Se a Google te mandasse pular de um penhasco você obedeceria?

Por , em 30.05.2010

Nos Estados Unidos uma mulher andou no meio de uma estrada porque estava obedecendo as instruções obtidas pelo Google Maps – serviço de mapeamento da gigante da Internet. Ela foi atropelada e agora está processando a empresa.

Você sabe que os mapas da Google Maps não são absurdamente precisos e que você não deve ignorar uma placa de “pare” ou de “preferencial” porque o mapa não traz essa informação, certo? Ou então que você deve olhar para os dois lados antes de atravessar uma rua qualquer? Lauren Rosenberg não sabia disso.

De acordo com os documentos do caso, Lauren não tentou uma rota diferente ou esperou os carros pararem para atravessar a rua – ela simplesmente seguiu as instruções do Google Maps que diziam que ela devia atravessar. Não é surpresa que ela foi atingida por um carro.

Agora ela pretende tirar 100 mil dólares da Google.

O fato é que a tal rua não tinha nenhuma calçada. Mas será que a tal Lauren era cega ou nunca havia atravessado uma rua? Não lembra aquele ditado que seus pais recitavam para você quando você dizia que “seu irmão também estava jogando bola até tarde”? Se ele falar para você pular de um penhasco, você irá pular? Se a Google disser que você deve se jogar de uma colina, você realmente fará isso? [CNN – Tech Fortune]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

26 comentários

  • Carlos Rodrigues:

    Daqui a pouco vão processar o google até por sua imagem aparecer no google map.Ops acabei tendo uma ideia,acho que vou ficar rico.

  • Carlos Rodrigues:

    Ela pode processar o google não por ser burra mais por omissão ou erros no google map,como por exemplo não especificar um sinal de trânsito ou a mão de uma rua.Sempre se encontra uma brecha para se ganhar dinheiro.

  • Jasiel Konna Ni:

    Abri o Google Maps do meu celular, tracei a rota entre Tokyo e Sidney, na 26º instrução (se não me engano) estava escrito: CRUZAR O OCEANO DE CAIAQUE 6.800 KM haushushaush

  • Miguel:

    Acho que a Google não a mandou ser burra…

  • LorD FeniX (Marthins):

    Penso q na verdade isso revela uma tendência q tem se intensificado nos tempos atuais. As pessoas cada vez mais confiam cegamente na tecnologia e pensam menos.

    Já presenciei um caso q penso tb ilustrar bem isso.

    Em uma loja pequena, dessa sem caixa registradora, a vendedora calculou o total de minha compra com a calculadora. Não lembro os valores mas o resultado da soma estava bastante errado, pois a máquina estava com defeito.

    Ela só se convenceu, espantada, ao pegar outra e refazer a conta mais de uma vez.

    Ou seja, se a calculadora computasse q ” 2 + 2 = 90856″ ela teria aceito o fato com naturalidade e sem o menor questionamento. 😮 😮 😮

  • Pedro Vaz_De_Angola:

    Que bobagem…então se o google mandar tirar a roupa no meio da rua ela tb tira, não é?

  • wyllian:

    bom… pelo menos ela aprendeu alguma coisa
    sem insultos se o google mandasse eu jogaria o computador
    espero que o conto que eu ouvi seja verdade

    a mulher tava vendo na internet um negocio muito suspeito uma caximira pela senha do banco… ela deu a senha e o cara deu uma caixa vazia. tem mais, o proprio negociante era o proprio pai dela.

    não seja tabacudo ouviu

  • Roberto Brasil:

    sera que se o google map mandasse ela comer um montão de fezes ela comeria

  • Chris:

    Fico em média 8 horas por dia lendo na internet e vejo muita coisa espantosa. Leio também diariamente o HIPE SCIENCe e não Costumo comentar mas essa é demais. A do gato também que o nosso amigo Davi Dalben comentou mostra como o o ser humano pode ser estúpido. Alienação, alucinação…Nossa essa é demais ainda não estou acreditando!

  • adrielle:

    Essa mulher e doida pular de um penhasco, se alguém mandasse eu pular de um penhasco eu não obedeceria!

    • Carlos Rodrigues:

      Mas ela atravessou a rua sem olhar e não pulou de um penhasco você não leu o texto?

  • Leandro:

    olha só existe tres tipos de resposta para essa mulher!
    ou ela é cega.
    ou ela é louca.
    ou ela nunca atravessou uma rua ou avenida etc.

  • Davi Dalben:

    Eu já li sobre uma mulher que processou uma fabricante de eletrodomésticos porque colocou seu gato para secar após o banho no forno de microondas e o gato morreu. O processo explicava que ela costumava secar o gato no forno convencional e que não havia nenhum alerta no manual do novo aparelho sobre o risco que o bichano estaria correndo. Ganhou.

    • LorD FeniX (Marthins):

      Imagino q dentro de pouco tempo ela tb estará processando o fabricante do liquidificador, afinal, no manual tb não diz q os gatos correm risco se forem inseridos dentro do aparelho qnd em funcionamento :p :p :p

  • Cesar:

    Alysson, procure o site do instituto Stella Awards, você vai ver que existe muita lenda de casos frívolos, além dos casos frívolos. Particularmente, existe um email circulando por aí com os casos mais frívolos que tem, só que são todos FALSOS. Como estes que você citou.

    Stella Awards: http://www.stellaawards.com/

  • Allysson Santos:

    Eu espero que ela não ganhe, mas já li uma reportagem sobre estes processos bizarros e lembro de alguns como:

    Um ladrão que tentou furtar uma casa, porem ficou preso na garagem. Como os moradores estavam viajando ele sobreviveu comendo ração de cachorro por 5 dias (ñ me lembro ao certo) até a volta dos residentes. Depois que sai processou e GANHOU a causa contra a familia ¬¬”””””.

    E a de uma mulher que estava em uma loja e um menino peralta que estava correndo pela loja atravessou seu caminho e a derrubou resultando em uma fratura no braço, a mulher processou e (surpresaaaa) GANHOU a ação que envolvia alguns milhares de dolares. Ps. O menino que corria pra todo lado era o filho da mulher. ><""""

    Essa justiça americana é ou não é uma palhaçada?

  • André:

    Pior é que ela sobreviveu e pode passar seus genes para frente… Mas pelo menos uma menção honrosa no prêmio Darwin ela poderia disputar.

  • Denommus:

    Pior que do jeito que a Justiça funciona nos EUA, é bem capaz de ela ganhar.

  • Fernando Sávio:

    Até pode ser uma tendência do ser humano confiar nos apetrechos..
    Porém em tribunal nenhum vao culpar a google por uma mulher que usou um apetrecho ao inves do cérebro!

  • Gabriel:

    sinceramente isto foi falta de atenção pq ela queria que um serviço gratuito da internet tivesse funções de gps? e eu acho errado ela querer processar a empresa se for assim eu me jogo na frente de uma carro digo que foi culpa da google e meto um processo milionário nele. SEM SENTIDO ISTO.

  • Otávio:

    O meu estudo é voltado para tecnologia, e toda tecnologia é voltada para auxiliar o ser humano e não fazer a coisa por ele, sinto muito mais se ela fez isto com a intenção de processar o google assim agindo de má fé ela vai se enroscar, por que a função da tecnologia como um todo é auxiliar e não fazer algo, e o google map’s não tem comprometimento de dizer aonde deve parar ele somente orienta os caminhos.

  • eduardo:

    Mesmo assim César….. se a google se comprometer com pessoas com essas limitações, a empresa vai falir……. eu creio q ela sabia muito bem o q estava fazendo…. não duvido de q ela tenha pensado o tempo todo em indenização……
    Mas o que vc falou sobre essa condição do cérebro eu concordo…

  • Tiago:

    A tecnologia veio para ajudar e devemos cuidar para que não sejamos feito escravos dela. E assim nos largamos de tal maneira em suas mãos que confiamos erroniamente nela.Usar a tecnologia é permanecer coeerente com a realidade a sua volta.

  • Cesar:

    A coisa é um pouco mais complexa do que simplesmente alguém que não usa o cérebro. Já houve outros casos parecidos na Inglaterra, como o do homem que seguiu adiante em um final de estrada (um entroncamento tipo “T”) por que o GPS disse para ele seguir adiante. Não se trata de estupidez, mas de uma maneira como o cérebro funciona – quando você começa a seguir ordens, tende a confiar nelas, e mesmo a não questioná-las. O que aumenta e muito a responsabilidade de quem faz estes mapas e apetrechos.

    Para quem acha que eu estou viajando na maionese, lembram aquela experiência da década de 60 ou 70, dos caras que recebiam ordens de dar choques em um “voluntário”?

  • Tatiane:

    Pra mim esse é o mesmo raciocínio que faz os obesos processarem o McDonald´s pelos problemas de saúde deles – é sempre mais fácil responsabilizar o fabricante/anunciante.

Deixe seu comentário!