15 inconvenientes perguntas que fizemos a um motorista do Uber (para você não ter que perguntar)

Por , em 10.07.2018

A proliferação de serviços de transporte pessoal como o Uber democratizou o transporte urbano. Hoje você se junta com um ou dois amigos e viaja pela cidade de maneira confortável, às vezes, pelo mesmo preço da passagem de ônibus. Mas sempre tem aquelas situações que nós não sabemos exatamente como nos portar, talvez por timidez. Portanto fizemos inúmeras perguntas inconvenientes para o motorista Gustavo, com milhares de viagens do Uber acumuladas, para você não ter que fazê-las.

Algumas perguntas vão parecer bobas ou até de bom senso básico, mas para certas pessoas não são. Principalmente para pessoas inibidas.

HypeScience: Posso pedir para meu motorista ajustar o ar condicionado ou para subir minha janela?

Gustavo: Pode não, deve. Essa é uma das obrigações do motorista, o app fornece esse serviço, tanto é que uma das condições para trabalhar é ter um carro com ar condicionado

HS: Posso pedir ao motorista para desligar o rádio ou mudar a estação?

Sem problemas, cada pessoa tem um gosto musical, escutar algo que não gosta, ficando desconfortável durante a viajem, não é uma condição.

HS: O que devo fazer se o carro estiver sujo ou com cheiro desagradável?

Gustavo: Primeiro analisar a situação, se estiver chovendo por exemplo, não tem como manter o carro limpo e cheiroso, a chuva suja o carro por fora e as pessoas entrando e saindo com o pé molhado deixam o carro com cheiro de “cachorro molhado” por dentro. Se estiver sujo ou com cheiro desagradável sem motivos aparentes, reportar a situação pra Uber no próprio app.

HS: Motoristas ligam se eu viajo no banco de trás ou na frente?

Gustavo: Não, vá sempre onde se sentir mais seguro e confortável.

HS: Posso falar para meu motorista que não quero conversar?

Gustavo: Pode, claro que de uma forma educada, é até melhor se falar, algumas pessoas não falam, mas colocam os fones de ouvido.

HS: Se meu motorista me conta o que parece ser uma teoria da conspiração maluca é melhor mudar de assunto ou desbancar o mito com fatos usando o Google?

Gustavo: Exponha sua opinião, debata o tema, se for interessante para você, se não mude de assunto.

HS: Como meu motorista me julga se estou bêbabo, abertamente chorando, ou se acabei de sair da academia suado e nojento?

Gustavo: Se está bêbado não vai se importar com este fato, mas não vai gostar de bagunça ou que vomite no carro dele. Se estiver chorando vai tentar te ajudar da melhor forma, conversando para distrair, oferecendo conselho, colocando uma música que gosta ou até ficando em silêncio. E suado da academia não tem problemas, até porque chega momento no dia em que nós também estamos suados.

HS: Posso pedir emprestado o carregador de celular do motorista?

Gustavo: Pode sim, geralmente a gente já espera que alguém vá pedir, então andamos com um reserva no carro.

HS: Quando é justificável dar menos de cinco estrelas para meu motorista?

Gustavo: Quando é relevante, sempre tendo bom senso, analisando as condições, temos que ter a consciência de que é uma avaliação onde o máximo é 5 estrelas (deu tudo certo, cheguei em segurança) e o mínimo é 1 estrela (deu absolutamente tudo errado, nada me agradou), ou seja você não vai colocar 1 estrela por não estar tocando uma música que você gosta, ou por algo que simplesmente não é culpa nossa. E essa avaliação é para o motorista e não para a empresa ou o app, se deu problema com o app ou a empresa cobrou algo que não estava esperando, a culpa não é nossa. Nunca esqueça de nós avaliar, se sua viajem foi perfeita é injusto o motorista não receber mérito por isso, e se foi ruim é injusto que próximos passageiros e a empresa não sejam informados disso.

HS: O que devo fazer se meu motorista estiver dirigindo de maneira que não parece segura?

Gustavo: Comente com ele de uma forma educada que não está se sentindo seguro, se ele não mudar a conduta peça pra ele parar o carro e encerrar a corrida, avalie ele analisando a situação e chame outro carro, depois mande um email para a empresa explicando o ocorrido.

HS: Motoristas consideram grosseria quando batemos a porta ou o porta-malas?

Gustavo: Não digo grosseiro, mas se coloque no lugar dele, você gostaria que alguém batesse a porta do seu carro? Parece que não, mas danifica, não só em relação a porta, mas pés no banco, comendo, bebendo, etc…

HS: Quais as razões mais comuns que levam motoristas a deixar notas ruins para passageiros?

Gustavo: Se o passageiro não tem respeito, algumas pessoas pensam que só porque estão pagando são nossos chefes. Se não quer colocar o cinto; chama o carro mesmo estando em mais pessoas do que o carro comporta ou estraga o veículo.

HS: É possível deixar gorjeta para o motorista?

Gustavo: É sim, você vai deixar o motorista bem feliz, todos gostamos de reconhecimento. Geralmente estrangeiros sempre deixam gorjeta.

HS: O que posso fazer para me tornar melhor passageiro, em geral?

Gustavo: Não só dentro do carro, em qualquer situação, sendo uma pessoa educada, gentil, tratando outras pessoas com respeito, já está ótimo.

HS: Ao lidar com tanta gente durante o dia em um ambiente privado os motoristas estão vulneráveis a sofrer violências, abusos e assédio. Como previnir este tipo de atitude?

Gustavo: A exposição do motorista é enorme, então sim, passamos perigos todos os dias, nunca sabemos se o passageiro vai ser uma pessoa boa, assédios e abusos acontecem também mas com menos frequência, mais aos finais de semana quando os passageiros estão bêbados. Prevenção de violência é não buscar passageiros em locais suspeitos, ou aceitar uma corrida onde quem vai com você não é o dono da conta que pediu.

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (65 votos, média: 4,18 de 5)

Deixe seu comentário!