Como deixar seu coração mais “jovem”, mesmo na meia idade

Por , em 12.03.2018

Conforme envelhecemos, mesmo se formos saudáveis, o coração começa a ficar menos flexível e o processo de oxigenação do sangue fica prejudicado. Para a maioria, os primeiros desconfortos começam a aparecer ao redor dos 50 ou 60 anos.

“O coração fica menor e mais enrijecido”, diz Dr. Ben Levine, cardiologista esportivo da Universidade do Texas (EUA). Ele compara o coração com uma tira elástica. Ela é flexível no início, mas se esquecida em uma gaveta por 20 anos, fica seca e quebradiça. “Isso acontece com o coração e com os vasos cardíacos”, diz ele.

Isso leva à falta de ar e outros sintomas de problemas cardíacos, uma vez que o órgão já não consegue bombear o sangue pelo corpo como deveria.

A boa notícia para os sedentários de meia idade é que há esperança. O coração de uma pessoa de 50 ou 60 anos pode voltar a ter a flexibilidade dos 35 ao adotar-se uma rotina de exercícios aeróbicos, como andar, correr, nadar, pedalar e dançar. Para os sedentários de 70 anos, porém, a adoção dessa rotina não trouxe melhora alguma ao órgão.

O trabalho foi publicado na revista Circulation.

Uma das pesquisa dividiu participantes com idades entre 45 e 64 anos que eram sedentários, porém saudáveis, em dois grupos. O primeiro fez atividades anaeróbicas três vezes por semana, como yoga, treino de equilíbrio e com pesos. O outro grupo fez atividades aeróbicas em pelo menos quatro dias na semana.

Dois anos depois da adoção da rotina de exercícios, os dois grupos foram reavaliados e o grupo de atividades anaeróbicas mostrou melhoras dramáticas na saúde do coração.

“Pegamos aqueles corações de 50 anos e voltamos o relógio para os 30 ou 35 anos”, conta Levine. Esses corações estavam notadamente menos enrijecidos.

Uma das participantes, Mar Onsry, tinha 62 anos ao iniciar o estudo de dois anos. Ela caiu no grupo de atividades aeróbicas, e conta que sua vida mudou drasticamente. Atualmente, com 65 anos, ela se exercita todos os dias da semana, andando e correndo pelo menos 8km. Ela conta que se perder um dia de exercício, sente-se mal fisicamente e mentalmente. “Agora não estou mais mal-humorada, estou feliz”, diz ela.

“O motivo que eles ficaram mais fortes e em forma é porque os corações podiam bombear mais e melhor durante os exercícios”, aponta o médico.

Já o coração daqueles que fizeram exercícios anaeróbicos não apresentou melhoras.

Um segundo trabalho com pessoas de 70 anos acompanhadas por um ano mostrou que a rotina de exercícios não fez diferença alguma para a estrutura do coração e dos vasos.

Que tipo de corrida é a melhor?


A chave para o sucesso dos participantes que fizeram exercícios aeróbicos foi usar a técnica de intervalos 4×4.

“Este é um treinamento da equipe de esqui da Noruega. Significa quatro minutos exercitando-se com 95% da sua habilidade máxima, seguido por três minutos de recuperação ativa, repetido quatro vezes”, explica o médico, ressaltando que antes de qualquer coisa é necessário que a pessoa consulte um médico para ser liberado para esta atividade física.

Esforçar-se por quatro minutos estressa o coração e o força a funcionar de forma mais eficiente. Os intervalos repetidos ajudam a fortalecer tanto o coração quanto o sistema circulatório.

Este estudo, porém, foi pequeno, e precisa ser repetido com grandes grupos de pessoas. [NPR]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (23 votos, média: 4,35 de 5)

Deixe seu comentário!