Assistir danças faz com que seus músculos pensem que estão remexendo também

Por , em 21.04.2012

Você está assistindo a um espetáculo de balé, imaginando-se ao mesmo tempo fazendo uma pirueta. Segundo uma nova pesquisa, sua imaginação pode ser o suficiente para que seu cérebro e músculos pensem que você é a mais recente encarnação do Cisne Negro.

Pesquisadores descobriram que assistir a performances de dança ao vivo resulta em respostas musculares motoras específicas nos telespectadores, mesmo quando eles não conhecem ou nunca treinaram os movimentos que estão vendo.

Os participantes do estudo eram ou espectadores frequentes de balé ou dança indiana, ou novatos que nunca assistiram espetáculos de dança.

Os pesquisadores testaram os participantes usando uma técnica para medir a excitabilidade corticoespinhal, ou sinais na mão e no braço. “Sabemos que se o sujeito está assistindo uma ação motora realizada por outra pessoa, o córtex motor dele também se anima”, explica a principal autora do estudo, Corinne Jola. “Sabendo o quão animado o córtex motor fica, sabemos o quão ‘sintonizado’ o cérebro é por ações”.

A chamada “capacidade empática” dos participantes também foi testada. Os pesquisadores usaram o Índice de Reatividade Interpessoal, um questionário padrão usado para medir a empatia cognitiva (habilidade de sentir, de se identificar com os outros, de forma geral).

Frequentes espectadores de balé apresentaram respostas maiores nos músculos do braço quando assistiam balé do que os que assistiam outras performances.

Os cientistas também descobriram que quanto mais empáticos eram os espectadores de dança indiana, mais eles tinham respostas motoras ao assisti-la. “Nossos resultados mostram que, mesmo sem treinamento físico, a excitabilidade corticoespinhal pode ser intensificada em função de qualquer experiência visual, ou tendência a imaginação”, diz Jola.

Jola afirma que assistir danças poderia, potencialmente, fazer coisas boas para seu corpo, apesar de que seria difícil provar isso. “Pode ser possível que transpor-se mentalmente para o corpo de um bailarino tenha alguns efeitos benéficos para você, como em sua percepção somatossensorial de si mesmo, como o sentimento imaginado de que você estava dançando com outra pessoa”, diz ela.

Enquanto os movimentos musculares específicos apresentados no estudo são imperceptíveis para o olho e não vão ajudá-lo a queimar calorias, a popularidade da dança, especialmente em programas de TV (como o quadro “Dança dos Famosos”), pode ser suficiente para levar as pessoas a dançar, o que pode beneficiar a saúde.

Estudos mostram que a dança melhora o equilíbrio e a postura, e fornece alguns benefícios a saúde mental. “Esperamos que observar a dança na TV instigue algumas pessoas a experimentar essa atividade bela. Não podemos ignorar o poder da dança”, conclui.[MSN]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

6 comentários

  • luciana:

    Eu sinto-me exatamente assim quando vejo uma dança. Dá a impressão que posso fazer igual.

    • Carla Mattei:

      Nós mulheres somos mesmo programadas geneticamente para dançar bem mesmo! Vou te apoiar firmemente para você fazer balé e outras danças!

  • Luiz Famadas:

    Nesse artigo, todo esse trabalho descrito é desenvolvido pelo NEURÔNIO ESPELHO

  • Ayuka:

    Os músculos pensam agora ? O-o ‘

    • iperxp:

      não,os musculos não pençam,isso déve ser reaçoes psicologicas no corpo das pessoas

    • iperxp:

      Balé (do francês Ballet) é o nome dado a um estilo de dança que se originou nas cortes da Itália renascentista durante o século XV, e que se desenvolveu ainda mais na Inglaterra, Rússia e França como uma forma de dança de concerto. As primeiras apresentações diante da plateia eram feitas com o público sentado em camadas ou galerias, disposto em três lados da pista de dança. Elas são realizadas principalmente com o acompanhamento de música clássica.

Deixe seu comentário!