Câncer de pulmão é diferente em fumantes e não fumantes

Por , em 9.11.2010

Segundo um novo estudo, o câncer de pulmão que se desenvolve em fumantes não é o mesmo câncer pulmonar que se desenvolve em pessoas que nunca fumaram cigarro. Os pesquisadores acreditam que eles sejam diferentes porque o tumor de não fumantes tem quase duas vezes mais mudanças no DNA do que o tumor de pessoas que fumam.

Isso sugere que os tumores aparecem por meio de diferentes vias moleculares. Os não-fumantes podem ficar expostos a uma substância cancerígena, não de cigarros, que faz com que os tumores tenham mais alterações no DNA e promovam o desenvolvimento de câncer de pulmão.

A pesquisa está de acordo com estudos anteriores. No entanto, o novo estudo olhou além das mutações de um único gene, e os pesquisadores encontraram regiões inteiras de alterações de DNA diferentes nos tumores de pulmão de fumantes e de não-fumantes.

Os pesquisadores coletaram tumores pulmonares e tecidos não cancerosos de 30 não-fumantes, 39 fumantes e 14 ex-fumantes. Eles descobriram que os que nunca fumaram cigarro tiveram mais mutações nos genes que codificam moléculas chamadas receptores de fator de crescimento epidérmico (RFCE), que recebem sinais nas membranas celulares. Também encontraram mais alterações no genoma dos não-fumantes do que no genoma dos fumantes e ex-fumantes.

Isso é mais uma evidência de que o câncer de pulmão surge nestes dois grupos a partir de diferentes fatores. Por exemplo, os não-fumantes com câncer de pulmão são geralmente do sexo feminino, tem um certo tipo de tumor chamado adenocarcinoma, e têm mais mutações em seus RFCEs.

Mas essas mutações não são as únicas que conduzem ao desenvolvimento de câncer em não fumantes, razão pela qual os pesquisadores dessa vez observaram todos os genes nos tumores que analisaram, descobrindo assim grandes regiões de DNA diferentes entre fumantes e não fumantes.

O próximo passo dos pesquisadores é confirmar as descobertas através da pesquisa de genes em outros tumores de pulmão, utilizando conjuntos de dados de outros pesquisadores. Se os mesmos padrões de variação de DNA forem encontrados, os cientistas poderão trabalhar para definir como esses genes atuam.

Porém, mais pesquisas são necessárias para validar esses resultados. Se os trabalhos continuarem, é possível que as variações de DNA encontradas possam levar a tratamentos que combatam cada tipo de câncer.

Segundo os pesquisadores, ao melhorar o que se sabe sobre como o câncer pulmonar desenvolve-se em não fumantes, os resultados vão ajudar a ciência a compreender melhor a biologia subjacente ao desenvolvimento de câncer de pulmão em não fumantes, levando ao desenvolvimento de melhores estratégias de diagnóstico e tratamento. [LiveScience]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

5 comentários

  • nerito:

    fumo a mais de 20 anos , ja tentei varias veses de larga o cigarro mas nao consigo , gostaria muito de larga; mas o caminho eu acho que e o cemeterio. se vc tem metodos eficiente por favor me salve ,e de coraçao,obrigado quem poder me ajudar.

    • ligodracir:

      Olá Nerito.
      Também sou fumador à quase 20 anos e consegui deixar de fumar com uma medicação que em Portugal tem o nome de Champix. Estive 3 meses e tal sem fumar mas voltei na brincadeira sob o efeito do alcoól.
      O único senão é que é carissimo.
      Mas conheço várias pessoas que já deixaram de fumar às custas desse medicamento. Aconselho vivamente, caso esteja mesmo interessado em deixar de fumar, pois também é precisa força de vontade.
      Boa sorte.
      P.S. – Estes medicamentos estão para ser comparticipados pelo Estado Português, para breve. Estou à espera dessa comparticipação para voltar a tentar

  • ZEUS:

    teve uma pesquisa que dizia que as mulheres poderosas seria as fumantes,o unico poder delas está descrito nesta pesquisa:Ter o tipo de cancer com duas vezes mais poder destrutivo…

  • Nike:

    Não vejo porque colocar tantas substancias tóxicas no cigarro sendo que a unica que vicia é a nicotina.

  • Ezio Jose:

    A cada dia uma nova pesquisa contradiz a anterior segundo os interesses particulares de cada segmento. Mas isto é interessante para dismitificar o preconceito estabelecido. Quanto mais dúvidas sejam espalhadas mas o ser individual procura a própria verdade. Na realidade cada um de nós nascemos cm sua própria vrdade, basta conhcer-se a sí mesmo.
    Como afirmou o Mestre Jesus: O que faz mal não é o que entre pela boca, mas o que sai dela.

Deixe seu comentário!