Detector de matéria escura é criado por cientistas

Por , em 29.09.2009

detector de matéria escura
Detector de matéria escura, também conhecido como bolômetro cintilante

Este curioso objeto é um bolômetro cintilante, criado por cientistas da Universidade de Zaragoza, na Espanha, para medir matéria escura. Acredita-se que a matéria escura seja responsável por 20% de toda a matéria do universo. Ela é invisível, mas sabemos que ela está por aí, flutuando, pois ela afeta fortemente o comportamento de galáxias e estrelas. O problema é que até hoje cientistas não conseguiram desenvolver técnicas eficazes para detectar a matéria.

» Destruição de matéria escura é detectada

De acordo com o físico Eduardo Abancens, o bolômetro deve, em teoria, conseguir detectar a matéria escura. Ele é constituído de um cristal tão puro que pode conduzir a energia gerada por uma única partícula de matéria escura. Este cristal fica inserido dentro de uma embalagem de chumbo, para evitar a ação de raios cósmicos.

O instrumento de apenas 40 gramas será enterrado a quase um quilômetro de profundidade sob rochas, e será congelado a uma temperatura próxima ao zero absoluto – quando as moléculas praticamente param de se mover, que equivale a 273 graus negativos. Deste modo, se uma partícula de matéria escura colidir com um átomo do cristal, os cientistas poderão confirmar a presença da matéria pela mudança de temperatura no aparelho. [Gizmodo, Plataforma Sinc]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

12 comentários

  • Leo Santos:

    Fiquei curioso para saber como criaram um detector de uma coisa que nunca viram antes?

    • Willian Campos:

      cara, basicamente, o aparelho serve para não detectar nada. Então, se ele detectar alguma coisa, é matéria escura.

  • Alberto Campos:

    Quanto ao redshift, recomendo ver: “Thunderbolts Forum • View topic – The “redshift” debate”. Este é um forum em que se debate o redshift. Este instrumento não é confiável para se medir distância entre galáxias.

  • Alberto:

    Hugo Marreiros

    É isso aí, Hugo. Temos que acreditar em coisas novas.
    A teoria padrão diz que o universo não tem um centro e nem se admitia que ele girava como uma galáxia. Agora em agosto último (2011), descobriu-se que o universo gira como um carrocel desde o big bang. Como podemos ver, nada é definitivo no universo. Tudo muda o tempo todo. Até o big bang está sobre suspeita. Um considerado patético que dizia que a terra girava em torno do sol e foi condenado pela igreja, se tornou um grande cientista da época. Está dificil se duvidar de qualquer coisa em cosmologia.

  • Pablo:

    Bom, os buracos negros foram previstos matematicamente. Embora, muitos cientistas duvidassem da existência de tais objetos…

  • Hugo Marreiros:

    Assim é que é Alberto estou contigo temos que dar tempo ao tempo não nos podemos esquecer que á algus séculos atrás o homem julgava que a Terra era o centro do universo.

  • Carlos:

    Este Alberto é patético…

  • Orlando:

    Acredito que a matéria escura (Ou energia escura) não existe, pelo menos do modo como querem os cientistas, e que esta “parte do universo que está faltando” pode ser ser explicada pela matéria presente em outras dimensões e que provocaria o empuxo gravitacional extra percebido pela ciencia. Enfim, o fenomeno seria causado por interações gravitacionais inter-dimensionais. Isto tambem explicaria muitos fenomenos quanticos como a da comunicação entre fotons em velocidades milhares de vezes superiores a da luz e muitos outros.

    A mecânica quântica e a teoria da relatividade, têm uma séria dificuldade em entender o mundo como o conhecemos. O problema, segundo especialistas, é quem ainda ninguém conseguiu juntar as duas para criar uma teoria quântica única ou unificada e acho que a Teoria da Dimensões paralelas entre si ajudaria muito. Mas como estas Dimensões paralelas foram citadas em livros de algumas religiões como a Espirita, os cientistas se sentem menosprezados e a colocam de lado. Acho, plenamente, que ao final de tudo a ciencia terá que “dar o braço a torcer” e reconhecer que existe “algo mais” em nossa relatividade humanas.
    A ciencia moderna tenta encontrar um gato preto num quarto escuro que não está lá, quando poderia aceitar outras hipoteses mais viaveis, como achar o gato no quarto ao lado. Seria mais inteligente.

  • squish:

    e ainda por cima é steampunk!

  • Alberto:

    MATÉRIA ESCURA
    A gravidade de um corpo é o somatório das gravidades de todas as partículas que compõem este corpo. O mesmo acontece com uma galáxia: a gravidade de uma galáxia seria, grosso modo, o somatório de todas as estrelas desta galáxia. O mesmo acontece com o universo. Seria, grosso modo, o somatório da gravidade de todas as galáxias deste universo. Portanto teríamos uma enorme força de gravidade agindo, relativamente sobre cada galáxias e isto interfere nelas, nos seus aglomerados, na recém descoberta correnteza escura e em tudo que se relaciona a isto. Esta força age como se fosse uma matéria extra, imaginária, chamada de matéria escura que é nada mais nada menos que uma força de gravidade extra do universo. Concluímos que não existe a tal da matéria escura.
    ENERGIA ESCURA
    Como podemos ver em meu relatório anterior, o universo parece não se expandir e se isto for verdadeiro, não existirá também a tal da energia escura.
    Parece que vivemos numa eterna ilusão de ótica. Vivemos usando cálculos matemáticos, tentando provar o improvável. Podemos até dizer até que a matemática prova qualquer coisa. Estamos desmoralizando a matemática confirmando teorias que são descartadas.
    O universo deve ser mais simples do que se imagina.

  • julio:

    É impossível encontrar o que não existe….

  • Alberto:

    Espero que funcione. Precisamos saber se existe realmente esta tal de matéria escura no universo. Há muitos mistérios para se decifrar. Vivemos de especulações e como esta, temos tambem a energia escura.
    Tudo teorias, nada provado.

Deixe seu comentário!