Você sabe mais sobre o universo do que os sábios antigos?

Por , em 27.02.2013

Os sábios antigos, principalmente os gregos, como Platão e Aristóteles, eram muito inteligentes e deram imensas contribuições para a filosofia e para a filha da filosofia, a ciência. No entanto, hoje, qualquer pessoa que tenha conhecimento básico sobre o funcionamento do universo sabe muito mais do que eles.

A lista abaixo elenca o conhecimento científico básico ao alcance do cidadão comum, resultado dos últimos 400 anos de desenvolvimento científico. Ela foi montada pelo cientista e escritor James Trefil, em seu livro “Why Science?” (“Por que a ciência?”, em tradução livre), e representa o mínimo necessário que você deve conhecer para não ser considerado um analfabeto científico. Confira:

Natureza

O universo é regular e previsível – Esta é uma ideia que faz parte do núcleo da ciência experimental moderna e, apesar de ser tão importante, não pode ser provada verdadeira. Por outro lado, ela é comprovada todos os dias de outras formas, através do comportamento consistente que observamos: a Terra gira, fazendo o ciclo regular de dias e noites, e a gravidade continua a funcionar.

earth

Quando o universo nos surpreende, a surpresa geralmente é resultado ou de informações incompletas, ou de uma interpretação imprecisa da informação disponível, e não de uma natureza caótica do próprio universo. Como a natureza racional de nossa investigação da natureza é construída sobre esta ideia, se ela não for compreendida, consequentemente haverá dificuldades na compreensão das descobertas científicas.

A energia em um sistema fechado é conservada – Este é o princípio conhecido como a primeira lei da termodinâmica, e é fundamental para compreender o fluxo da energia no universo. Ela fornece a base para a lei da conservação da energia, que afirma que a energia não pode ser criada ou destruída, apenas transformada.

O calor não flui espontaneamente de um corpo frio para um quente – Esta ideia, também conhecida como a segunda lei da termodinâmica, se relaciona com o conceito de entropia, ou a medida da desordem em um sistema.

Em sua forma mais simples, significa que, com o tempo, qualquer processo termodinâmico irá perder energia (frequentemente na forma de desperdício) e, portanto, uma máquina perfeita ou um “moto perpétuo” não pode ser criado.

As equações de Maxwell governam a eletricidade e o magnetismo – O cientista James Clerk Maxwell, do século XIX, descobriu uma peça chave na natureza do universo: a de que a eletricidade e o magnetismo são manifestações do mesmo fenômeno, que veio a ser chamado de eletromagnetismo.

Por exemplo, uma partícula com carga elétrica, quando em movimento, produz (ou induz) um campo magnético. Este e outros conceitos foram codificados em uma série de equações chamadas equações de Maxwell e, mais de um século depois, são fundamentais para a nossa compreensão do eletromagnetismo.

Matéria

A matéria é feita de átomos – Um conceito criado pelos antigos gregos, o atomismo afirmava que a matéria com a qual interagimos é composta de coisas menores que não podemos ver.

Enquanto o conceito grego era que os átomos seriam os menores constituintes da matéria, a física de partículas moderna tem demonstrado que o próprio átomo é constituído de elementos menores.

atom

As propriedades dos materiais são determinadas pela identidade e arranjo dos átomos – As propriedades dos materiais depende da identidade, arranjo e ligação dos átomos que os constituem. A estrutura nuclear do átomo determina qual é o elemento químico, e a estrutura dos elétrons mais externos determina como os átomos podem ser ligados. Esta é a base da química, químico-física, e outras áreas de estudo relacionadas.

No mundo quântico, não é possível medir um objeto sem modificá-lo – Esta foi uma das descobertas mais inesperadas da história da ciência, de que no minúsculo reino da física quântica a linha que separa observador de objeto observado é muito tênue, ao ponto de ser não existente.

As leis da natureza são as mesmas em todos os referenciais – Esta foi uma das grandes sacadas de Albert Einstein, que levou ao desenvolvimento da Teoria da Relatividade. Basicamente, se as leis da natureza são as mesmas, independente da velocidade dos diferentes observadores, o cientista determinou que deve haver uma forma de traduzir as observações de um observador para outro de forma a serem consistentes. Ao fazê-lo, ele descobriu que algumas propriedades da realidade parecem inconsistentes dependendo de como dois observadores estão se movendo.

Há muita energia no núcleo dos átomos – Enquanto desenvolvia sua teoria da relatividade, Einstein percebeu que havia uma conexão íntima entre massa e energia. Mais além, a massa era apenas uma outra forma de energia e era possível escrever uma equação, a famosa E=mc², relacionando massa (m) à energia (E), que é baseada na velocidade da luz (c) ao quadrado.

A velocidade da luz é um número bem grande, então a energia contida em um núcleo atômico também é correspondentemente grande (mesmo que a massa em si seja pequena).

O núcleo atômico é feito de partículas, que são feitas de quarks – Apesar de acreditarmos, por um tempo, que os átomos eram os menores elementos constituintes da matéria, há praticamente um século já se sabe que não é bem assim.

Os átomos são compostos de um núcleo, cercado de partículas carregadas negativamente. O núcleo contém prótons (partículas com carga positiva) e nêutrons (partículas com carga neutra), e os prótons e os nêutrons aparentemente são compostos de partículas ainda menores, chamadas quarks.

Cosmos

As estrelas vivem e morrem como tudo o mais – Durante um bom tempo acreditou-se que os céus eram eternos e imutáveis, embora esta noção tenha sido destruída por Galileu (e com ampla evidência anterior a ele).

Glittering-Metropolis-of-Stars

Hoje sabemos que as estrelas se formam quando nuvens de hidrogênio se compactam pela ação da gravidade e começam a realizar a fusão nuclear. De forma semelhante, quando o combustível nuclear começa a acabar, a estrela morre, possivelmente em uma supernova massiva que resulta em um buraco negro.

O universo começou de uma forma consistente com a descrição dada pela teoria do Big Bang – Ou, em outras palavras, o universo começou em um estado denso e quente, cerca de 14 bilhões de anos atrás, e tem estado em expansão desde então.

Apesar de algumas teorias alternativas, como o modelo cíclico de Steinhard e Turok, também explicarem as mesmas evidências, as linhas gerais do Big Bang já estão bem estabelecidas e é bastante improvável que se revelem falhas.

Terra

A superfície do planeta está em constante mudança – Da mesma forma que se acreditava que o céu era constante e imutável, acreditava-se que a Terra era imutável e constante, exceto por pequenas alterações como as causadas pela erosão. Desde que a teoria das placas tectônicas se firmou, o campo da geologia tem crescido imensamente, com a descoberta de muitas informações sobre como a superfície terrestre muda constantemente.

A Terra trabalha em ciclos – Há uma enorme variedade de ciclos no funcionamento do planeta, das centenas de milhões de anos do ciclo das rochas aos ciclos mais curtos dos padrões meteorológicos (ciclo atmosférico), bem como o ciclo do nitrogênio, das terras úmidas, e assim por diante.

Vida

A vida é baseada na química – Do nascimento à morte, a vida é toda ditada por processos químicos. A reprodução é um processo químico e, na outra ponta da vida, o envelhecimento e morte são resultados da química que sustenta as células se desfazendo. Todos os estágios intermediários também são governados, de forma semelhante, pelos processos bioquímicos que acontecem em nossos corpos.

O comportamento de moléculas em organismos vivos depende do seu formato – Esta descoberta nos ajudou a entender por que as enzimas e proteínas são importantes na química da vida. Elas permitem que as moléculas do corpo assumam formatos que são mais apropriados para certas tarefas, executando-as mais prontamente. Sem a química correta, não desempenhariam bem suas tarefas (como pode acontecer em casos de falhas).

A química da vida está codificada no DNA – Uma das maiores combinações da química, biologia e física foi a descoberta da estrutura de dupla-hélice da molécula do DNA. O DNA é uma molécula longa, que codifica a informação que é usada por algumas células para produzir substâncias químicas, que por sua vez executam tarefas como a criação de novas células, o combate aos germes, e assim por diante. Sem este código, nossas células nunca teriam qualquer instrução sobre como agir e seriam como um computador sem sistema operacional.

3d_model_DNA_w_phosphate_1

Todos os seres vivos compartilham o mesmo código genético – Esta parece uma descoberta miraculosa, mas é verdadeira. Toda a vida (na Terra, pelo menos) codifica sua informação genética na forma de DNA. Com isto, temos as bases da engenharia genética, que é uma área que cresce à medida que as biotecnologias se tornam mais capazes de manipular o genoma de plantas e animais.

A vida evoluiu através do processo da seleção natural – A evolução biológica é um fato, e cientistas que abraçam outras teorias tem o grande problema de explicar a enorme quantidade de dados que apoiam a evolução. Esse item da lista é o mais carregado de debate (entre evolução e criacionismo) e emoções fortes, mas falar sobre a seleção natural é absolutamente necessário para uma educação científica básica.[About Physics]

human-evolution-david-gifford

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (5 votos, média: 5,00 de 5)

42 comentários

  • kaccos:

    As placas sumérias tem informações precisas sobre os planetas do sistema solar. O mais impresionante são os dados sobre Plutão (planeta que só foi descoberto em 1930). Eles sabiam o tamanho de Plutão, sua composição química e orgânica e afirmavam que Plutão era na verdade um satélite de Saturno que se “desprendeu” e ganhou uma nova órbita. Eles chamavam a Lua de pote de chumbo e diziam que seu núcleo era uma ‘cabaça’ de ferro. Durante o programa Apolo, a NASA confirmou esses dados… Esse conhecimento seria possível há 3.000 anos atrás? Em 1983, o Satélite Astronômico Infravermelho (IRAS) fotografou um grande objeto na imensidão do espaço. O astro seria tão grande quanto Júpiter e provavelmente poderia fazer parte do nosso Sistema Solar. Em 1987, a Agência Espacial Norte-Americana (NASA) anunciou oficialmente que admitia a provável existência do chamado Planeta X. Em uma conferência realizada no Centro de Pesquisas Ames, na Califórnia, o pesquisador John Anderson declarou: “Um décimo segundo planeta pode estar orbitando o Sol. Sua localização seria três vezes a distância entre o Sol e Plutão”. A questão é delicadíssima. De um lado temos escritos de milhares de anos sobre a formação da Terra, com informações precisas e riquezas de detalhes, traduzidos pelo maior especialista em civilização suméria e de outro lado temos a discreta confirmação dessas informações pela maior agência espacial do mundo.Então com certeza os sabios Sumérios sabiam mais de astronomia,arquitetura e agricultura do que os sabios de hoje!

    • jodeja:

      kaccos, é exatamente isso, a ciência está bem adiantada, mas os sumérios sabiam bem mais. Não sou culto, porém sou muito curioso. Já li que cientistas antigos, bem antigos, tinham mais conhecimentos que os de hoje. Os planetas eram, e são, 12, só que desses, apenas 7 eram sagrados daí o nome dos dias da semana em quase todos os idiomas, só em português que tem segunda, terça… ficando sem feira o domingo, que é sol e o sábado que é saturno.
      Sol e lua eram considerados planetas.

  • Thel Martins:

    Acredito que isso seja normal e natural… Eu sei muitas coisas mais do que minha mãe e minha mãe sabe de coisas que eu não sei… E a medida que evoluímos as crianças do futuro talvez saibam mais do que nós… Já pensou os pivetes aprendendo funções, análises combinatórias, binômios, cálculo, derivada e integral no fundamental? Talvez seja possível o/

  • Eloyr:

    Não vejo vantagem alguma em viver nos dias de hoje,
    ao invés do passado.
    O mundo antigo era isento de poluição e vivia-se
    muito bem sem ter que tomar uma aspirina siquer.
    Tente fazer isto hoje.

    • Marcelo Ribeiro:

      Bastava pegar uma simples infecção que você poderia morrer ou ficar com sequelas para o resto da vida.

    • kid redman:

      Com certeza… cumpadinho na idade média, com 40 já tava desdentado e gagá ! rsrs

  • Helder Mafra:

    SÓ SEI QUE A MINHA EXISTÊNCIA CONTINUARA EVOLUINDO SÓ ME FALTA MESMO A CONQUISTA DO UNIVERSO..

    • kid redman:

      Dart Vader…

  • neutrino:

    A ciência não está conseguindo entender o mundo subatômico.
    É uma fronteira totalmente novo de conhecimentos.
    Esses dias vi um físico dizendo que há quarenta anos nada de novo se conseguiu descobrir nesta área.
    O fato de não se conseguir medir essas partículas tem intrigado e sacudido o mundo científico.
    Mas voltemos nosso olhar para a pesquisa tanto a newtoniana e agora Einsten com todo o aparato tecnológico atual, tentando entender o mundo com medidas precisas e descobre que o átomo aparenta ter vida própria.
    Será que estamos inaugurando uma nova física?
    Só existe uma palavra para definir tudo isso. Evolução.

  • SergioK:

    O foco do ensino fundamental e universitário tem sido no aprendizado integral em todas as áreas, ou seja a pessoa usar os livros durante o ensino e trabalhar sem precisar deles. Por isso as provas precisam ser sem consulta. Porém acredito que estamos em uma mudança de paradigma onde há tanta infomação, e de acesso tão facilitado, que o indivíduo mais capaz pode ser aquele que tem um conhecimento muito abrangente e sabe aonde e como procurar, agregando rapidamente aquilo que ele não sabe. Ajuda um toque de humildade em estar sempre aberto a novas informações.

  • Janine Milward:

    Eu penso que não é bem assim….

    É certo que hoje em dia, as pessoas estão todo o tempo sendo confrontadas com todas as espécies de comunicação trazendo-lhes informações várias.

    No entanto, por outro lado, as pessoas (e mais fundamentalmente, os jovens e as crianças) exatamente por estarem expostas a tudo isso e o céu também, acabam passando superficialmente por quase tudo.

    E penso também que hoje em dia existe um tom de preguiça nos jovens e nas crianças em termos de leitura de textos grandes, mais aprofundados: a vida começa e termina em uma bela imagem ou ilustração e uma frase ou duas frases, no máximo três frases , tentando trazer uma explicação (que também corre o risco de ser superficial) sobre o tema exposto.

    E mais ainda: os jovens e as crianças não estão conseguindo ler e interpretar o que leram e menos ainda trazerem seus comentários a partir de elaboração de conceitos pessoais – tudo isso é utopia, para eles, e sempre esperam que uma meia-dúzia de nerds ou algo assim faça isso por eles e que eles tenham apenas que clicar Curtir e nada mais e passar para outra e quem quiser que conte outra.

    Um abraço estrelado,
    Janine Milward

    • aguiarubra:

      Janine Milward

      É isso aí, camarada!
      Tem, também, um outro fator premente em nosso país, que pode ser vislumbrado aqui, numa lamentável “piada” que recebi pela internet. Veja só se isso é possível:

      Assunto: FW: Procurando emprego pro filho… A vergonhosa realidade brasileira …

      Viva o Brasil !

      O filho termina o segundo grau e não tem vontade de fazer uma faculdade.
      A realidade brasileira.

      O pai, meio mão de ferro, dá um apertão:
      – Ahh, não quer estudar? Bem, perfeito. Vadio dentro de casa eu não mantenho, então vai trabalhar…
      O velho, que tem muitos amigos, fala com um deles, que fala com outro até que ele consegue uma audiência com um político que foi seu colega lá na época de muito tempo atrás:
      – Maia!!!! Meu velho amigo!!! Tu te lembra do meu filho? Pois é,terminou o segundo grau e anda meio à toa, não quer estudar. Será que tu não consegue nada pro rapaz não ficar em casa vagabundando?
      Apos 3 dias, Maia liga:
      – Maia, já tenho. Assessor na Comissão de Saúde no Congresso, R$13.700,00 por mês, prá começar.
      – Tu tá loco!!!!! O guri recém terminou o colégio, não vai querer estudar mais, consegue algo mais abaixo…
      Dois dias depois:
      – Zé, secretário de um deputado, salário modesto, R$ 9.800,00, tá bom assim?
      – Nãooooo, Maia, algo com um salário menor, eu quero que o guri
      tenha vontade de estudar depois….Consegue outra coisa.
      – Zé, não sei se ele vai aceitar, mas tem um de assessor da câmara, que é só de R$.6.500,00…
      – Não, não ainda é muito, aí que ele não estuda mais mesmo..
      – Olha Zé, a única coisa que eu posso conseguir é um carguinho de ajudante de arquivo, alguma coisa de informática, mas aí o salário éuma merreca, R$ 3.800,00 por mês e nada mais….
      – Maia, isso não, por favor, alguma coisa de 510,00 a 600,00 ou700,00 no máximo.
      – Isso é impossível Zé!
      – Mas, por quê?
      – PORQUE com este salário aí eu só tenho vaga pra professor e aí precisa de CURSO SUPERIOR, MESTRADO, DOUTORADO … aí é difícil porque precisa passar em concurso!

    • Jonatas:

      Me permite publicar essa narrativa em meu facebook?

    • aguiarubra:

      Olá, Jonatas!

      Por favor, publique, ajude a difundir, estamos a beira do desespero em educação.

      Quanto mais pessoas se conscientizarem dessas realidades, melhores perspectivas teremos para mudar esse “Estado de sanguessugas” que mantem a educação brasileira no nível mais deplorável possível.

      Recebi de anônimo e agora passa a ser seu, nosso, de todos!!!!

    • Jonatas:

      Legal. Tenho quase certeza que já deve ter visto. Mas senão: http://www.youtube.com/watch?v=Q2f9W7KDwjA

    • aguiarubra:

      Ah! Sim, eu já baixei, mas ainda não assisti por inteiro. Fui “atropelado” por trabalhos em torno de Sociologia da Educação e ficou aqui, “perdido”, em meu HD.

      Mas o pouco que vi me deixou extremamente interessado. Te agradeço por me fazer “lembrar” desse vídeo!!! Foi muito bacana de sua parte. Para não perdê-lo de novo, vou imediatamente transformá-lo num DVD caseiro e assistir, estudar, absorver o que puder desse excelente professor Pier.
      Valeu mesmo, camarada!

      …rapaz, ao mesmo tempo que escrevo, estou ouvindo ele falar. Fantástico! Vou ouvir até o fim, dessa vez…

    • aguiarubra:

      Minha esposa professora tá adorando…!!!

    • kid redman:

      Hmmm…isso não seria uma narrativa, mas uma piada velha que já caiu no domínio público – ou seja: fique á vontade, meu bom.

  • aguiarubra:

    Muito bom artigo.

    Mas, comprovadamente, temos tanta informação sendo difundida pela mídia hoje em dia, que não há inteligencia suficiente para “entendê-las” no mesmo ritmo que chegam.

    Ou seja, acabamos afogados em informações. E para nos protegermos da “ansiedade de informação” que ameaça nossa sanidade mental, temos que aderir a algumas das fáceis e simples “interpretações” oferecidas por vários grupos de divulgação constantemente em conflito, que necessariamente distorcem o que é originalmente informado. Vide no youtube “Michio Kaku: o Bóson de Higgs e a Teoria das Cordas” https://www.google.com.br/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=1&cad=rja&ved=0CDAQtwIwAA&url=http%3A%2F%2Fwww.youtube.com%2Fwatch%3Fv%3DRzwrGbyZiDk&ei=XGovUembL4O88ASmo4DADw&usg=AFQjCNHVUVluPw9MOrX51bmFgKRD7lxTzQ&bvm=bv.43148975,d.eWU

    O sistema escolar não ajuda muito na formação de uma base segura, pois o ensino já vem atrasado por várias décadas.

    Um conhecimento assim não difere de “ideologia de grupos”!!! E o melhor autodidata depende, ainda, de conhecimentos (relativamente) antigos!

    Apesar de tudo, realmente hoje conhecemos mais e melhor. No entanto, é a “memória” (eletrônica) que está mais envolvida nesse conhecer, ao mesmo tempo em que a capacidade de ler e interpretar está em declínio no mundo. Há até propostas pedagógicas para eliminar a escrita manual, pq. precisa-se ser rápido na transmissão de informações!!!

    Ganhamos em quantidade, mas estamos muito longe da qualidade de raciocínio desses antigos sábios, embora eles tenham conhecido menos e se equivocaram mais em suas informações.

    De qualquer modo, contar com artigos como esse do Hypescience serve de “bóia salva-vidas” nesse “mar de afogados” em que temos de (sobre)viver contemporaneamente.

    Uma sugestão: “Como Se Manter Atualizado Quando Há Mais Informações E Menos Tempo” https://www.google.com.br/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=5&cad=rja&ved=0CFMQFjAE&url=http%3A%2F%2Fbr.masternewmedia.org%2F2012%2F07%2F30%2Fcomo_se_manter_atualizado_quando_ha_mais.htm&ei=JWIvUenYKYHm9AT2zYDgAQ&usg=AFQjCNH6OGdaKfdRWh7iL14od3aFykOtrw

  • aguiarubra:

    Com certeza, Costa, não estaríamos ameaçando o equilíbrio do ecossistema como se está fazendo hoje de modo arrogante.

    Nesse século, terrorristas terão tecnologia suficiente para iniciar guerrilhas com artefatos atômicos, quimicos e biológicos por causa de água potável, solos aráveis, ar respirável, combustíveis escassos…Um mundo “Mad Max” sem sentido, se continuarmos a desprezar a Natureza como não se fazia em séculos anteriores ao nosso.

    É um absurdo ver tanta tecnologia facilitando o suicídio coletivo do Homo Sapiens, com o agravante de que cientistas como Ray Kurweill “acha que” substituir os seres humanos por “máquinas espirituais” vai salvá-lo de todos os perigos presentes e futuros: é o pós-humano maquínico. Talvez a “Matrix” seja o estágio final do Homo Sapiens, num planeta totalmente hostil a vida humana (pois virus e bactérias são bem mais inteligentes do que nós).

  • Cesar Pinheiro:

    “Quando o universo nos surpreende, a surpresa geralmente é resultado ou de informações incompletas, ou de uma interpretação imprecisa da informação disponível, e não de uma natureza caótica do próprio universo. Como a natureza racional de nossa investigação da natureza é construída sobre esta ideia, se ela não for compreendida, consequentemente haverá dificuldades na compreensão das descobertas científicas.”

    _Discordo do autor, acredito sim que existe uma natureza caótica na origem do universo, relacionada às flutuações quânticas de vácuo. Mas, pela própria termodinâmica esse caos formador vai se organizando com o tempo, gerando ciclos cósmicos.http://questcosmic.wordpress.com/2012/03/03/kaos-termodinamica-quantica-e-os-ciclos-cosmicos/

  • Paulo Marinho:

    Se convencionou chamar quem teve oportunidades de estudar em boas escolas e faculdades de “intelectual” mas nem sempre saber muitas coisas significa ser inteligente, criativo e ver ou concluir o que outros não foram capazes. Alguns cientistas e sábios foram autodidatas. Isaac Newton viu cair uma maçã e formulou a lei da gravidade. Tem universitário que pode cair uma jaca na cabeça que não sabe nem por que está com cefaleia.

    • jodeja:

      Por isso é que já disse, digo e repito: Inteligência é uma coisa e sabedoria é outra.

    • Lucas Gurgel:

      Na verdade, não existe uma única característica que represente a inteligência, em si, mas sim diversos atributos que desenvolvidos conjuntamente representam um grande avanço intelectual das pessoas. Criatividade, sabedoria, percepção do mundo a sua volta, o desenvolvimento de um pensamento crítico (não aquele que procura defeito em tudo mas aquele que pretende demonstrar o caminho certo para ser seguido e que faça com que aquela pessoa seja edificada e não derrubada), o respeito (Sim, pois um inconsequente que age por conta própria não demonstra nenhum sinal de inteligência), o pensamento no coletivo, entre outras diversas características.

  • Eloyr:

    Nunca tive dúvidas disto e vou mais longe… Os nossos meninos e meninas já possuem VOLUME de informações científicas e técnicas, que superam os grandes pensadores do passado. Nem sempre sabemos como processar tais informações, mas as possuimos de fato.

  • HFC:

    É por isso que no passado eles viviam as mil maravilhas … O mundo deles era bem melhor com escravos, doenças matando a torto e a direito, cartas demorando messes ou anos para chegar, expectativa de vida média em torno dos 30-35 anos. Uma maravilha mesmo!!! Eles estavam bem melhor …

    • Paulo Marinho:

      O nobre Sr Costa, imagino, fez uma suposição, baseado numa hipótese alternativa para hoje, dentro dos valores e costumes atuais em combinação com a sabedoria e inteligência e visão daqueles sábios do passado; Não que a sabedoria deles pudesse influir sobre isto naqueles tempos de ajustes geopolíticos, religiosos e sem nossa tecnologia para mensurar do inimaginável grande ao inacreditavelmente pequeno calculados em nanosegundos em supercomputadores em rede, imagine o que fariam se vivessem hoje com aceleradores de partículas. Mas apesar de todo conhecimento e tecnologia, muitos ainda morrem em guerras, violência, atentados e prematuramente por fome ou falta de boa alimentação e acesso a conhecimento, recursos e medicina avançada e seus últimos remédios, procedimentos, tratamentos e aparelhos de diagnóstico, numa vida não muito diferente do passado.

    • kid redman:

      Bem, ainda hoje temos escravos (de diversas raças); as doenças continuam matando (aids, câncer, avc, etc) elas apenas mudam : cura-se uma, aparece uma nova…
      Sem falar na criminalidade, o terrorismo, o crack, a falta de civilidade e espiritualidade…
      Sim, vivemos mais… e daí ?
      O mundo continua mal das pernas, e me parece mesmo que já ultrapassou o ápice da parábola – acho que entramos numa linha descendente de qualidade de vida, mesmo com toda a nossa tecnologia moderna ( ou mesmo por causa dela )
      Quer saber ? Quando eu era bem moleque os moleques viviam melhor, e tinham MUITO mais liberdade e segurança ! Transávamos sem camisinha , moto sem capacete (e morria menos gente !!!). Ah, não tinha crowd no surfe… nada de trânsito, gasolina barata…
      Nada de blitz, nada de assaltos – e o rock era de primeira !!!!
      Não me levem a mal, mas é bom alguém fazer alguma coisa…

  • Pedro Henrique:

    “A evolução biológica é um fato, e cientistas que abraçam outras teorias tem o grande problema de explicar a enorme quantidade de dados que apoiam a evolução.”

    CIENTISTAS que abraçam outras teorias que discordem da evolução??? Isso existe? Creio que não…

    • kid redman:

      uma evolução ditada por um criacionismo miraculoso ? ih, caraca !

  • SergioK:

    Sobre “Todos os seres vivos compartilham o mesmo código genético”. Quando se fala sobre o código genético de um ser vivo, está se falando sobre as informações codificadas que o tornam o que ele é. Por exemplo, pode-se perguntar se gêmeos idênticos tem o mesmo código genético. Acredito que a referência era sobre todos os seres vivos usarem as mesmas bases nitrogenadas (adenina, timina, citosina e guanina) e da mesma forma, ou seja a tabela associando 3 bases a cada aminoácido é a mesma para todos os seres vivos.

    • Cesar Grossmann:

      Acho que você está certo, provavelmente era isto que o autor queria dizer quando escreveu aquilo, SergioK.

  • JHR:

    Estes caras eram predestinados e construiram a base para o desenvolvimento cientifico. Se estivessem vivos hoje estariam tão a frente de nosso tempo quanto estiveram em sua época.

    • kid redman:

      sabe lá se Stephen Hawking é uma reencarnação de Aristóteles ? rsrs…

  • Genioso Irreligioso:

    Somos privilegiados por viver nesse tempo; mesmo com todos os problemas inerentes à nossa época =]

    • kid redman:

      A vida em qualquer tempo que seja é um privilégio, meu caro ! Pode acreditar !

  • Lucas Bassouto:

    A causa é que não temos que descobrir isso sozinhos. É só abrir um livro e está tudo lá.

    • lsaude:

      Acesse o Google e está tudo lé e + alguma coisa. Livros? Para que livros??

  • Damous:

    Existe uma grande diferença entre “saber” e “criar”… se não fosse por eles… hoje em dia talvez não saberíamos o formato do planeta terra!

  • Austregon:

    A segunda lei da termodinâmica NÃO É a medida da desordem em um sistema,desordem é um conceito popular e você não pode medí-lo.Entropia tem a ver com estados mais ou menos prováveis.

  • Jonatas:

    Nós sabemos mais, porque temos muito mais informação e muito mais facilidade de acesso a ela, isso nem de longe significa que somos mais sábios, infelizmente conhecimento não é poder, o ditado está errado.
    Mas vale lembrar que o vasto conhecimento a que temos acesso, pode ser dividido em duas origens: os estudiosos do passado (que sabiam menos) e descobriram esses fatos, e os estudiosos do presente que usaram por base conhecimentos básicos pré-estabelecidos e metodologias criadas pelos estudiosos do passado, como ferramentas, fórmulas químicas e equações matemáticas.
    Tudo está conectado numa linha progressiva, assim como o Jonatas de hoje que aprendeu uma nova forma de usar a Orientação a Objetos da Programação sabe mais que o Jonatas de ontem que pensava em como resolver esse problema.
    Conhecimento não é poder, é potencial, pode ser usado muito bem, ou mal. Sabedoria é a aplicação inteligente do conhecimento. Os citados sábios do passado aplicaram de forma inteligente o pouco conhecimento que tinham… a humanidade de hoje está aplicando de forma bisonha o vasto conhecimento que têm.

    • kid redman:

      yeah ! (esse cara é bom !)

Deixe seu comentário!