Mito ou realidade: estresse pode deixar você doente?

De fato: estresse e doenças estão entrelaçados. Há alguns anos já se sabe que o estresse psicológico aumenta o risco de doenças cardiovasculares, gripes, resfriados e até alergias.

Mas como um leva ao outro? Pesquisas recentes mostram que o hormônio cortisol tem um papel decisivo. Liberado em grandes quantidades em momentos de estresse pelas glândulas suprarrenais, esse hormônio abastece o corpo com uma ‘explosão’ de energia.

Ele também ajuda na resposta do sistema imune do corpo a infecções e inflamações, mantendo diversas doenças sob controle. Mas quando os níveis de cortisol permanecem elevados, o corpo se torna menos sensível ao hormônio, da mesma maneira que níveis elevados de insulina podem levar à resistência à insulina.

Cientistas da Universidade Carnegie Mellon, nos Estados Unidos, colocaram isso à prova. Em um experimento, 276 adultos saudáveis foram expostos a vírus de gripes, mantidos em quarentena e monitorados por cinco dias. Aqueles que passaram por experiências estressantes estiveram mais propensos a mostrar resistência ao cortisol.

E tiveram mais chances de desenvolver resfriados, também de acordo com outra pesquisa, publicada no periódico científico PNAS.

Outro ponto importante a ser levado em conta é que as pessoas mais resistentes ao cortisol eram também as que mais produziam citoquinas, componentes do sistema imunológico que promovem inflamações e que aumentam a severidade dos sintomas.

“Já que a inflamação tem um papel importante no começo e na progressão de um amplo espectro de doenças, esse processo tem grandes implicações para o entendimento do papel do estresse”, afirmam os pesquisadores.[TheNewYorkTimes]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars
Curta no Facebook:

8 respostas para “Mito ou realidade: estresse pode deixar você doente?”

  1. Faz tempo que se sabe que o sistema imunológico das pessoas é enfraquecido por: estresse, má alimentação e má qualidade de sono.
    Para quem não quer ficar doente, a melhor chance é melhorar esses três itens. Lógico que cada doença ainda tem seus métodos de prevenção particulares.

  2. Nas situações de estresse não há somente liberação de cortisol, há também dopamina, adrenalina, norepinefrina, T3, T4, consumo bem maior de vitaminas, minerais e inúmeras outras alterações.

    Enfim, insônia e alergias são somente alguns sintomas e sinais.
    Podem ocorrer doenças crônicas como câncer, não unicamente pelo estresse, mas certamente devido a co-participação do estresse, levando ao esgotamento imunológico entre outras consequências.

    • Você tem certeza sobre a dopamina? Porque as drogas recreativas viciantes e alguns anti-depressivos atuam aumentando o nível de dopamina. Ela funciona como neuro-transmissor no cérebro, onde é responsável pelos estímulos de busca por recompensa, sensação de satisfação e alívio. Sempre lembro da dopamina e serotonina como as boazinhas!

    • O que você entende por ser bom??
      Qualquer situação “boa” presente de forma ininterrupta a longo prazo passa a ser totalmente indesejávele maléfica!
      Refiro-me não só a dopamina, mas também outros neuro-transmissores e órgãos como as supra-renais que se não evoluem a falência, muitas vezes evoluem a insuficiência, e aí teremos deficiência de cortisol!
      E agora vc. vai dizer que bom, pois o cortisol é ruim???

    • Eu estava falando de sensações e emoções como estímulo, o que acontece no “agora”.
      Sem estender muito, a dopamina está relacionada ao prazer e “alívio do desprazer”, em casos de ameaça e perigo. Eu sei, pois eu li que você se referiu a várias, e eu só *perguntei* sobre a dopamina, porque nunca tinha ouvido nada sobre liberação de dopamina no momento de estresse, só no momento que ele passa. A questão das “boazinhas”, foi só uma expressão para dizer que são substâncias liberadas em momentos mais agradáveis.
      Tudo o que eu falei se restringe a apenas isso.
      Se eu entendi bem, concordo com o que você disse sobre “boa” no presente e “ruim a longo prazo”, que seriam as drogas viciantes.

  3. Só sei que em 2006 quando eu acordava às 5h pra ir pro estágio e só chegava em casa às 23h depois da faculdade, sendo que só ia dormir 1h ou 2h depois de estudar, desenvolvi alergias, não pude mais tomar nada de maracujá (ficava drogado, tonto, tinha quase o mesmo efeito de uma garrafa de vinho) e depois de alguns meses nisso passei a acordar quase todos os dias com o rosto e as mãos inchadíssimos! Parecendo um ogro.

    Fui ao médico, fiz aquele teste que fura o braço todo e não deu reação a nada.. O médico passou alguns remédios que dão muito sono.. e eu fiquei naquela de dormir menos que 4h por dia tomando esses remédios.

    No final da história.. Foi só eu sair do estágio que voltei ao normal! (exceto o problema com o maracujá, que continua. Porém, bem menos agressivo).

  4. Pelo que entendi, o stress deixa a pessoa mais propícia a doenças, pois por ter liberado tanto hormônio cortisol pelo estresse, o corpo acostumou, e o resfriado/gripe invadiu com maior facilidade. “Meio que o corpo ficou desatento”. Foi isso que eu entendi.

Deixe uma resposta