As 10 guerras mais bizarras da história

Publicado em 20.12.2011

Guerras são feitas por muitos motivos. Pode ser honra, glória, liberdade, terras, recursos naturais… Mas nessa lista você verá algumas razões um tanto inusitadas, por motivos completamente triviais ou bizarros. Aqui vão alguns desses estranhos conflitos:

10 – Lijar x França

Em 1883, os cidadãos de Lijar, uma pequena vila no sul da Espanha, ficaram furiosos quando souberam que o rei espanhol Alfonso XII, enquanto visitava Paris, foi insultado e até atacado por parisienses. Em resposta, o prefeito da vila, Dom Miguel Garcia Saez, e todos os 300 habitantes de Lijar declararam guerra contra a França, em 14 de outubro.

Nenhum tiro foi dado e nenhuma morte aconteceu durante o confronto. Mesmo com esse clima de paz, o prefeito Saez foi aclamado como o “Terror das Sierras”, por sua coragem.

Noventa e três anos depois, em 1976, o rei espanhol Juan-Carlos fez uma viajem à Paris, durante a qual foi bem tratado pelos habitantes da capital. Em 1981, o prefeito de Lijar comentou que “levando-se em conta a excelente atitude dos franceses”, eles iriam cessar as hostilidades e o fogo contra o país.

Duração da guerra: 93 anos
Consequências: nenhuma

9 – A guerra do barril de carvalho

Essa começou em 1325, na Itália, quando uma rivalidade entre os estados independentes de Modena e Bologna foi a loucura por uma coisa um tanto inusitada: um barril de carvalho.

O problema começou quando uma tropa de soldados de Modena entrou em Bologna e roubou um grande barril de carvalho. Para garantir o orgulho e o barril, a cidade declarou guerra contra a outra. E o confronto durou doze anos, sem que o barril fosse recuperado. Até hoje, o artefato está na torre do sino de Modena.

Duração da guerra: 12 anos
Consequências: desconhecidas

8 – Guerra do Paraguai

O president do Paraguai, Francisco Solano Lopez, era um grande admirador de Napoleão Bonaparte. Ele se via como um grande tático e comandante, mas faltava algo: uma guerra.

Para resolver o problema, em 1864 ele declarou guerra contra três países vizinhos: nós, a Argentina e o Uruguai. O resultado da empreitada? O Paraguai quase sumiu do mapa e é estimado que cerca de 90% da população masculina morreu, em uma guerra praticamente sem motivos.

Duração da guerra: 6 anos
Consequências: 400 mil mortos

7 – A guerra do cão perdido

Em 1925, a Grécia e a Bulgária não eram amigas. Elas já haviam lutado uma contra a outra na Primeira Guerra Mundial e as feridas não estavam fechadas. Tensões estavam sempre em alta na fronteira, especialmente na área chamada de Petrich.

O ponto máximo ocorreu em 22 de outubro de 1925, quando um soldado grego correu atrás do seu cachorro fugido e foi morto por um tiro de um patrulha búlgara. A Grécia clamou por retaliação e invadiu Petrich no dia seguinte.

A área foi dominada em pouco tempo, mas as Forças Aliadas entraram no jogo e obrigaram a Grécia a sair da região e ainda pagar indenizações para a Bulgária. Dez dias depois eles foram embora, e pagaram 120 mil reais para o inimigo.

Duração da guerra: 10 dias
Consequências: 52 mortos

6 – A guerra de Aroostoock

Essa guerra foi travada entre os Estados Unidos e a Inglaterra na região de Maine, ao norte dos EUA. Após a guerra de 1812, as forças britânicas ocuparam a maior parte dessa região e declararam-na território inglês. No inverno de 1838, lenhadores americanos cortaram madeira nessa área, provocando a ira dos colonizadores, que moveram as tropas. Tropas americanas também foram deslocadas, tornando o clima de guerra iminente.

Por quase um ano as tropas ficaram a postos, sem que os governos decidissem algo. No final, a Inglaterra optou por devolver sua parte de Maine e as tropas americanas foram recuadas.

Apesar de ter acontecido sem combate militar, a guerra de Aroostoock teve centenas de mortes por conta de doenças e acidentes.

Duração da guerra: 11 meses
Consequências: 550 mortos

5 – A guerra do porco

Outra guerra entre americanos e ingleses. A guerra do porco começou quando um membro da infantaria britânica atirou em um porco que andava no território americano. A milícia local respondeu se concentrando na fronteira e aguardado o movimento inglês.

Eventualmente, o exército da Inglaterra pediu desculpas e a iminência de guerra cessou.

Duração da guerra: 4 meses
Consequências: um porco

4 – Guerra dos 335 anos

Essa guerra foi travada entre a Holanda e as Ilhas Scilly, localizadas perto da costa da Inglaterra. Ela começou em 1651, mas como muitas guerras da época, não foi levada muito a sério e logo foi esquecida. Três séculos se passaram até que os dois países finalmente concordassem em assinar trégua, em 1986, tornado essa a guerra mais longa da história.

Duração da guerra: 335 anos
Consequências: nenhuma

3 – A guerra do futebol

Algumas guerras começam com um ataque surpresa, outras com um massacre, mas essa foi com um jogo de futebol entre El Salvador e Honduras, em 1969. O primeiro perdeu o jogo e as tensões subiram, até que em 14 de junho o exército do país fez um ataque em Honduras. Surpresos pela violência súbita, a Otan organizou um cessar fogo efetivo no dia 20 de junho, apenas 100 horas após os primeiros tiros. Bem que dizem que futebol é coisa séria.

Duração da guerra: 4 dias
Consequências: 3 mil mortos

2 – Guerra Moldávia-Transnistria

Essa guerra começou logo depois do fim da União Soviética, quando o antigo bloco da Moldávia experimentou uma crise. Dois terços do país queriam uma relação maior com a Romênia, mas a outra queria com a Rússia. Como resultado, uma guerra começou.

Mas o que a torna muito estranha é o fato de que os homens que estavam lutando na guerra se juntavam em território neutro, durante a noite, para conversar e beber. Os soldados até faziam pactos de não atirar um no outro caso se vissem durante o conflito.

E isso acontecia quase todas as noites. Um dos soldados escreveu em seu diário: “A guerra é como uma festa bizarra, durante o dia nós matamos o inimigo, e a noite bebemos com ele. Que coisa estranha é a guerra”.

Duração da guerra: 4 meses
Consequências: 1.300 mortos

1 – A guerra do emu

Essa é talvez a única guerra formal onde um dos lados envolvidos não era humano, mas voador.

Em 1932, a população das aves emu, na Austrália, estava crescendo fora de controle, com quase 20 mil dos animais correndo pelo deserto e causando danos às plantações. Em resposta, o exército australiano enviou um contingente de soldados armados com metralhadoras para matar os emus – e até declararam guerra.

O conflito começou no meio de novembro, e o que parecia fácil se mostrou complicado: os emus eram muito resistentes e mesmo após vários tiros, eles continuavam correndo.

A guerra emu durou quase uma semana, até que o major Meredith, comandante da força tarefa, desistiu devido à baixa efetividade.

Duração da guerra: 7 dias
Consequências: 2.500 emus mortos
[ListVerse]

Autor: Bernardo Staut

é estudante de jornalismo e interessado por povos, culturas e artes.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

111 Comentários

  1. A guerra do Paraguai não foi por motivo torpe ou bizarro. O Paraguai necessitava de uma saída para o mar, conseguiu um acordo com o Uruguai porém tanto a Argentina como o Brasil negaram ao Paraguai a travessia por suas fronteiras sem pagar impostos. Isso fez com que o Paraguai tenta-se tomar a região da tríplice fronteira a força. Então a guerra teve motivos geo estratégicos como todas as demais.

    Thumb up 0
  2. Realmente historias bem engraçadas, porem os erros de português e conjunção verbal são horríveis :v… ( 4 – GUERRA DOS 335 ANOS… TORNADO essa a guerra mais longa da história)… (1 – A GUERRA DO EMU, um dos lados envolvidos não era humano, mas voador)…… que droga de raça de voador é essa ??? e como é obvio se refere ao emu….que não voa.
    Tirando os defeitos bizarros de português a matéria é bem interessante.

    Thumb up 1
  3. Bora estudar História do Brasil. A Guerra do Paraguay aconteceu por pressão da Inglaterra que não estava gostando nada do progresso do país na época.

    Thumb up 9
    • Realmente há muita informação distorcida a respeito dessa guerra, mas essa é uma das afirmações mais plausiveis e coerentes das que tive a oportunidade de conhecer … E era também a posição de uma das melhores professoras de história, que tive o prazer de conhecer, e com a qual tive o prazer de estudar ….

      Thumb up 1
  4. Matéria interessante, mas a Guerra do Paraguai está em nossos livros de história. Pelo o que eu me lembro(já não estudo história a bastante tempo), o Paraguai queria ir para o litoral, para aumenta o seu comercio, já que ele não tem litoral e assim teria que pagar uma taxa para o outro país para poder usar um porto. O Azar do Paraguai, é que ele queria a parte onde ficava o Uruguai e para isso ele teria que passa pela Argentina e o Brasil. Nessa época, o Brasil era muito desorganizado(acredito que a Argentina fosse também), se talvez ele tivesse tentado pegar o território brasileiro, talvez teria mais sucesso, entretanto, temos mais homens e a Argentina também. Enfim, para ficar com qualquer litoral do leste da América do Sul, ele teria que enfrenta um exercito com muitos soldados. Ele iria enfrentar quantidade e não qualidade.

    Thumb up 6

Envie um comentário

Leia o post anterior:
school-fish
A democracia pode depender da ignorância

Uma nova pesquisa qu...

Fechar