Carregadores de celular estão com os dias contados

Por , em 1.09.2010

Quando você compra um telefone celular novo, na loja, ainda não pode se ver livre da caixinha que não contém apenas o aparelho, mas também um carregador que às vezes é do tamanho do próprio celular. Isso sem falar que, quando a bateria está acabando e estamos longe de nosso carregador, temos que torcer para que alguém tenha o mesmo modelo que o nosso aparelho, no qual encaixe o mesmo carregador, ou andar para lá e para cá com o dito cujo, o que é muito incômodo. Mas a associação tecnológica GSMA, de Londres (Inglaterra) afirma que a era do carregador está chegando ao fim.

A onda da vez são os carregadores universais. Chega de se preocupar com o modelo do celular alheio, e chega, principalmente, de produzir 56.000 toneladas anuais de lixo inútil, segundo a GSMA, com carregadores descartados. A primeira opção, já pronta, é um kit de carregamento USB, que já está quase pronto e foi idealizado, a princípio, para funcionar com qualquer celular vendido na Europa. A intenção da GSMA, no entanto, é fazer com que o sistema se alastre para o resto do mundo até 2012. Mas esta é apenas uma das alternativas que estão em desenvolvimento.

A ideia que está mais em voga entre os tecnólogos no momento, contudo, é outra: recarga de celular wireless. O raciocínio básico para isso, na verdade, é muito simples: ora, se fazemos ligações e enviamos mensagens sem-fio, por que não podemos também carregar a bateria do celular dessa maneira? Buscando essa solução, os cientistas observaram um conceito que já é usado em escovas de dente elétricas, a “recarga indutiva”. Basicamente, o aparelho torna-se capaz de absorver energia de um campo magnético a curtas distâncias.

Para o celular, é claro, mostrou-se necessária uma adaptação, já que o alcance e a mobilidade de um telefone precisam ser superiores aos de uma escova de dente. Seria algo como “tirar energia do ar”. Este projeto, assim, ainda não está concluído. Falta descobrir uma maneira de garantir que um celular possa ser carregado por um campo magnético suficientemente forte em qualquer área de cobertura da operadora de telefonia de cada aparelho. Mas as previsões são otimistas, segundo os cientistas da GSMA. [Live Science]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

14 comentários

  • coltpanzerfaust:

    se a energia eletrica é algo vital ao desenvolvimento da humanidade e aos meios de comunicação e trasnporte e outras coisas mais, não deveria ser cobrado. o certo é pagarmos por serviços de manutenção nas linhas eletricas, a eletricidade poderia ser equivalente ao iptu ou ao ipva, pagar uma taxa ao ano e acabou, porém como nosso sistema é privatizado ou repartido com estrangeiros em muitas areas continuaremos neste impasse. se consideramos a inflação em 10 anos a conta de “luz” superou um aumento de mais de 1000% se hoje pagamos 1,00 por kwh antes pagavamos 0,01 a 10 anos atras. o maior problema é que o salario não aumentou no mesmo ritmo….

  • alberto jaime ventura:

    È excelente ideia pelo menos assim terei menos trabalho

  • Edilson Lima:

    O melhor eco micro potenciadores catalizadores solares e irradiação de luz e caloriferação com stand -by de 12 horas.Até uma vela poderá carregar a bateria. Detalhe 47% mais leve e anexado ao aparelho. É parte do aparelho. Fácil, vanguarda e futurista. Demais é mais um novo tipo de comércio mundial! se liguem! Edilson Lima Cientista

  • Harley:

    o problema de carregar o celular ou qualquer outro aparelho via wireless, é quem vai para a conta de luz, Tesla tentou fazer isso no inicio do seculo 20, e nao teve incentivo das empresas para esse feito.

  • Raton:

    Muito bom, mas o Grande Nicolas Tesla, acho que assim que se escreve. Um dos maiores genios que o mundo já teve, há muitos anos projetou um sistem a em que a própria eletricidade viria de modo “sem fio” para alimentar nossos equipamentos em casa.Essas experiencias até estão sendo repetidas agora, com nova tecnologia. Mas como naquele tempo fizeram os investidores, eu pergunto: Como é que vai ser feita a cobrança do consumo de energia?

  • squish:

    Primeiro, concordo com a Mariana. Os carregadores de baterias de celular em geral sempre fornecem a mesma tensão, então não entendo porque o plug de recarga de todos os celulares não foi padronizado ainda! Eliminaria a necessidade de um carregador diferente para cada aparelho! Afinal, mesmo que a tecnologia da bateria avance, o comportamento do carregador normalmente não muda.

    Segundo, carregar aparelhos por induçao é simples quando o aparelho e o campo é pequeno, quando se fala em gerar um campo maior e mais forte, corre-se o risco de induzir corrente em aparelhos que não eram feitos inicialmente pra isso! Isto queimaria diversos componentes eletronicos (principalmente de eletronica embarcada, que hoje em dia está em toda parte).

    Vi uma vez um video em que se fazia um teste a respeito deste efeito: um carro passava por baixo de uma bobina geradora de campo gigante. O carro simplesmente pára de funcionar!

    Tecnologias novas irão surgir para melhorar a bateria, mas substituir por uma idéia tão diferente acho que vai demorar um pouco mais…

  • Juvanildo:

    Na realidade tudo o que conhecemos hoje esta com os dias contados. Todas nossas teorias sobre saude estão, aos poucos, sendo contestadas e modificadas. Assim tambem acontecerá com o que achamos completamente moderno e inovador, novas tecnologias surgirão e novas possibilidades tambem, possibilitando o desenvolvimento de equipamentos muito mais eficientes,velozes e inovadores.

  • naldeiradoideira:

    Gildo Muniz de Souza… qdo vc diz:
    “É, tá bom dos grandes inventores se preocuparem mais com o lixo que contém substâncias atômicas. A partir de uma pilha comum, uma bateria de relógio, beteria de celular, etc. Essas coisas que a gente joga no lixo e se livra de um problema e na verdade causa outro.”
    nao sao substancias atomicas e sim substancias nocivas aos seres (animal e vegetal).
    outra, bateria de relogio, celular, etc. tem seus pontos de coleta… se vc quiser pode leva-las la…
    qto aa bateria de celular por exemplo, pode ser entregue numa loja q vende celulares… mas sinceramente nao acredito em vendedores de lojas de celulares…. mas isso tbm eh uma questao de etica, pq em paises mais desenvolvidos eles fazem o possivel para ter este tipo de lixo, fora do lixo comum… como nao eh o caso do Brasil….

  • Gildo Muniz de Souza:

    É, tá bom dos grandes inventores se preocuparem mais com o lixo que contém substâncias atômicas. A partir de uma pilha comum, uma bateria de relógio, beteria de celular, etc. Essas coisas que a gente joga no lixo e se livra de um problema e na verdade causa outro. Esse pequeno asteróide que chamamos de terra, agradece!

  • Mariana:

    Este é um assunto que até hoje eu não entendi: Porque os carregadores de celular não foram universáis desde o início?
    Outra pergunta é:
    Porque os botões dos Elevadores ( letras, números ) não são universais?

  • Marcos:

    Olá a todos !
    Diego, o problema todo é o possível causar de enfermidades relacionadas a campos eletromagnéticos …
    Voce falou brincando, mas a possibilidade real existe e tem um artigo muito interessante sobre isso na revista Época da semana passada.
    Abraços

  • Diego Willrich:

    Já até passou da época dos cientistas começarem a se preocupar com tecnologias de transmissão de energia elétrica wireless… Sei que há algumas pesquisas a respeito mas nada concreto. Sonho com o dia em que nenhum equipamento tenha mais seus “rabinhos de camundongo” presos à parede. Agora, que estas tecnologias também não venham a nos produzir câncer cerebral (risos)

  • Andrezza:

    Que os carregadores de celulares estejam mesmo c/os dias contados,o planeta Terra vai agradeçer pois serão menos lixo depositado e acabarão aquele montão de carregadores em casa que sá ocupam espaço na gaveta.

  • Antonio Tacito de Souza e Silva:

    muito bom, e o ” meio ambiente ” agradece, e nós também

Deixe seu comentário!