Açúcar é realmente ruim para nós?

Por , em 3.06.2013

É meio óbvio que, das coisas que temos que comer pelo bem de nossa saúde, açúcar não é uma delas. Pode ser que não seja uma comida verde, mas será que é o mesmo o “vilão”, como tem sido taxado recentemente?

Nos últimos tempos, o consumo de açúcar foi culpado pelo aumento em uma série de doenças e problemas de saúde como pressão alta, doenças do coração e vícios alimentares. O açúcar já foi até comparado a um “veneno”: segundo uma pesquisa da Universidade da Califórnia (EUA), o açúcar contribui com cerca de 35 milhões de mortes por ano e por isso deveria ser considerado uma substância potencialmente tóxica, como o álcool e o tabaco.

Meu Deus! O açúcar está mesmo tentando nos matar?

Precisamos de você, açúcar

“Nós na verdade precisamos de açúcar – é o combustível preferido do nosso corpo”, diz o Dr. David Katz, da Universidade de Yale (EUA). “O problema é que comemos muito”.

Existem vários tipos de açúcar, como a glucose e a sacarose. Nosso corpo adora a glucose. Nossas células a usam como fonte primária de energia – seu consumo estimula o pâncreas a produzir insulina. O cérebro percebe o aumento da substância, entende que é preciso metabolizar o que você acabou de comer e manda a mensagem que você já está satisfeito.

Alguns açúcares, como o açúcar de ocorrência natural, que dá a frutas, alguns legumes e o leite seu sabor doce, são perfeitamente saudáveis, conforme explica Katz. É com o açúcar adicionado (adoçantes colocados durante o processamento e preparação de alimentos) que precisamos tomar cuidado.

Isso significa nunca mais fazer aquele bolo de chocolate que pede uma quantidade absurda de açúcar? De acordo com Katz, não há necessidade de cortar sobremesas. O segredo é comer de forma estratégica.

Felizmente, algumas empresas do ramo alimentício estão começando a entender os problemas de saúde e de obesidade recentes, e estão dispostas a nos ajudar. Nos últimos quatro anos, algumas marcas de cereais cortaram o açúcar de seus produtos, e outros pequenos avanços foram feitos na direção de garantir que menos alimentos não saudáveis fossem disponíveis nos mercados.

Claro que, em última instância, o controle do que comemos é de responsabilidade nossa. Para não precisar desistir dos doces, Katz diz que a chave é ficar de olho e comer apenas o recomendado por dia.

Menos, bem menos, quase nada

A Associação Americana do Coração recomenda que mulheres comam não mais do que 24 gramas de açúcar por dia. Isso é cerca de seis colheres de chá, ou 100 calorias – um pouco menos do que o valor encontrado em uma lata de refrigerante. O problema é que a mulher americana média consome cerca de 18 colheres de chá de diariamente – 3 vezes mais.

O nosso pior problema é que o açúcar está escondido até mesmo em alimentos improváveis, de molhos de salada a biscoitos, fazendo-nos consumir bem mais do que achamos que consumimos.

A dica aqui é pensar bem no que vai comer, e ler rótulos: se há adoçante nos ingredientes de um produto, deve estar escrito na sua embalagem. Estes podem aparecer como suco de cana evaporado, xarope de milho de alta frutose, suco concentrado de frutas, néctar de agave, frutose, dextrose e xarope, por exemplo. Procure marcas ou opções com baixo ou nenhum açúcar.

Perigos reais e mitos

Açúcar adicionado pode contribuir com doenças como obesidade, diabetes tipo II e doenças cardiovasculares. Em poucas palavras, comer muito açúcar pode causar acúmulo de gordura no fígado, que pode levar a esses problemas. Ou seja, restrinja seu consumo desses açúcares ao recomendado por dia.

“Já os açúcares que ocorrem naturalmente em frutas, verduras e laticínios de baixa gordura não há necessidade de evitar”, diz Rachel K. Johnson, professora de nutrição da Universidade de Vermont em Burlington (EUA).

Mesmo que tenham gosto muito doce, esses alimentos contêm quantidades relativamente pequenas de açúcar. Além disso, vêm recheados com vitaminas e minerais essenciais, juntamente com água e fibras, que retardam a liberação de açúcares no sangue e evitam picos de insulina.

Açúcar em estado bruto (cru) não é melhor do que o açúcar comum. Néctar de agave, infelizmente, também não faz bem: seu principal constituinte, frutose, tende a ficar mais tempo no fígado do que outros tipos de açúcar.

Alguns tipos de adoçantes, como o mel cru, têm nutrientes essenciais, mas são o mesmo que o açúcar branco em termos de calorias; alguns contêm até mais.

E, apesar dos boatos de que fazem mal, a Administração de Drogas e Alimentos dos EUA considera adoçantes sem calorias, como estévia e aspartame, seguros. “A curto prazo, os dados sugerem que são mais seguros do que o açúcar granulado”, diz Kimber Stanhope, bióloga nutricional da Universidade da Califórnia-Davis (EUA).[CNN]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 4,00 de 5)

8 comentários

  • Roberval Borges:

    Conquanto o açúcar “bruto” não ofereça segurança no contexto das calorias, ele é melhor que o açúcar branco, cristal ou refinado – é que ele tem na sua composição o cálcio, indispensável ao metabolismo do açúcar. Por isso ele não rouba o cálcio dos ossos e de outros órgãos do organismo, prevenindo a osteoporose simples (que independa de outros fatores predisponentes). Atente-se, ainda, ao fato de que esse mineral, assim como o magnésio, aumenta a imunidade contra vírus (gripe, herpes, etc).

  • Dinho01:

    Bem… a atriz Suzana Vieira diz que sua aparência jovial se deve ao fato de nunca ter comido açúcar industrializado na vida.

    • wagner.dtr:

      Podemos concluir que o conceito de jovialidade é um tanto relativo!!!

  • Luís Tony Correia:

    Tanto faz se faz bem ou não, o açúcar é BOM. Eu bebo refri sempre que posso açúcar é bom AÇÚCAR AÇÚCAR AAARGHHH

  • Rafael Ferraz Canelli:

    O título causa uma sensação de que o açúcar não é tão vilão assim, mas a matéria já leva ao leitor uma resposta bem verídica sobre o assunto.

    Só faltou falar sobre a sucralose, adoçante extremamente seguro e eficaz. Além disso, também não deixa sabor residual. Considerado hoje como o melhor adoçante em questão de segurança, saúde e sabor.

    • Garibaldi Santana:

      Sobre a S U C R A L O S E vá ao link
      http://sucralose-pt.org/questions/
      fala TUDO A RESPEITO, EXCETO ONDE ENCONTRAR.
      v ENCONTROU ONDE?

    • Rafael Ferraz Canelli:

      Adoçantes à base de sucralose já existem das marcas Linea, Finn, Gold, Zero Cal lançou a pouco tempo, e a Doces Aledora também tem, além de seus doces serem 100% adoçados com sucralose. É só procurar.

    • Raul Pereira Gomide:

      Infelizmente,as marcas brasileiras não contém apenas sucralose,mas também outros adoçantes,como o acessufame de potássio.

Deixe seu comentário!