Por que você deve parar de acreditar na evolução

Você não precisa fazer um teste em um site de curiosidades qualquer para saber se é parente de Napoleão ou de Jack, o Estripador. Eu posso te dizer agora: você é.

Todas as pessoas da Terra são relacionadas com, digamos, um rei africano, um arquiduque medieval ou um criminoso vitoriano notório. Na realidade, somos todos relacionados uns com os outros: todos os seres humanos compartilham pelo menos um ancestral comum, sendo esse ancestral Eva, Adão ou qualquer outra criatura.

Na verdade, se olharmos o suficiente para trás, além de sermos todos parentes, também somos parentes de todas as outras espécies vivas, incluindo as plantas e animais que “assassinamos” para comer todos os dias.

A humanidade, afinal, é apenas um ramo na grande árvore da vida, e há um ancestral comum entre eu, você e todos os seres da Terra.

Sendo assim, é compreensível que a evolução seja tão mal entendida, uma vez que as suas regras estão em vigor, pelo menos, desde que a vida começou no planeta, o que é muito tempo.

Apesar de a teoria ter sido proposta por Darwin em 1859, a evolução é algo que existe desde sempre e a geologia, a biologia, a antropologia, a datação por carbono e cada osso de dinossauro já encontrado proporcionam uma enxurrada ininterrupta de evidências que a comprovam.

Simplificadamente, o que sabemos é que:

  • Genes, armazenados em cada célula, codificam as características dos seres vivos, como cor dos olhos, susceptibilidade a doenças e um zilhão de outras coisas que fazem de você, você;
  • A reprodução envolve a cópia e a recombinação desses esquemas, o que é complicado, e erros acontecem;
  • Os erros (mutações) são repassados no código genético para gerações futuras, como uma mancha em uma fotocópia que passará a existir em todas as cópias posteriores;
  • Este código modificado pode (mas não sempre) produzir novas características em gerações sucessivas: um dedo extra, sangue mais fino, perna maior etc;
  • Quando essas novas características são vantajosas (pernas longas em gazelas, por exemplo), organismos sobrevivem e se reproduzem a uma taxa mais elevada do que a média, e quando são desvantajosas (crânios frágeis em pica-paus), os organismos sobrevivem menos e se reproduzem a uma taxa mais baixa.
  • Isso é apenas uma ideia geral do que significa “evoluir”, que não é sempre sinônimo de “melhorar” no que diz respeito a biologia, e sim de se “adaptar”. Conforme características vantajosas se tornam a norma dentro de uma população e características desvantajosas são eliminadas, cada tipo de criatura gradualmente se transforma para melhor se encaixar em seu ambiente.

  • Você entendeu tudo errado sobre a evolução

Isso tudo acontece a um ritmo incrivelmente lento, o que torna difícil para as pessoas de compreender intuitivamente. Quando você só vive o suficiente para ver três ou quatro gerações – quase nada em termos de evolução -, quaisquer pequenas mudanças geracionais, como a humanidade ficar marginalmente mais loira ou mais alta, são diminuídas por diferenças nos membros entre qualquer geração.

Mas a evolução não precisa ser sempre lenta. A natural é, mas a artificial não. Nós fazemos “evolução” o tempo todo. Você já viu morangos em estado selvagem? São coisas tão pequenas que mal a vemos, a não ser que você seja um pássaro ou uma abelha. Nós criamos morangos para serem grandes e gordos permitindo que somente as sementes dos maiores e mais gordos morangos de cada geração se reproduzam. De forma semelhante, manipulamos quase todos os outros alimentos “naturais” que comemos hoje.

Os cães são ainda outro exemplo de evolução artificial: nós inventamos o cão, começando com os lobos e acelerando o processo natural da evolução através da seleção de reprodutores com características desejáveis, acentuando traços particulares em populações sucessivas. Poodles, rottweilers, labradores – são todos arte dos seres humanos, que usaram manualmente o mecanismo da evolução.

Você pode achar incrível, estranho, divertido ou mesmo impossível – não importa. Aconteceu, acontece e vai continuar acontecendo.

Chegamos ao ponto que aborda o título desse artigo. “Acreditar na evolução” não existe. A evolução existe, e você não precisa acreditar nela para isso.

Por que você tem dentes caninos afiados? Um apêndice? Pelo em seus braços? Se o seu corpo foi projetado para seu uso atual, há muita ineficiência em jogo, não? Se parece que estamos em processo de nos tornar menos “bestiais”, digamos assim, é porque estamos.

Então, se alguém lhe perguntar: “Você acredita em evolução?”, isso não é bem uma pergunta. É como questionar: “Você acredita em azul?”.

Fingir que a evolução é uma questão de fé pode ser uma maneira inteligente de jogá-la em uma falsa dualidade contra a religião. Ninguém que acredita em Deus ou qualquer outro ser questiona a existência das cores, da gravidade e de milhares de outros fenômenos físicos ou científicos de maneira geral. Por que questionar a evolução, então?

Pior, por que condená-la, enquanto comem seus morangos e levam seus cães para passear todos os dias?

Não há nenhuma razão para que as pessoas de fé rejeitem as montanhas de dados e evidências sobre a evolução. Conciliar é fácil: acredite, se você quiser, que Deus estabeleceu as regras da evolução entre as suas maravilhas, junto com as leis da física, da probabilidade e de tudo o mais que podemos ver e medir por nós mesmos. [TheWeek]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (8 votos, média: 4,50 de 5)
Curta no Facebook:

40 respostas para “Por que você deve parar de acreditar na evolução”

    • Se você ler o texto novamente, e com atenção, perceberá que este diz que não existe problema algum.

    • É o mesmo que negar a evolução: “as séries de fósseis transicionais entre grandes grupos de organismos, bem como a extensa documentação fóssil das mudanças de biotas ao longo do tempo, a distribuição biogeográfica de várias espécies de seres vivos e as similaridades anatômicas, embriológicas e moleculares entre as espécies e mesmo entre linhagens bem distantes de seres vivos, são evidências mais do que suficiente para convencer a comunidade científica de que a macroevolução é sim um fenômeno autêntico.” Fonte

    • É o mesmo que dizer que acredita em dar passos para ir do quarto até a cozinha mas não acredita que dar passos leve da casa até a padaria.

    • É mesma coisa que dizer que acredita nas Teorias (Leis) de Newton mas Relatividade de Einsten ja é vandalismo.

    • Sim, temos. Milhares de fósseis não, milhões. “Em transição”, todas estão.
      Mas você não está procurando um fóssil para cada espécie extinta, não, tá?
      Vamos ficar só em uma espécie, a sua: se quiser escavar TODOS os ancestrais do homo sapiens, um dos exemplares mais antigo que temos é a famosa Lucy, com 3,2 milhões de anos, uma Australopithecus afarensis. Imagina quantas gerações de fósseis você precisaria encontrar para suportar sua suposição.
      Aceita filho…

    • Jorge, existem transições e transições. Por exemplo, a evolução das aves a partir dos dinossauros está bastante documentada com fósseis, assim como a do homem a partir de um ancestral comum com os chipanzés. A maioria dos grandes grupos está bem documentada, mas não todas — o registro fóssil é bastante esparso, mesmo havendo milhões de espécies e talvez bilhões de exemplares, a quantidade de corpos que fossiliza é mínima.

      Como Richard Dawkins afirmou em seu excelente livro “O Maior Espetáculo da Terra”, temos sorte de existirem fósseis, mas por outro lado, mesmo que não houvesse nenhum fóssil, mesmo assim poderíamos reconstruir a árvore filogenética a partir de outros meios, como a análise de semelhança genética, morfologia, distribuição geográfica das espécies, etc.

  1. Texto simplesmente brilhante, com uma linguagem simples pra que nenhum leigo venha dizer que não entendeu (fora que ri alto com a pergunta do azul).
    Mas bem, Achar que a ciência desafia Deus já é um pensamento antigo, enraizado na maioria das pessoas e difícil de mudar, apesar de ser uma coisa sem o menor sentido. Acho bem difícil que essa dualidade deixe de existir, ou é ciência ou é Deus.

  2. e constante alteração (que é aleatória) do original, outra evidência (que até hoje é irrefutável) é que na Natureza nada se cria tudo se transforma (Antoine Lavoisier), ou em outras palavras, a massa do universo é constante, portanto tudo que existe agora já existiu anteriormente todos os átomos do seu corpo (e tudo que existe) já existe a bilhões de anos, eles só estão arranjado de forma diferente, e quando suas células entrarem em colapso devido ao erro de “cópia da cópia”…

  3. Texto excelente. Concordo com absolutamente tudo! Mas só acredito no universo. Nada de religiões ou deus ou até deuses. O ser humano tem mania de atribuir tudo a um criador… Por que é tão difícil aceitar a natureza do universo? A evolução como foi explicado aqui nesse texto é muito fácil de ser entendida, mas só vamos evoluir de verdade o dia em que rompermos qualquer possibilidade de aceitação que viemos de um pai invisível. Pra mim isso é muita carência e criatividade! rs. Só a ciência salva

  4. É obviamente muito mais sensato e coerente com Deus um Universo criado com uma colossal e magnífica explosão, e uma vida que se faz pela constante evolução.
    Deus não seria tão rudimentar ao ponto de fazer uma estátua de barro e assoprar nela para criar o homem. Essa é uma ideia ridícula e estúpida, até mesmo uma ofensa à Inteligência Infinita de Deus.
    Adão e Eva são alegorias. A Bíblia é toda escrita em linguagem figurada.
    A infinita complexidade do Cosmo: esta é a ideia de Deus pensando.

  5. Excelente matéria!

    Pra quem é “cientista” (quem questiona e estuda os porquês), a evolução é um fato cotidiano! Assim, “questionar” o que havia antes do Big Bang ou o que ocorre no Horizonte de Eventos (que envolve os Buracos Negros) seria instigante.

    O mais relevante pra mim é o fato (tão irrefutável quanto o da evolução) da necessidade de “amarmos adequadamente” todos os seres vivos já que somos tão “vinculados” uns aos outros!

  6. A Evolução obviamente não é uma questão de fé, como querem fazer parecer os criacionistas. Na realidade ela é tão verdadeira qto a teoria da gravitação de Newton.

    A maior prova disso é que fé não constrói árvores filogenéticas. Mais, eu posso apresentar cada espécie nela e dizer pq ela ocupa esse lugar na árvore.

    Agora os criacionistas podem me apresentar Deus?

  7. Alguns dos biólogos mais importantes para a Teoria da Evolução eram e são cristãos:

    Charles Darwin (ele era cristão quando criou a Teoria da Evolução, se tornando agnóstico mais adiante)

    Gregor Mendel – cientista e monge agostiniano, lançou as bases da genética

    Theodosius Dobzhansky – cientista cristão, unificou a genética com a evolução, ajudando a criar a Teoria Sintética da Evolução. É dele a frase notável “Nada em Biologia faz sentido exceto à luz da Evolução.”

    Francis Collins – líder do projeto Genoma Humano

    • Aliás, é do Dobzhansky outra frase interessante, e uma definição de Evolução: “Evolução é um processo que sempre aconteceu na história da Terra e só pode ser posto em dúvida por quem ignora as evidências ou é resistente à elas, devido a bloqueios emocionais ou puro preconceito”. (Evolution as a process that has always gone on in the history of the earth can be doubted only by those who are ignorant of the evidence or are resistant to evidence, owing to emotional blocks or to plain bigotry.)

  8. A seleção natural, evidenciada por Darwin, é sim um processo que atua na direção da evolução, mas está muito longe de explicar a complexidade da vida sobre a terra! Ela penas aborda o tema de um modo qualitativo e não quantitativo, como requer a ciência.
    Tratamos aqui de algo muito improvável em um tempo muito longo…a resposta não é trivial, assim nos ensina a matemática!

    • Não há nada de trivial nas respostas alcançadas em 150 anos de acúmulo de evidências. A teoria da evolução é a teoria de maior sucesso da história da ciência. Os artigos científicos se amontoados sobre o assunto chegariam até a lua. Se você tem evidência do contrário publique em uma revista científica e colete seu premio Nobel. Do contrário pare de repetir as besteiras que o pastor te enfia na cuca e PENSE.

    • A Evolução é constatada através de levantamento de perfil genético de populações, acho que isto constitui uma “evidência quantitativa”.

      A Seleção Natural não produz variação, quem produz variação é a Descendência com Modificação (Evolução é definida como “descendência com modificação”).

      As mutações produzem variação genética, e a seleção natural (e seleção sexual, e outros mecanismos de transferência genética) fixam a variação ou a eliminam.

      O contínuo acúmulo de pequenas variações altera o perfil da população, a ponto de algumas centenas ou milhares de gerações depois, ela ser outra espécie. Aconteceu em 30 anos nos lagartos Podarcis sicula de Pod Kopiste introduzidos em Pod Mrcaru.

      8 Exemplos da evolução em ação

  9. Como costumo dizer, há uma mania intensa em comparar a confiança científica na teoria da evolução como um caráter de fé. Muito embora isto seja dito pelos próprios religiosos, parece aqui haver uma ideia abafada de que a fé é muito fraca, portanto convém dizer que a teoria da evolução está nesse patamar. Como acabei de dizer, para a teoria da evolução, a quem não a conhece superficialmente, conhece só um pouco ou razoavelmente bem, que é meu caso, cabe a “confiança” e não a “fé”.

  10. Nossa, tomei um susto com o título da matéria.
    Entrei pra ler indignado e pronto pra “falar um monte”.
    Maaaaaaaas….. mais uma vez uma ótima matéria.

    Parabéns!

Deixe uma resposta