Entrelaçamento quântico visto a olho nu

Publicado em 2.05.2011

Um experimento realizado por físicos da Universidade de Genebra, Suíça, proporcionou a seres humanos enxergar o fenômeno quântico do entrelaçamento a olho nu. Eles usaram pessoas como detectores de fótons.

E o que é entrelaçamento? É um fenômeno quântico que liga duas partículas em uma distância tal que quaisquer atividades que aconteçam com uma delas imediatamente mudam as prioridades da outra – mesmo que a distância entre elas seja o universo inteiro. O cientista Albert Einstein chamava este fenômeno de “ação assustadora à distância”, e com assustadora ele queria dizer que tal evento era de dar medo! E, realmente, é bem estranho.

O pesquisador Nicolas Gisin notou que cientistas Italianos já haviam tentado realizar um experimento interessante de entrelaçamento de fótons. Ao invés de ligar apenas alguns, como geralmente acontece, eles entrelaçaram um par de fótons e depois ampliaram um deles para criar uma chuva de fótons contendo milhares de partículas, todas ligadas àquele fóton do par original. Como resultado, eles tinham um fóton microscópico e uma chuva macroscópica de fótons, todos ligados em nível quântico.

Então ele pensou que o olho humano não enxerga um único fóton, mas poderia enxergar milhares. Ele tentou reproduzir o experimento dos italianos, com a diferença de que, ao invés de um detector na frente dos fótons macroscópicos, ele e seus colegas ficaram frente ao fenômeno, assistindo ao que iria acontecer. O feixe de partículas produzido pelo amplificador apareceria em uma das duas posições no quarto escuro, dependendo do estado de polarização do fóton. Quando os presentes testaram usaram detectores de fótons, os resultados foram positivos, toda vez.

A história pode parecer com um bando de cientistas em um quarto escuro olhando luzinhas piscando, mas este acontecimento poderia a primeira vez que um entrelaçamento quântico foi observado a olho nu. E foi quase. Os pesquisadores suíços descobriram que, na verdade, o que eles assistiram não era necessariamente um entrelaçamento macro/micro, mesmo quando o teste deu positivo. Isto acontece por causa da imperfeição destes detectores (até os humanos) e uma falha (loopholes) no chamado teste dos experimentos de Bell, usado para medir os entrelaçamentos, o que traria ao estudo certo grau de incerteza

O que eles realmente sabem é que, quando a experiência começou, eles tinham dois fótons entrelaçados. Mesmo que possam ter ocorrido falhas durante o processo de ampliação, eles ainda assim puderam “ver” os efeitos do entrelaçamento. Os italianos, do primeiro experimento, agora vão tentar verificar o entrelaçamento micro/macro usando lasers. Infelizmente, os humanos não podem ser usados como detectores deste experimento, porque os raios de luz seriam a última coisa que eles veriam. [PopSci]

Autor: Letícia Resende

Jornalista curiosa, adora novidades, encantada pela ciência e tecnologia

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

14 Comentários

  1. Todo efeito luminoso é efeito quântico, mas é preciso muito mais que dois fótons entrelaçados e por um tempo expressivo de pelo menos 1\2 segundo para alguém perceber qualquer coisa. No caso de o detector ser uma loira será preciso também muita paciência.

    Thumb up 13
  2. Entrelaçamento ou emaranhamento depende do dicionário utilizado. Mas o fenômeno é o mesmo.

    Thumb up 2
  3. “Os italianos, do primeiro experimento, agora vão tentar verificar o entrelaçamento micro/macro usando lasers. Infelizmente, os humanos não podem ser usados como detectores deste experimento, porque os raios de luz seriam a última coisa que eles veriam.”

    Como assim a última coisa que eles veriam? Isso seria literalmente? No sentido de que seria fatal?

    Thumb up 4
    • Fatal talvez não. Mas certamente ficariam cegos.

      Thumb up 11
    • Quando eles falam “a última coisa que eles veriam”, não quer dizer que seja fatal, ou até mesmo que eles fiquem cegos, corresponde ao princípio de uma onda eletromagnética ignorar a outra em sua propagação, para vermos um objeto, é necessário que ele reflita ou emita luminosidade até nossa retina, como a luz não pode refletir luz, ela se tornar invisível ao nossos olhos, logo a frase refere-se a o sentido de ser impossível que eles enxerguem a luz no experimento.

      Thumb up 0
  4. Pedro, não é porquê você nunca ouviu falar em um termo que ele não exista.

    O termo entrelaçamento quantico é até mais comum do que o emaranhamento quantico.

    Se duvida pesquise os dois termos no Google e veja qual dos dois retorna mais respostas.

    Abraço,

    Thumb up 10
    • Não entendi seu ponto: “emaranhamento quântico” retorna mais resultados no Google.
      Além disso, a diferença de resultados fica muito maior se você restringir a busca a sites como usp, unicamp, ufrj, cbpf, ufpe, ufrgs, uff, etc.
      Me parece que entrelaçamento é muito comum em sites que traduzem notícias, enquanto emaranhamento é o termo mais usado pelos cientistas. Imagino que os sites que fazem traduções usem entrelaçamento porque é o título do artigo sobre isso na wikipedia, mas, uma vez que são avisados, acho que não faz sentido insistir nisso.

      Thumb up 2
    • Aliás, fiz meu comentário com a melhor das intenções. Não queria iniciar uma discussão por causa disso. Só comentei porque realmente achei estranho.

      Acho que o mais importante é que, independente do termo usado, o Hypescience continue trazendo as novidades de ciência e tecnologia pro português.

      Thumb up 3
    • Pedro,

      Repito, não é porque você nunca havia lido o termo “Entrelaçamento quantico” que ele não exista ou seja incorreto.

      Logo não faz sentido o que vc falou de “avisar” os sites… avisar de quê? que estão errados? mas não estão !!! ambos os termos são corretos.

      Também não se verifica o que vc disse sobre pesquisa no google restringindo os termos a sites academicos…

      Tente fazer as duas pesquisas abaixo no google restringindo a busca ao site da USP e veja a que apresenta mais resultados:

      “entrelaçamento quântico site:usp.br” -> 372 resultados

      “emaranhamento quantico site:usp.br” -> 114 resultados

      Claro que outras pesquisas com outros termos podem mostrar resultados diferentes, mas não se pode negar que o termo entrelaçamento não só existe como é bastante utilizado inclusive em meio acadêmico.

      Mas também não queria iniciar uma discussão, queria apenas expor que ao contrário do que vc disse, a palavra entrelaçamento não é errada.

      Abraço,

      Thumb up 2
    • Talvez você não tenha percebido, mas, logo após colocar o comentário de que o termo não existe, eu enviei outro comentário me corrigindo.
      De qualquer forma, insisto que o termo entrelaçamento não é comum entre os físicos. Sugiro que você faça a busca no google usando aspas na expressão. Ficaria assim:

      “entrelaçamento quântico” site:usp.br

      Você vai obter 39 resultados com entrelaçamento e 254 com emaranhamento.
      Do jeito que você fez, a partir da quarta página de resultados começam a aparecer páginas que não tem absolutamente nada a ver com emaranhamento.

      Thumb up 0
  5. Eu crente q a notícia era pra mostrar (literalmente) o entrelaçamento quântico à olho nú…… kkkkkkk…..
    Cara, esses lances quânticos ainda estão muito obnubilados…. e é sempre interessante qnd vêm uns cientistas com novidades… acho que estamos cada vez mais próximos dos pcs quânticos….. eu vou kerer um…..

    Thumb up 4
  6. Corrigindo: a Wikipedia diz que o termo entrelaçamento quântico existe. No entanto, nunca ouvi um físico se referir ao emaranhamento quântico assim.

    Thumb up 2
  7. O termo entrelaçamento quântico não existe. O termo correto é emaranhamento quântico.

    Thumb up 1

Envie um comentário

Leia o post anterior:
frowning
“Daminha carrancuda” do casamento real invade a internet

Agora que a festa já...

Fechar