Por que Neil DeGrasse não está convencido de que existe um Deus, embora não seja ateu

Por , em 3.05.2017

O canal CBS fez uma entrevista com Neil deGrasse Tyson, mais tarde compartilhando na internet um segmento no qual ele fala sobre Deus.

O astrofísico americano é muito famoso por suas palestras, sendo um dos principais divulgadores de conceitos científicos em todo o mundo. Como tal, enfrenta frequentemente questões sobre sua religiosidade.

Ao responder a pergunta “Você acredita em Deus?”, Tyson nunca usou a palavra “ateu”. No entanto, sua explicação de por que ele não aceita a ideia tradicional de um Poder Superior é bastante interessante.

A resposta

No vídeo, em inglês, Tyson diz o seguinte:

Quanto mais eu olho para o universo, menos convencido estou de que há algo benevolente acontecendo. Olho para os desastres que afligem a Terra e a vida na Terra: vulcões, furacões, tornados, terremotos, doenças, pestilências, defeitos congênitos de nascimento. Você olha para esta lista de maneiras pela qual a vida na Terra é afetada tristemente por causas naturais, e eu apenas me pergunto: ‘Como você lida com isso?’. Então os filósofos se ergueram e disseram: ‘Se há um Deus, Ele não é todo poderoso ou não é todo bom’. Não tenho problemas se, enquanto examinamos as origens das coisas, nos depararmos com o Homem Barbudo. Se isso acontecer, estamos prontos para aceitar! Ok? Não é um problema. (Mas) Não há provas disso. E é por isso que as religiões são chamadas de ‘fé’ coletivamente. Porque você acredita em alguma coisa na ausência de provas. É isso que é! É por isso que é chamado de ‘fé’! Caso contrário, chamaríamos todas as religiões de ‘evidência’, mas não, exatamente por isso.

O cientista ainda afirma que não está convencido da existência de um Ser ou um Criador da forma como as pessoas costumam adorá-Lo, pois não encontra esse Ser no universo, quando olha para ele.

Agnóstico

Em outras ocasiões, quando perguntado diretamente se seria ateu, Tyson disse que, se tivesse que se definir de alguma maneira (o que ele não gosta de fazer), estaria mais perto de ser agnóstico.

Segundo o próprio cientista explica no vídeo abaixo, em inglês, essa palavra, que data do século 19, é usada para se referir a uma pessoa que não sabe se Deus existe ou não. Tal pessoa questiona essa existência na medida em que não há evidências para ela, mas está preparado para aceitar essa afirmação, uma vez que houverem fatos que a comprovam.

O agnosticismo é uma doutrina filosófica que afirma que o valor de verdade de certas reivindicações religiosas e metafísicas é desconhecido ou incognoscível, na medida em que tais reinvindicações ultrapassam o método empírico de comprovação científica. Isso inclui questões mais amplas do que a existência ou não de qualquer divindade, como, por exemplo, o sentido da vida. [Patheos]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (21 votos, média: 4,62 de 5)

17 comentários

  • Risclaudio:

    Considero-me ateu por ainda ter razões (e muitas) para duvidar da existência de Deuses. Isso nada tem haver com certezas.

  • Natan Bittencourt:

    Esqueceu de mencionar o fator violência. Muitas pessoas inocentes são torturadas e mortas de forma brutal na mão de criminosos. Cadê Deus???

  • Viniriter:

    Compartilho da mesma ideia. Acredito que um cientista se considerar ateu é algo um tanto quanto contraditório.

    • João Bosco Costa:

      Por que? Não entendi.

    • Leandro Nascimento:

      João, o ateísmo AFIRMA que deus não existe, mesmo sem ter como se provar isto. Logo foge dos princípios da ciência.

    • Cesar Grossmann:

      Tem uma prova, e contundente: toda religião, todo livro sagrado, todos deuses foram inventados por humanos.

  • J Raul Azevedo Luz:

    A culpa é das Religiões que criaram um Deus bom e um Deus mal. Vivemos num universo energético, o que acontece é variações de energia.

  • Paulo Felix:

    Tem o dom da palavra. É objetivo, direto e reto. Sabe do que está falando (e sabe muito) e, além disso, é divertido.
    GÊNIO!

  • Fernando Cruz:

    Vulcões, furacões, terremotos são a dinâmica do planeta, o que torna ele vivo, doenças, pestilências são consequências da atividade humana!

    • Cesar Grossmann:

      Fazem parte da dinâmica do planeta, mas são necessários? Em um universo que tem um criador, é preciso que tenha gente morrendo ou perdendo tudo aleatoriamente, só por causa da dinâmica do planeta?

  • Fernando Cruz:

    Essa é a beleza da fé! Acreditar naquilo que não se vê! No que há além da razão! Que mérito há em crer naquilo que você já vê, que é óbvio?

    • Cesar Grossmann:

      Sim, é lindo acreditar na fada dos dentes, em unicórnio, em troll debaixo da ponte, em pote de ouro no fim do arco-íris, em Iara e em saci-pererê.

    • João Bosco Costa:

      A Fé não tem nenhuma “beleza” porque é apenas uma válvula de escape.

  • Galmont Da Catalunya:

    Eu também consigo dizer que não acredito em Deus sem usar a palavra “ateu”: Não acredito em Deus.
    – Que título mais sem sentido!

    • Cesar Grossmann:

      Galmont, tem uma certa sutileza aí, você vai ter que reler com cuidado o artigo e pensar sobre o assunto. Pelo menos por mais um mês.

  • Gabriel Hoffmann bueno:

    Pelo que li e vi ele ainda é agnóstico.

    • Cesar Grossmann:

      Agnóstico teísta ou agnóstico ateísta? O primeiro não tem certeza, mas está inclinado a achar que existe, ao contrário do segundo. O Richard Dawkins se enquadra no segundo tipo, o agnóstico inclinado a achar que não existe.

Deixe seu comentário!