7 Chaves para a felicidade

Por , em 23.08.2008

Se você não está contente e sabe disso, continue lendo.

Você vasculha o YouTube por video-cassetadas, se enche de sorvete mas nada parece resolver. Talvez você seja uma das pessoas — igual a centenas de milhões de outras pelo mundo — diagnosticadas com depressão, está um pouco cabisbaixo ou simplesmente quer algo para melhorar o seu dia.

Conheça sete maneiras, algumas extremamente desafiadoras, que podem ajudá-lo a conseguir o empurrão tão esperado no seu humor:

7. Escolha bons pais
dna

Os genes parecem vencer os fatores emocionais na Terra da Felicidade, de acordo com especialistas. E um estudo na edição de março da revista científica Psychological Science fez outro gol para o time dos genes: descobriram diferenças no DNA que podem explicar porque algumas pessoas tendem a ter um impulso a mais nos seus passos também podem fundamentar a tendência de ser mais emocionalmente estável e socialmente e fisicamente ativo.

Os genes não te dão nenhum passe livre para o fundo do poço, sem falar que outros fatores externos também tentarão fazer picadinho de você. Mas a hereditariedade pode dar para algumas pessoas um montão de felicidade que ela pode atrair para aquelas épocas em que os bons tempos não o presente.

E pesquisadores canadenses conseguiram suprimir a depressão genética em ratos em 2006 o que indica que a felicidade humana pode um dia ser ampliada na manipulação genética. Ratos criados para evitar o gene TREK-1 agiram como se estivessem tomando antidepressivos por três semanas.

6. Dar
dna

Custa apenas U$ 5, gastos em outra pessoa, para torná-lo feliz no dia, de acordo com um estudo de 2008. E atos desinteressados também podem ajudar o seu casamento a tornar-se uma experiência mais agradável para você e para a sua esposa ou marido.

Depois de realizar boas ações as pessoas ficam mais felizes e sentem que a vida tem mais propósito. Mas o ato é realmente abnegado se você está esperando algo em troca? Talvez seja apenas questão de ponto de vista.

5. Reflita sobre isso
dna

Pense em um local feliz. Humanos são mais resistentes do que pensamos e podem suportar tempos difíceis, como foi demonstrado em um estudo de 2005 que seguiu as mudanças de humor em pacientes de diálise. Eles estavam de bom humor na maioria do tempo apesar de terem o seu sangue filtrado três vezes pode semana durante três meses. Mas pacientes felizes visualizaram uma vida infeliz quando foi solicitado que imaginassem terem que aderir a esta agenda tão restrita.

Como Winston Churchill disse, “Um pessimista vê dificuldade em toda oportunidade; um otimista vê oportunidade em toda dificuldade”.

4. Sue
dna

Ficar parado não ajuda. Exercício físico consistente, com medicação e terapia pode ajudar quem luta contra a depressão a enfraquecer os pensamentos vulneráveis e de solidão.

O exercício podem aumentar o estado mental parcialmente ao afetar os níveis de dois componentes químicos no corpo: o cortisol e as endorfinas. As glândulas supra-reais de pessoas raivosas ou amedrontadas produzem cortisol. Isso aumenta a pressão arterial e a glicose, enfraquece a resposta imunológica e pode levar a inflamação e danos nos órgãos. Mas malhar queima cortisol, restaurando os níveis normais do corpo.

Ciclismo, correr ou fazer exercícios aeróbicos em equipamentos também fazem que o cérebro libere endorfinas, os analgésicos naturais do corpo, na corrente sanguínea. O corpo se antecede aos efeitos colaterais negativos dos medicamentos enquanto você experimenta um ‘barato’ natural. Para tirar o máximo da sua malhação tenha certeza que a sua intensidade reflita o seu nível de estresse. E desafie o seu corpo a se adaptar continuamente ao variar o tempo e intensidade do exercício.

3. Queira o que tem
dna

Os resultados de um estudo publicado em abril sugerem que um segredo para alcançar maior felicidade é continuar querendo as coisas que você já possui.

Através de questionários de satisfação geral sobre a vida e outros sobre os ítens que possuía foi constatado que os voluntários que queriam mais aquilo que já possuíam eram mais felizes do que as pessoas menos satisfeitas com o que tinham. Os mais satisfeitos com suas posses também eram mais felizes do aqueles que tinham menos itens da sua lista de “quero ter”.

2. Viva bastante
dna

Se você tem os genes certos, é otimista, ativo e não é egoísta mas ainda assim se acha melancólico, simplesmente dê um tempo.

Um estudo com dois milhões de pessoas de 80 países publicado em janeiro descobriu que a depressão é mais comum entre adultos nos meados dos seus 40 anos de idade.

Mas com a idade os humanos são mais propensos a filtrarem as coisas negativas e se concentrarem naquilo que gostam.

As pessoas nos seus anos dourados tendem a ver a metade do copo cheio, apesar de visitarem mais o médico e tratamentos de quimioterapia. Depois de lutar contra o câncer, doença cardíaca, diabetes e outros obstáculos da saúde 500 estado-unidenses independentes entre 60 e 98 anos disseram que sua nota de sucesso no envelhecimento era de 8,4 em média, em uma escala de 10, em um estudo de 2005. Parece que a felicidade leva algum tempo para mostrar a sua cara.

1. Seja consciente
dna

Essa é a dica do filósofo e humanista González Pecotche que, apesar de não estar baseada em nenhum estudo realizado com a metodologia conhecida, pode ter excelentes resultados:

“A felicidade é algo que a vida nos outorga através de pequenas porções de bem. Comumente é buscada com os olhos postos em um só ponto; se esse ponto fracassa, se esse objetivo desaparece, a vida se retrai, sobrevindo a dor, o ceticismo, a decepção.

Se você focaliza ativamente o olhar sobre muitos pontos, procurando ao mesmo tempo aproximar-se por esse meio da felicidade, chegará a imunizar-se contra esses efeitos depressivos, dissipando os transes amargos ou fazendo-os suportáveis, pois atuarão em seu favor as defesas criadas por todas as pequenas porções de felicidade que tenha conseguido reunir. Por outra parte, pense que, se em alguns desses pontos o fracasso o surpreende, em outros pode esperá-lo o êxito.

Pois bem; a felicidade adoça a vida, enchendo-a de esperança e de graça; se, porém, a consciência permanece estranha a ela, sua presença no sentir será fugaz, e a recordação do bem que nos proporcionou se esfumará rapidamente.

A felicidade murcha como as flores; entretanto, assim como o bom jardineiro sempre tem a seu alcance outras para substituí-las, quem possui conhecimentos pode, também, substituir constantemente os motivos que dão permanência à felicidade na vida. O conhecimento a fixa, a torna estável; permite sentir seu palpitar de eternidade.” Do livro Bases para Sua Conduta

[Logosofia, LiveScience: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (5 votos, média: 4,40 de 5)

10 comentários

  • Everton da Rocha:

    Por favor, revisem o conteúdo antes de postarem. Há muitos erros de português!

    • Patricia Araujo:

      dica de felicidade; navegar em sites especializados em L. Portuguesa, CHArope!!

  • Vinicius Aguiar:

    Este site é muito bom, eu tenho 17 anos não lia muito pela internet mas depois q conheci esse site me cadastrei e sempre estou entrando, pois as materias são interesantes e não abordam asuntos chatos.
    muito obrigado por me trazer inforção toda semana.

  • Wanderson:

    Engraçado.Segundo essa reportagem a ciência sonha um dia em vender pacotinhos de felicidade na futuro.Tsc,tsc,tsc…

    Não quero ser estraga prazer mas a melhor dica pra ser feliz é a primeira:Seja consciente.

    Isso já diz tudo.

    Ser consciente é ser verdadeiro consigo mesmo e com os outros.
    Ser consciente é ser realista com os acontecimentos e consigo mesmo.
    Ser consciente é jogar limpo conosco e não se iludir jamais com certos dilemas ou conceitos.
    Pra mim,filosoficamente falando,a felicidade não existe pois se baseia em conceitos ilusórios e impermanentes como a riqueza de bens materiais entre outras coisas.
    Não estou sendo pessimista apenas realista.

    A felicidade é fútil.

  • Lucilene Teixeira – BSB:

    Que maravilha!
    Precisamos ler, ouvir relatos deste tipo, para não esquecermos o que aprendemos na infância e desaprendemos no decorrer da vida.
    E Ser feliz, minha gente, é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar um autor da própria história.
    Paixão: Te amo!!!

  • Josy:

    Essa reportagem é muito legal, e concordo com o que está escrito.
    Felicidade é saber viver as pequenas coisas…

    bom demais…

  • Alex Keher:

    Apenas citando Vicente de Carvalho:

    …Essa felicidade que supomos,
    Árvore milagrosa que sonhamos
    Toda arreada de dourados pomos,

    Existe, sim: mas nós não a alcançamos
    Porque está sempre apenas onde a pomos
    E nunca a pomos onde nós estamos. (…)

    Apenas um trecho de “Um Velho Tema”

  • Darci Batista de aguiar:

    Poxa! Valeu mesmo. Estava precisando tanto!
    Essas palavras, pareceu-me como que, gotas d’àgua numa terra desértica tão ressecada e sedenta.
    Muito obrigado, Um forte abraço!

    DARCI.´.

  • Flávia Godoy:

    Acho este site maravilhosooooooooooooooo!!!
    Repasso para todos os amigos e recebo sempre
    agradecimentos pelo enviu.
    Flávia

  • Eliakim Emanuel:

    A felicidade é mesmo uma questão muito discutida, concordo com tudo acima
    E poderia acrescentar mais uma chave no livro de Carlos Bernardo González Pecotche, “Correr atrás do que se almeja”
    Se você almeja algo, não perca tempo, corra atrás, leia, estude, pesquise com pessoas que ja conseguiram e corra atrás! E nunca desistir!
    Pois essa aventura da conquista, muitas vezes é mais gratificante que a própria coisa almejada, você olha para trás e vê o quanto percorreu, isso estimulará a pessoa a fazer coisas ainda mais grandiosas!

Deixe seu comentário!