5 razões que fariam a imortalidade ser pior do que a morte

Por , em 21.08.2015

Se você está lendo isso, parabéns por ter alcançado o objetivo principal de cada um dos nossos dias: evitar a morte. Mas você não vai poder fazer isso para sempre.

Muitos de nós são fissurados pela ideia da imortalidade. Adoramos histórias de vampiros imortais e super-heróis invencíveis, desejando em algum nível do subconsciente que fôssemos nós. Se não precisássemos nos preocupar com a morte, poderíamos fazer tudo que queríamos.

Será? Se você parar um momento para pensar sobre isso, pode perceber que a imortalidade é extremamente superestimada.

5. A evolução o transformaria em uma aberração

imortalidade 5
Ao contrário do que muitas pessoas acreditam, os seres humanos ainda estão evoluindo. Isso não é grande coisa se você tem o tipo de imortalidade que dura apenas 1.000 ou 2.000 anos, mas é claro que a imortalidade verdadeira significa que você ainda estará andando pela Terra, em seu corpo atual, daqui um milhão de anos.

A ciência não tem ideia de onde mutações futuras poderiam nos levar, por isso ninguém pode adivinhar como nossos vizinhos seriam no futuro. Você, por outro lado, andaria por aí sendo uma versão futurística de um neandertal, ou algo assim.

Os corpos e cérebros das outras pessoas continuariam a se adaptar a um mundo em constante mudança. Seu corpo e cérebro seriam os mesmos. Será que o seu sistema digestivo seria capaz de lidar com a mesma comida que eles comem? Será que o seu cérebro desfrutaria do mesmo tipo de entretenimento? Será que a sua língua não evoluída seria capaz de falar as línguas que eles falariam no ano um milhão? Será que um homem das cavernas descongelado hoje seria capaz de fazer tudo isso?

Uma coisa nós sabemos: você não teria qualquer relacionamento amoroso. Acontece que a mãe natureza odeia reprodução inter-espécies, de tal modo que a ciência tem, inclusive, um nome para descrever isso: isolamento reprodutivo. É a razão pela qual não existem centauros andando por aí.

Basicamente, é o equivalente científico da natureza para aqueles jogos infantis de encaixar. Um triângulo não entra em um buraco quadrado. O que significa que, quanto mais as espécies evoluem, não há nenhuma chance possível para você criar uma nova espécie mais próxima de você.

Claro, isso tudo assumindo que seria seguro caminhar entre os membros dessa nova espécie futurística. Será que eles vão tratá-lo como uma novidade e colocá-lo em comerciais de televisão, como nós fazemos com atores fantasiados de homens das cavernas? Ou eles fariam com você o que os humanos atuais fariam se finalmente capturassem o Pé-Grande perambulando pelas florestas (isto é, colocariam você em um jardim zoológico)?

4. Sua melhor opção seria se esconder

imortalidade 4
Vamos dizer que um garoto remexa em seu porão, encontre um velho retrato assustador de você e descubra que você é imortal. A história se espalha e de repente você fica famoso em todo o mundo. Claro, um monte de gente poderia não comprar a história, mas várias pessoas já se tornaram famosas por muito menos.

Soa como uma boa experiência, certo? Provavelmente você teria seu próprio reality show. Mas isso seria apenas a superfície. Você não seria apenas famoso; você seria um deus. Você tem a vida eterna, o que significa que você deve saber o segredo da vida eterna, o que significa que você será imediatamente o centro da religião mais recente e popular do mundo. Você vai ser como um cara revelando-se Jesus, e provando isso. Por que alguém iria continuar a adorar uma divindade invisível quando eles têm um deus caminhando entre eles? Todas as manhãs o seu quintal estaria repleto de vários milhares de pessoas com doenças terminais, ou pais com seus filhos doentes, pedindo-lhe para conceder-lhes a mesma imortalidade que você tem.

Isso, é claro, assumindo que um governo ou sindicato do crime não chegue até você antes. Literalmente cada pessoa rica e poderosa da Terra concluiria que em suas veias correria uma coisa que eles não poderiam comprar: a liberdade da morte. Eles não parariam até gastarem cada centavo que tivessem para ver se poderiam transformar o seu sangue e seus órgãos em vida eterna para si mesmos. Pense sobre as guerras que estão sendo travadas pelo petróleo. O segredo para a vida eterna valeria muito, muito mais.

E não pense que seria como um exame de sangue e de urina ocasional aqui e ali, enquanto eles o deixam ficar em algum hotel cinco estrelas. É mais como você sendo sequestrado e mantido em algum barraco subterrâneo úmido longe de qualquer civilização, enquanto eles tiram seus órgãos para examinar cada pedacinho.

E o pior é que, uma vez que ninguém vai saber onde você está, eles podem mantê-lo lá por tanto tempo quanto quiserem. E considerando sua natureza imortal, isso pode significar bastante tempo.

Mas digamos que você consiga se esconder, e com sucesso mantenha seu segredo em escondido com uma série de novas identidades. Vai ficar muito difícil manter o controle de todas elas, porque…

3. A imortalidade deixaria você mais velho mentalmente

imortalidade 3
Nós não estamos dizendo que, se você ficasse magicamente imortal, você, eventualmente, seria diagnosticado com a doença de Alzheimer de qualquer maneira – vamos supor que o Elixir da Vida que você bebeu mantivesse o seu cérebro fisicamente jovem assim como o resto de você. Isso não importa.

Imagine que o seu número de telefone celular é trocado a cada semana, e toda semana você é forçado a memorizar o número novo. Isso fica exponencialmente mais difícil porque todos os números antigos ainda estão na sua memória, entupindo os arquivos. Então imagine que alguém lhe pediu para chamar instantaneamente o número que você tinha cinco números atrás.

Essa é uma razão pela qual sua memória degrada à medida que você envelhece. Seu cérebro e sua capacidade de armazenar e recuperar memórias são limitados, mas a quantidade de coisas que você pede para ele lembrar se acumula ao longo das décadas.

Isso é um problema porque seu cérebro se baseia em não apenas armazenar informações, mas ser capaz de recuperá-la rapidamente na observação de um momento. Conforme o tempo passa, mais e mais memórias amontoam-se, juntamente com os nomes e as datas e aniversários e datas especiais. Seu cérebro pode manter todo esse material organizado por um tempo (digamos, a extensão de mais de uma vida humana normal), mas não é como se você pudesse entrar em seu cérebro e simplesmente apagar arquivos como você faz quando quer limpar um disco rígido. Então, coisas inúteis começam a acumular, obstruindo e retardando tudo.

Sua vida imortal e suas experiências podem ser infinitas, mas a capacidade do seu cérebro de armazenar tudo isso e recuperar quando você quiser não é. Seu corpo seria jovem, mas você ainda se esqueceria dos nomes das pessoas e contaria as mesmas piadas para a mesma pessoa duas vezes em um dia. Embora você ainda fosse perfeitamente capaz de dar um discurso mal-humorado sobre como o mundo era melhor um milhão de anos atrás e como os jovens são mal agradecidos.

E, mesmo se você encontrasse uma maneira de contornar isso, você ainda teria que lidar com o fato de que…

2. O tempo se aceleraria até você ficar louco

imortalidade 2
Você se lembra de quando era criança e o ano letivo finalmente terminava e as férias estavam prestes a começar? Parecia que você estava esperando metade da sua vida por isso e, ao mesmo tempo, sua mãe estava dizendo “As férias já começaram?!”. O fato é que sua percepção do tempo se acelera com a idade. É matemática.

Todos os anos da sua vida parecem mais curtos do que o anterior, pois cada ano que passa representa porções cada vez menores de sua vida. É a mesma razão que um presente de mil reais seria sensacional para você, mas totalmente irrelevante para Bill Gates.

Então, quando você tem 100 anos de idade, um minuto parece ter apenas seis segundos de duração em comparação com um minuto quando você tinha 10. Se você vive por 1.000 anos, um casamento de 50 anos que você teve com uma mulher durante toda a sua vida adulta terá o mesmo significado para você do que a garota que você namorou por alguns anos na faculdade. Se você vive por 100.000 anos, ele basicamente pareceria ter o mesmo tempo do que a vez que você ficou com alguma garota que você nunca soube o nome em alguma balada qualquer.

Viva até um milhão, e as pessoas vão parecer estar explodindo para dentro e para fora da existência em torno de você, como um vídeo em time-lapse de uma montanha lentamente erodindo ao longo de eras, enquanto cidades e nações aparecem e desaparecem em torno dela, sem serem notadas. Qualquer forma de entretenimento vai se tornar um borrão maçante, conforme você vê as mesmas tendências e ideias surgirem, saírem de moda e, em seguida, emergirem novamente para uma nova geração que pensa que aquilo é novo. Você vai ter o prazer de ver os vampiros saírem de moda e voltarem aos livros e filmes novamente em 2060, depois 2150, depois 2200, até você parar de ir ao cinema.

1. Você eventualmente ficaria preso em algum lugar (para sempre)

imortalidade 1
Nós gastamos tanto tempo tendo medo da morte que nos esquecemos de um benefício que ela oferece a todas as espécies: o fim rápido do sofrimento. Obviamente, quando falamos de imortalidade, imaginamos estar sempre jovens e saudáveis, não deitados em uma cama sofrendo de câncer de pulmão para todo o sempre.

Mas é um mundo perigoso lá fora, e um grande número de acidentes estranhos poderia deixá-lo preso em algum lugar, sem escapatória, para o resto dos tempos.

Digamos que um terremoto atinge o edifício que você está, e ele entra em colapso, enquanto você está na garagem subterrânea. Você está preso sob um milhão de toneladas de concreto. Tudo o que você pode fazer é esperar por socorro. Só não conte com ser resgatado, porque as pessoas encarregadas de fazer isso tendem a desistir quando fica muito difícil de cavar através dos escombros e eles já puxaram um número suficiente de pessoas para fora para dizer “bem, nós tentamos”.

A única esperança que você pode ter é que, quando eles construírem algo no local recém-vago uma década mais tarde, eles podem descobrir que, juntamente com os cadáveres em decomposição, há alguém vivo lá. A não ser que as pessoas achem mais fácil simplesmente construir em cima de todos os cadáveres, em vez de tirá-los de lá.

Ok, mas quais são as chances reais de você ser pego em um terremoto (ou qualquer outro desastre da natureza)? Bem, se você viver para sempre, as chances são praticamente de 100%. A menos que o mundo acabe antes que ele tenha a chance de acontecer. Então, agora, em vez de ficar preso em um prédio, você tem que se preocupar em ser o único sobrevivente de uma guerra nuclear, ou de um meteoro gigante que se chocou contra a Terra, ou outra idade do gelo, ou a colisão com outro planeta, ou o sol morrendo.

Mesmo se você conseguir sair ileso, agora você está sozinho. Você vai ser obrigado a viver a sua vida e ficar lentamente louco como Will Smith em “Eu sou a lenda”, sem zumbis para atirar contra. Você não vai sequer ter o cão.

E isso supondo que a Terra permaneça intacta. Um cometa poderia colidir com o planeta e o enviar em um voo pelo espaço infinito. O melhor cenário é que você e a Terra só flutuem através do vazio durante algumas décadas antes que batam em Marte. Nesse ponto, você estaria basicamente matando o tempo até que a vida inteligente evoluísse lá. Você ficaria realmente bom em fazer castelos de areia vermelha. [Cracked]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (18 votos, média: 3,67 de 5)

16 comentários

  • joserios:

    Sonho com isso todo dia,espero que isso aconteça,melhor até sofrer vivo que morrer.

  • Caio Henrique De Souza Santos:

    Muito bem argumentado, embora tenha esquecido de mencionar – como lembrado por alguns leitores – a alteração tecnológica proposital.

  • Kevin Soares Coutinho:

    Detesto esse sistema de 140 caracteres, é impossível expor ideias, apenas reduz um texto inteligente em 140 caracteres burros.

    • Caio Henrique De Souza Santos:

      Meu Deus, pensei ter lido ‘140 palavras’. Tirem essa limitação!
      Isso é um site de temática científica: SOMOS HUMANOS, QUEREMOS OPINAR!!!!!

    • Sérgio Castilho de Oliveira:

      Eu gosto. Fico redigindo várias vezes até conseguir. O único caracter que não aprecio usar é o ponto final. Será isso querer a imortalidade?

  • Kevin Soares Coutinho:

    O tempo não passa mais rápido, mas tratamos um ano como se fosse um mês.

  • Kevin Soares Coutinho:

    Até onde sei, o cérebro apaga o que não usamos. Você não se lembraria do seu número de 100 anos atrás, porque ele não estaria no seu cérebro

  • João Paulo Souza de Carvalho:

    A maior parte desses problemas pode ser resolvida com imortalidade artificial.
    Em vez de um corpo humano, um robótico que nunca envelhece.

  • Deivid Santos:

    a única mutação que provavelmente pegaria seria artificial ou radioativa, sem fala pra que se esconder.. é só não tirar foto.

  • Cesar Grossmann:

    Eu sou a favor de ninguém morrer enquanto não se sentir pronto. Exceto ditadores.

  • Mikael Rocha:

    Eu acho que quando a humanidade alcançar a imortalidade não vai ser so uma pessoa imortal.

  • Leandro Augusto:

    Uma excelente visão da imortalidade kkkk parabens para o artigo, ficou show!!

  • Vinicius Borges:

    Post genial, porém depressivo demais. Faço outra ideia da imortalidade- ainda sonho com ela.

  • Yuri Cortes Ribeiro:

    Pra quem já leu A Batalha do Apocalipse:
    Com esses 2 e 3, agora o “suicídio” do Arcanjo Gabriel nunca fez tanto sentido…

  • Gustavo Garrido:

    A parte de todo mundo morrer e você ficar sozinho ou flutuando por ai no vácuo me deu um leve desespero e fobia hahahah

  • Diego Sandra Costa:

    Poxa, isso me fez lembrar do seriado Forever.
    Pq tinham que cancelar ele???

Deixe seu comentário!