10 pessoas com deformidades chocantes

Publicado em 27.03.2013

ALERTA: Não prossiga se for sensível a conteúdo gráfico.

Conviver com doenças ou limitações físicas raramente é um processo “fácil” – e a Medicina muitas vezes pode ajudar. Há casos, porém, em que a força de vontade da pessoa é testada ao extremo, e nem os mais recentes avanços medicinais bastam. Confira:

10 – Rudy Santos (“Homem-polvo”)

10

Nascido nas Filipinas, Rudy Santos sofre com uma condição raríssima chamada “fetus in fetu” (ou “gêmeo parasita”), em que um feto é englobado por outro durante a gestação e cresce junto com a pessoa. Aos 69 anos, Rudy Santos é atualmente a pessoa mais velha ainda viva com um gêmeo parasita. No caso dele, o gêmeo está acoplado a sua pélvis, tem dois braços e uma perna, um par de mamilos, cabelo e uma orelha.

Nas décadas de 1970 e 1980, Rudy se tornou uma celebridade nas Filipinas ao percorrer o país em um “show de aberrações” – era chamado de “Octoman”, algo como “Homem-Polvo”. Ele saiu de cena no final dos anos 1980 e passou mais de dez anos vivendo na pobreza. Em 2008, médicos concluíram que era possível remover o gêmeo parasita, mas Rudy se recusou, explicando que havia “se apegado” a ele.

9 – Manar Maged

9

Em 2004, no Cairo, nasceu Manar Maged, que tinha um caso de gêmeo parasita tão raro quanto o de Rudy, chamado “craniopagus parasiticus”, em que os gêmeos são ligados pelo crânio. A irmã de Manar não tinha braços nem pernas e conseguia apenas sorrir, piscar e chorar.

Quando tinham 10 meses de idade, foram levadas ao hospital, muito doentes, e a equipe médica concluiu que, se não fossem separadas, as duas morreriam. Infelizmente, a gêmea não sobreviveu à operação e, menos de um ano depois, Manar também morreu, devido a uma infecção no cérebro causada pela cirurgia.

8 – Minh Anh

Este jovem vietnamita nasceu com uma doença misteriosa que faz sua pele descascar e desenvolver “escamas” – Minh precisa de banhos constantes para lidar com o desconforto, o que lhe rendeu o apelido de “peixe” entre as crianças do orfanato onde vive.

Antigamente, ele tinha um comportamento violento e era amarrado à sua cama. Depois de conhecer Brenda, uma senhora com 79 anos na época e que viaja todos os anos para vê-lo, Minh começou a se tornar menos agressivo. Ela inclusive lhe arranjou um amigo que o leva toda semana para nadar, o hobby favorito do jovem.

7 – Joseph Merrik (“Homem Elefante”)

7

A história de Merrik é tão conhecida que inspirou livros, filmes, músicas e peças de teatro ao longo de décadas. Nascido na Inglaterra em 1862, ele sofria da rara Síndrome de Proteus, que deformava seus ossos e fazia com que massas crescessem em sua pele – a doença começou a se manifestar quando Merrik tinha 3 anos.

Aos 10 anos, perdeu a mãe e foi rejeitado pelo pai e pela madrasta, o que o levou a sair de casa. Juntou-se a um circo, em que se tornou conhecido como “Homem Elefante”. Por causa da doença, sua cabeça era pesada, e Merrik tinha de dormir sentado. Quando tentou dormir de modo “normal”, o peso da cabeça deslocou seu pescoço. Morreu aos 27 anos.

6 – Didier Montalvo

6

Um caso extremo de “nevos melanocíticos congênitos” fez com que uma verruga crescesse nas costas do jovem colombiano Didier Montalvo – a verruga cobria completamente suas costas e, por causa do formato, lhe rendeu o apelido de “Menino Tartaruga”. Pessoas que viviam na mesma comunidade acreditavam que se tratava de uma “obra demoníaca” e rejeitavam Didier, que chegou a ser banido da escola local.

Felizmente, o cirurgião britânico Neil Bustrode soube da condição de Didier e o operou quando ele tinha 6 anos. O procedimento foi um sucesso e Didier vive uma vida normal.

5 – Mandy Sellars

5

Portadora da Síndrome de Proteus (a mesma do Homem Elefante), Mandy Sellars sofre com uma grave deformação nas pernas e teve de amputar um dos pés. Graças a uma prótese e a um carro adaptado, porém, Mandy conseguiu viver razoavelmente com a condição.

4 – Petero Byakatonda

4

Cerca de uma a cada 25 mil crianças nasce com Síndrome de Crouzon, que causa uma deformação no crânio da criança, fazendo com que seus globos oculares fiquem saltados e as orelhas, mal posicionadas. Como vivia a centenas de quilômetros de um hospital, Petero não recebeu tratamento e, por causa de sua aparência, era rejeitado em sua comunidade.

Contudo, graças aos esforços de uma equipe médica que ajudou a levantar fundos para um tratamento, Petero passou por duas cirurgias e, apesar de complicações, conseguiu sobreviver e passa bem.

3 – José Mestre

3

Durante cerca de 40 anos, o português José Mestre sofreu com um tumor no rosto que o fez perder a visão de um olho e dificultava seu sono, respiração e alimentação. Falta de informações e recursos financeiros, além de diagnósticos incorretos e recusa de tratamento por parte do paciente fizeram com que ele passasse por cirurgias apenas em 2010, quando viajou a Chicago (EUA). Foram necessárias quatro operações para remover o tumor e reconstituir o rosto de Mestre, que se recuperou bem.

2 – Dede Koswara (“Homem-árvore”)

Devido a uma infecção por fungo, o indonésio Dede tem verrugas espalhadas pelo corpo, em especial nas mãos e nos pés – que acabaram ficando parecidos com raízes de árvore, devido ao seu tamanho e rigidez. Mesmo quando removidas cirurgicamente, elas voltam a crescer e, até o momento, não há cura para a condição de Dede.

1 – Alamjan Nematilaev

1

O pequeno Alamjan Nematilaev, da República do Cazaquistão, tinha um caso raro de “fetus in fetu”, em que um irmão gêmeo parasita se desenvolveu dentro dele. De início, médicos suspeitaram que se tratava de um tumor, mas descobriram era na verdade um feto com 20 cm de altura e pesando 2 kg. Ele foi removido em 2003, quando Alamjan tinha sete anos. O menino se recuperou bem.[Listverse]

Autor: Guilherme de Souza

É jornalista empenhado e ilustrador em treinamento. Curte ciência, cultura japonesa, literatura, seriados, jogos de videogame e outras nerdices. Tem alergia a música sertaneja e acha uma pena que a Disco Music tenha caído no esquecimento.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

17 Comentários

  1. Eu acredito que nada disso tem a ver com Deus. E ficar fazendo piadinha sem graça nos comentários não faz ninguém melhor nem mais inteligente do que quem acredita.

    Thumb up 9
  2. Não acredito que a aparência ou qualquer tipo de problema físico dimimui o valor do ser humano, como implicitamente vocês estão dizendo. Provavelmente as pessoas apresentadas nessa matéria sofre/sofriam com os mesmos problemas da humanidade e também tem os mesmos tipo de sentimentos e sensações. São amados e rejeitados. A maneira preconceituosa de ver e rejeitar essas pessoas (e outras) pela aparência são humanas, frutos principamente da presunção e pretensão. Melhor para todos que eles fossem de melhor aparência? Sim. Mas certamente Deus os vê no mesmo nível que vê a todos nós, inclusive os “lindos demais”.

    Thumb up 8
    • 1º. Ninguém disse, implícita ou explicitamente, que essas pessoas têm menos valor do que as demais. Simplesmente notamos o óbvio: que eles são portadores de defeitos congênitos graves que, na melhor das hipóteses, dificultaram em muito sua felicidade e sua integração social.

      2º. É um conceito bem bizarro de amor esse seu, no qual um Deus onipotente e benevolente, podendo dotar essas pessoas de saúde, no lugar disso lhe dá sofrimento e morte, na forma desses defeitos terríveis.

      Thumb up 16
  3. E eis aí, mais uma lista do Design Estúpido.

    Como disse o filósofo e matemático Bertrand Russell, “O mundo em que vivemos pode ser compreendido como resultado de confusões e acidentes; mas, se for resultado de um objetivo deliberado, esse objetivo deve ter sido elaborado por alguém muito cruel”.

    Thumb up 12
  4. Como imaginei alguém tocaria na tecla do DI criacionista. :)
    Vi alguns desses casos em documentários no Discovery, mais precisamente vi tais casos nas Propagandas sobre os documentários, porque honestamente não conseguiria assistir.
    Eu gostaria de chamar a atenção sobre isso:
    É inevitável, é humano achar esses seres humanos uma visão difícil, forte, e para muitos, como eu, seria muito difícil conviver com isso em uma pessoa próxima – na necessidade certamente se supera e se acostuma, mas imagino quão difícil é no começo, ainda mais em sua família, muito mais ainda em um filho seu. Por isso é tão admirável ver como encaram a situação a comunidade e a família dessas pessoas, assim como os médicos dedicados aos casos, e assim como as próprias pessoas vítimas de um caso de azar entre milhão de pessoas que nasceram normais.
    É por seres humanos assim, capaz de superar tal adversidade, que eu acredito que a humanidade não vai apenas sobreviver aos próximos tempos, vai também prosperar.
    Sou otimista demais, talvez, mas sempre acreditamos em algo que nos sentimos propensos a acreditar e não é uma religião dominante do passado ou um ateísmo crescente do futuro que vai mudar isso – por isso houve pensadores sendo queimados no passado e religiosos perdendo espaço social no futuro – sua forma de ver o mundo não vem de sua época, vem de você. Uns são mais propensos a ser teísta e vão continuar sendo independente de formação acadêmica e independente de descobertas científicas e azares do mundo.
    Sou ateu e evolucionista, considero que DI não existe ou ao menos não pode ser observado, não acredito que Deus exista, mas o azar de alguns seres humanos não pode ser tomado como campanha ateísta em respeito justamente a eles próprios – que muitas vezes são religiosos e encontram na religião um conforto e uma motivação (um caso evidente em que a religião é útil, desde é claro que não proíba de procurar a medicina, que eles precisam e muito), alias nem deveria existir campanhas ateístas (seria só repetir a estupidez de uma pregação, tem ateus que parecem ter se tornado crentes, e dos bem fanáticos – e chatos), deveria existir mais campanhas de conhecimento e contra preconceitos, isso sim.
    Eu sou propenso a acreditar que os valores dos seres humanos vão superar seus defeitos, que a medicina vai prosperar para melhorar a vida de todos, e que nossa consciência, como humanidade, como todos nós, irá despertar, e desmanchar o capitalismo selvagem e todas as fronteiras e barreiras que criamos ao longo da nossa civilização.

    Thumb up 51
    • Foi sarcasmo!!! KKK

      Thumb up 1
    • Não há deus no Budismo. Estudar o Budismo ajuda a entender quem somos. Enquanto uns fazem muito dinheiro com este suposto deus, outros homens primitivos, buscam este suposto “deus paisão”, para que resolva todos os seus problemas financeiros e emocionais.

      Ainda, estudando o Budismo descobrirás que você é um “Deus Bebê” em constante evolução.

      Óbviamente, este “deus mito” fabricado pelas religiões é uma fraude, que foi introduzida na sociedade humana para controlar e manipular as massas e as riquesas.

      Thumb up 5
    • Paulo Vasco, muito “fofa” sua história do budismo, só falha numa coisa: não existe prova alguma de que suas afirmações são fatos e, embora não existam deuses no budismo, o povo acredita nisso por mera fé.

      Thumb up 2
  5. Já tinha visto quase todas no Discovery… Me faz imaginar quais as falhas espirituais tão graves dessas pessoas…

    Thumb up 0
    • Claro!!! Estes 10 ai, ele acertou em cheio!!! KKK

      Thumb up 14
  6. Vi alguns no Discovery Chanel, o do homem árvore, tartaruga… O do José eu vi no Natgeo… E isso é uma trolada filha da puta da natureza

    Thumb up 0

Envie um comentário

Leia o post anterior:
ku-xlarge (1)
Efeito Scharnhorst diz que velocidade mais rápida que a luz é possível

Viagem mais rápida d...

Fechar