5 Emoções que você nem imaginava que tinha

Por , em 18.01.2010

Pesquisas realizadas há mais de meio século postulam que o ser humano tem seis emoções básicas, exibidas por todos nós: alegria, tristeza, raiva, medo, surpresa e aversão. Estes são os mais óbvios, mostrados por pessoas de qualquer lugar do mundo com expressões faciais semelhantes, e tiveram um importante papel no desenvolvimento evolutivo da nossa espécie. No mundo moderno, entretanto, a nossa necessidade de expor as emoções não é tão grande quanto há milhares de anos, mas algumas emoções mais desconhecidas se tornam cada vez mais importantes. Confira a nossa lista com cinco emoções que poucas pessoas percebem que têm:

5. Elevação
amamentando

Sabe aquela sensação de esperança quando lágrimas chegam aos seus olhos, você sente um arrepio na espinha e parece que o seu coração está se abrindo? O pesquisador Jonathan Haidt, da Univesidade da Virginia, nos Estados Unidos, nomeou esse sentimento de “elevação”. Embora o sentimento não tenha sido estudado em sociedades tribais modernas, já foi documentada em pessoas no Japão, Índia, Estados Unidos e no território palestino.

Por este motivo, esta emoção já pode ser considerada praticamente universal, como as seis citadas anteriormente. Entretanto, para ser considerada uma emoção básica, ela tem que ter um propósito: se as emoções têm a função de nos ajudar a sobreviver, elas devem motivar atividades que nos fazer ter sucesso na sobrevivência. A princípio, Haidt acreditava que a elevação fazia com que os humanos tivessem atitudes nobres com outras pessoas – o que se provou errado após um estudo.

Depois, o pesquisador e a sua equipe notaram que as pessoas costumam registrar sensações de falta de ar quando sentem a elevação. Por este motivo, os pesquisadores acreditam que o nervo vago está envolvido diretamente com a sensação, pois ele estimula os músculos do pescoço e da garganta. Além disso, a estimulação do nervo vago libera o hormônio ocitocina, que gera uma sensação de bem-estar, e também faz com que o corpo feminino libere leite para a amamentação. Para testar isso, mulheres em fase de amamentação foram separadas em dois grupos para assistir a vídeos: um do programa de auditório Oprah, que tinha um final emocionante, e outro do seriado Seinfeld, uma comédia.

O estudo mostrou que as mulheres que assistiram ao programa emocionante liberaram mais leite, além de passar mais tempo cuidando dos bebês e abraçando-os. “A ocitocina não faz com que as pessoas saiam por aí dando dinheiro para a caridade e nem ajudando estranhos por nada, mas deixa-as mais sensíveis, mais abertas e com maior confiança nos outros”, explica Haidt. Embora tenha uma característica fisiológica importante, esta emoção escapou de ser identificada antes por pesquisas porque não tem uma expressão facial correspondente exata. Apesar da dificuldade da sua identificação, a elevação está entre as emoções mais importantes, explica Haidt. “Se você questionar uma pessoa quanto às experiências mais queridas da sua vida, os momentos de elevação provavelmente estarão nos primeiros lugares”, diz.

4. Interesse
curiosidade

A emoção da curiosidade é aquela que faz com que você vire um pouco a cabeça, contraindo os músculos do pescoço e dos olhos, tentando compreender o que acontece à sua volta. O interesse pode ser mais difícil de ser identificado do que a elevação, mas tem a sua própria expressão facial, característica procurada por especialistas desde a década de 60 para observar emoções. Além disso, o interesse também parece ter um propósito à sobrevivência humana, de acordo com o psicólogo Paul Silvia. Segundo o professor da Universidade da Carolina do Norte, nos Estados Unidos, esta emoção motiva as pessoas a aprender – não por motivos financeiros nem por interesse próprio, e sim por pura necessidade, para aumentar o conhecimento por vontade própria.

Esta emoção também tem um papel importantíssimo na exploração do mundo moderno, contra o medo e a ansiedade que surgem em situações novas. Sem o interesse, ficaríamos longe de experiências novas ou complicadas: “Isso faz sentido se considerarmos em termos da história da evolução, já que situações desconhecidas podem ser perigosas”, explica Silvia. “No mundo moderno, principalmente, isso seria desastroso, porque não poderíamos crescer intelectualmente”, completa. Outro argumento que ajuda a classificar o interesse como uma emoção é o fato de que ela pode ser um problema. Psicólogos definem as emoções básicas com base nas patologias que elas podem causar. Medo em excesso é um problema, por exemplo, assim como o excesso de interesse pode causar comportamentos compulsivos e consumistas.

3. Gratidão
gratidão

A gratidão ainda tem um caminho para percorrer antes de ser completamente identificada como uma emoção básica, pois não tem uma expressão facial específica correspondente a ela. Entretanto, a gratidão nunca foi estudada em sociedades não-ocidentais, onde expressões faciais para a emoção podem ser mais arraigadas à cultura. Porém, o que os cientistas já sabem é que a gratidão age como as outras emoções, e tem um papel importante sobre as nossas ações, fazendo com que as pessoas reconheçam e recompensem um ato de gentileza, por exemplo.

A pesquisadora Sara Algoe, da Universidade da Carolina do Norte, EUA, descobriu que a gratidão faz com que casais que moram juntos se sintam mais conectados. De acordo com ela, isso acontece porque gestos de gratidão mostram quais pessoas compreendem bem a outra, e servem como um lembrete sobre as boas características do parceiro. Se as suas descobertas estiverem corretas, a gratidão tem grande benefícios à saúde no mundo moderno. Segundo Bárbara Fredrickson, colega de Algoe, relacionamentos saudáveis fazem bem ao corpo e à mente humana, e o cultivo de gratidão aumenta a harmonia social em grupos.

2. Orgulho
orgulho

Esqueça aquela impressão maligna que você tem sobre o orgulho: novas pesquisas sugerem que há dois tipos da emoção, chamadas de “orgulho arrogante” e “orgulho autêntico”. A pesquisadora Jéssica Tracy cunhou os termos, e afirma que a emoção se manifesta destas duas maneiras, mas que não conseguimos distiguir a sua aparência exterior. Segundo a pesquisadora da Universidade de British Columbia, no Canadá, as duas emoções fazem com que as pessoas ergam a cabeça, esticando os braços e tentando parecer maiores do que realmente são. Charles Darwin afirmou em 1872 que pessoas orgulhosas têm uma aparência “inchada”.

Apesar de ter uma expressão corporal correspondente à emoção, o orgulho não tem uma expressão facial específica. Ele também se diferencia das seis emoções básicas porque requer uma auto-avaliação para que seja experimentada. Tracy firma, entretanto, que há evidências claras para mostrar que esta é uma emoção primordial. Segundo a pesquisadora, sinais físicos do orgulho são documentados em tribos isoladas e até mesmo em pessoas que nasceram cegas, o que indica que é uma emoção inata, e não aprendida com a observação.

Quanto ao critério da necessidade da emoção para a sobrevivência da espécie, especialistas afirmam que o orgulho é necessário para que as pessoas se sintam motivadas a serem respeitadas. De acordo com o antropólogo Joe Henrich, existem duas maneiras de ganhar status, que se relacionam aos dois tipos de orgulho descritos por Tracy. Segundo o Henrich, existe o status que é obtido pela dominação, tipo observado em primatas, situação na qual os animais maiores são reverenciados porque podem oprimir os outros. Nos humanos, isso é equivalente a um chefe opressor ou às crianças maiores que batem nas menores.

Já o outro tipo de status é aquele obtido pelo prestígio – o respeito ou poder é conseguido a partir do conhecimento ou a habilidade em alguma área. “Isto se encaixa nas duas formas de orgulho”, explica Tracy. “Um tipo é associado com a agressividade e confiança, enquanto o outro motiva conquistas, trabalho árduo e um comportamento altruísta”, completa.

1. Confusão
confusão

Todos já nos sentimos confusos, mas a descrição desta sensação ainda é difícil para especialistas. “Sensação” porque psicólogos ainda debatem se a confusão é uma emoção. De acordo com Paul Silvia, um bom argumento para considerar a confusão como uma emoção básica é que ela é fácil de ser identificada: a sobrancelha se junta, os olhos ficam cerrados, e às vezes os lábios se abrem, em um gesto involuntário de estupefação. Por estas características, pesquisadores descobriram que a confusão é a segunda emoção mais fácil de ser reconhecida – ultrapassada apenas pela alegria.

Então qual é a utilidade da confusão mental típica dos humanos? Segundo Silvia, é uma emoção baseada no conhecimento, que fica na mesma “família” que o interesse e a surpresa, por exemplo. O pesquisador acredita que estas emoções são o meio encontrado pelo cérebro para mostrar que o modo que estamos encarando as coisas não está funcionando. Elas podem fazer com que as pessoas desistam de algumas coisas, mas também funcionam como uma motivação para que mudem o foco de atenção ou estratégia de aprendizado. Além disso, pesquisadores acreditam que a expressão da confusão é tão óbvia para que sirva de alerta para os outros, que podem percebê-la e ajudar com novos conhecimentos e perspectivas.

[New Scientist]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

27 comentários

  • Tatinha:

    A matéria é fascinante!!!
    Para os que estão decepcionados com os coments. Não se decepcione esse comentários demonstra a verdadeira necessidade de desabafo, na teoria Freudiana os mesmo estão ainda fixado na fase oral, por isso essa vontade explicita de mamar, e as elevações da cabeça “de baixo”, como é vulgarmente trada, é apenas uma fixação na fase anal e a não superção do complexo Édipo.
    Resumindo: superar essa fase é simples façam terapia ou simplismente sexto mesmo.

  • Daniel:

    Sobre o interesse, não seria aquela que quando fazemos um barulho diferente para os cães eles ficam te encarando com a cabeça na horizontal pra ver da onde vem o barulho?

  • Talita:

    Essa matéria é muito legal creio que a partir de agotra vou prestar mais atenção nos outros sentidos.

    E essas pessoas com esses pensamentos bestas parece que nunca viram uma mulher amamentar????

  • josy:

    deixo um coment pras tarados de plantao:

    esses sim nao devem ter tido
    uma mae sao todos uns filhos de chocadeira e é por essa
    razao que todos eles queriam mamar…
    COITADOS

  • qwe:

    Nossa vcs sao muito sem noçao, pareçe q só tem criança entrando nesse site, olha os comentarios, e os outros retardador aindam copiam.

    Bando de “punheteiro” sem noçao!

  • tati:

    acho muito bonita a cena da mae e filho e entendo a excitação dos homens por uma mãe(mulher) e fêmea ao mesmo tempo; mas por respeito a sensibilidade feminina, os comentários poderiam ser mais “elevados”

  • Ameli:

    Olá! Gostei muito de saber sobre essas emoções. Assunto realmente interessante. Como não identifiquei umas em mim, porque achava ridículo agora vou prestar mais atenção uma vez que me foi demonstrada a vantagem de se ter essa ,ou aquela ,ou todas a emoções de forma marcante. Parabéns pela matéria.

  • Valter:

    Senti muita decepção, muitos comentários sem conexão. Fazer o que então. Mas a matéria é excelente. É para abrir a mente e buscar as emoções que com certeza vai superar a inteligência deste planeta em vias de transformações.

  • Bruno Juncklaus:

    ignorando os comentários acima, pois eu não senti nada..

    que matéria boa viu, vou até bolar algo sobre pra aula 🙂

    obrigado.

  • Edu:

    Desconsiderando os comentários dos tarados de plantão, a imagem da mãe amamentando a criança é uma coisa sublime, realmente…mas que essa loirinha é um pedaço…ah isso é…

  • hiqx:

    Muito boa essa matéria!
    Acredito que os antigos estudaram e denominaram muitas coisas classificando de acordo com o que podiam em sua época, mas hoje podemos ir além, e com ctz existe ainda mais sentimentos básicos.

  • ItaloXM:

    Orgulho obviamente é um sentimento, como também a “excitação” que podemos ver muito bem com o recadinho dos tarados lá do início! shaushuahsuasa

    obs.: se for contar esse negocio de cabeças sendo elevadas.
    Homens: 24 cabeças (contando dedos,cabeça pensante, cabeça não-pensante e peito).
    Mulheres: indefinível (contando dedos, peito, cabeça pensante e a cabeça não-pensante de vários homens)

  • Chacon:

    Sou viciado em xana e o sentido verdadeiro da matéria é que nós homens nos elevamos mais do que as mulheres pois temos que elevar duas cabeças….

    😡

  • Daniela Sampaio(médica):

    Vcs são podres viciados em xana por isso que nãoconsegue perceber o sentido verdadeiro da matéria.

    Só sexo e toma e toma chega né põe a cabeça pra fucionar

  • tati:

    nossa, elevação para os homens so tem na cabeça de baixo

  • Henrique:

    Essa foto da elevação de fato faz elevar uma certa coisa nos homens…

  • Marcel Mattos:

    Realmente a foto do artigo ‘Elevação’ causa uma elevação enorme de barraca.

  • Curiosa (mulher):

    Acho melhor, vcs. lerem o estadão, estão pra lá de originais..

  • César:

    ashusahusahs

    tiraram os coments.. eu tava só no F5 pra ver até quanto iria os [x+1]
    .. tava no 6 o ultimo que eu vi..

    anyway… Boa Carlos.. mto boa…

  • Eduardo:

    Na primeira imagem creio que o sentimento de elevação se relacione ao bebê. Até fiquei com vontade de mamar e certamente senti uma elevação em mim. [6]

  • Bruno FV:

    Nossa que viagem de todo mundo LOL

    Sentiram vontade de mamar né? Safadeeeeeeeeeeeenhos…

  • Saulo:

    Na primeira imagem creio que o sentimento de elevação se relacione ao bebê. Até fiquei com vontade de mamar e certamente senti uma elevação em mim. [5]

  • Paulo Freire:

    Na primeira imagem creio que o sentimento de elevação se relacione ao bebê. Até fiquei com vontade de mamar e certamente senti uma elevação em mim. [4]

  • Miguel:

    Na primeira imagem creio que o sentimento de elevação se relacione ao bebê. Até fiquei com vontade de mamar e certamente senti uma elevação em mim. [3]

  • Cesar:

    Na primeira imagem creio que o sentimento de elevação se relacione ao bebê. Até fiquei com vontade de mamar e certamente senti uma elevação em mim. [2]

  • gleice:

    nossa carlos que viajem hem

  • Carlos:

    Na primeira imagem creio que o sentimento de elevação se relacione ao bebê. Até fiquei com vontade de mamar e certamente senti uma elevação em mim.

Deixe seu comentário!