Como coletar a energia dos relâmpagos usando laser

Por , em 15.03.2012

Usando um aparato experimental que parece ter saído de um filme clássico do Frankenstein, pesquisadores franceses conseguiram que raios gerados em laboratório atingissem o mesmo lugar, repetidamente. Esse feito de reorientação elétrica usou pulsos de laser para criar um raio virtual que passava por uma coluna de gás ionizado. Essa é a primeira vez em que foi possível redirecionar uma descarga elétrica para fora do alvo, e guiá-la para um eletrodo normalmente menos atrativo.

O experimento demonstra o potencial de se usar raios com base de laser. “A barra de relâmpagos laser seria uma alternativa de valor para os modos de captação de relâmpagos existentes”, comenta Aurlien Houard, coautor do estudo.

Experimentos anteriores comprovaram que pulsos de laser com duração de femtossegundos (um milionésimo de um bilionésimo de segundo) podem produzir pequeninos filamentos de gás ionizados, que agem como fios condutores de eletricidade. Depois, os cientistas descobriram que esses filamentos poderiam funcionar a longas distâncias, chegando até 50 metros.

Em uma série de novos experimentos, a equipe francesa enviou um laser de um eletrodo esférico até um eletrodo plano com carga oposta. O laser arrancou os elétrons exteriores dos átomos no caminho, criando um filamento de plasma que canalizou a descarga elétrica do eletrodo plano até o esférico. Para determinar se o filamento tinha a habilidade de redirecionar uma descarga elétrica, além do seu caminho normal, os pesquisadores adicionaram um eletrodo maior e pontudo ao experimento. Como a eletricidade tende a seguir o caminho de menor resistência, preferencialmente iria atingir o objeto mais próximo; na natureza, isso seria o mais alto.

Sem o pulso de laser, a descarga obedeceu à regra e sempre atingiu o eletrodo maior e mais pontudo. Com o laser, entretanto, a descarga foi redirecionada, seguindo os filamentos e acertando o eletrodo esférico. [PhysOrg, Foto]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

15 comentários

  • CLEME:

    Resumindo:
    segundo a filosofia indiana em qualquer estado de energia existe Pakrti e Puru¨sa.
    O 1º representa carga de energia, no caso o raio. Onde prevalece o axioma: Potência não é nada se não houver contrôle.

    O 2º representa a informação, ou orientação presente na energia, no caso o laser, por ser composto de fótons altamente coerentes é um excelente veiculador da informação, vejam as milhares de pesquisas sendo feitas com transmissão de dados com laser.

    Ao combinarmos um com outro teremos altas cargas energéticas domesticadas.

    Quem quiser se aventurar numa nova área da física de ondas, transmissão de energia sem fios e etc taí invistam nesse tipo de pesquisa: juntem a eletricidade com o laser, pois este é o futuro e já está sendo feito para desenvolver chips e qubits quânticos, um dos grandes veículos para tanto são nanofios de diamante, mas outros metamateriais estão sendo desenvolvidos, infelizmente estamos bem atrasados nesse campo.

  • Roberto:

    O meu pontudo também só acerta o esférico.

  • Antonio Marmo:

    Glauco

    Obrigado por me levar a conhecer Nikolas Tesla…fui pesquisar…Fantástico. Ele é o gênio e não Thomas Edison, entre outros…
    Lanford, ao que li o raio não consegue segurar toda a energia que ele carrega como postei abaixo… e aí?

    • Glauco:

      disponha!

  • Antonio Marmo:

    Até onde entendi eles estão falando de um novo para-raios…Onde se fala de “captação de energia elétrica”?
    O francês aí apenas atraiu descargas para um outro alvo a até 50 metros de distância. Um para raio nada mais é que mostrar ao raio um caminho fácil até o solo.Não é isso?
    Suponho que “captar a energia” significaria armazená-la para reutilizá-la…
    Mas leio que “grade parte da energia de um raio é transformada em calor, luz, som e ondas de rádio. Apenas uma fração dela é convertida em energia elétrica, durando o ráio milionésimos de segundo…Assim, apesar dos grandes valores de corrente e voltagem envolvidos a energia elétrica média que um raio segura é de 300kWh, ou seja, aproximadamente igual à de uma lâmpada de 100W acesa durante apenas quatro meses”. Então não compensa armazenar a menos que: aí está o interessante da descoberta do francês…vários ráios ao mesmos tempo.

    • Lanford:

      A corrente elétrica de um relampago é MUITO intensa, a temperatura dele chega a ter 30.000Cº aproximadamente a temperatura da superfecie do SOL, e sua desgarga elétrica chega a 100Mw (Mega Watts).

      Levando em concideração a comparação entre W e o MW, UM MegaWatt equivale a 1.000.000Ws

      Então um relampago tem uma descarga elétrica de 100.000.000Watts

      Então um relampago tem a capacidade de ligar 1.000.000 lâmpadas.

      Além de ter uma descarga elétrica muito elevada o calor do relampago pode ser convertido em energia, mostrando que o relampago é uma exelente forma de eletrecidade.

  • Glauco:

    Esse pessoal tá de marcação comigo ou estão sem trabalho…

  • Glauco:

    O McCanney explicou o funcionamento de uma torre de captação de energia elétrica presente na atmosfera sem precisar de raios laser e sem precisar de relâmpagos em seu livro Principia Metereologia. No livro seguinte, The Diamond Principle, ele demonstra o funcionamento e como uma rede elétrica funcionaria nesse sistema. Essa é a famosa Torre de Tesla.

    • gargwlas:

      e pq ele nao fez e ficou rico?? cada uma…

    • Glauco:

      Estude sobre o Nicolas Tesla q vc vai saber.

      Cada uma…

    • gargwlas:

      sim.. conheço profundamente Nikola Tesla, esta em um pedestal de admiração logo acima de Leonardo da Vinci….

      agora.. tu fala McCanney… McCanney

      e ninguem ve nada desse cara por ae… pra mim é só falácia e vc um discipulo fascinado com sindrome de underground.

      Falando em Tesla, o mesmo morreu na miseria porque nao soube aplicar suas ideias com inteligencia, a excentricidade levou ele a falencia, e nao suas ideias.

      Tesla foi no minimo inocente em muitos aspectos, mas se tivesse se precavido tinha conseguido colocar sua obra prima em pratica.

    • Squishoso:

      Até onde me lembre, Nikola Tesla morreu pobre porque seus projetos revolucionários poderiam gerar energia gratuita.

      Já ouvi falar também de experimentos de captação de energia elétrica a partir do ar, usando o atrito do vento para gerar estática.

    • Glauco:

      Ele morreu pobre e perseguido pelas suas idéias. Na sua época ele já tinha fabricado um carro elétrico melhor do que os que possuímos hoje.

    • Marcos-DF:

      Olá Glauco !
      Legal ter lembrado de Tesla, na minha opinião, um dos maiores gênios que já colocaram os pés neste planeta !
      Ele estava dezenas de anos à frente de seu tempo e por isto (e por outras coisas) foi perseguido e morreu pobre, porque dinheiro não era o mote principal da vida dele !! Grande Tesla !!!

    • CLEME:

      O grande barramento que ocorre em qualquer projeto revolucionário é político.
      Tesla chegou a viabilizar o disco-voador e cada um sairia mais barato do que um carro popular

Deixe seu comentário!