Violência no campo: as 7 piores brigas de esportes da história

Por , em 3.02.2012

O que deveria ter sido um jogo de futebol normal em Port Said, no Egito, entre o time local Al-Masry e o adversário Al Ahli, do Cairo, acabou em desastre depois do início de uma briga que tirou a vida de mais de 70 pessoas e feriu pelo menos mais 1.000.

A tragédia abalou a nação politicamente frágil, que culpou pelo tumulto o governo, as forças de segurança, o conselho da federação de futebol e os próprios fãs. Embora as tensões políticas no Egito possam ter ajudado a criar a atmosfera necessária para este tipo de incidente, não há dúvida de que as paixões dos fãs de esportes por todo o mundo os levam a ser intensos às vezes.

Revoltas no futebol do Egito estão entre as mais violentas da história, mas, como você verá nessa lista, por todos os lugares ocorrem brigas feias.

1 – Estádio Accra, Gana, maio de 2001

No final de uma partida entre Accra Hearts of Oak e Assante Kotoko, os fãs do time visitante começaram a atirar garrafas e outros objetos no campo, já que o Assante perdia por 2 a 1. A polícia respondeu atirando bombas de gás lacrimogêneo nos torcedores. O pânico tomou conta e o tumulto resultante custou a vida de mais de 120 pessoas. Segundo relatórios da época, o incidente foi a quarta tragédia fatal relacionada a futebol em solo africano em um mês.

2 – Estádio Heysel, Bélgica, 1985

A final da Taça dos Campeões Europeus entre Juventus e Liverpool causou tantos danos que, na sequência, os clubes ingleses de futebol foram proibidos de competir na Europa continental por pelo menos cinco anos.

A tragédia começou quando fanáticos torcedores de futebol britânicos tentaram forçar seu caminho para a área do estádio dos torcedores italianos antes do apito inicial. Ambos os lados já haviam assediado um ao outro atirando projéteis no campo.

Quando os fãs britânicos atacaram, os torcedores do Juventus foram encurralados contra um muro de concreto. Alguns tentaram escalar o muro para fugir, enquanto outros foram esmagados. O muro finalmente desmoronou sob a força dos fãs.

No final, 39 pessoas morreram, além de ocorrerem cerca de 600 lesões corporais. As equipes ainda entraram em campo, apesar da tragédia, com o Juventus saindo à frente do Liverpool com um resultado de 1 a 0.

3 – Fenway Park, Estados Unidos, 2004

Futebol, é claro, não é o único esporte que agita paixões dos fãs a níveis perigosos. No beisebol, mesmo antes do Red Sox entrar em campo no Fenway para um jogo que acabaria fazendo-os vencer a World Series (série mundial), os fãs de fora do estádio já estavam ficando agressivos.

A comemoração após o jogo se tornou violenta conforme os fãs entraram em confronto com a polícia. Uma mulher jovem morreu depois de ser atingida com um projétil disparado por uma arma de pimenta da polícia.

4 – Katmandu, Nepal, 1988

Nem todas as catástrofes esportivas são causadas por fãs levando um simples joguinho muito a sério. Quando começou a cair granizo durante uma partida no estádio nacional de futebol em Nepal, os fãs correram para as saídas para evitar serem apedrejados. Dos oito saídas disponíveis, a multidão de 30.000 só pode acessar uma para escapar, resultando na morte de 93 pessoas por sufocamento ou esmagamento.

5 – Cidade da Guatemala, 1996

A partida de qualificação para a Copa do Mundo entre Guatemala e Costa Rica se tornou mortal depois que milhares de fãs que haviam comprado bilhetes falsos tentaram forçar a entrada ao estádio. Sem nenhum lugar para ir, e cercadas por fãs raivosos que se tornaram violentos, cerca de 80 pessoas foram sufocadas ou esmagadas até a morte no tumulto.

6 – Estádio Luzhniki, Rússia, 1982

Nos momentos finais de um jogo entre o FC Spartek e o HFC Haarlem, os fãs, que estavam amontoados em uma única seção do estádio com uma saída única devido a uma frequência menor do que a esperada, começaram a deixar o estádio com a vitória de 1 a 0. Quando a equipe marcou um segundo gol, alguns fãs tentaram voltar para o jogo, sem espaço para tanto.

A emoção do gol, a estreiteza da saída e a falta de visibilidade da via do estádio para o exterior criaram uma situação de pânico em que até 340 pessoas morreram (embora o número oficial de mortes permaneça em 60 e poucas), de acordo com o The Guardian.

7 – Estádio Nacional, Peru, 1964

Um gol em uma partida disputada pela Copa do Mundo entre Peru e Argentina se transformou no motim oficial de futebol mais mortal da história. Depois de um gol do Peru ser anulado pelos árbitros, os fãs ficaram violentos, o que levou a polícia a intervir com gás lacrimogêneo para tentar dominar a revolta. No final, 318 pessoas morreram conforme fãs tentavam escapar da cena pelas saídas do estádio fechadas.[LiveScience]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 2,00 de 5)

28 comentários

  • rui:

    e ainda falam que é a nossa torcida que é violenta.

  • claudemir da silva:

    apesar de o nosso pais sr o pais do futebol ainda bem q aqui não teve uma tragedia dessas proporções

  • José Calasans:

    Ainda bem que eu não torço para time nenhum,deixei de ser besta faz muito tempo.

  • Curitiboca:

    Não mencionaram a baixaria que é um jogo no Alto da Glória, do Coxa. Onibus depredados, vitrines, terrorismo na rua, supermercados próximos com clientes aterrorizados, violência entre gangues.

    • Fernando:

      Com certeza esse é um comentário de um atleticano. Não pode ser levado a sério! Como o time dele…

    • sem nome:

      voces caros coxa brancas, não devem esconder isso, vocês e sua torcida de ladrões favelados, não podem vir querer esconder o fato

  • Globe trotter:

    Hum voce nunca viu uma manada de Gnus na Africa partindo pra cima do teu jipe sem capota ,e de quebra algumas zebras junto,isto literalmente falando

  • eulalia Reis:

    Nossa! Pela primeira vez o Brasil não apareceu nessas tragédias! Não há como ir se divertir e a coisa virar para o lado politico, ou religioso ou sei lá em que? O povo quer estravasar e aí dá uma de malucos! Fala sério!

  • André Luis:

    O esporte é uma atividade saudável e muito divertida,deveria ser usado para unir as pessoas e não destrui-las. Eu acho lamentável todas estas brigas que vemos nos estádios e também acho um absurdo aqueles torcedores que morrem pelo time, glorificam e louvam uma empresa que nem sabe que ela existe! Os torcedores se humilham para um clube que tem somente fins lucrativos e veem a paixão pelo esporte como segundo plano. Eu acho ridiculo e dou risada daquelas pessoas que gritam que o time é a vida delas, muitas vezes não tem dinheiro para a familia, mas para o estadio sobra! Louvam jogadores que no dia seguinte já estão em clubes rivais porque pagam melhor! Para quem se enquadra no que eu escrevi pensem: Se o seu time não tivesse por exemplo uma Libertadores, mas realizasse tal proeza, porem isto custaria a sua vida, será que os dirigentes do clube e os maloqueiros pensariam duas vezes? Sem contar que é o ópio do povo, o futebol muitas vezes serve para desfocar a população de assuntos mais importantes. Tenho esta opinião, mas eu gosto de futebol, não sou contra este esporte, pelo contrário, o que é preciso na verdade é muitos torcedores reverem os seus valores!

  • gloria:

    muitos homens pensam q quando se divertem vale tudo, mesmo q doa, sangre e até mate,ou morra, a vida dele ou dos outros vale menos q a satisfação de estar desfrutando dessa felicidade efémera e vazia, Todas as vezes q os homens agem p\ impulso , perdem a razão, provocam dores e sofrimento nele e nas outras pessoas q estão c\ ele e em seus familiares. é assim nos campos de futebol, passeatas, greves, carnaval, bebedeiras , prostituíção, adulterio drogas e outros vicios.

  • epivametal:

    Cada pescoço só tem uma cabeça, e portanto só uma opinião.
    E minha opinião é de que o camarada que vai para o estadio deixando familia, filhos, sonhos e dignidade para morrer em uma briga de torcida, consegue ser mais irracional do que uma bactéria,das fezes, de um verme, da fezes, da mosca que está nas fezes, do cavalo, do bandido….

  • ARBarros:

    Copa do Mundo em 1964 e no Peru, Natasha? Tinha quer ser corintiana mesmo. Não é nada disso; o jogo foi pelo Pelo Pré-olimpico das Américas, para os Jogos Olímpicos de Tóquio,Japão,1964.

  • Arionaldo Carvalho da Silva:

    Quando se mistura politica, religião, esporte e Fanatismo não poderia esperar outra coisa. Ha não ser essa tragedia.

  • maximo pereira dos santos:

    ” bíblia infalível palavra de Deus ”o diabo não vem se não a roubar,a matar e destruir.jo.cap.10 verss.10.porque o homem mata nomeio das torcidas de futebol?resposta:porque Deus não esta no meio destas coisas,carnaval,porque Deus não esta no meio destas coisas.etc, e etc.não é o homem que mata,e sim satanás,porque a maior íra dele é contra Deus.e como ele não pode com Deus.destroí o homem,terra terra,ouve a palavra do senhor.jr.cap.22 ver.29.

  • Danilo M.:

    Algumas torcidas organizadas entram nos estádios já preparados para um confronto,então eles transformam um momento de diversão em um verdadeiro campo de batalha uma coisa que não tem sentido nenhum,o ser humano deveria evoluir pelo visto ele está regredindo!!!

  • simon:

    por isso prefiro esportes de luta, quem luta nao briga , ainda to procurando por aqui alguma academia de boxe

    • epivametal:

      hhahahaha dá hora tá procurando academia de boxe para sai dando porrada né.

  • drew:

    Mesmo o Brasil não estando nesta liste temos muito o que melhorar nas torcidas ainda,se não vai acabar tendo feiura na copa de 2014.Imaginem o que poderia acontecer caso o Brasil perde-se por um erro de arbitragem?A cobra ia fumar para os fanáticos.

  • Falcone:

    Estranhamente, (pode ser impressão minha) o ser-humano é uma espécie que, quando em grupo age de forma mais impulsiva e irracional do que as demais espécies conhecidas, espécies essas que tendencialmente agem com maior prudência e inteligência para atingir objetivos comuns, ah, todas essas outras espécies são catalogadas como seres irracionais, enquanto o ser humano é catalogado como ser “racional”.

    Os cientistas que formularam a diferença entre seres racionais e irracionais deviam ter ido assistir uma partida de futebol local.

  • Parsek:

    melhor os torcedores se matarem dentro do estadio do que espancarem suas mulheres e filhos quando chegam em casa, que é o que acontece quando seu time perde e esses ignorantes tem que descontar a raiva em alguém!!!

  • karlloz:

    O fanatismo é ruim em qualquer área, o futebol prova isso um esporte que servia para unir nações, hoje é um problema de segurança em quase todas as capitas do Brasil. Aqui em Natal no último clássico rolou muita pancadaria, senas lastimáveis. Isso porque os visitantes saíram meia hora antes!

    • Zeca:

      Também achei a morte do Senna lastimável, cara!

  • Carlos Machado:

    Para mim é um bando de macacos, brigar por causa de um jogo? um jogo?, não me entra na cabeça como conseguem brigar por causa disso, isso é coisa de primata, infelizmente não é todos que são evoluídos hoje em dia!

    • Jonatas:

      Não. Macacos brigam por território, comida ou fêmeas, ou seja, brigam por algo útil. Esse pessoal aí é ainda mais primitivo que os macacos.

    • Flor de Lis:

      Pois é… enquanto os jogadores e técnicos engordam suas contas bancárias com salários de vários dígitos, o bando de bestas fica se matando por nada. Vamos torcer sim, futebol é um esporte maravilhoso; mas como qualquer disputa na vida requer o mínimo de respeito com o adversário. Se não sabem perder, não servem pra torcer.

    • Maicon André:

      Essa última briga não aconteceu por causa do jogo,política foi o motivo dessa briga

  • Jonatas:

    O esporte surgiu como diversão, atividade física e superação de limites. Depois virou comércio, fonte de lucro para o mundo capitalista. E por fim, pretexto para despejo de raiva e agressividade entre pessoas, quando o esquema de torcidas organizadas formou legiões de grupos sociais não muito diferentes dos conflitos entre doutrinas religiosas do passado.

  • curioso:

    Existe estudos que a personalidade de uma pessoa muda de acordo com o ambiente, que o influencia.

    Uma pessoa tem que ter um auto controle extremo para não se deixar influenciar por situações de descontrole como essas que ocorrem nos estádios. A vontade de fazer o que a maioria faz é muito grande.

    Podem ter certeza que muitos se arrependeram do que fizeram nesse jogo la no Egito, chegam a ficar em estado de choque, dizendo “não podia ser eu, não acredito que fiz isso”

Deixe seu comentário!