Aumento de autismo pode estar ligado a pais inteligentes

Por , em 24.11.2011

Cientistas estão analisando uma teoria que afirma que pais inteligentes têm mais chances de ter filhos autistas. Uma equipe de pesquisadores da Universidade de Cambridge está explorando a ligação entre pais que tem profissões como engenheiros, cientistas e programadores de computador e o desenvolvimento de seus filhos.

Simon Baron-Cohen, diretor do Centro de Investigação do Autismo na universidade, disse que há sinais de que adultos que trabalham com ciência e matemática são mais propensos a ter filhos autistas.

Em 2001, um relatório revelou que os matemáticos tiveram maiores taxas de autismo do que outras profissões. Um estudo em 1997 mostrou que os filhos e netos de engenheiros tinham maior probabilidade de serem autistas.

O professor Baron-Cohen afirmou que pessoas que têm trabalhos relacionados com sistemas, análise de sistemas, por exemplo, podem ter um cérebro extremamente masculino por causa de níveis aumentados de testosterona.

A nova investigação vai analisar casais que trabalham com sistemas para descobrir se seus filhos tem maior probabilidade de desenvolver autismo. Os resultados estarão disponíveis em cerca de um ano, de acordo com os pesquisadores. [Telegraph]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (3 votos, média: 5,00 de 5)

22 comentários

  • Edimilson Garcia:

    Sou formado em Engenharia Eletrônica e Engenharia de Telecomunicações e tenho um filho autista .

  • Elizete Alexandria:

    Cada pesquisador buscando um interesse diante das características do Autismo para explicar tal fenômeno. Sim, é um fenômeno porque até o presente, nenhuma pesquisa conseguiu de fato descobrir o que provoca tal estado. Esta, relacionada a pais inteligente, em minha humilde visão é a mais interessante, posto que o Autista pode ser um caso de Furor de Inteligências que chega a atrapalhar a pessoa que a possui. Bom Dia à tod@s.

  • Kely Lima:

    Acredito que exista uma relatividade grande aí :S

  • Michelly:

    Acho que o estudo sobre o aumento do nível de testosterona na mãe durante a gravidez poderia ser estudado, inclusive os fatores que levam a tal aumento, tenho um filho autista e trabalho na aréa da saúde, acredito que tanto o pai ou a mãe tendo nivel elevado de testosterona no sangue pode provocar uma alteração no conjugue por transmissão/contato, existe estudos comprovados sobre a influencia da testosterona no ser humano, é importante aprofundar o assunto.

  • Natália M:

    Inteligência = exatas?????

    • Mochileiro:

      É o que parece @Natália M: Para começo de conversa não é facil definir o conceito de “inteligencia” ou o que torna uma pessoa inteligente (salvo é claro o caso de pessoas superdotadas).

      Mas parece que há um certo desprezo por parte da sociedade quanto as ciências sociais, o que é no minimo de uma ingenuidade enorme já que elas exigem tanta (ou mais) logica e capacidade de reflexão quanto a fisica ou matematica.

      Assim como o @Karllos Henriqque tambem acho que a “inteligencia” dos pais não tem influencia alguma sobre a possibilidade de uma criança nascer com autismo, basta partir do mesmo principio que o filho de um gênio podera NÃO ter o mesmo intelecto de seu pai.

    • Raimundo:

      É fato que a lógica está associada a inteligência. Nem todo mundo conseguiria fazer um curso de exatas, da mesma forma que nem todo mundo conseguiria compreeder a mente de um filósofo.

      Não vejo como uma questão de preconceito. Talvez a pesquisa ou quem a produziu/traduziu tenha sido preconceituoso ao associar inteligência às exatas. Mas, é fato que, só terminam as exatas quem tem aptidão para exatas. Caso nao concorde, tente!

      É ter parafuso frouxo mesmo. kkk.

    • Mochileiro:

      Sou forçado a discordar de você @Raimundo: Pessoalmente acredito que qualquer pessoa, com o devido tempo e empenho, está capacitada a trabalhar em qualquer area, seja ela qual for 😉

      O que você falou é verdade: Há uma associação, erronea por assim dizer, de que “lógica = exatas = inteligência” – entenda que não estou aqui desmerecendo as ciencias exatas, mas apenas demonstrando minha surpresa em encontrar este tipo de “afirmação” em um trabalho cientifico.

      Afinal muito dos fundamentos cientificos dos dias de hoje nasceram da obeservação e reflexão dos fenomenos da natureza.

      Seria muito mais sensato, por parte dos pesquisadores, não se limitar a apenas “(…) engenheiros, cientistas e programadores de computador” mas tambem a profissionais de outras areas como Psicologia, História, Filosofia e Letras (já foi demonstrado que aprender um novo idioma ajuda a manter o cerebro mais saudavel, logo seria um bom ponto de partida) por exemplo.

      Assim seria possivel estudar a influencia da “inteligencia” dos pais de maneira bem mais “ampla” e evitar esse tipo de debate.

      Agora “parafuso frouxo mesmo” tem que ter quem quer trabalhar em sala de aula nos dias de hoje! Essa molecada anda medonha xD

    • Bruno Fernandes:

      Sim, é minha resposta sobre sua pergunta,pois não se coloca satélites ou novas tecnologias nas ruas com pesquisa sobre caráter e quem sabe o minimo sobre números pode lhe dizer que tudo é matemática.

  • Cassio:

    Programadores e analistas são loucos xD

  • Raimundo:

    Interessante observação.

    Sou biólogo e físico e tenho filha autista. (A mãe fazia matemática)

    Quanto a idéia da testosterona, sabe-se quem labora em trabalhos braçais (força-bruta), tem a tendência de produzir mais testosterona no corpo devido ao extímulo, portanto se existisse alguma relação teria de haver muitos autistas entre os filhos dos trabalhadores braçais.

    O autista tem uma mente voltada mais a linguagem matemática e as imagens do que a linguagem oral propriamente dita, talvez isso seja herdado (geneticamente) dos pais.

    Quanto a ironia do Zecca, se for pai de autista, parece que estás chateado com tantos tentando explicar como o autismo acontece, mas a ciência é contruída em cima dos “talvez”. Não vivemos de Dogmas, antes porém, de incertezas.

    A mulher é tão boa quanto o homem em qualquer tarefa, até melhor na maioria delas, contudo o que existe é um preconceito estabelecido pelas gerações de que o homem é superior. Enquanto essa ideia existir, os homens vão continuar achando que dominam, mas devemos lembrar que toda a base de conhecimentos transmitidos a humanidade, na maioria dos casos, são oriundos de professoras (mulheres) que se não existissem, esta humanidade mal saberia ler ou escrever, consequentemente utilizar um computador.

    • Zacca:

      Eu não sou Zecca, mas sim Zacca.
      Também não sou pai, mas me interesso por estes assuntos. E creio que um aumento na quantidade de autismo na população em geral, esteja mais ligada a maior presença de compostos químicos na água e alimentação em geral, que possam trigar de alguma forma o autismo, ainda na gestação.

      Creio que esteja ligado com a maior quantidade disponível na água e alimentos de compostos de lítio, chumbo, benzenos, fenóis, decorrentes de diversos usos fármacos, agroindustriais, etc.

      Não foi uma ironia e nem quero desrespeitar ninguém que tenha algum caso de autismo próximo.
      Apenas coloquei que creio que o ambiente esteja influenciando muito mais que a genética propriamente.

    • Raimundo:

      Desculpe-me por ter trocado seu nick.

      Quanto a ter citado “ironia”, seu comentário em resposta ao meu esclareceu que é uma posição ideológica a qual respeito. Contudo, em momento nenhum eu afirmei que você desrespeitou que vive ou convive com este transtorno.

      Quanto ao aumento nos casos de autismo, penso que não existe tal aumento. O que existe é uma maior identificação de pessoas com autismo.

      Hoje temos uma preocupação excessiva com o desenvolvimento de nossas crianças. Queremos que elas falem o mais depressa possível e rejeitamos toda e qualquer situação não estimulante. No passado não era assim, pois a sociedade não dava direito as crianças terem infância e, consequêntemente, os pais não tinham esse tipo de preocupação. O máximo que faziam era dizer que o “menino é assim mesmo, graças a Deus”. Simplismente ficavam acomodados.

      Realmente é uma possibilidade a ser investigada a questão ambiental, uma vez que, quanto mais o tempo passa o nosso ambiente fica cada vez menos natural e, consequentemente, artificializado.

      Quanto a alimentação é outra possíbilidade. Hoje somos educados, e assim fazemos com nossos filhos, a aceitar o industrial como bom e o natural como ruim. Explico: Mantega: leite batido, qualhado e sal – é ruim para a saíde. Creme vegetal: cheio de porcarias industrializadas, artificializadas e algunas poucas coisas naturais – é bom para a saúde. É uma educação para manter as pessoas doentes. Pensem um pouco nisso!

    • Karllos Henriqque:

      Concordo quando você escreveu “…que não existe tal aumento. O que existe é uma maior identificação de pessoas com autismo.”
      Mas quanto ao tema da reportagem: “Aumento de autismo pode estar ligado a pais inteligentes”, sou obrigado a discordar, acredito que pais inteligentes percebem e buscam tratamentos para seus filhos autistas. Acho que quanto mais ignorante menos percebe “o problema” e levam uma vida achando que o filho é apenas desligado.

    • daniel:

      Olá Raimundo !

      tenho uma notícia que é de extrema importancia para vc e seu filho que é autista.
      trata-se da VITAMINA B12 , MAIS ESSA QUE QUERO TE APRESENTAR É A METIL B12 OU METILCOBALAMINA,
      E ESSA VITAMINA TEM SE MOSTRADO SER MUITO IMPORTANTE PARA PESSOAS AUTISTAS, FAÇA PESQUISA SOBRE METILCOBALAMINA PARA AUTISTAS , VEJA LINK —> http://ouvindomelhorcentroauditivoeclnica.blogspot.com/2011/03/o-autismo-e-tratavel-dr-jaquelyn.html

      PESQUISE BASTANTE QUE ESTA DANDO MUITO RESULTADO ESSA VITAMINA.

      UM ABRAÇO, E QUE DEUS ABENÇOE RICAMENTE SUA FAMILIA

    • Raimundo:

      Daniel, há vitamina B12 suficiente na alimentação humana natural, não sendo necessária a ingestão artificial de vitaminas, muitas vezes sinteticas ou associadas com elementos artificializados. Em 100g de carne vermelha há cerca de 40% de vitamina B12. Além do mais, vitaminas em excesso no organismo fazem mal.

      Nâo vejo fundamento na avitaminose para o autismo. Se assim o fosse, em crianças que só mamam não seria possível perceber traços de autismo, uma vez que o leite materno tem a quantidade de vitaminas e outros nutrientes equilibrados. Pais de filhos autistas percebem desde cedo que tem alguma particularidade com o filho. Percebemos um pouco depois dos 6 meses e foi comprovado de 3 para 4 anos de idade.

      O autismo é um transtorno associado ao desenvolvimento variado do cérebro, com partes mais evoluidas em relação a idade cronológica e outras menos. É isso que faz dos autistas diferentes.

      Outro ponto é que a sociedade quer rotular a maioria como iguais. Não são. A sociedade é multifacetada. Não há igualdade.

      Realmente Karllos Henriqque, “pais inteligentes percebem e buscam tratamentos para seus filhos autistas”. Mas, um ponto que não pode ser desconsiderado é que uma grande porcentagem de autistas são voltados a matemática e ao desenho, por natureza. Isso é fato. São limitados, só em algumas coisas.

    • Rosana Oliveira:

      Com que idade vocês tiveram ela? Isso é um viés da pesquisa. Muita gente bem sucedida tem filhos depois dos 30 anos ou 35. Só esse fato já aumenta as chances de autismo.

  • Zacca:

    Talvez seja o Cloro na água.

    Talvez sejam metais pesados na água.

    Talvez seja conservantes e corantes em excesso nas comidas.

    Talvez excesso de agrotóxico na comida.

    Talvez seja excesso de uso de antidepressivos ou drogas “ativadoras” e de emagrecimento.

    Talvez não seja apenas um fator, como dito na reportagem…

    • PredadorXD:

      Então casos de autismo a 200 anos atrás não deveriam existir…

  • Anderea:

    Séra? que isto ta ligado o postagem de emprego de homems e mulheres porque nela diziam que pessoas com niveis altos de testosterona preferiam trabalhos mais intellectuais e enquanto que tinham niveis baixos preferiam empregos sociais sociais logo usando a lógica pode se dizer com essa informação que pessoas com niveis de testosterona alto são +matematicas ou logicas e são tambem -emocionais e pessoas com niveis baixos é talvez contrario…bom e talvez tambem diga porque homem são melhores em matematica em comparação as mulheres…talvez seja uma resposta genetica ao hormonio

    • MGK:

      Mulheres cuidam da cria a milhões de anos, elas tem que ser boas em interpretar emoções e socialização, já os homens lidam mais com a razão, portanto mais testosterona= trabalhos ligados a razão.

    • Rosana Oliveira:

      mas isso é muito relativo. Há mulheres muito femininas que trabalham no ramo das exatas e há mulheres que parecem homens fisicamente e trabalham no ramo comunicativo, social.

Deixe seu comentário!