Comer brócolis combate câncer de mama?

Por , em 8.04.2012

Aqui está mais um motivo para comer brócolis e couve-flor: um novo estudo sugere que mulheres com câncer de mama que comem tais vegetais podem ter uma vida mais longa e seu câncer combatido.

“Quanto mais vegetais crucíferos [como couve, couve-flor, brócolis, mostarda e repolho, por exemplo] você comer, melhor”, afirma Sarah Nechuta, da Universidade de Vanderbilt, em Nashville, nos Estados Unidos.

E não é difícil. Os pesquisadores sugerem que basta incluir na dieta cerca de 150 gramas diárias desses vegetais, o que equivale a uma xícara cheia deles, segundo Nechuta.

Só neste ano deverão ser registrados cerca de 52 mil novos casos de câncer de mama no Brasil, segundo o Instituto Nacional de Câncer. Em um percentual que varia de 10% a 15% dos casos, a doença se manifesta de forma agressiva e pode apresentar novas lesões tumorais. Contudo, o índice de sobrevivência gira em torno de 61%.

O atual estudo não é o primeiro a relacionar a ingestão de crucíferas com o câncer de mama, mas é o maior feito até agora. 5 mil chineses, que já tiveram câncer de mama entre os anos de 2002 e 2006, com idade entre 20 e 75 anos, participaram da pesquisa.

Esses participantes preencheram questionários detalhados de suas dietas durante 36 meses. Eles foram então divididos em cinco grupos, dependendo de quantos vegetais crucíferos eles ingeriam.

E, de acordo com as análises, depois de cinco anos após o diagnóstico de câncer, mulheres que comeram cerca de 150 gramas diárias dos vegetais em questão tiveram 42% a mais de chances de sobreviver. A probabilidade de morrer de qualquer outra causa também foi reduzida para 42%. E a chance do câncer de mama retornar diminuiu por 19%.

Mas o leitor pode questionar (e com razão!) o porquê desses resultados. Segundo Nechuta, vegetais crucíferos contêm grandes quantidades de uma substância conhecida como glucosinolato. Quando ingerida, ela é convertida para substâncias com alto poder anticancerígeno, como o isotiocianato e o indol.

Nos resultados, os pesquisadores também levaram em consideração outros fatores que podem afetar a ocorrência do câncer de mama e a sobrevivência a ele, o que inclui idade, estágio da doença, tratamentos, exercícios diários e dieta.

Mas vale ressaltar que a pesquisa não comprova que os vegetais em questão são os principais responsáveis pela sobrevivência. A especialista em câncer Aditya Bardia, do Hospital Geral de Massachusetts, em Boston, Estados Unidos, alerta que essas mulheres da pesquisa podem ter outras vantagens que não foram mensuradas, como uma qualidade de vida saudável, por exemplo.

E vale lembrar de um aspecto importante: a dieta asiática é bastante diferente da dieta norte-americana e brasileira. Além de um fator que pode se mostrar decisivo no futuro: de que os asiáticos comem mais vegetais. [WebMD]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

1 comentário

  • Ana Lourenço da Rosa:

    Qual ou quais motivo(s) que devemos ingerir plantas da Família Botânica Cruciferae?As mais conhecidas são: brócolis, couve-flor, couve (diversas variedades), mostarda, repolho (…). E qual a relação desse episódio com os cânceres de mama? Quem responde esta pergunta é SARAH NECHUTA da Universidade de Vanderbilt, em Nashville, nos Estados Unidos. E numa importante pesquisa, foi identificada que uma substância conhecida como””glucosinolato”; quando ingerida, é convertida noutras substâncias com alto poder anticancerígeno, como neste dos vegetais das crucíferas, os elementos isotiocianoto e o indol são os responsáveis para tal evento. Mas, isso não quer dizer que somente essas substâncias bastam para a prevenção dos cânceres de mama (…). E tem mais as variáveis a serem consideradas: o povo asiático que também participou dessa pesquisa tem uma dieta alimentar com vegetais bem mais acentuada que os povos europeus, americanos do norte e os do sul. Ana Lourenço da Rosa. Contatos Científicos/Plantas Medicinais.Tocantins. BRASIL.

Deixe seu comentário!