17 truques psicológicos para fazer as pessoas gostarem de você imediatamente

A maioria das amizades se desenvolve naturalmente, e você nem percebe como ou quando começaram.

Às vezes, porém, você quer se esforçar para fazer novas amizades ou fortalecer o laço com conhecidos, e a ciência pode te ajudar nessa tarefa.

Alguns estudos psicológicos descobriram estratégias para fazer as pessoas gostarem de você. Por exemplo:

1. Copie-as


Essa estratégia é chamada de “espelhamento” e envolve sutilmente imitar o comportamento da outra pessoa. Ao falar com alguém, tente copiar sua linguagem corporal, gestos e expressões faciais.

Em 1999, pesquisadores da Universidade de Nova York, nos EUA, documentaram o “efeito camaleão”, que ocorre quando as pessoas inconscientemente imitam o comportamento um do outro, e esse mimetismo facilita a conexão entre as duas.

78 homens e mulheres trabalharam em uma tarefa com um parceiro. Os parceiros eram na verdade comandados pelos pesquisadores, e realizaram diferentes níveis de mimetismo.

No final da interação, os pesquisadores pediram aos participantes para indicar o quanto eles gostaram desses parceiros. Os participantes eram mais propensos a dizer que gostaram de seu parceiro quando ele tinha imitado seu comportamento.

2. Passe mais tempo perto delas


De acordo com o mero efeito de exposição, as pessoas tendem a gostar de coisas que lhes são familiares.

O conhecimento desse fenômeno remonta à década de 1950, quando pesquisadores do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (EUA) descobriram que estudantes universitários que viviam próximos eram mais propensos a ser amigos do que estudantes que moravam mais distantes.

Sob certas circunstâncias, interações cotidianas podem se transformar em amizades de pleno direito.

Mais recentemente, psicólogos da Universidade de Pittsburgh (EUA) pediram a quatro mulheres para fingirem ser estudantes em uma aula de psicologia. Cada mulher apareceu na sala de aula um número diferente de vezes. Quando os pesquisadores mostraram imagens das quatro mulheres para estudantes homens, eles demonstraram maior afinidade com as mulheres que haviam visto com mais frequência, embora não tivessem interagido com nenhuma delas.

Tomadas em conjunto, essas descobertas sugerem que simplesmente passar mais tempo com as pessoas pode fazer com que elas gostem mais de você.

3. Elogie-as


As pessoas associam os adjetivos que você usa para descrever os outros com sua personalidade. Esse fenômeno é chamado transferência de traços espontâneos.

Um estudo descobriu que esse efeito ocorre mesmo quando as pessoas sabiam que certas características não descreviam as pessoas que haviam falado sobre elas.

De acordo com Gretchen Rubin, autora de “The Happiness Project”,”tudo o que você diz sobre outras pessoas influencia o modo como elas o veem. Se você descrever alguém como genuíno e amável, as pessoas também o associarão com essas qualidades. O inverso também ocorre: se você está constantemente falando mal das pessoas por trás de suas costas, seus amigos vão começar a associar essas qualidades negativas com você também.

4. Esteja de bom humor


O contágio emocional descreve o que acontece quando as pessoas são fortemente influenciadas pelo humor de outras pessoas.

De acordo com uma pesquisa da Universidade de Ohio e da Universidade do Havaí, nos EUA, as pessoas podem inconscientemente sentir as emoções daqueles em torno delas.

Se você quer fazer os outros se sentirem felizes quando estiverem perto de você, faça o possível para comunicar emoções positivas.

5. Faça amizade com os amigos delas


A teoria da rede social por trás desse efeito é chamada de fechamento triádico, o que significa que duas pessoas provavelmente serão mais próximas se tiverem um amigo comum.

Para ilustrar esse efeito, os alunos da Universidade da Colúmbia Britânica, no Canadá, projetaram um programa que pedia para ser amigo de indivíduos aleatórios no Facebook. Eles descobriram que as pessoas eram mais propensas a aceitar o pedido de amizade conforme o número de amigos mútuos aumentava – de 20% sem nenhum amigo em comum para perto de 80% com mais de 11 amigos mútuos.

6. Não faça elogios demais


A teoria da perda e ganho de atratividade interpessoal sugere que comentários positivos têm mais impacto se você os faz apenas ocasionalmente.

Um estudo de 1965 realizado por pesquisadores da Universidade de Minnesota (EUA) mostrou como essa teoria funciona na prática. Os pesquisadores pediram a 80 estudantes universitários para trabalhar em pares em uma tarefa e, em seguida, permitiu que os alunos “ouvissem” seus parceiros falando sobre eles. Na realidade, os pesquisadores instruíram aos parceiros o que dizer.

Em um cenário, os comentários foram todos positivos; em outro, os comentários foram todos negativos; num terceiro cenário, os comentários passaram de positivos para negativos; e por último, os comentários foram de negativos para positivos.

Os alunos gostaram mais de seus parceiros quando os comentários foram de positivos para negativos, sugerindo que as pessoas gostam de sentir que “conquistaram” ou mereceram o elogio em alguma capacidade.

Ou seja, embora seja contra-intuitivo, tente elogiar seus amigos com menos frequência.

7. Seja receptivo e competente


A psicóloga social Susan Fiske propôs uma teoria de que as pessoas julgam outras com base em sua receptividade e competência.

De acordo com o modelo, se você puder retratar-se como receptivo – isto é, não competitivo e amigável -, as pessoas sentirão que podem confiar em você. Se você parecer competente – por exemplo, se você tiver alto status econômico ou educacional -, elas são mais propensas a respeitá-lo.

A psicóloga de Harvard, Amy Cuddy, acredita que, especialmente em ambientes empresariais, é importante demonstrar cordialidade primeiro, e depois competência. De uma perspectiva evolucionária, é mais crucial para nossa sobrevivência saber se uma pessoa merece nossa confiança.

8. Revele suas falhas de vez em quando


As pessoas gostam mais de você se você cometer um erro – mas só se acreditarem que você é geralmente uma pessoa competente. Revelar que você não é perfeito faz as pessoas se identificarem mais com você.

O pesquisador Elliot Aronson primeiro descobriu este fenômeno quando estudou como erros simples podem afetar a atração percebida. Ele pediu a estudantes masculinos da Universidade de Minnesota (EUA) para escutar gravações de pessoas respondendo um quiz.

Quando as pessoas se saíram bem, mas derramaram café no final da entrevista, os alunos gostaram mais delas do que quando se saíram bem e não derramaram café, ou não se saíram bem e derramaram café.

9. Enfatize seus valores compartilhados


De acordo com um estudo de Theodore Newcomb, as pessoas são mais atraídas por outras semelhantes a elas. Isso é conhecido como efeito de similaridade-atração.

Em sua experiência, Newcomb mediu a atitude de pessoas em tópicos polêmicos, como sexo e política, e depois as colocou em uma casa da Universidade de Michigan (EUA) para morar juntas.

Ao final da sua estadia, os participantes gostavam mais de seus companheiros quando eles tinham atitudes semelhantes sobre os tópicos que foram medidos.

Ou seja, para ser amigo de alguém, tente encontrar um ponto de semelhança entre vocês dois e o destaque.

10. Toque-as casualmente


Isso é conhecido como toque subliminar, e ocorre quando você toca uma pessoa tão sutilmente que ela mal percebe. Exemplos comuns incluem tocar no braço de alguém de leve, o que pode fazê-lo se sentir mais receptivo em relação a você.

O autor Leonard Mlodinow já escreveu sobre um estudo na França em que homens jovens conversavam com mulheres que passavam por eles. Eles tinham o dobro da taxa de sucesso quando tocavam levemente nos braços da mulher enquanto conversavam com elas, em vez de não fazer nada.

Em uma pesquisa da Universidade do Mississippi (EUA) que estudou os efeitos do toque interpessoal, garçonetes que brevemente tocaram seus clientes na mão ou ombro ganharam gorjetas significativamente maiores do que garçonetes que não tocaram seus clientes.

11. Sorria


Em um estudo, cerca de 100 mulheres olharam fotos de outra mulher em uma de quatro poses: sorrindo em uma posição de corpo aberto, sorrindo em uma posição de corpo fechado, não sorrindo em uma posição de corpo aberto, ou não sorrindo em uma posição de corpo fechado.

Os resultados sugeriram que as participantes gostavam mais da pessoa da foto quando ela sorria, independentemente da sua posição corporal.

12. Veja as pessoas como elas querem ser vistas


As pessoas querem ser percebidas de uma forma que se alinhe com suas próprias crenças sobre si mesmas. Esse fenômeno é descrito pela teoria da autoverificação.

Em uma série de estudos na Universidade de Stanford e na Universidade do Arizona, nos EUA, participantes com percepções positivas e negativas de si mesmos foram perguntados se eles queriam interagir com pessoas que tiveram impressões positivas ou negativas deles.

Os participantes com opiniões positivas sobre si preferiam as pessoas que pensavam bem deles, enquanto aqueles com opiniões negativas sobre si preferiam os críticos. Isso pode ser porque as pessoas gostam de interagir com outras que fornecem feedback consistente com sua identidade percebida.

Outras pesquisas sugerem que, quando as crenças das pessoas sobre nós se alinham com as nossas, nosso relacionamento com elas flui mais suavemente. Isso ocorre provavelmente porque nos sentimos compreendidos, o que é um componente importante da intimidade.

13. Conte-lhes um segredo


Revelação pode ser uma das melhores técnicas de construção de relacionamento.

Em um estudo conduzido por Arthur Aron na Universidade Stony Brook (EUA), estudantes foram emparelhados e deveriam gastar 45 minutos se conhecendo melhor.

Alguns pares de estudantes tinham uma série de perguntas a fazer, que ficavam cada vez mais profundas e pessoais, por exemplo, “como você se sente sobre seu relacionamento com sua mãe?”. Outros pares receberam perguntas mais simples, como “qual é a sua festa favorita e por quê?”.

No final do experimento, os alunos que haviam perguntado questões mais pessoais relataram sentir-se muito mais próximos uns dos outros.

Ao conhecer alguém, você pode construir a relação aprendendo informações íntimas sobre a outra pessoa, de forma que elas confiem em você no futuro.

14. Espere coisas boas das pessoas


As pessoas tratam os outros de maneira coerente com suas expectativas e, portanto, fazem com que a pessoa se comporte de uma maneira que confirme essas expectativas.

Em outras palavras, se você acha que alguém é um idiota, você vai se comportar de uma forma que desencadeia isso nela.
Por outro lado, se você espera que alguém seja amigável em relação a você, esse alguém é mais propenso a realmente se comportar de forma amigável em relação a você.

15. Aja como se gostasse delas


Os psicólogos descobriram um fenômeno chamado “reciprocidade do gostar”: quando pensamos que alguém gosta de nós, tendemos a gostar delas também.

Em um estudo, por exemplo, os participantes foram informados de que certos membros de uma discussão em grupo provavelmente gostavam deles. Estes membros foram escolhidos aleatoriamente pelos pesquisadores.

Após a discussão, os participantes indicaram que as pessoas que eles mais gostaram eram aquelas que supostamente gostavam deles também.

16. Mostre senso de humor


Pesquisas das Universidades Estaduais de Illinois e Califórnia, nos EUA, descobriram que, independentemente de ser como amigo ou par romântico, ter um senso de humor é realmente importante para gostar de alguém.

Não ter um senso de humor, especialmente no trabalho, é péssimo. Um estudo de 140 trabalhadores chineses entre 26 e 35 anos descobriu que as pessoas eram menos populares entre os seus colegas se fossem “moralmente focadas”.

Os pesquisadores disseram que isso ocorreu porque indivíduos moralmente focados eram percebidos como menos bem humorados pelos seus colegas.

17. Deixe que as pessoas falem sobre si mesmas


Pesquisadores da Universidade Harvard (EUA) descobriram recentemente que falar sobre si mesmo pode ser inerentemente gratificante, da mesma forma que comida, dinheiro e sexo são.

Em um estudo, os pesquisadores pediram a participantes para fazer uma ressonância magnética e responder a perguntas sobre suas próprias opiniões ou de outra pessoa. Os participantes tinham sido convidados a trazer um amigo ou membro da família para a experiência.

Em alguns casos, os participantes foram informados de que suas respostas seriam compartilhadas com o amigo ou parente; em outros casos, suas respostas permaneceriam privadas.

Os resultados mostraram que as regiões cerebrais associadas à motivação e recompensa eram mais ativas quando os participantes estavam compartilhando informações publicamente. O mesmo ocorria quando elas estavam falando sobre si mesmas, mesmo que ninguém estivesse ouvindo.

Em outras palavras, deixar alguém compartilhar uma história sobre sua própria vida em vez de falar sem parar sobre a sua pode dar-lhe memórias positivas de sua interação. [IFLS]

Por: Natasha RomanzotiEm: 17.03.2017 | Em Principal, Super listas  | Tags: , ,  
1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (21 votos, média: 4,62 de 5)
Curta no Facebook:

Deixe uma resposta