Um dos assassinos em série mais procurados da história dos EUA foi encontrado em um site de genealogia

Por , em 30.04.2018

Na semana passada, as autoridades dos EUA conseguiram prender um dos assassinos em série mais famosos da história do país. O Golden State Killer é acusado de cometer mais de 50 estupros e 12 assassinatos ao longo de décadas. Ele agia em uma era anterior às mídias sociais e às buscas do Google, uma época em que a polícia precisava trabalhar com pistas muito mais prosaicas, e não com registros de celulares ou grandes volumes de dados.

Mas foi a tecnologia que o levou à cadeia. O suspeito, Joseph James DeAngelo, 72 anos, foi preso pela polícia na terça-feira (24) com a ajuda do DNA de cenas de crime que haviam sido armazenadas durante todos esses anos e conectaram o perfil genético do suspeito a um banco de dados online de genealogia. Um desses serviços, o GEDmatch, disse em um comunicado na sexta-feira (27) que as autoridades policiais usaram o seu banco de dados para desvendar o caso. Os policiais encontraram parentes distantes de DeAngelo e, apesar de seus anos de disfarce, localizaram seu DNA de maneira até mesmo fácil.

“Encontramos uma pessoa que tinha a idade certa e vivia nessa área – e esse era o Sr. DeAngelo”, disse Steve Grippi, o chefe adjunto do gabinete do promotor distrital de Sacramento. Os investigadores então obtiveram o que Anne Marie Schubert, a advogada do distrito de Sacramento, chamou de amostras de DNA “abandonadas” do Sr. DeAngelo: DNA deixado em locais de domínio público.O resultado do teste confirmou os resultados em mais de 10 assassinatos na Califórnia. O escritório de Schubert obteve uma segunda amostra e voltou com o mesmo resultado positivo, correspondendo ao perfil completo do DNA.

“Ele estava totalmente fora do radar até apenas uma semana atrás, e era uma pista que eles tinham, de alguma forma eles conseguiam informações e através da checagem da família ou dos descendentes – o método que eles usaram era bem complicado – eles conseguiram colocá-lo no radar “, diz Ray Biondi, que era o tenente encarregado do departamento de homicídios do Departamento do Xerife do Condado de Sacramento durante a onda de crimes – ele hoje tem 81 anos.

Ética

Empresas grandes de testes de DNA extraem perfis genéticos da saliva que seus clientes enviam para a empresa em um tubo pelo correio. Não seria fácil para a polícia fazer o upload de um perfil em um desses sites. No entanto, nos últimos anos, vários sites genealógicos menores surgiram dando aos clientes mais caminhos para fazer upload de um perfil de DNA e procurar por parentes.

Mas se a polícia localizasse o suspeito através de um site de genealogia, isso poderia levantar questões éticas, particularmente se os indivíduos não consentissem em ter seus perfis genéticos pesquisados e comparados com as evidências de uma cena de crime. A GEDmatch disse em seu comunicado que avisa a seus clientes que a informação genética deles poderia ser usada para outros fins. “Se você está preocupado com o uso não genético de seu DNA, você não deve enviar seu DNA para o banco de dados e / ou remover o DNA que já foi enviado”, dizia o comunicado.

10 criminosos seriais presos por causa de seus desejos bizarros

Um dos mais notórios assassinos em série americanos entre a década de 60 e 80, o Golden State Killer tinha rituais sádicos. Ele começou seus crimes estuprando mulheres solteiras. Depois passou a estuprar mulheres casadas com seus maridos presentes, antes de matar os dois. Suas armas eram variadas. Em algumas de suas vítimas ele atirou e matou com uma arma de fogo. Outras foram espancadas até a morte com qualquer coisa que ele pudesse encontrar – em um caso, um pedaço de lenha. Suas marcas registradas eram a máscara que usava e o fato de sempre amarrar as mãos de suas vítimas.

Schubert, a advogada do caso, passou sua infância no subúrbio de Arden-Arcade, em Sacramento, a poucos quilômetros de onde o suspeito rondava as casas e estuprou mulheres. Ela foi marcada pelo terror de se perguntar se ela ou pessoas que ela conhecia poderiam ser as próximas.

“Não era uma questão de se ele estava vindo, mas quando”, lembra ela. Mesmo não sendo um entusiasta de armas de fogo, seu pai comprou uma arma nesta época, diz ela. Sua mãe mantinha uma picareta de gelo sob o travesseiro à noite.

Monica Miller, encarregada do escritório de campo do F.B.I em Sacramento de 2013 a 2017, afirma que, quando se aposentou, o caso do Golden State Killer estava frio. Coube a pessoas como Schubert manter a preocupação em pegar o assassino. “Para o povo de Sacramento, era quase uma ferida aberta. As pessoas ainda falavam sobre isso. Ele era um fantasma nas mentes das pessoas”, aponta Miller.

Será que a ciência forense finalmente descobriu a identidade de Jack, o Estripador?

Em sua carreira como advogada distrital, Schubert defendeu a tecnologia do DNA e ministrou cursos sobre casos frios, criando uma unidade no escritório do promotor distrital de Sacramento para persegui-los. Há dezoito anos, ela procurou um investigador do Condado de Contra Costa especializado no Estuprador da Área Leste, outro nome pelo qual o assassino era conhecido, iniciando uma colaboração para revitalizar o caso.

Dois anos atrás, ela convocou uma força-tarefa no 40º aniversário dos ataques. Foi o trabalho desse grupo – uma colaboração com os condados no sul da Califórnia, a área da baía de São Francisco e o F.B.I., que ajudou a resolver o caso.

“Debaixo dos nossos narizes”

Muitas perguntas ainda permanecem sobre o suspeito. Os investigadores não sabem, por exemplo, se sua família ou seus ex-colegas tinham pistas sobre seu horrível passado ou por que razão ele pareceu parar sua onda de estupros e assassinatos em 1986.

Todas essas perguntas estiveram nas rodas de conversas entre os moradores de Citrus Heights, o bairro de DeAngelo. Eles acordaram na quarta-feira chocados ao descobrir que seu vizinho, um homem que gostava de mexer com sua motocicleta na frente de sua casa, estava sendo acusado de ser um dos mais famosos estupradores e assassinos em série do país.

Todos os psicopatas são perigosos?

“É uma loucura – eles estavam procurando por esse cara há 40 anos e ele estava bem aqui debaixo de nossos narizes”, disse Ashley Piorun, que mora a cinco casas de DeAngelo. “Ficamos chocados ao descobrir.”

Esse bairro suburbano de casas bem cuidadas, a nordeste de Sacramento, é um bairro residencial clássico da Califórnia cheio de becos sem saída e imponentes palmeiras.
Paul Sanchietti, outro vizinho, disse que se interessou pelo caso há seis meses e vasculhou o verbete da Wikipedia que listava todos os crimes sórdidos e sádicos que o Golden State Killer foi acusado de cometer. “Eu estava procurando o cara na Wikipedia e ele estava a cinco portas de distância”,

Sanchietti disse que não teve nada além de interações educadas com DeAngelo nas últimas duas décadas, mas, como outros vizinhos, ele se lembrou de DeAngelo como alguém com um temperamento forte. “Ele ficaria volátil. Ele estava ali cuidando de seu carro e ficava muito bravo. Havia muitos xingamentos”, recorda.

“Todo bairro tem um cara estranho. Mas ele ser um serial killer e estuprador – isso nunca passou pela minha cabeça”, garante. [NY Times]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (18 votos, média: 4,72 de 5)

Deixe seu comentário!