A NASA traduziu uma foto do Hubble em música e é de dar calafrios

Por , em 6.05.2020

O universo é muitas coisas, menos barulhento. O som não pode se propagar no espaço por causa do vácuo. Como não há moléculas no ambiente, como existem na Terra, por exemplo, ondas sonoras não são transmitidas.

Isso não impediu os cientistas de tentarem “traduzir” o silêncio do espaço. Em 2019, a NASA transformou uma belíssima imagem do Telescópio Espacial Hubble em música – e o resultado é de arrepiar.

A fotografia

A imagem utilizada foi tirada em agosto de 2018 por duas câmeras do Hubble: a Advanced Camera for Surveys e a Wide-Field Camera 3.

Ela mostra diversas galáxias espalhadas, sendo que cada um desses “pontos brilhantes” abriga inúmeras estrelas.

“Algumas estrelas mais próximas de casa brilham intensamente em primeiro plano, enquanto um enorme aglomerado de galáxias se aninha no centro da imagem; uma imensa coleção de talvez milhares de galáxias, todas mantidas juntas pela força implacável da gravidade”, explicam os pesquisadores da NASA.

Sonificando a imagem

A equipe que sonificou a imagem fez com que diferentes locais e elementos da fotografia produzissem sons diferentes.

Por exemplo, estrelas e galáxias compactadas são representadas por sons curtos e claros, enquanto galáxias em espiral emitem notas mais complexas e longas.

“O tempo flui da esquerda para a direita e a frequência do som muda de baixo para cima, variando de 30 a 1.000 hertz. Os objetos próximos à parte inferior da imagem produzem notas mais baixas, enquanto aqueles próximos à parte superior produzem notas mais altas. A maior densidade de galáxias perto do centro da imagem resulta em um aumento de tons de médio alcance no meio do vídeo”, explicaram os cientistas da NASA nos comentários que acompanham o vídeo.

Embora soem um pouco “sinistros” no começo, os sons da imagem formam uma bonita melodia, especialmente na metade da música, quando alcançam o aglomerado de galáxias RXC J0142.9+4438.

Ouça: [ScienceAlert]

Último vídeo do nosso canal: A Terra não orbita exatamente o sol mas um ponto virtual no espao

Deixe seu comentário!