Conheça os perigos do açúcar

Por , em 1.04.2012

Robert Lustig é um médico americano da Universidade da Califórnia (San Francisco, EUA), especialista em obesidade. Recentemente, ele tem promovido uma campanha para que haja leis restritivas de consumo de açúcar semelhantes às existentes para o álcool e tabaco, o que limitaria especialmente o acesso das crianças a produtos açucarados. Será que existe motivo para tanta preocupação?

O endocrinologista, que lançou um vídeo no Youtube no qual fala sobre o assunto (que já ultrapassou 2 milhões de visualizações), cita como exemplo uma série de doenças. Ele defende que o número de problemas de saúde como pressão alta, doenças do coração e vícios alimentares eram muito menores há 30 anos, e o responsável pelo salto nos índices foi o açúcar.

Como exemplo, o médico cita diabetes. Em 2011, havia 366 milhões de diabéticos no mundo (o equivalente a 5% da população), mais do que o dobro em 1980. Mais ou menos nessa época, o mundo começou a se preocupar e eliminar a quantidade excessiva de gordura na alimentação. Mas ninguém sabia que alguns lipídios são bons para o organismo: a ordem era cortar o máximo de gordura possível.

De lá para cá, fomos substituindo a gordura por açúcar. No Reino Unido, por exemplo, os índices são alarmantes: desde 1990, o consumo de açúcar cresceu 35%. Entre as crianças, a ingestão de glicose representa 17% do total de calorias diárias. Como é que chegamos a esse ponto?

A resposta do médico americano está nos produtos industrializados. Nos últimos anos, conforme ele explica, todos já sabem que açúcar em excesso pode fazer mal. Por isso, substituímos o açucareiro pelo adoçante, por exemplo, e tentamos cortar o açúcar dos alimentos que nós mesmos preparamos.

O problema é que o “açúcar invisível”, já embutido no alimento que vem da fábrica, atinge uma quantidade cada vez maior de produtos. Se você examinar o rótulo dos produtos que colocou em seu carrinho de supermercado, vai descobrir que existe açúcar em coisas que você nem imaginava.

Muitas pessoas engordam, por exemplo, porque o açúcar é um inibidor natural da leptina, o hormônio através do qual o estômago diz ao corpo que “já está bom, pode parar de comer”. Algo como uma trava natural. Este e outros efeitos nocivos indiretos à saúde por parte do açúcar também são objeto de estudo do endocrinologista americano.

O caminho para a restrição de tais produtos, conforme o próprio Robert Lustig afirma, é complicado. A indústria alimentícia resiste às tentativas de baixar os índices de açúcar nos produtos por que acreditam – provavelmente com razão – que o consumo vai cair significativamente se os alimentos nas formas em que as pessoas estão acostumadas mudarem. A vontade de mudar, dessa forma, deve partir primeiramente do consumidor. [Telegraph]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

16 comentários

  • Vida Alcalina:

    Açúcar é uma substância química – um veneno!

  • Luciano Soares de Carvalho:

    Amigos percebam o quanto o açúcar é perigoso para a nossa saúde.

  • André Luiz:

    Tudo em excesso faz mal.

  • Luiz Geraldo Nardelli:

    Tenho uma teoria sobre isso que sei que nunca vai ser aprovada por causa dos inúmeros interesses comerciais envolvidos, mas acho que seria extremamente benéfica a população:
    Alimentos que precisam de preparo não poderiam conter açúcar. Por exemplo, achocolatados tipo “Nescau” não poderiam conter uma grama de açúcar. A pessoa poderia adicionar quanto lhe parecesse bom. Da mesma forma, todo tipo de alimento que necessitasse de preparo, pudins, misturas prontas, mix de cereais, etc
    Acho que poderiam ser exceções alimentos prontos para consumo como por exemplo achocolatado tipo “Toddynho” ou similares, entre outros produtos.

  • Pedro Paulo:

    Se açucar em demasia fosse coisa boba, os diabeticos não teriam problemas.Todo alimento industrializado faz mal a saude, pois usam formas de conservação ou de transformação prejudiciais a saude animal.E não tem com comparar uma alimentação latina com uma americana (Se bem que estão nos levando para isso)E les não sabem oque é feijão…

    • Ezio José:

      Nós também não. Feijão causa doença de chagas. Feijão quebra dentadura, pois, é cheio de pedregulho.
      Diabéticos não pode mesmo ingerir açúcar tal como o hipertenso não pode o sal. Quem não é diabético ou hipertenso e não tem genes com essas doenças não tem problema nenhum em ingeri-las.
      Nós todos nascemos com um pacote quase completo de software que inclui programas que desenvolve em cada um dependendo desse e como se usa. Tem gente que nasce para pastar, relinchar e puxar carroça e outros nascem para roubar ovos de páscoa e dependendo do genes pode fazer isto a vida inteira sem ser prejudicado enquanto outros já desmaia no primeiro trecho coma carroça, desafina com o relinche, vai preso ao primeiro ovo roubado; tem os que passam a vida inteira sem problemas.

  • Ezio José:

    Açúcar faz mal. Sal faz mal. Gorduras e óleos vegetais fazem mal. Carnes fazem mal. Legumes e verduras só não fazem mal aqueles que você produz sem agrotóxicos. Café faz mal. Bebidas alcoólicas fazem mal. Cigarro faz mal. A maconha faz bem. Ser “viado” é “bunitim” e faz bem. Ler algumas matérias e todos os comentários no HC faz bem!…

    – Alô Dercy Gonçalves! Alô Chico Anísio!
    – Vocês que viveram intensamente tudo que é proibido e tiveram uma longevidade invejável… Postam alguma coisa aqui neste espaço! Dê seus depoimentos. Consigam mais alguns testemunhos de outros tantos semelhante por aí no céu ou inferno, sei lá…

  • Raton:

    Parece queo os americanos não conseguem se livrar do verdadeiro ódio que sentem pelo açucar. Acho exagerado esse as conclusões desse “estudo”.

    • Toinhordeste:

      Concordo. Acho também que a verdadeira responsabilidade desse aumento nos números de doenças cardiovasculares é do aumento do consumo de produtos industrializados, com conservantes que, sem dúvida alguma, fazem mais mal que açúcar.

      Até o próprio açúcar leva muitos produtos químicos para ficar com aquela aparência branca que tem. Os americanos não querem deixar de vender produtos industrializados porque são a base de sua economia hoje, depois querem por a culpa no “açúcar”.

      Em vez de dizerem:
      Comam frutas e vegetais cultivados em casa e carne natural (sem ser processada).
      Dizem:
      Comam Big Mcs supergordurosos e cheios de conservantes, que, além de pesarem em seus bolsos, pesarão na sua barriga!

    • Ezio José:

      Os países produtores de açúcar em grande quantidade são os latinos americanos e Cuba na América Central. A MacDonalds dos USA é uma industria alimentícia que não causa mal nenhum à saúde.

    • beatriz mó:

      Citei no Facebook a importância de conhecermos melhor os malefícios do açúcar em nosso organismo.No Brasil, exitem livros (escritores-que passaram pormaus mmomentos) e hj, gozam de uma melhor qualidade de vida,após se separarem ou despreenderem dos açúcares.
      xros

    • Roberto:

      É verdade. Todo mundo que conheço que realmente cortou o açúcar da dieta, conseguiu emagrecer e ficar bem mais saudável! A mudança é muito visível!

      É ÓBVIO que se você não cortar outros alimentos gordurosos, não vai emagrecer, não vai ser saudável, pode ter problemas de coração e desenvolver outras doenças.
      Mas isso não isenta a culpa do açúcar! Faz mal sim, e muito! E acredito que de fato o açúcar iniba a sensação de saciedade, porque coisas doces dão vontade de comer mais e mais o tempo todo!

  • João da cruz:

    São vários os males causado por açucares em todos os produtos em que ouver. Diabete, ecesso de energia *Cinética que envolve todo nosso corpo e muito mais outras provinda dos açucares dos alimentos, disse na menssagem que ja somos mais de 10%, mas eu particularmnete acredito que ja ultrapassa de 15% de afetado por estes ingredientes, em toda população mundial, precisamos ficar atento, principalmente diabeticos e cimilares, que não podem ir muito com açucares,e derivados.

  • Andhros:

    Em breve, o poderoso Dr. Patriarca vai clamar o controle do que se coloca nos pratos. Em seguida, vai solicitar que fiscais do governo tenham autoridade para inspecionar o uso de preservativo durante atos sexuais em sua jurisdição, como medida de combate as DST.

    Sem dúvida, a melhor abordagem para todos os problemas!!!
    Por que instruir e educar se é há como obrigar, que é muito mais fácil? As pessoas não valem o esforço? Não sei qual é pior: a pretensão de ter esse direito ou tratar as pessoas como se fossem incapazes (pra não falar “burras”).
    Só alguns motivos para repudiar o paternalismo…

    • Elizabeth:

      Também sou contra imposições, mas bem sabemos que grande parte dos adultos não mudam os hábitos e sempre encontrarão desculpas para isso, ainda mais no caso do açúcar que afeta apenas a saúde de quem consome.
      Se o cigarro, a bebida ingerida por motoristas, coisas que afetam também outras pessoas, tem difícil conscientização, imagine tirar o prazer de quem consome açúcar…

      Penso que ainda vai demorar décadas até que as pessoas tenham mais consciência dos malefícios dos alimentos industrializados, até que se preocupem mais com o meio em que vivem e também a saúde do planeta.
      Há de se conscientizar as crianças, já que grande parte dos adultos não quer mudar os hábitos.

    • Fernando:

      Seleção natural…vive o mais bem adaptado, não tem disciplina pra viver uma vida saudável? então prepare-se para deixar a vida mais cedo….simples assim.

Deixe seu comentário!