Estudo: “Eu posso fazer melhor” realmente funciona

Publicado em 4.07.2016

eu posso fazer melhor

Dizer a si mesmo que você pode fazer melhor não é perda de tempo. De acordo com um novo estudo publicado na revista Frontiers in Psychology, realmente funciona para melhorar seu desempenho em alguma tarefa.

O estudo

Mais de 44.000 pessoas participaram de uma experiência para descobrir que técnicas motivacionais realmente funcionavam para melhorar o desempenho em tarefas. Os voluntários foram divididos em 12 grupos experimentais e um grupo de controle.

O professor Andrew Lane da Universidade de Wolverhampton (Reino Unido) e seus colegas testaram quais habilidades fisiológicas ajudavam as pessoas a aprimorar a sua pontuação em um jogo online.

A ideia era descobrir se um método inspirador seria mais eficaz que outro para qualquer aspecto específico de uma tarefa. Os métodos testados foram autoconversa, imagens motivacionais e planejamento “se… então” (uma espécie de planejamento estratégico). As pessoas que usaram autoconversa tinham que, por exemplo, dizer a si mesmas “Eu posso fazer melhor da próxima vez”.

Cada uma dessas habilidades psicológicas foi aplicada a uma das quatro partes de uma tarefa competitiva: processo, resultado, controle de excitação e instrução.

Resultados

Os maiores benefícios foram observados com autoconversa relacionada a resultado (dizer a si mesmo: “Eu posso bater minha melhor pontuação”); autoconversa relacionada a processo (dizer a si mesmo: “Eu posso reagir mais rapidamente desta vez”); imagens motivacionais relacionadas a resultado (imaginar-se jogando o jogo e batendo sua melhor pontuação) e imagens motivacionais relacionadas a processo (imaginar-se jogando e reagindo mais rápido do que a última vez).

Os pesquisadores também descobriram que um pequeno vídeo motivacional podia melhorar o desempenho. Antes do jogo, os participantes assistiram a um vídeo curto com Michael Johnson, quatro vezes medalhista de ouro olímpico. Ele é um atleta conhecido por defender a preparação mental, além do treinamento físico.

O planejamento “se… então” foi um dos menos bem sucedidos neste estudo, apesar de ser uma ferramenta eficaz no controle do peso e outros desafios da vida real.

Então, a conclusão é simples: converse consigo mesmo e não desista! [MedicalXpress]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

Natasha Romanzoti

é jornalista, apaixonada por esportes, livros de suspense, séries de todos os tipos e doces de todos os gostos.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

1 comentário

Envie um comentário