito tempo!

  • José Ricardo:

    Nós viemos do pó e para o pó voltaremos com a graça de nosso senhor Jesus Cristo o verdadeiro e único criador do mundo.

  • criancinha:

    Não precisamos de evidência empíricas para provar uma verdade. Basta um lápis e papel.

  • alex lekko:

    Já não sabem o que vai ocorrer amanhã muito menos daqui a um trilhao de anos, me poupe, parece politico.

  • Juliano:

    em 1 trilhão de anos o Sol já vai ter se transformado em Gigante Vermelha (e consumido mais da metade do Sistema Solar), expelido toda sua matéria para o espaço, ter morrido como uma Anã Branca e a nebulosa planetária remanescente já vai ter formado outra estrela que também já morreu, e formou outra…

    Cara, um trilhão de anos é muito tempo, é inimaginável!!!

  • Cesar:

    AuJr, talvez a gente já tenha explorado a Galáxia em 1 trilhão de anos, e já tenha desaparecido, e o que exista seja uma outra espécie inteligente que tenha surgido depois de nós, e em outro planeta. Da mesma forma que acreditamos que possam existir alienígenas inteligentes no Universo HOJE, acreditamos também que no futuro novas raças de alienígenas inteligentes vão continuar surgindo. A raça humana e seus descendentes poderão existir, ou não, não sabemos. Pode ser que amanhã um bando de criacionistas ou radicais islâmicos coloque a mão em um poder destrutivo capaz de liquidar completamente com a aventura humana, quem sabe?

  • AuJr.:

    Mas poxa, será que em 1 TRILHAO de anos, ainda não vamos ter conseguido sair da Terra e explorar outros pontos do universo? É ser pessimista demais.

  • Bruno Juncklaus:

    astrônomos poderão estudar o Bing Bang por meio das chamadas
    Buscador da Microsoft

Deixe seu comentário!