Stephen Hawking adverte que a humanidade pode destruir a si mesma em um século

Por , em 20.01.2016

Em entrevista à BBC, Stephen Hawking alertou que a humanidade está em perigo de se destruir nos próximos 100 anos, à medida que progredimos rapidamente nos domínios da ciência e tecnologia. Segundo o cientista, embora o progresso seja bom, ele cria “novos modos como as coisas podem dar errado”. Ele destacou guerra nuclear, aquecimento global e vírus geneticamente modificados como possíveis causadores da desgraça criados por nós mesmos.

Esta não é a primeira vez que Hawking nos alerta a respeito de um desastre de nossa própria autoria. Em 2014, ele disse que a inteligência artificial pode “significar o fim da raça humana“.

Como relata o portal IFLS, Hawking apontou que ele é, em última instância, um otimista, e acredita que podemos superar os problemas que a humanidade poderia enfrentar. Mas se o pior vier a acontecer, uma forma que poderíamos garantir a sobrevivência da raça humana é ter uma colônia em outro planeta, como Marte.

Nada de colônia extraterrestre

No entanto, é improvável que esta seja uma realidade, pelo menos no próximo século. Portanto, ao sugerir que um desastre global seria uma “quase certeza” nos próximos mil a 10 mil anos, Hawking disse que os próximos 100 anos são a nossa época mais perigosa, já que nós nos tornaremos muito mais avançados, mas sem um refúgio seguro fora deste planeta.

“Embora a chance de um desastre no planeta Terra em um determinado ano seja bastante baixa, ela aumenta ao longo do tempo e torna-se quase uma certeza nos próximos mil ou dez mil anos”, afirmou o físico à BBC. “No entanto, não vamos estabelecer colônias autossuficientes no espaço por pelo menos os próximos cem anos, por isso temos que ter muito cuidado neste período”.

No entanto, Hawking disse que este é um “momento glorioso estar vivo” para os cientistas, especificamente físicos teóricos como ele, com inúmeras novas descobertas esperando para serem feitas.

A entrevista de Hawking faz parte da divulgação que antecede a sua Reith Lecture – uma série de palestras anuais dadas no rádio por pessoas relevantes em suas áreas de trabalho e estudo – sobre buracos negros, que irá ao ar na BBC Radio 4, no Reino Unido, em 26 de janeiro e 2 de fevereiro, a partir das 13h.

A teoria mais recente de Hawking sobre os buracos negros, publicada em uma revista no início deste mês, é que eles poderiam conter “cabelos” no seu horizonte de eventos – a fronteira para além da qual nada, nem mesmo a luz, pode escapar. Estes cabelos podem conter informações sobre o buraco negro, e ajudar a resolver o paradoxo da “perda de informações”. [IFLS, BBC]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (3 votos, média: 5,00 de 5)

Deixe seu comentário!