Os 8 maiores tufões do mundo

Publicado em 10.10.2011

O tufão Roke foi o segundo a atingir o Japão em novembro. A tempestade era equivalente a um furacão de categoria 4 na escala Saffir-Simpson – a maior é a 5 –, mas não chegou perto de estar entre os maiores e mais maldosos tufões.

“Tufão” é o termo usado para fortes tempestades que se formam no oeste do Pacífico e sudeste do Oceano Índico, enquanto “furacão” refere-se às tempestades que começam no Atlântico, Caribe e nordeste do Pacífico.

Tufões que giram no sentido anti-horário se formam no hemisfério norte, enquanto os que giram no sentido horário, se formam no hemisfério sul.

Normalmente eles são destruidores. Aqui estão oito tufões dos maiores, mais fortes e de maior duração do mundo:

8 – Tufão Nancy

Tufão Nancy foi formado em 12 de setembro de 1961, na região noroeste do Pacífico. Nancy teve, possivelmente, os ventos mais fortes já medidos em um ciclone tropical (tempestades tropicais, furacões e tufões). Estima-se que os ventos de Nancy atingiram 343 km/h, tornando a tormenta de categoria 5 um super-tufão.

No entanto, as medidas tiradas há muito tempo hoje acredita-se que podem estar erradas; um pouco altas demais. Tufões extremamente fortes chegaram a velocidades de no máximo 306 km/h, o segundo maior já registrado.

Nancy causou grande devastação em todo o Japão; 191 pessoas morreram.

7 – Tufão Megi

O Tufão Megi aterrisou no dia 18 de outubro de 2010 nas Filipinas, e foi um dos mais fortes tufões já registrados. Abrangendo mais de 600 km, a tempestade criou mega-ventos de 287 km/h.

Megi tornou-se um super-tufão quando a velocidade do vento chegou a sua 241 km/h – isto é o que designa um super-tufão no noroeste do Pacífico. Um ciclone tropical deve atingir ventos de pelo menos 119 km/h a fim de ser considerado um tufão.

Megi matou 69 pessoas nas Filipinas e no Taiwan.

6 – Tufão Vera

Um dos tufões mais mortais do mundo, Vera despencou no Japão em setembro de 1959, matando 5.098 pessoas e ferindo mais de 40 mil.

Muito dos danos causados por Vera não vieram de seus ventos fortes de até 305 km/h, mas de graves inundações. A tempestade destruiu barreiras do mar, afundou lavouras e interrompeu estradas e ferrovias. Cerca de 1,5 milhões de pessoas ficaram desabrigadas após o tufão, e grandes surtos de disenteria, gangrena e tétano se seguiram.

A devastação causada por Vera exigiu a construção do Sistema de Radar Monte Fuji para antecipar grandes tempestades no futuro.

5 – Tufão Sarah

O super-tufão Sarah, que atingiu um pico de 310 km/h, desembarcou no sul da Coréia do Sul em 17 de setembro de 1959. Os ventos fortes e chuvas de Sarah causaram seis mortes, destruíram 6 mil casas e arruinaram milhões de dólares em plantações.

Porém, ao longo do país, as inundações extremas mataram 669 pessoas e deixaram 782.126 desabrigadas. O Japão também foi atingido com as inundações que mataram 24 pessoas, com milhares de casas destruídas ou danificadas.

4 – Tufão Forrest

Em setembro de 1983, no Oceano Pacífico, o super-tufão Forrest foi desenvolvido. Foi o ciclone tropical de mais rápido surgimento, com uma queda de pressão de 100 milibares, em um período de 24 horas (uma queda bastante rápida chega a 1 milibar por hora).

Forrest atingiu o Japão como uma tempestade tropical no dia 28 de setembro com ventos de até 137 km/h. Cerxca de 483 mm de chuva caíram em todo o Japão, danificando 46 mil casas. No geral, a tempestade causou 21 mortes e danos moderados.

3 – Tufão John

John foi o ciclone tropical de maior duração e que atingiu as maiores distâncias já observadas. Formado durante o forte El Niño de 1991 a 1994, John atingiu seu pico como um furacão de Categoria 5.

Durante sua vida, John percorreu 13.280 km, do Pacífico Oriental até o Pacífico Ocidental e de volta para o Pacífico Central, com duração de 31 dias no total. Porque existiu no leste e no oeste do Pacífico, John era um amontoado de um pequeno número de ciclones tropicais, designado tanto como furacão, quanto tufão.

John permaneceu na maior parte do tempo sobre o oceano e causou apenas danos pequenos no Havaí.

2 – Tufão Nora

Distinto pela sua temperatura, o tufão Nora ficou conhecido por ter o mais quente dos olhos de qualquer ciclone tropical, 30° C.

Nora tornou-se um supertufão, com ventos de até 298 km/h. Mas enfraqueceu quando atingiu o sudeste da China no dia 10 de outubro de 1973. O tufão causou 18 mortes e mais de R$ 4,2 milhões em danos.

1 – Tufão Tip

O tufão Tip se formou no noroeste do Oceano Pacífico em outubro de 1979 e foi o ciclone tropical maior e mais intenso já visto. O diâmetro das tempestades atingiu 2.220 km, quase metade do tamanho dos Estados Unidos.

A tempestade tinha uma pressão medida em 870 milibares (o normal é de 1.013 milibares) e ventos de superfície sustentados em 306 km/h. Tip matou 86 pessoas em todo o Japão.

Também foi um dos ciclones tropicais mais vigiados. A Força Aérea dos EUA enviou 60 missões para o tufão.

Apesar de seu currículo impressionante e mortal, o nome Tip não foi aposentado e foi reutilizado em 1989. [OurAmazingPlanet]

Autor: Patricia Herman

é aspirante a jornalista, tem 21 anos e adora ler, principalmente poemas e a filosofia alemã do século XIX. Tem um único grande vício: música.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

13 Comentários

  1. esqueceram do furacão hilda.nos EUA.foi terrivel ,fizeram até um filme sobre esse furacão

    Thumb up 1
    • q bobagem!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!…………………………………………………………………………………………………………………………………..

      Thumb up 0
  2. Já estive no olho do furacão CATARINA que passou sobre o sul de SC e norte do RS. Quando passou o olho, este com diâmetro de aproximadamente 30 Km, nada se movia, o céu estava lindo, muitas pessoas foram para as ruas, pensando que já tinha acabado (Aconteceu a noite e a energia elétrica foi cortada, por precaução), quem estava acompanhando de longe pela internet, avisou pelo celular que era apenas o olho e que tudo voltaria acontecer novamente. Foi horrível, mas nenhuma morte foi registrada. vejam http://www.popa.com.br/imagens/03-04/catarina.htm

    Thumb up 4
  3. Acho que nos somos uma poeira perdida,onde cada atitude errada que cometemos interfere no meio ambiente,e esse cuidado não temos infelizmente….

    Thumb up 2
  4. E desesperador não saber como se proteger de um mostro desse,pois sua capacidade de destruição é imensa,mesmo ele não atingindo a terra diretamente sabemos que seu reflexo é arrasador,o que nos consola é que o homem hojé já tem a capacidade de prevêr o que vai acontecer é tentar minimizar seus efeitos

    Thumb up 5
    • CURIOSO
      no meio de um furacão causa vácuo pois é o “olho”, e o vento circula ao redor não dando espaço no meio, e sem a falta de ar causa o vácuo

      Thumb up 5
    • Boa pergunta, deviam ir lá medir isso… rs

      Thumb up 4
  5. Quero ver, duvido essas brisas sequer derrubarem meu chapéu da cabeça, tchê!!!

    Thumb up 9
    • Capaz de derrubarem sua cabeça do corpo.

      Thumb up 14
  6. É impossível imaginar o tamanho, imensidão e capacidade de destruição destes monstros…
    Ainda bem que eles acontecem apenas sobre o mar!!!

    Thumb up 9
  7. PORISSO QUE OS JAPONESES ESTÃO VINDO PARA O BRASIL, É TUFÃO DEMAIS. FUJA DE LÁ.

    Thumb up 13

Envie um comentário

Leia o post anterior:
adidas2_2013040c
Adidas lança chuteira inteligente

Adidas apresenta sua...

Fechar