10 origens de termos de computador comuns

Por , em 8.08.2011

Essa lista analisa as origens de dez palavras que se tornaram termos relacionados com computador.

As explicações do texto não são necessariamente etimológicas, mas há uma tentativa de rastrear as palavras de volta para seus criadores ou quem as usou primeiro no mundo da computação.

Por causa de uma certa mistura de termos técnicos e coloquiais, se houver alguma palavra que algum conhecedor sinta que foi negligenciada, ou que está errada, por favor, compartilhe seus pensamentos nos comentários!

1 – Cookies

Essa palavra tem uma origem duvidosa. Primeiro, uma explicação sobre cookies HTTP: os cookies são usados para guardar informações de um usuário e transmitir essa informação entre um site e um navegador. Isto é usado para autenticar um usuário, facilitar o acesso a sites de senha controlada, ou salvar várias preferências de um usuário.

A razão pela qual a palavra cookie é usada parece vir de uma comparação com biscoitos da sorte, uma sobremesa comum de fast-food chineses, dentro dos quais há um pedaço de papel com uma fortuna (uma frase). Programadores de internet devem ter apelado para as semelhanças de um programa que salva as informações no seu código e guarda fortunas dentro de suas paredes.

2 – Hotmail/Google

Essas palavras não são realmente termos informáticos; são apenas empresas, ainda que empresas de informática. Um dos primeiros programas de e-mail amplamente disponíveis, o nome Hotmail foi criado pelo seu cofundador Sabeer Bhatia. Ao tentar decidir sobre um nome para seu novo serviço, ele chegou a Hotmail porque continha as letras HTML, do código que é uma linguagem fundamental para a criação de páginas de web. Na verdade, o nome do serviço era originalmente escrito “HoTMaiL”, no caso dos usuários terem perdido o trocadilho.

A origem do Google não é tão surpreendente. O nome veio para se gabar de quanta informação o novo motor de busca seria capaz de indexar e fornecer. Google é uma palavra que tem o mesmo som de “googol”, que é um número simbolizado por um 1 seguido de 100 zeros. Quando você considera o nome anterior que seria dado a mesma empresa, “Backrub”, Google parece ser uma escolha muito melhor.

3 – Bug

“Bug” significa “inseto” ou “defeito” em inglês. A palavra super conhecida (que criou termos até em português, como “bugar”) tem uma história interessante. Grace Hopper, uma das pioneiras da programação de computadores, traçou a causa de uma falha no computador a uma real traça (inseto). A mariposa que Grace encontrou ainda pode ser vista em exposição no Museu Smithsonian.

Como alguns de vocês devem saber, este não foi realmente o primeiro uso da palavra “bug” para descrever um mau funcionamento do sistema. Thomas Edison, por exemplo, usou a palavra em suas anotações. No entanto, como Hopper trouxe a palavra para o mundo dos computadores como a conhecemos hoje, a lista dá crédito a ela.

4 – Bit

Um bit é um elemento básico de computação. Ao desenvolver as primeiras linguagens de computador, a binária surgiu como a mais simples e eficaz para operar computadores. Um bit é simplesmente uma contração das palavras “binary digit” (dígito binário).

Esta explicação também foi dada a palavra “byte”, que refere-se a várias unidades de informação. No entanto, uma vez que “byte” em si é uma derivação de “bit”, a lista se focou na primeira palavra.

5 – Wiki

Como você pode ou não saber, um wiki na internet é um conjunto de sites interligados construídos a partir das interações dos usuários. A Wikipédia e a Desciclopédia são exemplos deste “modelo wiki”.

A origem do nome em si é bastante simples. Em havaiano, “wiki wiki” significa “rápido”. O criador Ward Cunningham decidiu que um “wiki” online seria uma forma rápida e fácil de acessar e manipular vários sites e informações.

6 – Ping

Famoso por ser parte de um método favorito de ataque de grupos de hackers, ping é uma prática comum de ataques DDoS. No entanto, os pings foram utilizados pela primeira vez apenas para testar a acessibilidade de um host ou IP, enviando uma mensagem e medindo o seu tempo de ida e volta.

Como alguns dos leitores devem ter notado, “ping” imita o som e funcionamento de um sistema de sonar, que foi a inspiração para seu criador Mike Muuss (ou, se você é menos esperto como eu e pensou somente em ida e volta, como ping pong, também está certo).

7 – Firewall

Um firewall é um dispositivo que protege as redes contra acesso ou manipulação não autorizados. Na vida real, firewalls (paredes de fogo) são estruturas construídas para evitar a propagação de – você adivinhou – incêndios e outras forças destrutivas. No mundo dos computadores, firewalls não são muito diferentes. Em vez de fogos, eles protegem contra vírus, hackers e worms (worms são semelhantes aos vírus, mas não precisam unir-se a dados existentes e, portanto, são muito mais propensos a se espalhar por uma rede de computadores, parecido com a maneira como um fogo se espalha).

8 – Vírus

Um vírus de computador é muito semelhante a um vírus biológico. Ambos inserem seu próprio código em sistemas de funcionamento a fim de perturbar o sistema e se reproduzir. Academicamente, a palavra vírus foi usada pela primeira vez como um termo de computador em 1984 por Fred Cohen, em seu artigo “Experimentos com Vírus de Computador”.

No entanto, antes da publicação deste artigo, a palavra tinha sido usada pelo escritor de ficção científica David Gerrold na década de 1970 (em que um programa de computador chamado Vírus entra um computador e (alerta de spoiler!) é finalmente derrotado por um programa chamado Anticorpo – PS: nunca dissemos que Gerrold era um bom escritor de ficção científica), e também, a palavra apareceu em uma revistinha do X-Men publicada em 1982.

9 – Spam

Spam é terrível: tanto em sua forma de computador quanto em sua forma cor de rosa (spam vem de “spiced ham”, presunto condimentado). As duas palavras têm mais em comum do que você imagina.

O spam de computador realmente deriva seu nome a partir de um episódio do programa de televisão Monty Python que se passa num café com um menu totalmente centrado em Spam (a comida enlatada). Os personagens (incluindo um coro de Vikings) canta uma música composta quase que inteiramente da palavra “spam”.

Enquanto o desenho era um comentário sobre o fluxo de carnes enlatadas comercialmente disponíveis a partir dos EUA durante um período de recuperação agrícola desesperada, a palavra fez o seu caminho até o mundo da informática como o fluxo chato e excessivo de e-mails ou anúncios indesejados.

Na década de 1980, as empresas de publicidade online tentaram “siglar” (acho que acabei de inventar essa palavra) o termo Spam como “Sales Promotion And Marketing” (Promoção de Vendas e Marketing), mas como você sem dúvida sabe, a definição mais crítica que nos foi dada por Monty Python sobreviveu.

10 – Troll

Enquanto a etimologia da palavra pode parecer relativamente simples, é mais complicado do que simplesmente igualar os monstros feios e chatos da mitologia nórdica com os monstros feios e chatos do mundo online.

Sem dúvida que os significados têm relação, mas mais além, e mais importante do que a forma nominativa da palavra, o verbo “troll” refere-se a uma técnica de pesca em que a isca é lentamente puxada por um barco para pegar presas. Obviamente, isso é semelhante à maneira como um troll na internet vai alimentar a “isca” para os outros usuários reagirem a ela e, em seguida, encher esses usuários com observações adicionais inflamatórias ou ofensivas (quem já viu algum troll por aqui?).

Uma comparação adicional aos trolls de contos de fadas pode ser feita quando se considera o troll da história “Three Billy Goats Gruff” (Os Três Carneirinhos). A forma como os trolls da internet tomam o espaço público para seu próprio prazer e uso parece muito semelhante à alegação de propriedade da ponte feita pelo troll da história.

No entanto, trolling na internet nem sempre foi considerado uma coisa ruim. Segundo a Wikipedia, “a derivação mais provável do termo troll pode ser encontrada na frase “trolling para newbies”, popularizada no início de 1990, no grupo Usenet”. Usuários veteranos lançariam em um site do Usenet uma piada interna ou tópico esgotado. Os recém-chegados responderiam com sinceridade, não tendo a experiência dos mais velhos que saberiam que não era pra responder, e seriam então revelados “newbies” (termo que se tornou “noobs”, e quer dizer novatos). Esses “caça noobs”, no entanto (o verbo francês “troller” é um termo de caça, também), enquanto potencialmente embaraçosos para as vítimas, eram muitas vezes alegres e muito distantes dos níveis prejudiciais que o trolling moderno pode alcançar.[Listverse]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (5 votos, média: 4,80 de 5)

25 comentários

  • Amanhecer:

    Às vezes já nem sabemos se falamos com alguém de verdade ou um “FAKE”… nossa, precisamos de feedbacks, helps, desktops, netbooks, laptops, networks, tips, connections, softwares, usernames, ram memories, pendrives, hd’s, upgrades, uploads, backups,…

  • amanhecer:

    É assim mesmo, os termos nascem da necessidade de comunicação e a linguagem é dinâmica. Tudo em prol de facilitar e universalizar o entendimento.
    Hoje qualquer criança logo que nasce já vai ser meio “formatada” e rapidamente se familiarizará com mouses, joysticks, files, downloads, games, logins, redes, adiciona e deleta amigos, envia links, e uma interminável lista de novidades. Há lado bom nisso mas é importante que nos mantenhamos humanos, acima de tudo.

  • Carlos Machado:

    e esse cookie com bacon?!?!?!

    • Luiz Fernando:

      Coisas de americanos…

    • Anderson Thiago:

      Cookie é bom ninguém quer dar.

  • Dr. Laboceta:

    Zipar = erguer o ziper = fechar apertar e guardar = comprimir para caber mais

  • Tião Carrero:

    Reportagem fraquinha, fraquinha.

    Cookies, biscoito, migalha, vem da estória infantil onde se deixa migalhas para marcar o caminho.

    FireWall, tem em todo lugar, nos carros, por exemplo, é a lataria que fica entre o motor e a cabine, termo bem comum em engenharia.

    Ping, bate e volta, mas o uso é muito anterior ao IP e Host, vem da época do telegrafo.

    • Icecavallera:

      Ping nesse caso vem do Ping do sonar dos submarinos, que emitia um som (ping) e o retorno desse ping nos hidrofones direcionais da nau significava que existia um objeto naquela direção… tanto que voce pode ver por exemplo no filme “Caçada ao outubro vermelho” quando o capitão manda verificar a distancia com um ping apenas. Mas saindo do mundo do cinema, na segunda guerra não se usava o sonar passivo como existe hoje, então os pings na hora certa poderiam ser a diferença entre a vida e a morte, o ping da morte era aquele ping que era dado na hora errada e revelava a posição do U-boat ou contra-torpedeiro, ou submarino da aliança.
      O ping de telegrafo é totalmente diferente desse contexto.

  • José Calasans.:

    Boa matéria,essas explicações tem que vir a báila de vez em quando,pois tém muita gente que usa a net e é leigo em relação a esses termos,

  • Amauri da Silva Junior:

    Bacana, uma ressalva para a origem da palavra bug, na minha faculdade minha professora disse que esta palavra se originou quando a computação ainda era feita por meio de cartões perfurados. Certas vezes insetos entravam na máquina e “comiam” os cartões, sendo assim o “sistema” dos cartões perfurados deixava de funcionar por um motive relacionado literalmente a um BUG (inseto). Não sei se é uma história de fato verídica, mas que parece parece…

    • Luiz Fernando:

      Interessante. Faz sentido.

  • amanhecer:

    É sempre bom aprender as origens das palavras.

  • Jose:

    U.S.B=.= Usário Super Burro

    • HUGO SM:

      Oi JOSE,eu uso a palavra “ANALFABYTE” para o mesmo tipo de usuarios.

    • Maykon:

      Eu uso Jose!

  • zhor:

    Lembrei-me de um outro:
    Java
    A linguagem Java em programação, ao que parece o seu nome foi dado por uma equipa que não tinha nome para dar à linguagem acabadinha de ser criada, estavam a tomar café, e o café era de marca Java, da ilha de Java da Indonésia. E pronto, sem mais ideias pela frente, foi logo Java. 😉

  • Theo:

    Lammer = Noob em informatica que se diz hacker mas so tem pose

    Noob = Um dos criadores do jogo Mortal Kombat que deu seu sobrenome a um dos personagens secretos do jogo que era relativamente facil de derrotar

  • Theo:

    Lammer = Um completo noob que se acha hacker mas so tem pose
    Noob = Um dos criadores do jogo Mortal Kombat que deu seu nome a um personagem do jogo que era relativamente facil de derrotar, inspirando a alegacao

    • Luiz Fernando:

      Na verdade o nome do personagem do Mortal Kombat veio dos sobrenomes invertidos dos criadores do jogo: Ed Boon e John Tobias.
      Boon = Noob
      Tobias = Saibot

      Um dos meus favoritos.

  • Sérgio:

    Que legal, conhecer, a historia destes termos tão comuns no dia a dia, e que desconhecemos sua origem. Todos com um passado tão interessante.

  • Ze da Feira:

    BIOS – Baita Ignorante Operando o Sistema.
    Deu pau – Fu*#%deu
    Becapiá – Ato de fazer um Backup
    Cutucar – Enviar um aceno pelo twit.

    Vamo gente ! vamo lembrar mais !

    • Carlos:

      Conjugação do verbo “becapiá”:
      Eu becapeio
      Tu becapeias
      Ele becapeia
      Nós becapiamos
      Vós becapiás
      Eles becapiam

    • Hugo:

      ?

    • Jéssica:

      * eu ri 😛

    • Flor de Lis:

      eu tbm,,, gostei do humor, Zé…muito bom mesmo!

Deixe seu comentário!