Rato é primeiro animal a ganhar sexto sentido biônico: visão noturna

Por , em 14.02.2013

Quando tiveram um sensor eletrônico conectado a uma região específica de seu cérebro, ratos se tornaram capazes de “perceber” luz infravermelha.

“Enxergar” não seria o termo correto, já que a região cerebral em questão é responsável por processar as sensações de toque vindas dos bigodes do animal. Seja como for, a luz que antes era invisível passou a ser “tocada” pelos animais, nas palavras do neurocientista brasileiro Miguel Nicolelis, um dos responsáveis pelo estudo, da Universidade de Duke (EUA).

Ele conta que o “novo sentido” mudou o comportamento das cobaias. “Eles ‘escaneiam’ o ambiente virando a cabeça e procurando por luz, e essa não é a maneira típica como os animais percebem luz. Eles criaram um novo comportamento exploratório como consequência da capacidade de perceber um novo sinal”, diz, como pode ser visto no vídeo acima.

Mesmo com a novidade, a região cerebral na qual o aparelho foi conectado não deixou de perceber sinais de toque comuns como antes. “O cérebro adulto é muito mais plástico do que pensávamos”, destaca o pesquisador.

Os resultados podem ajudar a desenvolver experimentos futuros que, possivelmente, ajudarão pessoas com o córtex visual (parte do cérebro responsável por “enxergar”) lesionado a recuperar a visão – de alguma forma, ao menos. Talvez seja possível, ainda, conectar equipamentos de visão infravermelha diretamente no cérebro, ampliando a capacidade de visão da pessoa.

“É muito interessante tentar entender se há um limite, se o cérebro é capaz de se adaptar para combinar um grande número de energias [eletromagnéticas] e alterar nossa percepção do mundo”, conclui Nicolelis.[NewScientist] [Scientific American] [Nature]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

1 comentário

  • Eloyr:

    Há poucos meses foi noticiado que um chinês possui a tal visão noturna… Alguém sabe informar se isto é natural ou foi implantada?

Deixe seu comentário!