Estudo revela forma mais fácil de dizer não a alimentos gordurosos

Publicado em 1.08.2011

Um novo estudo revelou uma dica importante para evitar comer porcarias: pensar na sua saúde antes de escolher um alimento pode torná-lo mais propenso a fazer uma escolha saudável, mesmo se você não achar que a comida é saborosa.

Pesquisadores fizeram imagens do cérebro de 33 participantes adultos que estavam em jejum por pelo menos três horas.

Enquanto cada um deles passava pela ressonância magnética funcional, viam imagens de 180 diferentes itens alimentares, variando de batatas e barras de chocolate a maçãs e brócolis.

Os participantes, nenhum dos quais em uma dieta específica ou tentando perder peso, tiveram três segundos para responder a cada imagem com uma decisão (se queriam ou não comer o alimento quando o experimento acabasse).

Os participantes podiam responder “não, com certeza”, “não”, “sim” ou “sim, com certeza” depois que viam cada alimento.

Depois de terem visto todas as imagens, uma única imagem foi escolhida ao acaso. Se o voluntário tinha dito “sim” ou “sim, com certeza” para a ideia de comer esse alimento, o recebia.

Para testar se as escolhas alimentares poderiam ser influenciadas pela saúde, os pesquisadores deram aos participantes uma de três instruções: “considere sua saúde”, “considere o sabor” ou “tome decisões naturalmente”. Após o teste de ressonância, os voluntários foram convidados a avaliar o sabor e saúde dos alimentos.

Os pesquisadores descobriram que quando os participantes foram instruídos a pensar sobre a salubridade dos alimentos, foram menos propensos a comer alimentos pouco saudáveis, mesmo que o considerassem saboroso. Eles também eram mais propensos a comer alimentos saudáveis, incluindo o que eles tinham classificado como não saborosos.

Os cientistas já sabiam que todo mundo usa a mesma área do cérebro, o córtex pré-frontal medial ventral, para decidir o que comer. Agora, as novas imagens cerebrais revelaram que uma área do cérebro, o córtex pré-frontal dorsolateral, vem à vida quando uma pessoa está usando autocontrole durante o processo de tomada de decisão.

Os pesquisadores também descobriram que convidar alguém a pensar sobre sua saúde os leva a dizer não aos alimentos gordurosos mais frequentemente do que quando as pessoas tomam decisões naturalmente.[LiveScience]

Autor: Natasha Romanzoti

tem 24 anos, é jornalista, apaixonada por esportes, livros de suspense, séries de todos os tipos e doces de todos os gostos.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

6 Comentários

    • darci, tem jeito de mudar os hábitos alimentares aos poucos, tomar gosto pela nova alimentação e, de quebra, ainda sentir ojeriza pela comida engordurada de antes.
      Então, com a mudança de hábito dá para comer tudo o que gosta e é saudável e viver muito.

      Thumb up 5
    • uma vez por semana não tem problema agora, refrigerante e fritura todo dia? aí também né, isso é viver bem a vida?

      Thumb up 2
  1. Talvez o fato de ter passado por algum problema de saúde seja mais forte para a mudança de hábitos alimentares.
    O medo da volta da doença tem mais força que a simples possibilidade de que tal alimento possa, quem sabe, vir a causar problemas.

    De qualquer maneira, mesmo sem termos tido ainda problemas, é bom acreditar que se continuar com uma alimentação não saudável, somos candidatos a ter algum problema de saúde.
    Ao invés de se deixar levar por aromas e sabores é melhor imaginar o que esse alimento pode causar lá dentro do seu organismo. É a escolha entre o prazer de agora ou a saúde de amanhã.

    Thumb up 4
    • … e um leitãozinho à pururuca, umas doses de Jack Daniels e a um balde de sorvete !

      Thumb up 0

Envie um comentário

Leia o post anterior:
Woman drinking wine
Beber vinho pode ajudar a evitar queimaduras solares

Cientistas espanhóis...

Fechar