Ecstasy é mais seguro que andar a cavalo

Por , em 12.02.2009

Segundo pesquisas tomar ecstasy não é mais perigoso do que andar a cavalo.

Especialistas do Reino Unido dizem que os riscos do ecstasy são até menores do que do “equasy” (termo que foi inventado, como brincadeira científica, para as cavalgadas). O professor acadêmico David Nutt, diretor de um conselho de mal uso de drogas do Reino Unido, diz que a droga deveria passar a ser considerada de classe B, ou seja, menos perigosa.

Outros pesquisadores, agora, fazem campanha para que Nutt renuncie ao seu posto, já que ele estaria promovendo a descriminalização da droga.

Nutt afirma que sua intenção era provar que drogas são tão perigosas quanto outros aspectos da vida de uma pessoa comum. “Tornar as cavalgadas ilegais diminuiria os riscos de alguém se machucar” diz o professor, “e também há outras atividades que a sociedade tolera, como base jumping (queda livre onde o esportista se joga de um local alto com um pequeno pára-quedas), que apresentam maiores riscos do que o uso de drogas. O modo com que elas são vistas depende da comunidade” conclui.

O conselho do qual o professor Nutt participa poderá recomendar a “promoção” do ecstasy ao nível B. No entanto, o governo pode não aprovar a decisão.

As mortes atribuídas a usuários de ecstasy, no ano passado, subiram de 15 para 30, no Reino Unido. O custo da droga caiu drasticamente, por sua vez provando sua popularização. [Telegraph, Foto]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (3 votos, média: 4,00 de 5)

9 comentários

  • Elias:

    Não tiro a razão dele em falar da periculosidade de determinados esportes e/ou hobbys, mas também não concordo em facilitar o uso de drogas!!

  • CARLOS SOUSA:

    COMO DIZ O VELHO DITADO….
    GOSTOS NAO SE DISCULTEM………….

  • Ecstasy é mais seguro que andar a cavalo | No trance nós acreditamos:

    […] Post retirado site hypescience disponível neste link. […]

  • eu hein…:

    Acho que perigoso mesmo é a mente da pessoa, não importando o que ela faça.

    Você poderá conhecer um viciado em cocaína que participa do programa ‘Amigos da escola’ por livre e espontânea vontade.

    Assim como você poderá conhecer um motorista, que, por estar nervoso ou estressado, se acha no direito de desreispeitar as leis do transito, pondo em risco a vida de muitas pessoas.

    Então é complicado dizer o que faz mal ou não baseado apenas no uso dos objetos. É preciso levar em conta a mente da pessoa que usa o objeto.

    A verdade é que todo ser humano normal é perigoso, pois, faz parte da natureza humana.

    Se determinado sujeito praticou um crime, então ele é considerado deshumano. Mas ao levar em conta a natureza humana, podemos ter a certeza de que, se ele praticou um crime, então ele é de fato um humano.

    Deshumano seria aquele que nunca pensa no mal.

    Porque faz parte da natureza humana pensar no mal… claro que também faz parte pensarmos no bem, mas nunca pensar APENAS no mal ou APENAS no bem, isso sim seria considerado deshumano.

  • Marcelo:

    Eu já provei exctase e outras drogas e concordo com a pesquisa, é uma drogra “leve”. Tem muita gente que tem discriminação e nunca experimentou. Imagina uma droga que te deixa feliz! A cerveja te faz isso tb? claro! mas isso vem em pilula e não te causa ressaca.

    Outras drogas já são portas de entrada, receptores de algo que ainda não podemos explicar, mas que de alguma maneira podem até levar a uma evolução pessoal ou de algo que ainda não entendemos.

    Imagina o primeiro macaco que comeu um cogumelo alucinogeno, será que ele começou a falar?

    Se vc quiser experimentar qualquer droga, tenha sempre em mente, que as drogas são amplificadores sensoriais, se vc tiver em alguma “bad trip”, mude de musica, ambiente e ate mesmo luz, que uma hora passa. A gente cresce ouvindo dizer que droga é coisa de criminoso, é errado, é coisa do diabo, então no meio de uma viagem de droga, vc acaba se perguntando sobre isso, e é dificil superar seus proprios preconceitos, imagina os sociais.

    Boa viagem a todos.

  • Deep:

    Nada contra os comprimidos, bals e afins…
    Eu mesmo curto aspirinas, tic tacs e confetes.
    MAS se me provarem q as cavalgdas viciam, aí eu até penso no caso!

    hahaha

  • Lucilene Teixeira:

    Qual a porcentagem de usuário dessa droga no meio urbano?….E as poucas pessoas que praticam este esporte é pôr indicação médica…
    Nem quem mora no campo usa este animal como meio de transporte?

  • André:

    Ora, perto de Base Jumping cavalgar é uma atividade bastante comum… hehehe…

    É que lá na Inglaterra as pessoas vão pro trabalho a cavalo (uma saída para o trânsito londrino, afinal, os cavalos podem pular os carros parados, como num jogo de xadrez), e quando têm que descer do prédio, ao invés de usar elevador, pulam de base jumping porque é mais rápido.

  • Thiago:

    Desde quando cavalgar é uma “atividade comum na vida de todos” ? o.o

    Eu eim… povo louco! aeuhueaeuhae!

Deixe seu comentário!