5 seres vivos que são verdadeiras máquinas biológicas

Por , em 8.10.2013

A natureza tem mais semelhanças com o mundo tecnológico em que vivemos do que você imagina. Biólogos estudaram algumas criaturas mais detalhadamente e descobriram alguns seres vivos que usam conceitos básicos da engenharia que seres humanos demoraram séculos para aprender. Confira abaixo cinco criaturas que são extraordinárias máquinas biológicas:

1. Besouros parafusados

1
Biólogos alemães descobriram um gênero de besouros conhecidos como Trigonopterus. Dentro dele, provavelmente existem mais de mil espécies, encontrados na Nova Guiné e em ilhas vizinhas – a maioria desconhecida. O que mais chamou a atenção dos pesquisadores nesse besouro é que suas pernas são diferentes de qualquer outra criatura: elas são rosqueadas, como parafusos.

O segmento superior de cada pata, o fêmur, está ligado a uma pequena parte chamada trocânter. Por sua vez, o trocânter é aparafusado na “coxa” do besouro. Isso faz com que as pernas do inseto se tornem incrivelmente fortes. As articulações permitem que eles torçam suas pernas com facilidade (chegando a até 130 graus), possibilitando escaladas eficazes.

2. Insetos com engrenagens

2
Recentemente, uma equipe de biólogos da Universidade de Bristol (Reino Unido) descobriu uma espécie de fulgoromorfo (inseto da infraordem Fulgoromorpha), conhecidos como “issus”, que usa um engenhoso sistema de engrenagens naturais em suas pernas para saltar muito alto e rápido. O animal pode atingir uma aceleração tão surpreendente que, se atingíssemos menos de 2% da mesma velocidade, perderíamos a consciência. Pesquisadores estudam o inseto para descobrir como criar novos tipos de engrenagens para uso humano.

3. Teias de aranha

3
O modo como as aranhas tecem suas teias é incrível. Quando elas liberam sua seda – composta principalmente de uma proteína chamada fibroína, unida por outra, mais pegajosa, chamada sericina -, secretam as proteínas inicialmente na forma líquida que, em seguida, endurecem. As aranhas usam o peso corporal para expulsar o material. Esse mesmo processo é utilizado em fábricas de todo o mundo.

4. Barco microscópico

4
Não são só grandes seres vivos que evoluíram e se tornaram máquinas. Algumas bactérias também têm estruturas surpreendentes. O flagelo bacteriano, por exemplo, é uma das peças mais complexas da maquinaria biológica já vista. Ele funciona como um barco microscópico.

O coração do flagelo é o corpo basal – essencialmente, um motor rotativo embutido na parede celular bacteriana. Esse “motor” tem uma série de anéis, cada um com cerca de 20 nanômetros de diâmetro, com uma haste no interior que pode rodar 360 graus. Anexado a essa haste está uma proteína ligada a um filamento, que tem de 5 a 15 microcentímetros de comprimento e é composto por milhares de unidades de repetição da proteína flagelina. O motor é alimentado por um fluxo de íons de sódio ou de hidrogênio, através da parede celular. Quando os íons flutuam, o flagelo pode girar em uma velocidade de até mil rotações por minuto.

5. Além dos dentes dos crocodilos

5
Não bastam dentes grandes para que os crocodilos se protejam. Esses grandes répteis também possuem uma série de engrenagens que podem ser usadas para desviar seu sangue, escondidas no sistema cardiovascular.

Válvulas especiais, alimentadas por engrenagens rudimentares, são capazes de desviar o sangue para fora dos pulmões dos crocodilos até o resto do corpo – mecanismo controlado pela quantidade de adrenalina na sua corrente sanguínea.

Esse incrível sistema permite que os fluidos corporais sejam reencaminhados e que os crocodilos tenham uma utilização mais eficiente do sangue, dependendo da situação em que se encontram. [GizModo/NewScientist]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votos, média: 4,50 de 5)

8 comentários

  • neutrino:

    O texto está bem específico falando sobre engenharia, mas queria falar um pouco sobre os gatos.
    Tem muita gente que não gosta desses animais mas as pessoas que gostam de observar esses bichos, ficam impressionados com a precisão deles quando o assunto é caçar.

  • Paulo Juaci:

    Qual a diferença entre “evolução” e “criador inteligente”? Por que precisa haver uma diferença entre esses termos?…

    • Mário Secco:

      Porque céticos e ateus acham que design inteligente é coisa de criacionista, eles acham (os ateus e céticos) que quem defende ou acredita na teoria do design inteligente inventou a teoria para dar uma cara mais científica a “criação de deus”. Mas na verdade, quem defende seriamente o DI não está preocupado com a natureza do designer (se é Deus, o programador da “Matrix” onde estamos ou outra entidade qualquer). A teoria do DI diz apenas que há alguma coisa que desenha ou projeta as formas de vida.
      Os céticos e atus são tão obcecados em provar que deus não existe que não podem admitir o DI nem mesmo como uma hipótese remota, não são capazes de enxergar que há uma inteligência na evolução dos seres vivos.

  • Andre Gabriel:

    será que isso tudo é fruto da evolução? ou tem um criador Inteligente por traz dessa engeharia ?

    • Rodrigo Melo:

      Não vejo por que um ser onipotente se importaria em dar engrenagens à um inseto.

    • Mário Secco:

      Alguém falou em “ser onipotente”?

  • Wesley Rodrigues:

    Inpressionante a natureza!!!
    Nos mesmos com nossos cerebros somos uma maquina que fabrica maquinas !!!!

  • Mário Secco:

    Engrenagens, parafusos, motores… sei… E o Design Inteligente é coisa de criacionistas… (o que eu não sou e nem sou religioso)

Deixe seu comentário!