Será que rir é mesmo o melhor remédio?

Por , em 22.07.2010

Sempre houve quem dissesse que a melhor maneira de combater o estresse, a tristeza e a ansiedade, não está em nenhum comprimido ou frasco de remédios, e sim na habilidade em manter o bom humor. Lee Berk, um pesquisador da Universidade de Loma Linda, na Califórnia levou essa idéia a sério, e resolveu fazer um teste para comprovar.

O médico reuniu 14 voluntários para assistir a um famoso programa humorístico da televisão americana, o Saturday Night Live. Os participantes tiveram seu nível de colesterol e pressão sanguínea medidos antes e depois de assistirem o programa. Os níveis de colesterol realmente caíram e a pressão sanguínea se regularizou, em uma proporção que, segundo os cálculos de Lee Berk, equivale a 20 minutos de trabalho pesado. Para comparar, ele fez o mesmo teste com os voluntários assistindo algo sério (no caso, o filme “Resgate do Soldado Ryan”), e não houve nenhuma melhora naqueles indicadores de saúde.

E os benefícios da risada, segundo a pesquisa, não param por aí. Eles chegaram também à conclusão de que as risadas podem combater infecções no organismo. Nesse caso, o humor faz com que aumente a produção de anticorpos que combatem uma grande variedade de doenças, o que aumenta a eficiência do sistema imunológico.

Outra vantagem das risadas, levantada por outro estudo: para mulheres grávidas, levar uma vida livre de estresse e rir com freqüência pode melhorar a qualidade do leite materno. Este leite melhorado, nesse caso, aumenta na criança a resistência contra alergias e problemas de pele.

Com todos estes motivos, você deve estar pensando que rir frequentemente de fato nos ajuda a viver mais. Mas uma outra universidade californiana, La Sierra University, apresenta uma contrapartida. Eles fizeram um estudo com 1215 crianças americanas de 10 anos e traçaram seus perfis psicológicos. Descobriram algo chocante: aqueles mais alegres e entusiasmados eram propensos a morrerem mais jovens.

O motivo para isso? Comprovado cientificamente, não se achou nenhum. Mas as teorias que surgiram foram as seguintes: crianças jovens que são mais alegres quando crianças têm mais propensão a “aproveitar a vida” quando jovens e adultos, a freqüentar mais festas, o que os torna mais propensos ao uso de álcool, fumo e drogas. Os “menos alegres”, por outro lado, tendem ser mais retraídos, ficar em casa e cuidar mais da saúde. Assim, morrem mais velhos, e “riem por último”. Mas será que riem melhor? [New Scientist]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 4,00 de 5)

9 comentários

  • Rafinha Camargo:

    14 voluntários não é uma amostra muita pequena?

  • Sandra costa:

    ———Adoro este site,aprendi muito com vocês.Eu já sou do tipo que dou risadas de uma boa piada,quando fico muito cansada não consigo parar de rir.Mas nasci de bem com a vida,adoro dar boas risadas.

    • Henrique Martins:

      Também gosto do site ele me deixa com bom humor !!!!!!!
      Conhecimento + riso = felicidade.

  • Everton Carlos da Costa Cardoso:

    Essa pesquisa apenas comprovou o que os cientistas já tinham descoberto. Mas valeu porque descobriu outros benefícos que o riso e a risada proporcionam. Não sei se é o melhor remédio, mas rir e dar risadas faz um bem enorme para a saúde das pessoas.

  • Conceicao Cecchi:

    Eu adoro este site,parabéns!!!

  • Conceicao Cecchi:

    Concordo plenamente que o riso faz be pra saude, infelizmente eu sou muito dificil rir, nao que sou uma pessoa triste,muito pelo contrario, mas acho que herdei iso de minha mae.

  • Farofa:

    não acho q os que riem por ultimo nesse caso riam melhor…
    Eu sou muito mais comer carne vermelha, beber, enfim curtir a vida…

    Sempre digo, eu não quero durar, eu quero viver!

    Para mim é bobagem morrer com 90 anos, se eu não fiz nada prazeroso.
    Se eu morrer com 40 e tiver feito tudo que eu tenho vontade eu morro feliz… mas se morrer com 90 e num fiz nada que eu tive vontade, para que viver então!

  • Rosângela:

    Não saberia responder se os que riem por último, riem melhor.
    Concordo com Claudemir,e a sensação é incrível, algumas vezes chegamos a chorar de tanto rir (antítese?).
    O riso é contagiante, é uma forma de expressarmos que estamos bem, felizes, mas existem pessoas que riem quando estão nervosas, mas seja como for “rir é o melhor remédio”, sem dúvida, pelo menos para mim.
    Muito bom artigo Rafael e obrigada por ser criterioso em relação aos “comments” em seus artigos.

  • claudemir da silva:

    esse é um remedio eficiente e todo mundo tem e faz bem realmente

Deixe seu comentário!