Adiantar incentivo a professores melhora notas de alunos

Por , em 11.09.2012

Existem escolas que dão um bônus aos seus docentes no final do ano letivo, conforme o desempenho de seus alunos. Contudo, um estudo recente mostrou que dar este incentivo (com certas condições) antes de as aulas começarem traz resultados melhores.

A pesquisa foi feita na Escola Primária de Chicago Heights (EUA), no ano letivo de 2010/2011 (vale lembrar que o sistema de ano letivo dos Estados Unidos é diferente do nosso). Participaram do estudo 150 professores (de um total de 160), que foram divididos aleatoriamente em dois grupos: o de “ganho” (que receberia um bônus no final do ano letivo, conforme a performance da turma) e o de “perda” (que receberia um bônus no começo, mas poderia perder parte dele se a turma tivesse um mau desempenho). Dentro dos dois grupos, alguns professores trabalharam em dupla, como parte do estudo. O dinheiro foi fornecido por fontes privadas.

“Os resultados do nosso experimento são consistentes com mais de 30 anos de pesquisas psicológicas e econômicas sobre o poder da aversão à perda como motivador: estudantes cujos professores estavam no grupo de ‘perda’ demonstraram um ganho significativo em seus exames de matemática”, aponta o economista John List, da Universidade de Chicago. A melhora também foi percebida em relação a outras disciplinas.

Esforço para obter x receio de perder

Os professores do grupo de “ganho” receberam um bônus de U$ 4 mil (cerca de R$ 8 mil) no início do ano letivo, que eles poderiam manter contanto que o desempenho de seus alunos melhorasse – se não atingissem as expectativas, teriam de devolver parte do valor. Já os professores do outro grupo receberiam esse bônus no final do ano, também de acordo com o desempenho da turma.

Os alunos foram avaliados como o teste padronizado ThinkLink Predictive. Para fazer uma avaliação que consideravam mais justa, os pesquisadores levaram em conta o histórico escolar de cada aluno na hora de medir sua evolução, ao invés de simplesmente analisar suas notas nos testes.

Ao final do estudo, os alunos cujos professores receberiam o bônus no fim do ano letivo não apresentaram grande melhora, principalmente em comparação com os alunos do outro grupo – que, segundo os autores da pesquisa, demostraram uma evolução notável.[Science Daily]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

2 comentários

  • Valdeir:

    A Minha Reforma Educacional
    1) Direito ao homeschooling aos alunos cujos pais tem capacidade para faze-lo.
    2) Extinção do cargo de pedagogo nas escolas. Estes só atrapalham o ensino de quem tem ciência para ensinar. Além do que, pedagogia nada mais é do que pseudo ciência. Pergunte o que é construtivismo a 10 pedagogos e você obterá 10 respostas diferentes (1).
    3) Alfabetização através do som de fonemas e montagem silábica.
    4) Os alunos iriam até a sala do professor que estaria já montada com todos os materiais que ele necessita e não como é hoje em que o professor tem que ficar carregando um monte de coisas pelo corredor.
    5) Extinção da eleição para diretor. O que se tem elegido de diretor ruim nestas escolas é para desmontar qualquer sistema educacional. Só dá o mala popular como diretor colocando musicão tipo bruno e marrones, ou som batistaca, é uma bagunça. Ciência e zoaria não dá muito certo.
    6) Os conteúdos não devem ser fragmentados como estão hoje. Primeiramente a lingua, literatura, poesia, música arte, depois só matemática nada mais do que matemática, gincanas, jogos, desafios de medidas na cidade, medição de volumes, o quanto de peso uma canoa construída pelos alunos suporta, visita a centros de ciências, ..
    Em seguida geografia, mais matemática, ….Depois história,
    De tal forma que o aluno mergulhasse nesses conteúdos como se fosse um pesquisador.
    7) Escola enxuta, a parte administrativa seria por pessoal expert em TI, que informatizasse tudo, lançamento de notas, faltas, emissão de documentos diversos. Mas que fossem aptos para fazerem pequenos reparos elétricos, de pintura e mecânica, para toda vez que queimasse uma simples tomada, não tivesse que abrir aquele lento processo de licitação. Demissão daquele monte de bundas gordas se arrastando pelas secretarias fazendo fofocas, conversando sobre novelas, é uma desgraça, é um custo. Dez destas secretárias não dá um profissional bom. Claro, não pode pedagogo selecionar secretária, porque daí uma anta seleciona a outra.
    8) Escola é um direito para quem quer. Tem que ter no mínimo ambiente de pessoas dispostas, curiosas, de silêncio, de concentração, de meditação. Agora para quem não quer, que se dê um tempo. Não adianta alguém querer te obrigar a aprender hebraico se você não quiser.
    9) Quem não quer, está fora.
    10) O aluno que já sabe o conteúdo que vai ser ministrado num determinado nível, tem direito a progressão para o nível seguinte. Não adianta ficar repetindo 2+2=4 para quem já sabe.

    citação (1) foi de um Professor em Maringá que obteve na justiça o direito de ensinar os filhos em casa.

  • Luciana Almeida Bento Vidal:

    Será que o MEC sabe disso?

Deixe seu comentário!