Risco de câncer retal aumenta entre pessoas com menos de 40 anos

Por , em 25.08.2010

As taxas de câncer retal podem estar aumentando em pessoas com menos de 40 anos, segundo um novo estudo. Os investigadores encontraram uma taxa constante de diagnósticos crescente entre os jovens que começou em 1984 – uma observação que eles ainda não sabem explicar.

Segundo os pesquisadores, embora a taxa esteja aumentando, ainda é um fenômeno relativamente raro. O risco total de câncer retal ainda é muito baixo na população menor de 40 anos.

O estudo abrangeu cerca de um quarto da população dos EUA. Os pesquisadores procuraram pessoas com menos de 40 anos diagnosticadas com câncer de cólon e reto entre 1973 e 2005. Casos de câncer de cólon e reto são geralmente colocados juntos, pois parecem ter fatores de risco similares.

Durante o período de estudo, eles identificaram 5.125 pessoas menores de 40 anos com câncer de cólon (uma taxa de cerca de 1 em 90.000) e 1.922 com câncer retal (aproximadamente 1 em 240.000).

Porém, enquanto as taxas de câncer de cólon permaneceram iguais ao longo dos anos, as taxas de câncer retal avançaram. A partir de 1984, a taxa de jovens diagnosticados com câncer de reto aumentou quase 4% a cada ano até 2005. As taxas de aumento foram consistentes em todas as raças e foram encontradas tanto em homens quanto em mulheres.

Já que os riscos de câncer de cólon e de reto são praticamente os mesmos, os cientistas não encontraram nenhuma evidência em particular que pudesse explicar porque os casos do último aumentaram.

Esses fatores de risco comuns incluem ter um histórico familiar de câncer ou outras doenças hereditárias relacionadas ao câncer de cólon e reto, ou ter uma história pessoal de outros tipos de câncer, incluindo mama e ovário para as mulheres.

As pessoas diagnosticadas com cancro retal antes dos 40 anos muitas vezes ficam piores do que os idosos com a doença, em grande parte porque ela é descoberta muito tarde. A taxa de sobrevida global em cinco anos para o cancro retal nos Estados Unidos está entre 50 e 60%. Casos diagnosticados em fases iniciais têm melhores taxas de sobrevivência.

As recomendações atuais sugerem que exames retais comecem entre as idades de 45 e 50. No entanto, os médicos devem considerar fazer o teste em pacientes mais jovens caso eles exibam alguns dos sinais mais comuns de câncer retal, tais como sangramento retal. Normalmente, os médicos diagnosticam como hemorróidas, mas tendo em vista o aumento dos casos de câncer, é melhor fazer o teste para ter certeza. [Reuters]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

2 comentários

  • Franbogado:

    Nada a ver com sexo anal que nada! Cancer no reto tem uma incidência tão baixa que nao chega sequer a listar no indices de causas de morte por cancer, ao passo que a pratica do sexo usando-se dessa via é cada vez mais comum.

    Pesquisem e descobrirão que o virus HPV por exemplo, encontra-se largamente na região retal, mas nunca na sua forma agressiva (aquela que pode desenvolver cancer).

    Pesquisem mais amigos antes de começarem a fazer alarde e alimentar mitos de bicho papão.

  • Elizabeth:

    Será que esse aumento de cancêr retal em pessoas mais jovens não tem alguma relação com aumento da prática de sexo anal?

Deixe seu comentário!