Tuberculose ‘incurável’ aparece na Índia

Por , em 23.01.2012

Uma tuberculose que parece ser totalmente resistente a tratamentos com antibióticos foi descoberta pela primeira vez recentemente, por médicos indianos.

A preocupação com uma tuberculose resistente à medicação está crescendo, com casos similares na Itália e no Irã. Um médico de Mumbai afirmou que 12 pacientes possuem uma forma da infecção “totalmente resistente aos medicamentos”, sendo que três já morreram.

O Ministério da Saúde indiano está investigando os casos e enviou uma equipe de médicos para a cidade.

A tuberculose é uma das infecções mais mortíferas do mundo, atrás apenas do HIV. Normalmente, um paciente diagnosticado recebe uma série de seis a nove meses de antibióticos para erradicá-la.

Entretanto, novas formas da bactéria têm desenvolvido uma resistência impressionante aos antibióticos mais comuns do tratamento. Tuberculoses parcialmente resistentes podem ser encontradas hoje no mundo, e versões “resistentes a multi medicamentos” estão afetando a Rússia e a China.

“Ameaça séria”

As notícias indianas estão aumentando a preocupação de que os médicos não consigam conter a doença nos próximos anos. Médicos do Hospital Nacional Hinduja, em Mumbai, afirmam ter tratado os pacientes por dois anos com uma bateria de medicamentos, sem conseguir tirar proveito.

Os doentes vieram de áreas pobres da cidade, onde o contato próximo entre as pessoas pode gerar uma epidemia.

O Centro Americano para Controle de Doenças (CDC) confirmou que a versão indiana parece mesmo ser completamente resistente.

O diretor da Divisão de Tuberculose, Kenneth Castro, disse: “A qualquer hora nós vemos algo assim, e precisamos estar a frente disso antes que vire um problema generalizado”.

Autoridades estão fazendo pedidos constantes à indústria farmacêutica para que novos antibióticos sejam desenvolvidos.

A médica Ruth Mcnerney, especialista em tuberculose, afirma que os novos casos representam uma “ameaça séria” para os esforços globais de erradicar a doença.

“O que estamos vendo é provavelmente apenas a ponta do iceberg. Não sabemos se isso já está muito espalhado, porque poucas pessoas são testadas para medir a resistências às drogas”.

Ela afirma que a presença constante da tuberculose na Índia, em conjunto com a alta densidade populacional nas cidades, significa que o novo tipo de tuberculose pode se tornar um problema ainda maior do que antigas formas “totalmente resistentes” a remédios.

“Vai exigir um esforço grande e uma mudança política para que nos livremos disso – não apenas do governo indiano, mas de todo o mundo. Isso é um problema global, não apenas da Índia”, comenta. [BBC]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

12 comentários

  • sandro doido:

    É, a verdade é que os vírus estão evoluindo junto com os seres humanos, e cada vez mais os antibióticos estão ficando sem efeito. O que faremos? Os nossos dias estão contados?

    • João Carlos:

      Só um detalhe. Não se trata vírus com antibióticos, portanto o desenvolvimento dos vírus e o possível enfraquecimento dos antibióticos não são tão relacionados assim.

    • Bruna:

      a turberculose é causada por bactérias e não virus, é por isso que se usa antibiótico, vc não explicou isso bem.

  • PaulenRycke:

    Não duvido de grandes laboratórios farmaceuticos estarem por trás de criarem novas doenças para vender com preços abusivos seus remédios que na teoria seriam a solução.

  • José Calasans:

    O pior é que se alguns vetores desse tipo de doença vierem para cá em uma época crítica,como o carnaval ou a copa de 2014 e se misturarem em meio a população,ai realmente teremos dores de cabeça.A tuberculose comum ainda persiste,se aparecer essa que não tem cura por hora,vai dar trabalho.

    • Rômulo:

      Nem precisa que indianos venham para o Brasil.

      No caso das NDM, os ingleses faziam turismo médico na Índia e de lá disseminaram para a Europa.

  • Wesley:

    Não é de se surpreender. É algo que já foi previsto por varios cisntistas, essa forma de combater as doenças com todo tipo de antibiotico só está acelerando o processo de criação de bacterias mais fortes e resistentes. O que piora a situação é o lugar em que a bacteria foi surgir: justamente no país com maior capacidade de disseminação da doença, a India.

  • Rômulo:

    Interessante. Deste mesmo país, também proveio outro alarme. Um mecanismo de resistência bacteriana aos antimicrobianos importante: a enzima betalactamase NDM (New Delhi Metalobetalactamase).

    Esta enzima é transferível através de um aparato móvel bem comum, particularmente entre enterobactérias (bactérias do nosso intestino, as quais são muito mais comuns que M. tuberculosis). O gene que codifica esta enzima está virtualmente a se espalhar pelo mundo e em menos de 2 anos.

    Parece que tempos piores ainda virão.

  • Marco:

    Eu sou conhecedor do assunto mas a cura não seria criar novos antibioticos ? ou hj em dia é impossivel encontrar esses novos antibioticos ?

    • Marco:

      ops eu quis dizer que NÃO SOU conhecedor rs

    • Gilberto M.:

      Também não sou especialista, mas, pelo pouco que sei, é possível sim, aliás é muito provável que novas drogas sejam criadas. O problema é o tempo que isso leva. Pode levar muitos anos.

  • Angel:

    Que medo! Tomara que não vire pandemia =O

Deixe seu comentário!