Estudo descobre que ir na academia pode fazer seus músculos parecerem menores

Acadêmicos da Universidade Macquarie (Austrália) descobriram que a exposição a imagens de pessoas extremamente fortes pode causar uma percepção distorcida sobre o próprio corpo, principalmente entre jovens do sexo masculino.

O estudo foi publicado na revista Scientific Reports, e analisou a resposta das pessoas às imagens de vários tipos de corpos. Além de confirmar teorias anteriores de que pessoas expostas a imagens de corpos com pouca gordura as faz se sentirem mais gordas, o estudo também encontrou resposta similar com imagens de pessoas musculosas.

“O que as pessoas consideravam um ‘corpo normal’ mudou significativamente quando elas eram expostas a imagens com características diferentes”, explica Ian Stephen, professor do departamento de psicologia da universidade.

“As pessoas expostas a corpos com pouca gordura passaram a adotar a ideia de que um corpo normal é mais magro. Ao mesmo tempo, ver imagens de pessoas musculosas as fez considerar normal ser forte”, diz ele.

A base teórica deste estudo é a adaptação visual, fenômeno que explica essas distorções na percepção do que é considerado um corpo normal.

O mesmo acontece quando observamos longamente um círculo vermelho, por exemplo. Conforme a exposição continua, os neurônios que codificam o vermelho se adaptam, reduzindo a propensão a atuar com tanta intensidade. Ao olhar para uma parede branca logo em seguida, você pode notar que está vendo um círculo esverdeado ao invés de vermelho. Isso acontece porque a superfície branca é representada por um equilíbrio de atividade nas células que respondem a cores complementares, como vermelho e verde. Já que a leitura da cor vermelha está “amenizada”, você visualiza o verde com mais intensidade.

“Queríamos testar se a adaptação visual poderia explicar por que pessoas que veem imagens de corpos magros ou musculosos começam a ver a magreza ou a grande musculatura como normal”, diz Dan Sturman, um dos estudantes que participaram do estudo.

“Nossos resultados deram suporte à explicação da adaptação visual – olhar corpos musculosos ou magros produziu a ilusão de que corpos neutros eram fracos ou gordos. Esses efeitos podem ser observados separadamente, o que sugere que o nosso cérebro não processa a imagem de corpos apenas como grande ou pequeno, mas que temos grupos de neurônios no cérebro que representam magreza e força”.

Pesquisas sobre distorção da imagem corporal costumam focar em problemas envolvendo a magreza extrema, como a anorexia nervosa. Este problema costuma afetar mais meninas jovens. Mas ultimamente tem sido observado que os meninos jovens também sofrem com essa distorção, mas normalmente relacionada à musculatura.

Isso indica que as pessoas que passam muito tempo consultando sites ou revistas sobre musculação e atividades físicas, vendo competições esportivas e passam muitas horas na academia cercados por outras pessoas musculosas, por exemplo, podem ter dismorfia muscular como um efeito visual. [Medical Xpress]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votos, média: 5,00 de 5)
Curta no Facebook:

Deixe uma resposta