11 Importantes “últimas vezes”

Por , em 10.12.2011

A primeira vez, ninguém esquece. Já as últimas… Na lista abaixo, vamos conhecer a última vez que aconteceram coisas como: a execução pública em guilhotina, o último homem a pisar na lua ou a última bomba atômica detonada. Confira:

1 – A última execução pública por guilhotina

Aconteceu na França em 1977. Como monarcas, aristocratas e criminosos do passado, o imigrante tunisiano, Hamida Djandoubi, perdeu a cabeça na lâmina da guilhotina. Ele fora acusado de torturar e assassinar sua namorada, Elizabeth Bousquet, na Marselha. Djandoubi havia tentado forçar Elizabeth a se prostituir. Ela se negou e prestou queixas. Ele decidiu se vingar. Seu plano maligno envolveu forçar duas prostitutas a assistir enquanto ele sequestrou, estuprou e queimou os seios e genitais de sua namorada com cigarros. Depois da sessão de tortura, ele a levou para um lugar e a estrangulou até a morte. O criminoso tentou sequestrar outra garota, no mês seguinte, mas ela conseguiu escapar e o denunciou para a polícia. Hamida Djandoubi foi executado em 10 de setembro de 1977. A França aboliu a pena capital por guilhotina em 1981.

2 – A última sociedade matriarcal

A tribo Mosuo é considerada a última sociedade comandada por mulheres no mundo. Com 40 mil descendentes, a tribo reside em vilas em torno do lago Lugu, na China. Lá são elas que mandam em tudo. Elas têm o poder decisório em suas mãos, são donas de todas as terras e imóveis e têm, sozinhas, a guarda de todas as crianças que nascem em sua sociedade. Para se ter uma ideia, a língua Mosuo não possui palavras que signifiquem “pai” ou “marido”. A autonomia das mulheres da tribo é inquestionável. A partir dos 13 anos de idade, elas podem ter quantos parceiros desejarem, até o fim da vida. Qualquer criança que nascer destes relacionamentos é criada apenas pelas mães e os pais são chamados de “tios”. Não existe nem chance de um homem querer assumir a paternidade.

3 – O último sobrevivente americano da Primeira Guerra Mundial

O nome dele é Frank Woodruff Buckles e recentemente completou 110 anos. Ele é o último sobrevivente americano e um dos únicos três sobreviventes em todo mundo. Além de sobreviver, vive há mais tempo que muita gente que, por sorte, nunca teve de servir em uma guerra. Para poder se alistar, Buckles mentiu sua idade: ele tinha apenas 15 anos quando decidiu servir seu exército na Primeira Grande Guerra. Primeiro, ele trabalhou como socorrista para soldados machucados nos campos de batalha. Ele também participou da Segunda Guerra e foi preso e obrigado a trabalhar em campos de concentração japoneses até ser resgatado por forças americanas.

4 – O último homem a pisar na lua

Em dezembro de 1972, o comandante Eugene Cernan e o piloto Harrison Schmitt deram umas voltinhas durante as 75 horas que ficaram na superfície da lua. Os dois astronautas eram parte da equipe do Apollo 17, sexto e último pouso lunar até agora. Durante a “estadia”, eles coletaram amostras e detonaram alguns explosivos em nome da ciência. Como Schmitt voltou antes para dentro da espaçonave, Cernan é considerado o último homem a pisar na lua.

5 – A última tartaruga gigante da espécie Geochelone abigdoni

George é o último representante de sua espécie. Ele vive em Galápagos e tem uma missão: perpetuar. Acredita-se que ele tenha entre 90 e 100 anos e uma expectativa de vida de até 150 anos. Cientistas do Parque Nacional de Galápagos têm tentado, em vão, cruzar George com outras tartarugas de espécies similares. Das tentativas bem sucedidas, nenhum ovo fertilizado por ele deu filhotes. Por enquanto, ele continua sendo o último.

6 – O último jornal escrito a mão

Todos os dias, três calígrafos de Chennai, na Índia, escrevem as notícias do dia em sua língua nativa. O nome é do veículo de comunicação é “The Musalman”, e tem quatro páginas onde são divulgadas as notícias locais e nacionais, além de uma seção de esportes. Os Katibs, nome dado aos responsáveis pela escrita do jornal, tomam o cuidade de deixar um espacinho no final da primeira página, caso surja uma notícia de última hora. Sua distribuição alcança quase 22 mil pessoas todo dia.

7 – A última língua a ser extinta

Em 2010, a última pessoa que sabia falar uma das línguas mais antigas do mundo morreu nas Ilhas Andaman, no sudeste asiático. Boa Sr, que tinha 85 anos, era a última pessoa do mundo que sabia falar Aka Bo, uma das dez línguas faladas pelos grande andamaneses, que teria por volta de 65 mil anos. Com sua morte, a língua extinguiu-se. Diferente das línguas “mortas” como Latim ou Sânscrito, que são mantidas por pessoas que as estudam, línguas extintas são perdidas permanentemente. Aka Bo é a última língua a ser extinta, mas estima-se que metade das quase seis mil línguas faladas no mundo vão sumir nos próximos 200 anos.

8 – A última pepita gigante de ouro

A peça de mais de quatro quilos de ouro foi encontrada na Califórnia. Um californiano, muito sortudo, encontrou a pepita usando um detector de metais em sua propriedade. O achado é considerado o último do mundo e será leiloado em março deste ano. Estima-se que será vendido por cerca de meio milhão de dólares.

9 – O último caso de Varíola

A última pessoa no mundo a pegar varíola foi a garota indiana, Rashima Banu, que tinha apenas dois anos quando foi infectada pelo vírus em 1975. Ela recebeu a vacina da Organização Mundial de Saúde e foi completamente curada. A doença foi erradicada em 1979. Dados revelam que a varíola matava 60% dos adultos e quase 80% das crianças contaminadas, deixando os sobreviventes com cicatrizes e, muitas vezes, cegos.

10 – O último barco a vapor que ainda navega

O PS Waverley de 1947, da Escócia, é o último barco de remo a vapor que ainda navega regularmente na costa da Inglaterra e da Escócia. Existem outros barcos que funcionam com remos movidos a vapor, mas estes servem apenas de atração turística.

11 – A última bomba atômica com vítimas

A última bomba atômica com vítimas, até hoje, além de assassinar milhares de pessoas em Nagasaki, no Japão, foi o marco do fim da Segunda Guerra. Três dias antes, os EUA (responsável pelos dois bombardeios) já tinham causado a morte de outros milhares com uma bomba atômica em Hiroshima. O acontecimento levou o Japão a se render, finalizando o conflito mundial que durou sete anos.

Apesar da Alemanha ter decretado sua derrota em maio de 1945, o que acabou com a guerra na Europa, o Japão resistiu. O então presidente dos EUA, Harry S. Truman, ordenou os ataques nucleares nas duas cidades japonesas. Nos meses seguintes ao ataque, entre 90 e 160 mil pessoas, em Hiroshima, e 60 e 80 mil pessoas, em Nagasaki, morreram dos ferimentos das bombas, queimaduras ou doenças causadas por materiais radioativos. [Oddee]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

157 comentários

  • Jorginho:

    Quem foi que disse que a escravidão acabou?
    Apenas dão um mísero salário para que os escravos façam suas próprias rações!
    O nome disso chama-se capitalismo, atrofiado com a miséria do salário mínimo!

    Com Hamida Djandoubi,deveria ter feito como ele, o que ele fez com sua’s vítimas.
    No Brasil, existem muitos desses dementes e nada acontece com eles. Nossas leis é motivo de piadas, como é o caso da “Maria da péia”… Onde mulheres são torturadas diariamente e nada há de punição para esses covardes!

    Quanto o homem pisar na Lua, tenho minhas dúvidas!

    http://www.youtube.com/watch?feature=endscreen&NR=1&v=BcPYeBBC96g

    E, apesar de não gostar da voz do narrador, mais um ponto a ser considerado de uma possível fraude:

    http://www.youtube.com/watch?v=GQp-zi8yQGU

    Confesso que são uns grandes mentirosos, até que prove o contrário!

    • Francisco:

      É verdade. Com o salário de miséria, os escravos de hoje apenas tem o direito de escolher os seu senhores (patrões).

  • Valkyria Karpinski:

    Em 1995??? Parece fabuloso demais, nao?
    Nao seria 1895??

  • maninhosimpoles:

    povinho desgraçado esse do missisipi viu…

  • Sr Óbvio:

    Só não disseram se a sociedade matriarcal deu certo ou não..

    • Ivo:

      Sr. Óbvio, preste atenção aos verbos: “é considerada”; “reside”; “lá são elas oque mandam em tudo”; “são donas” “as crianças que nascem…”

      Todos os verbos estão no presente do indicativo comprovando que aquela tribo é a última e não que foi a última.

    • Sr Óbvio:

      Sim, amigo, não há dúvidas quanto a isso. Meu questionamento foi no sentido prático da coisa, ou como e se essa estrutura interfere positivamente na qualidade de vida daquela comunidade em seus vários aspectos, comparando com nosso sistema padrão. Ou seja, questionei se o sistema deu certo para eles, ou se os problemas permanecem semelhantes aos nossos. Mas obrigado, o que vale é a intenção.

  • claudemir da silva:

    a escravidão era uma das praticas mais vergonhosa para humanidade

    • Sr Óbvio:

      O céu é azul, a água é molhada e o gelo é gelado também!

  • Laís:

    Muito legal. Achei bem legal o texto sobre a sociedade matriarcal, algumas mulheres deveriam se inspirar nisso, menos na parte de tirar os direitos dos homens, por que na minha opinião direitos e deveres devem ser imparciais. Já a noticia sobre escravidão eu achei um absurdo que legalmente só foi extinta a abolição em 1995! Mas é claro que a escravidão, tanto humana quanto animal não acabou ainda e vai demorar para acabar, basta olhar para lugares como China e Taiwan.
    Parabéns pelo post.

  • Everton Carlos da Costa Cardoso:

    Sei que no Brasil a corrupção é enorme e a impunidade é do mesmo tamanho. Mas o único motivo justo para um ser humano tirar a vida de outra pessoa é a legítima defesa. Ou seja: Ou você mata ou morre.

    • Ana:

      COncordo consigo.

  • keV:

    E o Aka bo acabô kkkk

  • Marcus ASBarr:

    Entre todas estas notícias a questão do fim da escravidão é de envegonhar a humanidade. Não que a prática deixe de ser um fato em partes subdesenvolvidas ou não do globo… mas é absurdo tomar conhecimento de algo oficial assim.

  • Gui Melo:

    Mais alguém vai fazer a piadinha do “Aka bo” ou Aka bo? aehuaea

  • MARCELO:

    é por muitos acreditarem em disco voador, que acabam acreditando em que o americano foi na Lua. sinto muito perderem tempo com isso. bom , no pantanal sul-matogrossense ha uma india ( a ultima a falar a lingua guató).

  • Osama Bin Laden:

    “Aka bo” o Mundo!

  • drew:

    Se pesquisarem verão que o Brasil foi o penúltimo pais do mundo a abolir a escravidão.O último foi Cuba.

    • humberto barcelos:

      não entendi esse comentário póde me explicar melhor?

    • humberto barcelos:

      desculpa Drew não entendi seu comentário sobre cuba!

    • kayane porto alegre RS:

      descupa ae mas eu ñ entendi teu comentário drew

  • JiNhO:

    4 – O último homem a pisar na lua

    Bom, vou comentar um pouco sobre esta notícia.
    Eu pelo o menos acredito que o homem jamais pisou na lua, porque se observarmos e pensarmos um pouco, quando foi a ultima vez em que se comentou a ida do homem a lua, sendo registrado por vídeo e fotos uma vez que a tecnologia aumentou bastando e “praticamente” a NASA (EUA) somente tem estudos aprofundados nesse assunto.

    Analisando a imagem colocada no tópico 4, pude observar a bandeira americana com movimento de um vento ou algo do tipo.
    Eu pelo o menos aprendi que a lua não possue oxigênio e por isso é impossível algum tipo de ser vivo lá. E porque a bandeira balança? o que faz ela balançar?

    Outra observação, porque tem pegadas na superfície da lua, uma vez que lá não possui gravidade, não há camada gravitacional. Então como existe aquelas pegadas? Como foram feitas??

    Fica a dúvida no ar, será que o homem foi mesmo a lua??

    Se eu estiver errado por favor me corrijam.

    Abraço para todos.

    • Gustavo:

      Nem todos os seres vivos precisam de O2 para sobreviverem.
      A bandeira pode se mover devido sua própria inércia.
      A lua tem sim gravidade, apenas é menor do que na terra.

    • Denis Lima:

      Todo corpo possui gravidade, portanto a lua também a possui, mesmo que fraca se comparada à da terra;
      já a bandeira, seu movimento deve-se ao fato de não existir resistência atmosférica e baixa gravidade, causando uma perpetuação do movimento inicial.
      Nada contra às teorias sobre o homem na lua, mas esses argumentos não são fortes o suficientes.
      Abraço.

    • Evaldo:

      Pra ajudar mais um pouco nessa desconfiança, observe que no fundo escuro não há estrelas, e sempre que aparecem imagens do homem na lua não aparece o cosmos cheio de estrelas. Há um site onde mostra as mancadas que foram dadas pela Nasa para provar que o homem não esteve na lua, tais como sombras do veículo lunar para um lado e do astronauta para outro, como se estivessem sendo iluminados por refletores, o ultimo homem subindo na capsula, e quem tirou a fotografia? o astronauta subindo no modulo lunar onde a mesma esta fazendo sombra sobre o referido astronauta como se o sol estivesse na posição contrária, no entanto a imagem é perfeita como se houvesse iluminação no sentido contrário, alem de observar que as imagens foram feitas com filmes especiais para fotografar no espaço, coisa que a Nasa afirma que a kodak forneceu tal filme . mas a própria kodak foi contatada pelos pesquisadores, a qual afirmou que na época ele não haviam desenvolvido tecnologia para produzir filmes que pudessem fotografar em ambiente como o espaço (no caso a superfície lunar). São pequenos detalhes que nos colocam em dúvida se o Homem foi ou não a lua!

  • humberto barcelos:

    1. sobre o comentario do meu amigo paulo sobre a pena de morte:a verdadeira soma de dinheiro e/ou de recursos de qualquer especie que poderiam estar mantendo hospitais e escolas esta no bolso dos corruptos e daqueles que tem MUITO mais do que o necessario para viver bem.por isso se quiser salvar inocentes lute contra a corrupcao e a desigualdade social,pois isso vem matando muito mais do que qualquer outra coisa.quanto ao sistema judiciario:eu acho que a reabilitacao do ser humano é possivel e tras beneficios pra toda a sociedade!mais cade os recursos para se investir nisso nao é verdade?esta alimentando o luxo e o despedicio dos ricos e corruptos.e isso vai continuar acontecendo enquanto nós(o povo)nao nos mobilizarmos pra acabar com isso!´porque se ficarmos esperando alguma coisa deles,das proprias´pessoas que se benificiam disso nada nunca vai acontecer

  • Paulo:

    Desumano não é a pena de morte, e sim o fato de criarmos cadeias para criminosos de alta periculosidade. Se um criminoso é encaminhado à este tipo de cadeia, é porque não temos mais duvida sobre o criminoso. Nesse caso estamos gastando nosso dinheiro público numa ação que em nada melhorara a nossa vida. Uma soma de dinheiro que poderia está mantendo hospitais, escolas e outras entidades que atendesse a pessoas de menor poder aquisitivo. Veja quantas pessoas estamos deixando de atender em beneficio de alguns presos, que sabidamente, são de alta periculosidade. Se sabidamente estes elementos não podem e nem devem ficar junto a outros presos, e obviamente jamais devem ficar em liberdade, pena de morte para eles. Desumano é deixarmos de atender a muitos inocentes em prol de alguns nocivos irrecuperáveis.

    • Deep:

      Pedro, se o que choca em um criminoso é exatamente a sua falta de empatia e capacidade de ferir, prejudicar, desrespeitar, alijar, machucar, física e psicológicamente outro ser-humano e mesmo exterminá-lo, o que é que deveríamos fazer com eles, exatamente o mesmo que eles fazem e que nos choca e assim igualarmo-nos a eles?

    • humberto barcelos:

      sobre o comentario do meu amigo paulo sobre a pena de morte:a verdadeira soma de dinheiro e/ou de recursos de qualquer especie que poderiam estar mantendo hospitais e escolas esta no bolso dos corruptos e daqueles que tem MUITO mais do que o necessario para viver bem.por isso se quiser salvar inocentes lute contra a corrupcao e a desigualdade social,pois isso vem matando muito mais do que qualquer outra coisa.quanto ao sistema judiciario:eu acho que a reabilitacao do ser humano é possivel e tras beneficios pra toda a sociedade!mais cade os recursos para se investir nisso nao é verdade?está alimentando o luxo e o despedicio dos ricos e corruptos.e isso vai continuar acontecendo enquanto nós(o povo)nao nos mobilizarmos pra acabar com isso!´porque se ficarmos esperando alguma coisa deles,das proprias pessoas que se benificiam disso tudo…nada nunca irá acontecer!!!

  • Justiceiro:

    Nossa, o que esse pessoal do Mississipi não fazia por uns trocados?
    Pior é aquele que aceita ser escravo em plenos 1995.
    Que horror.

  • Javé:

    É engraçado ver tanta gente reclamando de nosso governo e nossos politicos, mas, não fui eu que votei no deputado tiririca, deputada mulher melão, deputado romario… Hipocrisia em nosso país é o que não falta 🙂

  • Mr. Positivo:

    Quem passa o horario de trabalho no HC positiva aee \o\

  • Ana:

    Cesar, tem toda a razão. Basta falar em polícia que todo o povo brasileiro fala bobagem. Mas eu concordo que os principais traficantes de droga sejam abatidos na retaguarda dos carros da BOPE.

  • Gilberto M.:

    Sobre os comentários de pena de morte, minha opnião é bem clara. Pena de morte não é punição, é um favor que se faz ao criminoso. Ele tem que continuar vivo, preso por um longo tempo. Se quiser sair da vida, que faça por sua prórpia conta e sinta a terrível agonia de se matar. E,de quebra, se os cristãos estiverem corretos, vai ser mais um crime a prestar contas a Deus. Mas ainda prefiro que ele continue a saborear sua vida miserável.

    • Jonatas:

      Prisioneiros são inúteis, ficam lá protegidos comendo bem as custas dos trabalhadores que pagam impostos na maior carga tributária do mundo. O certo deveria tornar a inutilidade uma utilidade. Colocar os presos a trabalhar, criar sistemas de trabalho dentro dos presídios, vários tipos, como marcenaria, por exemplo. Os presos teriam que trabalhar em algo se quisessem comer, caso contrário pão e água no máximo. Já vi um exemplo no norte do país, os presos de melhor comportamento com crimes mais leves foram levados ao interior para concertar os móveis e cadeiras de uma escola pobre do interior. O interessante é que eles próprios gostaram daquilo, talvez simplesmente por verem a luz do dia fora da prisão, ou por se sentir mais humano outra vez.

    • Cesar:

      Jonatas, já existe a muitos anos o regime de trabalho para prisioneiros, onde cada n dias de trabalho diminuem um dia na pena. Se você joga futebol, muito provavelmente está usando uma bola feita por um presidiário. E não é só isto que os prisioneiros fazem. E tem mais, o salário que recebem (todo mundo que trabalha merece um salário, afinal de contas, já foi abolida a escravidão humana) é entregue às famílias. Estes e outros programas tem a finalidade de ressocializar o prisioneiro. E existem até empresas que dão empregos a ex-presidiários.

    • Evaldo:

      Caro Cesar, faça uma pesquisa e verifique quantos ex-detentos voltaram a delinquir e como cresceu o número de crimes cometidos por menores, o número de políticos e magistrados envolvidos em corrupção também aumentou, sabe por que? Certeza da impunidade, pois podem cometer os piores crimes, o máximo que vão cumprir é trinta anos se for condenado a cem. Quem é condenado à trinta só cumpre doze, e assim por diante. Os “menores” vão para um reformatório para serem ressocializados mas saem pior do que entraram e quando completam dezoito anos tem as fichas lipas como se não tivessem cometido crime algum. Já os nossos políticos quando são pegos com a mão na cumbuca, simplesmente não acontece nada. Me mostra um politico preso e cumprindo pena na penitenciária por corrupção? Enquanto os nossos “magistrados’ quando são descobertos ( e olha que não é fácil, não porque tenham poucos corruptos, mas porque é difícil conseguir provas contra eles), são condenados pelos colegas, a pena é aposentadoria com todos os direitos, se bem que pra eles aposentadoria é um castigo muito pesado, pois não poderão mas pegar seus gordos subornos. É por essas e outras que não acredito no sistema judiciário brasileiro e nessas leis que beneficiam o criminoso e pune o Cidadão. Está na hora de dá um basta nisso, mudar as leis admitir serviços forçados para presos condenados, afinal temos uma malha rodoviária enorme para ser recuperada, coloquem os presos para fazer esse serviço em vez de pagar milhões para empreiteiras corromperem nossos bons e honestos políticos.

    • Chamone:

      enquanto isso, vc (e todos nos) continuamos bancano a vida deles na cadeia, com comida, moradia etc. Acredito que voce nao veja jornal, ou nao reside no Brasil, pq aqui a cadeia é melhor que na casa de muita gente. hotel do tio nelsinho( penit.nelson hungria) la ja viram, piscina churrasco e garota de programa fora as drogas e celular. Grande parte disso com nosso dinheiro, se vc é otario e gosta de bancar os outros, arruma uma mulher interesseira ao menos ela vai te dar algo em troca.

  • Keli Marchi:

    Muitas vezes, assistindo às notícias sobre crimes cometidos pelo mundo afora, me senti impotente e frustrada, e nesses momentos eu gostaria que esses criminosos fossem condenados à pena de morte. Passados esses sentimentos, consigo ver que essa não seria a solução mais adequada, pois apenas exterminaria com violência alguém que cometeu um crime, mas não resolveria a existência do crime em si. Nosso sistema presidiário também não resolve a situação, muito pelo contrário, só a piora. As causas da violência são muito mais profundas e complexas do que podemos ver e envolvem um estudo antropológico mais apurado, estudo esse que nenhum governo está disposto a fazer, pois implica numa mudança de atitude que nenhuma elite do mundo está disposta a aceitar.

    • Chamone:

      nao resolve? violencia? injecao letal nao e violento. violencia e algum parente seu ser estuprado, vc ser espancado e roubado, isso e violencia. Oriente médio, corta a mao do safado que rouba, ve se la tem tanto ladrao como aqui, começa a pena de morte com criminoso de alta periculosidade (ex: fernandinho beira mar, pra que serve esse cara andano de aviao pra um lado e pra outro com nosso dinheiro???????) e corta a mao de politico safado, vamo ve se essa mer** nao acaba aqui rapidinho.

    • Oscar Alho:

      Na verdade o criminoso não comete o crime pensando na pena e sim em sua impunidade.

      Veja o caso de países com o a Indonésia, onde o crime de tráfico de drogas é punido com pena de morte. Veja se o tráfico de drogas aumentou ou diminuiu depois da instituição da pena de morte. Se você pesquisar verá que até um brasileiro já foi pego com droga por lá dentro de uma prancha de surf ou uma asadelta.

  • marcos:

    As bombas atomicas foram e continuam sendo o maior desastre da humanidade pois por conseguir poder o homem e capaz destas façanhas que destroem seu proprio semelhante e o meio em que vive.Pensar que um dia todos prestarao contas de seus atos e serao julgados sem a menor possibilidade de suborno para se dar bem.Assim caminha a humanidade

    • Rafael:

      E viva a evolução tecnológica do homem, todavia a evolução moral que almejamos… Quando chegará? Pois se existiram “últimas vezes”, há uma evolução natural em curso – graças!!!

  • Gui Melo:

    Cara, Mississipi ter abolido a escravidão só em 1995 é chocante vei! E eu pensando que escravidão era coisa do século retrasado!

    • Denis Lima:

      Francamente, não tem como isso ser verdade. Exitem tratados internacionais. Devem ter errado na data.
      Quanto a quem pedia indenização, deveria ganhar 1 ano grátis na senzala para se conscientizar.

    • Denis Lima:

      ok,já não ocorria escravidão, foi apenas uma abolição simbólica.

  • Javé:

    Na vdd, a ultima bomba não foi detonada em 1945 pois os EUA e a URSS continuaram fazendo testes nucleares :B

    • Renys Kenys:

      ultimamente a coréia do norte também vem fazendo testes nucleares.

    • Tiago Moah Weimer:

      11 – A última bomba atômica COM VÍTIMAS!!!

    • Javé:

      quem disse que EUA e URSS nao tiveram vitimas, em alguns testes eles usavam pessoas e animais para estudar os efeitos da bomba ;D

    • Chamone:

      depois de hiroshima e nagasaki nao precisa mais testar os efeitos, acho que ficou claro. e nao precisa explodir bomba em ninguem pra ver os efeitos da radiacao. se vc fosse um cientista ia disperdicar milhoes criando uma caneta que escreve no espaço ao usar lapis…

  • Ligyane:

    Essa da bomba atômica é a pior. O ser humano que mata outros milhares, como pode meu Deus? Isso que penso nisso, sinto uma imensa tristeza. Sem frescura….

  • marizete assis alves:

    Hummmm.. Seria bom pena de morte na guilhotina, nossos políticos corruptos..Daí eles ficariam com medo de perder a cabeça..rss

    • Renys Kenys:

      essa pena de morte iria com certeza diminuir drásticamente a criminalidade em nosso país, visto que, nosso código penal é uma brincadeira.

    • Denis Lima:

      Corrupção na China é punida com pena de morte.

  • Carlos Veiga:

    De todos os ÚLTIMOS quero lamentar a tartaruga gigante. A expreção triste do animal deixou-me abalado.

    • Cabeção:

      De fato, é triste saber que a espécie está para desaparecer.

  • Lucia:

    São fatos históricos. Estão sendo comparados ou re-direcionados para contextos pessoais, individualizações banais e de certa forma, “mesquinhas”….que barato…adoro a internet….ela “resolveu” os problemas da vulgarização do conhecimento…..kkkkkkkkkkkkkkk

  • Henrique Penteado Meyer:

    Estou gostando muito de receber! Abraço e obrigado!

  • marcos:

    sobre a bomba atômica ,os americanos julgam a pessoas de crimes de guerra , mais são eles que deveriam ser julgados de crimes de guerra , por todas as maldades que eles aplicam no mundo inteiro, não me surpreenderia se o mundo todo virasse contra eles , porque eles merecem….

    • Denis Lima:

      Os EUA investiram muita grana e tempo no projeto Manhattan. Uma cidade inteira foi construída no esforço de construção da bomba atômica.
      Com a rendição da Alemanha, só restou o Japão para os EUA demonstrarem seu poder para a “aliada” URSS. Assim eles mostraram seu “briquedinho” para o resto do mundo, e se consolidaram como potência bélica, e econômica, recontruindo o que ajudaram a destruir.
      Lembrando que o Japão mal poderia atacar os aliados por estar isolado e não demoraria para se render.

      Paz.

    • Big Bang:

      O Japão não ia se render a curto prazo. O exercito imperial estava praticamente intacto e ainda ocupava grande parte da China. Depois do dia “D” ficou bem claro para os aliados q um desembarque na principal ilha japonesa seria um banho de sangue e tb um enorme investimento, e ninguém mais queria comprar os War Bonds. Os americanos estavam quebrados e sem esse artifício q já estava pronto e testado, a guerra provavelmente duraria no mínimo mais dois anos. Foi sugerido q se detonasse uma bomba em uma ilha deserta qualquer, apenas para demonstrar poder, mas eles só tinham duas bombas prontas e uma terceira demoraria a ser completada. Fat Man e Litle Boy uma de urânio e outra de plutônio. Como disse Robert Oppenheimer “Agora eu me tornei a morte, a destruidora de mundos”

  • Cesar:

    Sobre o fim da escravidão, o último país do mundo a abolir oficialmente a escravidão foi o Brasil (oficialmente, por que na real…). Depois da abolição, houve uma queima geral de arquivos nos cartórios do país, para evitar pagar indenizações para os antigos donos de escravos (e tem gente até hoje tentando processar a União pela perda dos escravos).

    • Nika Pinika:

      “e tem gente até hoje tentando processar a União pela perda dos escravos”

      Caramba, sério isso, César? Não sabia dessa loucura! :O

    • claudemir bento:

      No Brasil, temos os pracinhas que lutaram na FEB. Esses herois de verdade vivem sem nenhuma atenção do governo e nem dos cidadãos comunus que nem sabe que o Brasil lutou n II Guerra mundial. E olha os cuidados duvido que cheguem a essa marca de 100 anos, pois nunca tiveram nenhuma assistencia do governo.

    • Geferson:

      Cesar
      Não sabia dessa loucura.
      Estávamos distraídos com o holocausto, com os massacrados pela ditadura militar e com as dívidas da escravidão, porém não se tinha ideia do seu aspecto financeiro.
      O fim da escravidão tupiniquim, além de tardia, ainda fica devendo. Muito parecido com a justiça atual brasileira.
      Vamos torcer que este tipo de (In)Justiça também tenha seu último dia – e que seja o mais breve

  • Cesar:

    É só falar em pena de morte que os brasileiros tocam falar bobagem. A polícia brasileira é a que mais mata, no mundo inteiro. E resolve alguma coisa? A pena de morte existe, só não é legalizada. E pena de morte não resolve nada. Mesmo. Se resolvesse, o Rio de Janeiro não precisaria de “tropas pacificadoras”.

    Sobre os que querem o fim dos políticos de Brasília, eu pergunto: e vocês, que votaram neles? Não tem responsabilidade alguma? Acho uma injustiça tremenda culpar os políticos e deixar impunes os maus brasileiros que votam por obrigação e sem pensar nem um pouco, para depois passar os próximos anos reclamando.

    • João:

      Apoiado, o que mais me apavora é que pessoas que mal sabem escrever tenham opinião formada sobre um tema tão complexo.

    • Maga:

      Não sou a favor da pena de morte, mas acho que a punição deveria ser semelhante ao dano causado pelo criminoso.

    • João:

      Bom, aí voltamos para o “olho por olho, dente por dente”. É a base social dos povos islâmicos. A coisa lá ta melhor que aqui?

    • Cesar:

      Maga, penas cruéis ou mesmo severas não diminuem a criminalidade. O que diminui a criminalidade é a certeza da punição.

      Pior ainda, penas cruéis ou severas vão aumentar a impunidade, por que nem todos os juízes vão apelar para a pena máxima em situações idênticas, então um criminoso tem grandes chances de não ter a pena máxima aplicada, dependendo do juiz que o julgar. E isto cria uma injustiça, para dizer o mínimo, já que pelo mesmo crime, alguns vão pegar pena máxima e outros não. E, neste caso, vale a máxima do direito: justiça máxima, injustiça máxima.

      O que ocorre hoje é que a maioria dos crimes contra a vida humana seguem impunes, e os crimes contra a propriedade só levam para a cadeia gente pobre e preta. E neste cenário não adianta você colocar penas severas.

    • Tarcio Gomes:

      A pena de morte funciona sim por uma simples razão: elimina o assassino. Simples assim – tem de funcionar se não existe mais o causador!!! Mas ela tem de ser rígida, ampla, rápida, aplicada oficialmente e não “por baixo dos panos” como você cita e na minha opinião, a qualquer pessoa que tenha agido com violência (assassinato ou tortura). Sobre o voto, concordo com você: deveria ser opcional para quem se interessa por política.

    • João:

      Quem mata o assassino não é assassino também? Você acaba com um, mas cria outro.

    • Rafael:

      Matador de assassino acaba um, se torna um assassino e cria vários outros… E assim segue a pirâmide.

    • João:

      Quem mata o assassino não é assassino também?

    • Tarcio Gomes:

      De modo algum!! Em qualquer sociedade na qual há pena de morte sabe-se que execução não é assassinato,é penalidade. Está na lei.

    • Cesar:

      Tarcio, penas severas e cruéis não diminuem a criminalidade. Juizes diferentes terão diferente entendimento e vão aplicar diferentes penas. Vai acontecer como no Texas, só preto e pobre vai para o corredor da morte.

    • Tarcio Gomes:

      Sem uma reforma radical no nosso sistema, concordo com você. Para mim, os crimes sujeitos à pena de morte iniciariam com corrupção de políticos. Afinal eles “matam” milhares de pessoas quando desviam os bens que seriam da população para saúde, condições de vida dignas, etc. Claro que não pode ficar como está!!! Infelizmente parece são quimeras nessa sociedade tão sem noção… 🙁

    • Geferson:

      Voto obrigatório não é um voto consciente.
      Vamos evitar que os “analfabetos políticos” sejam obrigados a votar.
      O analfabetismo politico contém desinformações, a venda de votos, os assédios eleitorais, as demagogias, o populismo, o sectarismo partidário e o “tietismo” do marketing eleitoral.
      Os Resultados estão aí, comprovando a inadequação do voto obrigatório.

    • João:

      Sugiro você ler “O Contrato Social” do Rousseau, então vai entender o por quê do voto obrigatório.

    • Aktul-56:

      É a mais pura verdade. Cada um colhe o que planta.Se os políticos são safados, quem votou neles também é.

    • algonqueano:

      falo pouco mas falou bonito ! ! !

    • Evaldo:

      E Pena de morte pode até não resolver, mas abririam muitas vagas nas penitenciárias, e os bandidos pensariam duas vezes antes de cometer um crime que certamente culminaria em sua morte pelos braços da lei. O que não pode é ficar como esta, onde nossas leis só encorajam os bandidos a cometerem mais e mais crimes pois sabem que em pouco tempo estarão nas ruas novamente infernizando a vida dos cidadãos de bem.

    • Jonatas:

      Todo o governo eleito democraticamente é nada mais que o reflexo de seu povo dominante e da aceitação, acomadação.
      Logo, salvo excessões, os ricos são corrúptos e corruptores, e o povo é passivo.
      Pobre Brasil, iluminado ao Sol do novo mundo.

    • fábio:

      Rapaz…
      Pena de morte pode não resolver a questão mas iria ajudar muito, pois a policia já mata bastante e junto com a pena de morte iriamos diminuir ainda mais a cambada de gente que não presta.

    • Jonatas:

      E matar um monte de inocentes junto, porque o sistema judicial já é muito falho em vários aspectos, manipulável, estariam matando pela pena de morte por interesses políticos e econômicos. Quem mata não merece morrer, merece viver e pagar por seus erros até o fim dos seus dias.

    • Tarcio Gomes:

      VOCÊ DISSE: “Quem mata não merece morrer, merece viver e pagar por seus erros até o fim dos seus dias.” Eu estaria satisfeito com essa sua frase se isso realmente acontecesse, num sistema prisional sério e sem regalias.

    • Rafael:

      E alimentar ciclicamente o sentimento de revolta e injustiça diante dos inocentes… E propiciar que pessoas com as “costas largas” fugissem de suas responsabilidades… E, consequentemente, explodir ainda mais o sentimento já agravado do cidadão… É, Fábio: não é fácil, caro.

    • GILMAR SACERDOTE:

      Quando o assunto é julgar o negócio é complicado e muito delicado.Se formos julgar o ESTADOS UNIDOS (cidadão americano)pelo erro que foi cometido no passado(que é inaceitável)estariamos nos igualando a esses “assassinos”que mataram;crianças,mulheres,velhos…Também não concordo com a pena de morte porque simplesmente muitas pessoas inocentes morreriam injustamente(pense em uma pessoa amada no corredor da morte).E pra falar verdade!Ser julgado por um sistema judiciário corrompido igual ao nosso não da!No bairro em que eu moro(tinga-caraguatatuba-sp)muitíssimos jovens foram assassinados a tiros covardemente por um suposto “esquadrão da morte” formado por POLICIAIS que ainda estão em atividade na POLICIA e quem sabe nesse suposto “bico”.É honorável Cesar!O QUE FAREMOS?

    • Chamone:

      como agente ensina a votar quem nao tem nem o que comer e estudo zero? me explica por favor seu grande plano de ensinar politica para quem nao sabe escrever o proprio nome, gostaria muito de escutar. pq vale lembrar que muita gente que vota aqui ainda e cabresto ou favor, tem gente que troca o voto por camisa, chinelo pq nao tem nd, muito facil chegar e falar que a culpa e de todo mundo que vota errado, voce considera que votou certo? e se votou na Dilma? como faz agora? kkkkk

  • maia:

    a pena de morte deveria sim existir , ak no nosso país acontece tantas barbaridades,ak éo país , madrasta mata entiada o pai é principal sospeito e dai o q acoteceu……… o goleiro bruno ta na onde/;;;;;;;;;;;;;se existisi talves muitas vidas poderiao ser poupadas. matan e ficam por ai.

    • Molar:

      Primeiramente deveria ser condenado a estudar, quem assassina a língua como voce!!

    • João:

      Apoiado, nesse caso sou a favor da guilhotina gramatica.

    • Marcos Silveira:

      KKKK. Como é que pode! Alguém que escreve assim, pode ter opinião formada sobre algo?

    • Rafael:

      Ter a opinião formada, todos podem ter e já é um mérito ver alguém a apontá-la com seriedade… O problema é expressá-la adequadamente e ser bem balizada segundo os mais diversos aspectos cotidianos… Aí, sim: o “bicho pega”!!!

    • Marcos Silveira:

      Nossa! Como é que alguém que escreve desta forma pode ter opinião formada sobre algum assunto?

  • manuel fernando ferreira viera:

    nao se dbia deixar perder um tesouro tao valioso

  • Chuck Norris®:

    1 – A ÚLTIMA EXECUÇÃO PÚBLICA POR GUILHOTINA: Se a pena para quem roubasse dinheiro público fosse a guilhotina, nenhum político teria coragem. Aqui a pena máxima para quem rouba o povo é ser demitido. : D

    9 – O ÚLTIMO CASO DE VARÍOLA: Um grande feito da humanidade, pois era terrível. :/

    11 – A ÚLTIMA BOMBA ATÔMICA DETONADA: A bomba atômica é a prova da irracionalidade, da falta de amor e ignorância.. A humanidade poderá ser extinta, muitos países têm bombas atômicas. Se não se entenderem… :/

  • valdetrudes junior:

    O impressionante a capacidade dos seres humanas de se destruírem. independente de motivação, é injustificável.

  • Fernando Pegorer:

    Faltou o último homem enforcado: Saddam Hussein, retirado de seu país organizado, que se transformou em um caos. Fez o jogo do capitalismo selvagem ao invadir com apoio bélico estadunidense o Irã. Os EUA deixaram o Iraque em um caos e O ENFORCARAM no final de década passada.

  • Daniel W:

    Eu gostei da Tribo Mosuo, queria viajar e ver de perto se funciona mesmo e como funciona isso, uma vez que são pacíficos, deve ser algo interessante de se ver, se gostasse eu moraria lá…Sem problemas, o poder serve mais aos tolos e egoístas, o conhecimento serve ao sábio mais que o poder. Tudo aquilo que é conquistado ao custo da degradação dos demais seja este humano ou animal, no fundo, não vale realmente a pena.

  • luiiz antônio:

    sobre a questão do homem ter ido a lua isso é uma verdadeira farça é apenas questões políticas .Tudo foi uma montagem existem provas veridicas a respeito deste assunto .

    • João:

      Abre o Google Earth, clica em Moon, da uma passeada pelas fotos tiradas nas expedições apolo, depois volta aqui e corrige teu comentário.

  • CARLOS ATMACEDO:

    Pena de morte, sim, por que não? Quem mata, morre. E ponto final.

  • Rafael:

    Pobre garotinha que contraiu a Varíola, que desafio superar esta triste doença, honrosamente erradicada nos dias atuais…

    Aliás, gostaria de ler artigo que explicasse sobre as possíveis consequências do uso indiscriminado de antibióticos… Ouvi falar que é possível que doenças do passado voltassem a assolar a população?!?

    • Cesar:

      Rafael, alguns vírus não tem prazo de validade. Existe muita gente que morreu de Gripe Espanhola, no fim da Primeira Guerra Mundial, e que se você fizer uma exumação, corre o risco de iniciar uma nova onda desta gripe.

      Sobre o uso indiscriminado de antibióticos, ele não vai ressuscitar a varíola, mas algumas doenças que são tratadas com antibióticos, e que nunca foram completamente “zeradas”, podem voltar com força total, principalmente tuberculose e pneumonia.

    • Rafael:

      Ah, que horror, César; mas valeu o esclarecimento… Pelo menos, me parece que a cobrança nas drogarias pelas receitas recentemente datadas tem sido satisfatória. Que assim seja!!!

  • silvia:

    Sobre a última tribo matriarcal. Infelizmente a matéria está com informações distorcidas, deveriam ser melhor averiguadas. Na língua local não existem palavras para esposa e esposo. Pai e mãe existem sim. Apesar da sociedade matriarcal, a sociedade é baseada na ideia do amor e do respeito. Homens e mulheres permanecem juntos enquanto se amarem. Visitam a noite suas mulheres e voltam para casa da sua familia materna, onde trabalham com este grupo. Vi um documentário. Homens, mulheres e crianças pareciam bastante felizes.

  • paulo ricardo:

    Sobre o homem ir a lua eu acho uma perda de tempo tem coisas mais importantes para se fazer aqui na terra como, doenças,fome,paz o homem não tem mais a paz cada um puxa brasa pro seu assado,o homem não tem certeza nem de como veio a existir,não sabe ainda se foi criação ou evolução, eu creio na criação existe sim um ser superior que fez tudo o que existe ou que venha a existir e Ele só quer o bem da humanidade.

    • Paulo Trin Junior:

      Talvez a respostas das suas argumentações estejam mais lá fora do que aqui dentro.

    • Matheus:

      Se for para falar qualquer coisa sem nexo e sentido, na boa, não comenta.

  • Lucyano Valdez:

    Onde é que fica aquela tribo Mosuo mesmo??? Eu vou pra lá.

  • Marcos:

    Pessoalzinho animado esses calígrafos de Chennai. Escrever jornal a mão em pleno 2011. Nada contra, mas como sou inteligente, prefiro o computador mesmo. KKKKK

  • Alter ego: Joseph-Ignace Guillotin:

    Na minha opnião, a guilhotina foi uma boa invenção, pois é uma forma mais humana de execução.
    Uma pesada lâmina triangular cai sobre o pescoço do condenado, a morte é intantânea e indolor. Certamente é melhor do que ser decapitado por um carrasco, que poderia errar ou poderia não colocar força o suficiente. Resultando em uma morte dolorosa e agonizante para o condenado.

    Lembrem-se de que a pena de morte por decapitação é bem mais antiga do que a guilhotina. Muitas pessoas ainda culpam a guilhotina pelo massacre na Revolução Francesa, não é bem assim.

    • João:

      É sim, bem humana, ainda mais levando em conta que o executado pode ficar até 3 segundos consciente depois que a cabeça é separa do corpo. Diz a lenda que os franceses levantavam a cabeça do condenado e mostravam o corpo decapitado para ele mesmo.

      Viva a humanidade da execução.

    • Peter:

      João, executar é tão desumano, não é? Pra quê, né?
      Vamos então deixar pra lá! Vamos todos nos lembrar dos direitos humanos. Principalmente aqui no Brasil, com leis frouxas, que facilitam quando um perigoso bandido é libertado e entra na sua casa pra violentar a sua filha. Mas quando uma tragédia assim acontecer, não vale você fazer justiça com as próprias mãos e nem mudar de ideia, tá legal?

    • João:

      Peter, teu filho, universitário de classe média está se formando, toma umas e outras com os colegas. Quando está indo para casa, o celular toca, ele perde a atenção e atropela uma criança.

      Pena de morte! Se a lei vale pra um, vale para todos, mas no final, resolve o problema? trás de volta quem já foi?

      É uma questão muito complexa, eu apoio alguns aspectos, condeno outros. De qualquer maneira, fico feliz em não ter q ter um ponto definido sobre o assunto. Me assombra sim que muitos tenham opinião formada sem conhecimento de causa.

    • fábio:

      Você colocou o assunto de maneira interessante, mas acredito que quando se coloca uma lei dessas para funcionar, deve-se levar questões como essa em conta, embora acho que isso faria as pessoas pensar duas vezes antes de se colocar vidas em perigo.
      Mas considere o caso de pessoas como fernandinho beira-mar, traficante Nem, goleiro bruno e pessoas que vivem entrando e saindo de prisões.
      Pena de morte para essas pessoas é o que resta.
      Eu trabalho cerca de 11 horas por dia! não acho justo ficar sustentando marginal na cadeia.

    • Peter:

      Não concordo e continuo não concordando. Pena capital para crimes hediondos. Se meu suposto filho fizer isso vou achar que ele é um irresponsável e que merece ir pra cadeia. Afinal é ilegal (seria crime? não sei ao certo) dirigir falando ao celular. Mas claro que não seria o caso para uma pena capital.

      Pena de morte para pessoas inescrupulosas. Como no caso que citei. Pena capital para psicopatas. Para pessoas sem humanidade.

      É um ponto de vista!

    • Carlos:

      A guilhotina poderia ( deveria ? ) ser trazida e usada extensivamente em Brasília.

    • Magda Patalógica:

      Então vamos fazer uma vaquinha prá comprar essa maravilha.

      Tenho certeza de que o governo não liberará verba para a compra, por mais barata que seja.

      Fui

    • fulano de tal:

      joao este caso que mencionas realmente nao faz sentido, mas para aquele que “estuprou e matou varias” e “a mae que botou fogo no proprio filho”, pra isso sim merecia pena de morte

    • João:

      Exatamente por isto que a pena de morte não é algo simples.

      Qual a diferença entre o sujeito que “estuprou e matou varias”, “a mae que botou fogo no proprio filho” e “bêbado que atropelou criancinha”?

    • Mario:

      Nenhum tipo de pratica (manual, química ou mecânica) de execução a morte é, não foi e nem será nunca “uma boa invenção”. Tirar a vida é um privilegio exclusivo de Deus, e nem Ele faz uso desta prerrogativa deixando o culpado ir sozinho de encontro com sua consciência.

    • Chamone:

      Livre Arbitrio, eu te dou, vc resolve matar 200 mil judeus, qnd finalmente pegamos vc prendemos e como a prisao aqui e uma mer** vc foge e mata mais 1 milhao. e ai a culpa e de quem? quem resolvou deixa o cara vivo pra mata mais 1 milhao? quem vai responder por isso? pensa bem, poderiamos ter salvo 1 milhao de pessoas se sumisse com 1? ninguem pensa no bem coletivo pq esta em casa seguro, qnd é na sua casa a conversa vai mudar. E para o Joao, a diferença é que o cara apesar de saber que nao devia dirigir bebado, ele so quer ir para casa e na cabeça dele nao vai acontecer nd. nao precisa explicar a intensao dos outros 2 nao ne? juiz nao julga so o acontecido, ele analisa os fatos e a intencao da pessoa.

  • Lui:

    Ops… O Galvão Bueno tá vivo ainda gente e ainda fala a língua Aka Bo.

  • Maurício Xavier Fayzano:

    Pois é minha gente, a língua AKA BO – “ACABô”!
    kkk!

  • Capitão Caverna:

    Nossa, como três pessoas são capazes de escrever quase 22 mil jornais todo dia???
    E eu tenho preguiça de fazer um mísero trabalho escolar.

    • Asdrubal:

      Desconfio que escrevem um à mão e o resto é cópia. 🙂

    • Steve:

      brasileiro é assim – preguiçoso lol

    • Carlos:

      Três escrevem, depois vão numa Xerox e fazem as cópias ….

    • Mario:

      É verdade, fiquei pensando nisso também, e naquele tipo de escreta desenhada que acredito (disse”acredito”) seja bem mais difícil do que a nossa.

    • Zaphod Beeblerox:

      Não está escrito que fazem mais de 22 mil jornais por dia…E sim que sua distribuição alcança 22 mil pessoas…
      Isso implica que duas ou mais pessoas não podem ler o mesmo jornal? Ou que as pessoas não podem saber das notícias através de uma conversa? O alcance se refere a isso…e não que propriamente compraram o jornal…

    • Capitão Caverna:

      De qualquer maneira são muitos jornais.

  • Matheus:

    “A última bomba atômica detonada, até hoje, além de assassinar milhares de pessoas em Nagasaki, no Japão, foi o marco do fim da Segunda Guerra.”

    Em?
    Centenas de outros testes nucleares foram realizados, incluindo propriamente explosões nucleares.

    • João:

      Faltou dizer que Nagasaki foi a última bomba detonada em ação. Todas as outras posteriores foram testes.

    • Antonio Carlos V.Braga:

      Um site supostamente científico não pode vacilar nessas informações. Eu abri a página precisamente para saber qual foi a última detonação em testes.

  • Walrus:

    Pois é, Frank Buckles foi o último sobrevivente americano da Pimeira Guerra mundial. Mas morreu em 28/02/2011. Quase um mês após com pletar seus 110 anos.
    .
    Claude Choules, britânico, serviu na Marinha Britânica na 1º Guerra, e morreu depois, de Frank, no dia 05/05/2011 também aos 110 anos. Ele foi o último militar vivo.
    .
    A última sobrevivente é a britânica que servia no grupo Mulheres da Força Aérea Real Britânica. Não era ,militar, era garçonete.
    E ela completou 110 anos em fevereiro de 2011…

    • Asdrubal:

      Nem sei para que ainda existe a Liga dos Combatentes da Grande Guerra. Ah sim, mudaram o nome apenas para Liga dos Combatentes, senão dava um bocado estrilho, e sempre continua a haver uns “tachos” para mais alguns.

    • Antonio Carlos V.Braga:

      O britânico morava da Austrália, se não me engano.

  • eset:

    “Aka BO” literalmente.

    • Gui Melo:

      maano faz isso nãao AEHuaHeuaheuahea ri mto

  • Pimenta Malagueta:

    Tem coisas que nem deveriam ter tido uma unica vez , como a bomba atomica , pena de morte e escravidao …outras nao vao fazer falta nenhuma como essa lingua perdida, se so essa mulher falava esse lingua ,entao ela conversava com quem? rsrsrsrsrs

    • Asdrubal:

      Pensava alto. 😛

    • João:

      Ta aqui um exemplo de grande visão de mundo.

    • Mario:

      Pimenta Malagueta, gostei do teu comentário na primeira parte ao respeito das armas de extermínio e a escravidão… porem ao respeito das línguas, todas elas deveriam ser preservadas, pelo menos nos Museus. Fazem parte da nossa historia como Humanidade.

  • Douglas:

    a ultima bomba atomica nao foi uma feito de hidrogenio
    muitas vezes mais poderosa q a versao normal?

    • João:

      Na verdade não, a última bomba atômica foi de fissão mesmo, detonada no interior de uma montanha pela Coréia do Norte em 25 de maio de 2009. A matéria se refere ao uso em ação da bomba atômica, que foram apenas duas ocasiões, em Hiroshima e Nagasaki. Depois disto milhares de bombas foram testas, inclusive as bombas de fusão (Bomba H), mas nenhuma delas em ação.

  • Glauco Mega_X:

    Sobre a última bomba atômica o artigo esta completamente errado, testes atômicos foram comuns durante a Guerra Fria. Os últimos reais testes, ou uso de bombas atômicas, ocorreram em 1992 nos EUA e 1990 na Rússia.

  • Hèber:

    hmm, que pepitão

  • Fernando:

    A França aboliu a pena capital por guilhotina em 1981.
    Fez muito mal França de abolir a pena capital, hoje estrupadores e assassinos tem muita moleza esclusive aqui no Brazil.
    Para mim quem estrupa e mata a vitima merece morrer por que deixar vivo um disgracado desse pra que????
    Pra dar de comidinha na boca e cozar o saco o dia inteiro????

    • João:

      Ainda bem que aqui no “Brazil” essa decisão não cabe nem a quem “estrupa” e nem aos “disgracado” que não entendem nada do assunto mas sempre tem uma opinião formada.

    • fadlo dualibi neto:

      Pobre flor do lácio, inculta e bela, por certo não mereces tanto “estrupo”, do “disgraçado” que se expressa ignorante, a macular tua beleza tão singela.
      Em terras portuguesas, num, sepulcro bem modesto,
      Revira-se Camões, em náuseas enfurecido e presto,
      ante o vilipêndio do vernáculo se flagela, e num gemido de horror o cranio descabela.

    • Denis Lima:

      Bravo!

    • Rafael:

      Minha opinião sobre penas de morte… Convém notar casos em que ocorre a falibilidade da justiça de um lado, e a fatalidade da pena por outro. Nestes extremos, existe um desequilíbrio que evidencia como o homem não é dotado da sabedoria plena para julgar com perfeição. Dessa forma, é necessário suficiente nível moral para assumir que o ser humano deve ter a humildade necessária em delegar à natureza a justiça plena nesses casos, que demonstra exemplos de sabedoria e plenitude, em virtude da limitação humana. No caso da França, que registrou pena fatal com guilhotina ainda nesta recente geração, é um caso expresso de barbárie e atraso do ser “humano”.

    • Magda Patalógica:

      Concordo, Fernando.

      Mas vai falar isso pro pessoal da comissão dos “direitos humanos” da Igreja, vai. (rss)

      Fui.

  • João pedro:

    Aka Bo acabo =/

Deixe seu comentário!