Wolfram acredita que pode ter encontrado o caminho para a teoria fundamental da física

Por , em 24.04.2020

Stephen Wolfram passou do estudo da física para a computação, quando ao entrar em contato com essa área, percebeu que é possível pensar o mundo usando a ideia da computação. Ele considerou essa uma forma fundamental e poderosa. A mudança ocorreu há 40 anos.

Wolfram diz nunca ter parado de imaginar que, talvez, em algum ponto no mundo computacional abstrato pode estar o nosso universo físico. Há 30 anos ele teve a primeira ideia de como isso poderia funcionar.

Há pouco mais de um ano, Wolfran teve uma ideia que resolveu um problema em sua abordagem. Ele também percebeu que há pessoas querendo esse problema resolvido, ao ver o entusiasmo de dois jovens físicos depois de conversar com eles.

Agora, eles publicaram o que foi feito até o momento e esperam para ver se finalmente descobrirão a teoria fundamental do universo. Na semana passada ele lançou o Wolfram Physics Project. A ideia é de que tudo pode partir da aplicação de regras simples de blocos de construção fundamentais.

Por que uma nova física?

Existe uma boa teoria de como a gravidade funciona para grandes objetos. Mas ela não é compreendida em energias extremamente elevadas ou coisas muito pequenas. A relatividade geral não se aplica quando seguidas as regras da mecânica quântica. Por isso existe a busca por uma teoria que combine o que se sabe da relatividade geral e da mecânica quântica. O que levaria a uma nova teoria da física.

Para Wolfran não é de se surpreender que essa teoria fundamental ainda não tenha sido encontrada, porque requer ideias e paradigmas que não tinham sido desenvolvidos até bem recentemente.

A Teoria das Cordas é uma abordagem que combina a Teoria da Relatividade Geral e a mecânica quântica. Mas tem aumentado o descontentamento em relação a ela. Na tentativa de fornecer uma alternativa à Teoria das Cordas, Wolfram usa a teoria dos grafos, o ramo da matemática que estuda grupos de pontos ou nós conectados por linhas.

Wolfram propõe que o universo pode ser modelado da mesma forma, ele sugere que o objetivo da física é organizar as regras seguidas pelo esquema gráfico universal. A chave para isso é que gráficos adequadamente complexos se assemelham à geometria.

Gráficos extremamente complexos se assemelham a superfícies e volumes. Com a adição de nós e linhas suficientes será formada uma espécie de massa, argumenta Wolfram. Para ele, o espaço pode ser pensado como uma malha que une uma série de nós.

A questão é como esse conceito pode ajudar a conciliar a relatividade geral com a mecânica quântica.

As chances de isso ocorrer parecem melhores quando é criada uma teoria que consegue fazer o que faz a relatividade geral a partir de estruturas discretas como os grafos. Wolfran considera que ao aplicar várias vezes uma regra simples, é possível chegar a uma estrutura complexa.

Olhar o projeto com cautela

Ponderações em relação ao projeto foram feitas pelo professor da Universidade Católica Australiana, Sam Baron. Embora o projeto seja promissor, Wolfram vai contra teóricos reconhecidos sem, no entanto, ter muitas publicações em periódicos científicos. Mesmo que tenha feito algumas no início da carreira. Outro ponto relevante é que sua abordagem não é totalmente original. Apesar das similaridades a outras abordagens, elas não recebem muita atenção em seus projetos.

A notabilidade do projeto fica por conta da grande audiência de Wolfram, o que ajuda a popularizar sua abordagem. A visão geral fornecida de forma cuidadosa em relação ao projeto faz com que as pessoas fiquem a par mais facilmente e possam fazer contribuições. Para finalizar, o projeto é open source, o que incentiva a contribuição de outros cientistas.

Stephen Wolfram também é idealizador do site Wolfram Alpha que tenta responder questões com uso de algoritmos para filtrar informações de uma imensa base de dados. Além de ser responsável pelo sistema de computador Mathematica. Em 2010, o idealizador do projeto falou sobre o que pretendia desenvolver em um TED. [The Conversation, Stephen Wolfram]

Último vídeo do nosso canal: A Terra não orbita exatamente o sol mas um ponto virtual no espao

1 comentário

  • Abrahan Nipah:

    Toda semana tem um desses… (hiperbólico, claro, mas compreensível, suponho)

Deixe seu comentário!