“Laboratório em um chip”: novo dispositivo revoluciona testes HIV

Por , em 20.07.2010

Pesquisadores criaram um dispositivo de micro fluídica, chamado de “laboratório em um chip”, especificamente para a realização de testes de HIV.

O “laboratório em um chip” instrui anticorpos para detectar e capturar células brancas do sangue infectadas pelo HIV, chamadas de células-T. O teste, então, calcula os níveis e tipos de citocinas (proteínas inflamatórias) que as células estão liberando.

É um holograma, um mecanismo de imagem sem lente que conta o número de moléculas de citocinas e células-T capturadas, e é capaz de produzir resultados em segundos – 6 a 12 vezes mais rápido que outros testes como amostra de sangue.

O diagnóstico e o monitoramento do HIV exigem especialistas altamente treinados e máquinas caras para contar dois tipos de células-T (CD4 e CD8), calcular a relação entre elas e contar citocinas. O processo é chamado de citometria de fluxo.

Este dispositivo, “laboratório em um chip”, está sendo alterado para que possa ser usado para análises de sangue multi-paramétricas em qualquer lugar do mundo, mesmo em áreas com recursos escassos. Ele é acessível, e os pesquisadores esperam que esteja disponível para uso clínico em breve.

Embora os resultados centrem-se na detecção de um único parâmetro (por exemplo, contagem de células-T CD4), os investigadores acreditam que a simplicidade do teste não compromete o conteúdo da informação. Assim, a proposta foi desenvolver um teste simples e barato que daria vários parâmetros baseado em uma única injeção de um volume de sangue pequeno. [DailyTech]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

3 comentários

  • Alex Keher:

    Daniel,
    um pouco de teoria da conspiração…
    Será que os laboratórios realmente querem a cura? Pense nos preços dos medicamentos para o controle da Aids que são para a vida (ou o que restar dela) toda.
    É interessante para eles, por mais caro que seja o medicamento para a cura definitiva, abrir mão dessa receita perene?
    A sociedade precisa criar mecanismos para patrocinar centros de pesquisas médicas absolutamente independentes dos grandes laboratórios.

  • Marcos:

    Vamos torcer para que a cura venha logo !!
    Resta saber se os laboratórios vão deixar de ganhar esta fortuna com os atuais remédios contra HIV.
    Abraços

  • Daniel:

    e a cura?

Deixe seu comentário!