Vida no computador “desumaniza” jovens

Por , em 21.11.2011

Esta cena aconteceu em algum lugar da Inglaterra: uma menina, adolescente, está na cozinha usando uma torradeira pela primeira vez. Ela pega as fatias de pão, olha indecisa para a torradeira por alguns momentos, e pergunta ao pai: “É para colocar a fatia em retrato ou paisagem”? Esta história, descrita por uma jornalista britânica, mostra certo grau de influência da rotina computadorizada na vida das pessoas.

Esta jornalista, Susan Greenfield, sustenta a tese da “adaptabilidade” dos computadores. Segundo ela, quando passamos muito tempo em frente ao monitor, nossas ações vão se adaptando gradualmente ao modo de vida computadorizado. Até chegar ao ponto, por exemplo, de imaginar que a torradeira funciona como uma impressora.

Susan defende que nosso cérebro é altamente suscetível. Ela explica que a tecnologia, depois de tanta evolução, ganhou um status de capacidade e indispensabilidade, que inverte uma ordem básica. O usuário da tecnologia não se sente mais dominador dos meios que usa. Ao invés disso, se deixa conduzir pelos computadores, depositam sua confiança nele quanto à resolução de problemas. E isso tira parte de nossa autonomia em outros fatores da vida.

Os efeitos mais nocivos dessa transformação, de acordo com Susan, são verificados em crianças. Ela cita um estudo da Universidade Xidian, na China, que aponta a chance de haver danos cerebrais notáveis em jovens que se tornam viciados em internet. Um único estudo, como explica a jornalista, não é suficiente para provar nada, mas ela pede que cientistas ampliem sua atenção para esse problema.

Mudanças de hábito, no entanto, são necessidades que Susan enxerga como urgentes. Não se pode, segundo ela, esperar 10 ou 20 anos para saber se as crianças viciadas em computador hoje terão realmente algum prejuízo psiquiátrico. Há estudos, nos EUA, para mostrar que a vida em frente ao monitor distorce a empatia e as habilidades sociais do adolescente.

Para ilustrar isso, Susan cita um caso horripilante. Recentemente, na Inglaterra, um jovem de 16 anos matou sua namorada, uma menina de 15, batendo nela com um pedaço de pedra. Tudo porque fez uma aposta com um amigo que prometeu pagar um café da manhã se ele matasse a garota. Depois de matar, o rapaz entrou no Facebook e escreveu que estava “relaxando” com os amigos.

A mãe da menina, depois da tragédia, contou que o namorado da filha já estava dando sinais de que pretendia matar a garota através do MSN Messenger, onde ele e os amigos combinaram a aposta da refeição por um assassinato. Segundo ela, o adolescente tratou tudo como se fosse um jogo eletrônico de computador. Ele agora foi condenado à prisão perpétua, mas teve tempo de usar o Facebook mais uma vez para dizer que será solto assim como Amanda Knox (americana que protagonizou um assassinato em 2007 e hoje está livre).

Diante desse panorama, Susan enxerga necessidade de medidas urgentes na relação entre jovens e computadores. Segundo ela, a ideia de que os jovens transferem sua vida virtual para a vida real (desde uma torradeira até um assassinato) não é uma possibilidade, mas um fato. Combater o problema, de acordo com a jornalista, requer medidas drásticas de controle sobre o uso de computadores. [Telegraph]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votos, média: 4,50 de 5)

26 comentários

  • Shanalise:

    E se não houvesse a internet, ele poderia ter feito a aposta do mesmo jeito e depois por exemplo, mandado um sms para seus amigos.
    Acho que ele estava com sérios problemas, não e todo mundo que sai por aí matando as pessoas por apostas.

  • Marcos:

    Não se pode generalizar comportamentos isolados. Se o rapaz assassino matou depois de tomar um refrigerante, pode ser que refrigerantes façam adolescentes matar e perderem a habilidade social. Interessante. Muitos jovens tomam refrigerantes e são violentos. Talvez tenha uma ligação. Ou serão as frituras? será necessários mais pesquisas para descobrir.

  • jader pereira:

    qualquer coisa em ecesso desumanisa o ser humano televisao,bebidas ,carros.etc

  • Victeron RPG:

    Pouco sensacional essa jornalista.
    Tudo em excesso faz mal, não são só os computadores, mas agora com essa ondinha do pessoal do contra, ganha mais notoriedade.

  • kleidiany:

    Drogas,violência, prostituição, gravidez na adolescência, vida virtual, um problema atrás do outro, e nada é sanado.

    • Epona:

      E nunca será, porque essas tragédias são parte da nossa natureza, e sempre serão.
      É triste a gente parar para observar e só ver escuridão dentro de nós e de nossos semelhantes…

  • Ariane:

    nossaaaaaaaaaaaaaaaaaaa

  • Rafael:

    Sempre existiram pessoas psicopatas e pessoas com dificuldade de expressão…

  • Eu:

    Acho essa que essa mulher anda vendo filmes demais… não me sinto dependente do pc. No outro dia o meu pc ficou avariado por uns dias e não senti nenhuma falta dele. No entanto passo quase o dia inteiro à frente do ecra… é mesmo falta do que fazer.

  • Kiou:

    Parei de ler no primeiro parágrafo… materia sensacionalista.

  • curioso:

    Tudo em excesso faz mal

  • ALX:

    Não vejo nada d+ no uso excessivo do computador, é o mesmo que ver tv.

  • Roberto:

    Stephanie, a religião também afeta sobremaneira a referência humana das pessoas. A religião banaliza o ser humano, os animais e a natureza ao dar-nos uma procedencia divina e uma précondenação devido a um pecado original. Que cometemos quando o tal deus pai colocou gasolina na mão de Adãozinho e fósforo na mão da Evinha e ainda deixou uma louca psicopata “cuidando” das crianças e foi-se por aí, não se sabe onde, nem fazer o que. Pior ainda, quando o pai desnaturado voltou, nos expulsou de sua casa. Fora isso ainda abandonou seu filho unigênito no calvário.

  • Hy:

    HAAHAAHAHAHAH o cara que matou a namorada é um retardado mental só isso, não tem haver com computador.

  • Amanda:

    Fora o computador viva filhos nas ruas largados nas drogas,vai nessa tia.

  • celiane:

    o computador só faz mal pra quem já tem problemas psicológicos.

  • Jack:

    E outra o que é afinal “ser humano” para dizer que o computador desumanizaria as pessoas? Bem mequetréfe essa teoria viu…

  • Jack:

    “Depois de matar, o rapaz entrou no Facebook e escreveu que estava “relaxando” com os amigos.”

    Tah e por isso a culpa da morte da menina é da internet? A suzane von richtoffen deu uma festa após matar os pais na chacará da familia…vamos proibir festas open air então! Elas são a principal causa de parricídios atualmente! ¬¬

    Coisa de dinossaura que não consegue se adaptar aos novos tempos e agora quer ganhar um dimdim encima de pais que como ela não entendem a lógico de funcionamento dos filhos…

  • lucas:

    essas pessoas tem alguma patologia, só pode

  • Gui Melo:

    Gente, se o cara é débio mental que culpa o computador tem ?

  • Hideki:

    É…Aquele cara tem probleminha…
    Mas é complicado afirmar que vida no computador desumaniza jovens, temos que tomar cuidado para não generalizar.
    Acho que o problema é que a vida em família está deixando lugar para a vida no computador. Ao invés de ir conversar com nossos pais, irmãos, vamos direto no computador.
    Ironicamente, vamos às redes sociais nos aproximar de pessoas distantes e nos afastamos de quem está do nosso lado.

  • Hideki:

    “É para colocar a fatia em retrato ou paisagem?”
    Ah ela quis perguntar se era pra colocar a torrada na vertical ou na horizontal, não que ela funciona como uma impressora =P

    • José Luís:

      Verdade. Mas, ao contrário do caso do assassino, essa menina, no mínimo, tem dificuldade para se expressar e não creio que, no emaranhado de miguxês, tiopês, ká-ká-kás e shuashuas, ela vá desenvolvê-lo…

    • Silas Faluba:

      eu aprendi essa questão de vertical e horizontal na segunda serie ou antes. em geometria… mas foi na escola…

      minha opiniao é que o computador veio para facilitar, independente do que seja. Se a pessoa já “veio de fabrica” com instintos assacinos pode jogar por exemplo GTA e se divertir e com isso talvez se satisfaça ao ponto de não querer matar ninguem na vida real…

      eu por exemplo se tivece este instinto, o satisfaria em jogos deste tipo pois lá nos jogos as se vc morre pode simplesmente reiniciar e começar denovo… ( mas eu sou normal… ( pelo menos creio que seja ) não sei como o cara pensaria )

    • Miguel:

      “É para colocar a fatia em retrato ou paisagem?” se eu fosse o pai dela dizia-lhe: “Olha, filha, importas-te de falar numa lingua que eu perceba, se faz favor?” e para além disso, colocar a fatia na horizontal ou na vertical, à moça não lhe ocorreu se calhar que TANTO FAZ!?

  • eset:

    Matar a namorada por um café da manhã? Esse cara tem sérios problemas.

Deixe seu comentário!