Cientistas criam ratos vivos a partir de células da pele

Cientistas chineses utilizaram células da pele para criar poderosas células-tronco e as utilizaram para gerar filhotes de camundongos vivos e férteis.

O experimento, que foi publicado na revista científica Nature, mostrou que é teoricamente possível clonar uma pessoa utilizando células de tecido comum da própria pele.

Segundo Fanyi Zeng, pesquisadora da Universidade de Shanghai Jiao Tong, esta pesquisa demonstra a grande versatilidade de células reprogramadas em ratos. Ela afirma que a pesquisa pode ajudar a entender a causa de muitas doenças e levar a tratamentos e curas para muitas enfermidades.

Segundo Fanyi não seria ético utilizar este tipo de células na reprodução humana, reforçando que o estudo realizado por ela e seus colegas não tem intenções neste sentido.

Os cientistas chegaram a criar 37 linhas de células para apenas três destas resultarem em nascimentos vivos. A melhor das linhas gerou camundongos que viveram por nove meses. Foram gerados mais de cem ratos de segunda geração e mais de cem de terceira geração.

Outros pesquisadores indicaram que esta foi a primeira pesquisa que demonstrou inequivocamente que é possível gerar células-tronco pluripotentes induzidas a partir de células da pele (chamadas de iPS, na sigla em inglês).

O termo “pluripotente” significa que as células podem se transformar em qualquer tipo de tecido no corpo, o que abre grandes possibilidades na medicina regenerativa. Neste caso a célula pluripotente gerou corpos inteiros. [Reuters]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars
Curta no Facebook:

5 comentários para “Cientistas criam ratos vivos a partir de células da pele

  1. Levando-se em conta que o uso de células tronco retiradas de embriões geram muita polêmica devido a questôes éticas, esta é uma notícia e tanto, principalmente para quem precisa de tratamento médico que envolva regeneração celular.

Deixe seu comentário