Reino Unido não atingirá qualidade de ar desejada antes dos Jogos Olímpicos

Por , em 12.06.2011

O Reino Unido anunciou recentemente que o país não vai atingir as metas da União Europeia (UE) de qualidade do ar, o que pode significar que sofrerão consequências legais antes mesmo dos Jogos Olímpicos de Londres, que acontece em 2012.

As metas da UE foram inicialmente estabelecidas para serem cumpridas até 2010. Muitos países europeus, incluindo o Reino Unido, tiveram problemas em cumprir esse prazo, que foi prorrogado até 2015.

Agora, o Reino Unido avisa que não conseguirá cumpri-lo novamente. O Ministério do Ambiente, Alimentação e Assuntos Rurais já reconheceu que muitas cidades não serão capazes de cumprir as metas antes de 2020 (Londres está mais longe ainda; pode cumpri-las tão tarde quanto 2025).

Se a Comissão Europeia não estiver satisfeita com esses planos, pode lançar infrações ao país no próximo ano. O governo deve apresentar suas propostas em setembro e, em seguida, a Comissão tem nove meses para avaliá-las.

Se a Comissão decidir tomar medidas contra o Reino Unido, isso pode começar no próximo mês de junho, um mês antes dos Jogos Olímpicos.

“Sabíamos que a data de 2015 ia ser difícil, mas eu pensei que eles fossem pelo menos começar a fazer algo. O governo parece ter jogado as mãos pro alto e dito ‘é muito difícil’”, disse Alan Andrews, especialista em poluição do ar.

A poluição foi um dos temas que geraram mais críticas (principalmente do Ocidente) nos Jogos Olímpicos de Pequim em 2008, quando os transportes e a indústria tiveram que ser limitados a fim de que os poluentes chegassem a níveis aceitáveis.

Na Europa, a UE limita as emissões de dióxido de azoto (NO2) e outros poluentes devido aos seus impactos sobre a saúde. Os níveis existentes podem causar cerca de 3.000 mortes prematuras por ano.

Em sua defesa, o Reino Unido alertou que só 40 lugares do país – principalmente nas zonas fortemente urbanas – não são compatíveis com os níveis aceitos, e não serão até pelo menos 2020.

O governo também publicou detalhes de uma série de iniciativas que visam a redução das emissões, que incluem incentivos financeiros para a mudança do transporte rodoviário para ferroviário, investigação sobre como os varejistas podem fazer entregas fora dos horários de pico, e preços diferenciados para veículos que emitem baixos níveis de poluentes.

Como a maioria das zonas cumprirão as metas de NO2 em 2015, um porta-voz do governo disse que não espera ações da Comissão. “Se ficar provado que o Reino Unido está fazendo todo o possível para atingir o limite de NO2 o mais rapidamente possível, não há motivo para consequências legais”, fala. “O projeto de planos publicado representa nossos melhores esforços”, complementa.[BBC]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

2 comentários

  • Rodrigo Paim:

    Compreensível.

    Sinceramente, isso é o de menos, pelo menos para quem vai apenas para as Olimpíadas. Estou preocupado é com o meu Brasil, que. Já até sei o roteiro do filme, vão atrasar as obras, atrasar, atrasar, até que vão descobrir algo extraordinário, no ritmo atual não ficará pronto no prazo, então vão entrar com um pedido em caráter de urgência e vão pegar uma grana extra, dos nossos bolsos, pra obra se concluída no prazo. Como vai ser em caráter de urgência, enormes brechas serão abertas, e nisso são ocorrer superfaturamento, desvio de verba, o que acontece no nosso cotidiano.

  • Alter ego: Povo:

    Isso só faz lembrar dos estádio brasileiros, que nunca ficarão prontos para a Copa.

Deixe seu comentário!