Palavras desagradáveis podem prejudicar suas articulações

Por , em 9.08.2010

Já diziam os ditados que palavras também podem machucar. E agora, além de ferir seus sentimentos, as palavras também podem aumentar a probabilidade de você ter artrite. Segundo pesquisas, parece que a rejeição social pode desencadear doenças ligadas à inflamação.

Um psicólogo e seus colegas pediram para 124 voluntários darem palestras e realizarem cálculos mentais na frente de um painel de observadores dispersos. A análise dos resultados mostrou que eles apresentaram níveis elevados de dois marcadores de inflamação. Um quarto dos voluntários, em seguida, participou de um jogo de computador no qual os outros jogadores foram instruídos a excluí-los.

Varreduras funcionais no cérebro dos participantes do estudo mostraram que essa ação provocou o aumento de atividade em duas regiões associadas com a rejeição. Os indivíduos com a maior resposta inflamatória apresentaram o maior aumento na atividade do cérebro.

Segundo os investigadores, compreender o papel que o cérebro desempenha em condições associadas à inflamação – como a asma, artrite, doenças cardiovasculares e depressão – irá auxiliar no desenvolvimento de novos tratamentos para combatê-los. [NewScientist]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

5 comentários

  • Rosângela:

    Palavras desagradáveis são realmente prejudiciais.
    Se você não tem nada de bom para dizer não diga nada ou pelo menos reflita antes de dizer qualquer coisa, escolha as palavras certas para não criar atritos evitando assim criar uma situação desagradável.Artrite nem pensar!

  • Andre-Motor:

    pode dar soco mas mais tarde vai triste da ofença

  • Jin:

    Faz sentido, se alguém me insulta, eu dou um soco e aí as articulações da minha mão ficam doendo.

  • Alberto Carvalhal Campos:

    Não só as articulações como todo o resto. Pode levar uma pessoa ao suicídio, como tambem pode leva~la ao sucesso.

  • Douglas Miranda:

    Vai ver foi por isso que a Dercy Gonçalves viveu tão pouco.

Deixe seu comentário!