Coca-cola pode causar câncer?

Por , em 27.06.2012

O 4-MI, composto responsável pela cor do famoso refrigerante, se tornou alvo de polêmica no Reino Unido: segundo estudos recentes, sua concentração está muito acima de níveis “seguros” e pode causar câncer.

Ao analisar latas de Coca-cola vendidas na região, pesquisadores do Centro de Ciência em favor do Interesse Público encontraram resultados preocupantes: 135 microgramas, 34 vezes mais do que na versão comercializada na Califórnia (EUA). No Brasil, uma lata de 355 ml contém 267 microgramas – o maior encontrado na pesquisa.

Após a divulgação dos resultados, consumidores do Reino Unido iniciaram uma campanha contra o uso do corante – obtido a partir de reações químicas entre açúcar e amônia, e que pode causar câncer em ratos de laboratório.

“A Coca-cola está tratando seus consumidores do Reino Unido com desdém”, acusa o coordenador da campanha Malcolm Clark. “Eles devem respeitar a saúde de seus clientes no mundo todo, usando um corante que seja livre de químicos reconhecidamente cancerígenos”.

Conclusão

Ratos são utilizados amplamente no meio científico e são considerados bons análogos à fisiologia humana. Porém inúmeras drogas que tem certo efeito nos roedores mostram não agir da mesma maneira em testes clínicos feitos usando humanos como cobaias. Apesar de 4-MI causar câncer em roedores não significa que ocorreria o mesmo em nós.

A Coca-cola nega que o composto seja nocivo a seres humanos e diz que, no caso da Califórnia (onde se usa menos corante), a mudança foi feita em respeito a leis locais e para evitar que se colocassem avisos “cientificamente infundados” nas embalagens.

Apesar disso, ela pretende “reduzir o uso de 4-MI no mundo todo, porque isso vai ajudar a simplificar os processos de suprimento, produção e distribuição”, segundo nota oficial divulgada por veículos de comunicação. Talvez a razão verdadeira seja “acalmar os consumidores”, mas nunca saberemos.

Vai um suco aí? Só por garantia… [Mail On-Line, CSPINET, Foto]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

9 comentários

  • Moacir Rodrigues:

    ACHO INTERESSANTE TODOS OS COMENTÁRIOS POSTADOS NESTE SITE.

  • D. R.:

    Infelizmente, acho que não tem mais como fugir de alimentos com possível potencial cancerígeno. Já temos o cigarro, o álcool, o churrasco, a poluição, parece que agora até celular; cada hora sai uma pesquisa bombástica! Outro dia mesmo, li sobre uma substância (o Bisfenol A) utilizada em embalagens plásticas, mamadeiras e enlatados (aqui no Brasil e em vários lugares do mundo) que age como o hormônio estrogênio no organismo com potencial cancerígeno e de infertilidade.

    Dizem que até a água tratada das grandes cidades já está ficando contaminada com várias substâncias tóxicas; inclusive, com substâncias ativas de alguns medicamentos muito utilizados e adoçantes dietéticos.

    Acho que o melhor mesmo é tentar se prevenir tomando alguns alimentos que algumas pesquisas científicas dizem (pelo menos, por enquanto) ajudar a prevenir o câncer; como: vinho tinto ou suco de uva, chá verde, brócolis, aspirina, etc.

    Quanto à coca-cola, acredito que se fosse verdade já haveria uma ‘pandemia’ de câncer no mundo. Segundo li, o teste feito com o corante da coca-cola em ratos foi numa concentração bem acima do normal.

    E quem garante que se, por pressão, a Coca-cola usar um novo corante às pressas, esse não poderá ser até pior a longo prazo?

    De qualquer forma, acho que não temos mesmo mais como fugir de tantas substâncias tóxicas; isso já faz parte do nosso dia a dia da nossa era tecnológica cheia de produtos artificiais. Pelo menos, até a ciência avançar mais sobre o assunto; ou, quem sabe, descobrir a cura do câncer!

  • Dinho01:

    O mais grave nessa história é que eles só tomam uma atitude depois que sõ forçados com ameaças de multas.A saúde do consumidor fica em segundo plano.

  • Marcos Antonio Beneteli:

    graças a deus raramente bebo essa porcaria de americanos ridiculos,,

  • Rui Simon Paz:

    Coca-cola é detergente, é não é biodegradável. Mas degrada a saúde de quem consome.

  • Araujo:

    Isso é muito grave, as pessoas não dão crédito a reportagens como essa. Eu particularmente não gosto de refrigerantes e não tomo de nenhuma marca. Já sabia desse fato, pois esse processo, e também o CORANTE CARAMELO que está presente em outros refrigerantes como PEPSI e GUARANÁ, e em vários outros alimentos industrializados.
    Nos Estados Unidos foi proibido o uso deste corante, a COCA-COLA tem dez anos pra se adequar as normas. No aqui no Brasil quando se fala que COCA-COLA CAUSA CANCER, todos riem. As autoridades não fazem nada, a mídia não divulga. Quero ver rirem quando for diagnosticados com CANCER DE ESÔFAGO E ESTOMAGO, que já é um índice alarmante. Meus pêsames.

    • particulada:

      Meu caro. Você vive no mesmo mundo que eu? Não criticando o seu texto expositivo, mas só reiterando algo que você parece desconhecer.
      Vivemos em um mundo onde dinheiro é o cerne da problemática. Coca-cola é o truste mais poderoso dos últimos tempos. Tanto no domínio em receita, quanto em domínio sobre o consumo.
      Partindo dessa linha geral de raciocínio, obviamente que assunto como este não será veiculado na mídia corporativa. Pois sabemos que esta mídia vive do sistema, vive do capital gerado pelo sistema. Logo, não é passível da maioria populacional ter acesso a estas informações.
      Assim como informações sobre os agentes carcinógenos que são adicionados em nossa alimentação. Assim como a informação sobre os metais pesados em alimentos e cosméticos que debilitam as capacidades cognitivas do indivíduo. Assim como a informação sobre os medicamentos psicotrópicos e a visão estritamente capitalista do mercado farmacêutico, negligenciando todo o bem-estar dos usuários.
      Portanto, é claro que só poucas pessoas saberão sobre os malefícios desta bebida. Ou melhor, não espere que isso seja veiculado no Jornal Nacional.

  • Nik:

    Isso me lembra uma piada bastante infame…

    Coca-Cola não é uma droga, são DUAS drogas!

  • Elon Arns:

    Hoje em dia tudo parece ser nocivo,as pessoas estão paranoicas,tudo faz mal e blá,blá,blá,acho que é importante conhecer os riscos a que nos sujeitamos quando ingerimos algo,mas encarar o que “faz mal”como algo que deve ser abolido do nosso meio é sem duvida utópico,acho que muitos já ouviram a frase “A diferença entre o veneno e o remédio é a dosagem”,os excessos são sim prejudiciais e não é de hoje que se sabe disso, mas acho que os cientistas deveriam dar mais prioridade a pesquisas mais diretas,como tratamentos mais eficazes contra o câncer,ou até mesmo algo que impeça o aparecimento de um,porque imaginar que nós vamos conseguir “cortar”de nossa alimentação tudo o que dizem fazer mal,é imaginação demais.

Deixe seu comentário!