Deus existe? – A sua opinião

Por , em 14.05.2008

É comum a ciência esbarrar na religião, e quando isso ocorre geralmente é para contradizer alguma crença. E um dos tópicos mais controversos, anunciados por todas as religiões, é Deus.

A pergunta principal que a quipe HipeScience deixa para você é:

  • Ele existe? E em caso positivo, qual a prova científica de sua existência?

Lembre-se de manter os comentários amigáveis e use bons argumentos para expor suas idéias, do contrário eles não poderão aparecer aqui.

Perguntas complementares:

  • Cada religião tem a sua própria personificação de Deus. Qual está certa? Porque?
  • É possível conceber Deus sem a crença, portanto, fora da esfera dogmática?

Sugira novas perguntas para serem publicadas neste espaço.

RESPONDER

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (5 votos, média: 4,80 de 5)

563 comentários

  • Sonia Diemer:

    Deus é uma necessidade do homem, bem como as crenças em torno dessa figura. A certeza a fé não carrega crenças, sabe….

  • Ademar Souza:

    A existência de Deus é baseada em argumentos que validam também acreditar em Ganesh, Shiva, Oxalá, Guaraci, Brahma e todos os outros deuses de todas as religiões e seitas, em anjos, no Diabo, no Céu, no Inferno, no Paraíso, no Purgatório (que a Igreja Católica criou e recentemente “descriou”), na Astrologia e no Mapa Astral, nas Runas, no Tarô, nas adivinhações feitas no baralho, na mão, em borra de café ou no I Ching. Pelos mesmos argumentos a favor da existência de Deus certificamos também a existência de fadas, duendes, gnomos, ogros, feiticeiras e bruxas com poderes mágicos, trabalhos de candomblé, umbanda e macumba que podem destruir a vida de alguém, causar doenças físicas e mentais, curar doenças e trazer a pessoa amada de volta ou conquistar o amor impossível. Todas estas crenças fazem parte do mesmo processo mental que acompanha a Humanidade desde antes de termos abandonado a África para povoar o mundo.

  • pgsrider:

    A pergunta é: Deus existe? (pede-se uma resposta baseada em argumentos científicos válidos, não em religiosidade)
    Quando vemos uma máquina fotográfica, um rádio ou um computador, entendemos logo que foram projetados e produzidos por alguém inteligente.
    Seria então razoável, dizer que coisas muito mais complexas — o olho, o ouvido, cérebro humano — tiveram uma origem diferente?
    Se encontrar seu nome escrito na areia duma práia, sem duvidar, instantaneamente terá a certeza que alguém dotado de inteligência foi o autor.
    O que dizer então do Código Genético (DNA), o qual tem milhões de vezes mais letras do que o nosso nome, e que define de forma exclusiva cada um de nós??
    E quanto aos que perguntam: “Então, quem criou Deus?”, lhes passa desapercebido o fato de que, se Deus tivesse sido criado, Ele não seria “Deus”, e sim o Criador dele é que seria, o qual por definição, por ser “o” Deus, é o único que não foi criado por ninguém.
    Supor que uma “simples” célula veio à existencia por acaso, é parecido com acreditar que Hamlet de Shakespeare, poderia ter resultado da explosão de alguma editora de livros…
    Pessoalmente, não sei muito sobre Deus, mas é a explicação mais lógica e acreditável pra tudo isso que conhecemos através da ciência comprovada.

    • Eric Musashi:

      Muito cuidado com a lógica para tentar explicar algo do qual não há evidências. A lógica já levou a conclusões estapafúrdias, como Francis Bacon dizendo que como há 7 cores no arco-íris, sete notas musicais e sete orifícios na cabeça, deveria logicamente haver 7 planetas.

      Alternativas mais simples que criar um deus para explicar são tentativa e erro durante milhões de anos, ou então o próprio universo conter uma lógica que leva a formas de vida cada vez mais complexas.

      Sobre o design inteligente, ele não é tão inteligente assim, senão teríamos rodas e nos alimentaríamos de luz solar.

    • Eric Musashi:

      Sem contar que supor que um Deus é incriado, veio do acaso, é uma forçação de barra maior que supor que apenas o universo é incriado, e a vida veio do acaso.

      Você empurra o problema, nada mais. Algo como: ok, nossa vida é complexa demais para ter surgido do nada, então ela foi criada por um ser mais complexo ainda, e ele surgiu do nada.

    • Gean Medeiros:

      faz sentido

    • Edsandry Pereira Sampaio:

      O que impediria certa religião de ter argumentos científicos validos?
      “RELIGIÃO SEM CIÊNCIA É MANCA, CIÊNCIA SEM RELIGIÃO É CEGA” Albert Eisten

    • Tammy Belmonte:

      Na minha opinião, não se pode explicar a existência de Deus sem as evidências da Biblia,pois nós não estivemos no principio das coisas e o Homem tem a tendencia de acreditar somente no que vê ou pode palpar.
      Mas posso explicar com 4 evidencias palpaveis:
      1) A primeira e segunda guerra mundial foi resultado da expulsão do anjo Lucifer do dominio espiritual de Deus para a terra nosso planeta.
      2)As possessões espirituais são reais, eu mesma já presenciei uma e tenho como provar.
      3) Jesus não é uma lenda a verdade é que se nome tem realmente poder para colocar os espiritos maus em subordinação; Isso pode_se experimentar e provar no preto e branco, coloquem um espirito mau num cientista ao manifestar-se repreendam-no pelo nome de Jesus.
      4) Por mais que a biblia possua erros e que seja uma fantochada como tantos dizem, como explicam o mundo dos espiritos na terra? Como explicam não haver vida em outros planetas? Deixem de olhar nos erros dos padres, esqueçam a religião só serve para deturpar a verdade. Deus existe sem religião, os maus actos de padres e pastores não significa que o Criador não existam, estes são usados pelo mal para deturpar a verdade com seus actos…

    • Ademar Souza:

      Para os desavisados ou teimosos, uma informação. Você está no HypeScience e não no HypeReligion ou no HypeFaith. Aqui se discute Ciência e não Fé. Se quiser fazer comentários religiosos ou baseados na Bíblia, faça-o em outro local, respeitando o objetivo deste site. Mais uma informação. O enunciado é claro e vou repeti-lo “A pergunta é: Deus existe? (pede-se uma resposta baseada em argumentos científicos válidos, não em religiosidade”. Se esta é a proposta, por que tem gente que vem aqui, invadir o espaço da Ciência com baboseiras e crendices? Não invadimos os sites religiosos. Respeitem o nosso espaço. Acreditar em Deus é uma questão de Fé, não sujeita ao crivo da Lógica. Posso acreditar no Deus da Bíblia, que é o mesmo do Alcorão e no Torá, o Deus das religiões abraâmicas. Posso acreditar em Ganesh, em Shiva, em Oxalá ou em Guaraci. E todas estas crenças são igualmente válidas. O único fato que persiste é que não se pode provar coisas como Deus, Diabo, Céu, Inferno, Espíritos, Planos Astrais, Paraíso, Vida após a morte, Reencarnação, Curas Espirituais ou Milagres de qualquer religião. Existe um desafio internacional que para um milhão de dólares para quem provar qualquer uma dessas coisas. Há décadas ele foi oferecido e até agora ninguém levou.

  • Edsandry Pereira Sampaio:

    4. Onde podemos encontrar a prova da existência de Deus?

    — Num axioma que aplicais às vossas ciências: não há efeito sem causa. Procurai a causa de tudo o que não é obra do homem e vossa razão vos responderá.

    Comentário de Kardec: Para crer em Deus é suficiente lançar os olhos às obras da criação. O universo existe; ele tem, portanto, uma causa. Duvidar da existência de Deus seria negar que todo efeito tem uma causa, e avançar que o nada pôde fazer alguma coisa.

    5. Que conseqüência podemos tirar do sentimento intuitivo, que todos os homens trazem consigo, da existência de Deus?

    — Que Deus existe; pois de onde lhes virá esse sentimento, se ele não se apoiasse em nada? E uma conseqüência do princípio de que não há efeito sem causa.

    6. O sentimento íntimo da existência de Deus, que trazemos conosco, não seria o efeito da educação e o produto de idéias adquiridas?

    — Se assim fosse, por que os vossos selvagens também teriam esse sentimento ?

    Comentário de Kardec: Se o sentimento da existência de um ser supremo não fosse mais que o produto de um ensinamento, não seria universal e nem existiria, como as noções cientificas. senão entre os que tivessem podido receber esse ensinamento.

    7. Poderíamos encontrar a causa primária da formação das coisas nas propriedades íntimas da matéria?

    — Mas, então, qual seria a causa dessas propriedades? E sempre necessária uma causa primária.

    Comentário de Kardec: Atribuir a formação primária das coisas às propriedades íntimas da matéria seria tomar o efeito pela causa, pois essas propriedades são em si mesmas um efeito, que deve ter uma causa.

    8. Que pensar da opinião que atribui a formação primária a uma combinação fortuita da matéria, ou seja, ao acaso?

    — Outro absurdo! Que homem de bom senso pode considerar o acaso como um ser inteligente? E, além disso, o que é o acaso? Nada!

    Comentário de Kardec: A harmonia que regula as forças do universo revela combinações e fins determinados, e por isso mesmo um poder inteligente. Atribuir a formação primária ao acaso, seria uma falta de senso, porque o acaso é cego e não pode produzir efeitos inteligentes. Um acaso inteligente já não seria um acaso.

    9. Onde se pode ver, na causa primária, uma inteligência suprema, superior a todas as outras?

    — Tendes um provérbio que diz o seguinte: pela obra se conhece o autor. Pois bem: vede a obra e procurai o autor! É o orgulho que gera a incredulidade. O homem orgulhoso nada admite fora de si, e é por isso que se considera um espírito forte. Pobre ser, que um sopro de Deus pode abater!

    Comentário de Kardec: Julga-se o poder de uma inteligência pelas suas obras. Como nenhum ser humano pode criar o que a Natureza produz, a causa primária há de estar numa inteligência superior à Humanidade.

    Sejam quais forem os prodígios realizados pela inteligência humana esta inteligência tem também uma causa e, quanto maior for a sua realização maior deve ser a causa primária. Esta inteligência superior é a causa primária de todas as coisas qualquer que seja o nome pelo qual o homem a designe.

    “Livro dos espíritos”

  • Edir Marcelo Zucolli:

    Ele existe, mas não pode ser observado pelo método científico. Para tanto é necessário ter “feeling”.

    • Tammy Belmonte:

      Ciencia investiga materia, Deus é um espirito invisivel inteligente que não pode ser visto, se Ele deixar voçe ver então voce morre. Nenhum medium espirita que sao os que teem poder de gerar possessões de espiritos neles e em voce caso eles queiram, nenhum deles vai querer que voce descubra a verdade sobre Deus,pois se o fizerem voce acreditará, ao acreditar eles perdem almas para o seu lider lucifer conhecido por satanas, o anjo rebelde expulso do campo espiritual de Deus…Deus vê tudo que nós fazemos e dizemos, no mundo dele há leis e regras, Ele não pode quebrar essas regras só porque duvidamos e não acreditamos no que não podemos ver. Para Ele a fé esta nisso acreditar sem ver…
      Mas se por acaso, voce cientista quizer provar, engane um medium, invente outro motivo, por exemplo que voce quer ser medium e peça uma possessão, ele que dará, vai sofrer, mas arranje outros cientistas que o vão acompanhar nesse processo, que o vão ajudar e levar a um representante de Deus, que vai expulsar esse mal. Ai, voçe vai acreditar…é só testar…e acabar com os debates e comentários de uma vez por todas sobre as duvidas se Deus existe ou não.

  • Ualifer Abreu:

    Vejamos o seguinte:
    *Teoria do primeiro motor imóvel: Tudo o que existe veio de uma energia, algo inicialmente teria que dar energia.
    Vejamos um motor elétrico, ele gira devido ao campo girante no seu interior, esse campo girante vem da energia elétrica, que recebe energia (cinética) proveniente da queda de agua, que por sua vez, cai devido a força gravitacional…enfim.
    Vemos então que se caminharmos ao infinito, não seria possível nada existir, pois nada se auto gerou. Mas eu tenho certeza que estou aqui, e que alguém esta lendo isso, logo existimos, então essa regra (nada se auto gerou) precisou ser quebrada no mínimo uma vez. Se nós referimos a Deus, então é mais fácil acreditar que ele criou essa regra (nada mais pode se auto gerar) logo, a soma de toda energia existente hoje foi criada por ele.
    *Dizermos que não é possível provarmos que Deus existe não é o mesmo que dizer que ele não existe, e não seria possível provar sua existência e menos a sua inexistência, visto que se ele existe como nas escrituras, ele é perfeita, para nós não seria possível reconhecer o perfeito sendo imperfeitos (argumento filosófico).

  • Lauda Pill:

    Deus é um lugar.
    Deus é um lugar.
    Deus é um Universo Espiritual.
    Todos caminham para lá. Através da pratica do bem. Mas acima de tudo a Caridade!
    O Universo Espiritual é Imensurável, mas uma boa noção é:
    Um oceano, um grão de areia.
    No grão fica contido todo o Universo Material, Multidimensional e afins.
    Um grão de areia no Oceano.
    Tá lendo e não tem certeza?
    Do que temos certeza?
    Do óbvio, concreto, visual, formulado e aceito que nos fizeram ter certezas ate agora das duvidas. Que para cada certeza descobrimos 10, 100, mil e infinitas dúvidas.
    Faz parte de uma era a incerteza vc consegue sentir? Então tenha certeza da lógica e do poder da ação que não escapa mais que certamente a reação. O torque, a capacidade de produzir a ação.
    As ações do bem constante praticado nos acarretam consequências predispostas a caridade.
    Com estas regras poderemos dar um passo maior em nossa evolução.
    Podemos estar em um planeta com propensão muito menor para o mal ou mesmo em outra era… aqui.
    Mas aqui perdemos tempo na reação.
    Tá ali. É comprovado. É fato. É uma reação!
    Mas a força que gerou a ação mesmo que de Deus não queremos descobrir.

  • Marcos Almeida:

    …quem não acredita em Deus, acredita no “nada”…o grande paradoxo é que o nada passa a existir, ou seja, o nada é Deus…Deus criou o nada…não temos a possibilidade de fugir de Deus, do criador…não acreditar em um Deus arquiteto, significa dizer, durante milhões,Zilhões de anos é possível que componentes “eletrônicos” surjam do nada (do lixo) e formem um computador.

  • Francisco Junior:

    Impossivel saber , e não precisamos saber

  • José Ferreira Santiago:

    Deus existe? – Qual sua opinião? Existe sim, Deus é a conservação
    da Energia não é Espirito…Leia o site: http://wwww.santiagocientistaautodidata.com

  • Alexandre g:

    Talvez a pergunta mas certa seria. O que é Deus?

    Se o universo foi feito por acaso sem influencia de ninguém, então o que existia antes do universo? Nada?

    Se for nada o que é esse Nada? Um vacuo? mas ai é alguma coisa.

    Se for alguma coisa, como essa coisa foi criada?

    Vamos nos focar então na vida?

    O que é vida?
    Um conjunto de moleculas?
    Ok mas o que faz eu ser esse conjunto de moléculas e eu me sentir? por que eu sou eu? e quando eu morrer simplesmente vai ficar tudo escuro ou minha alma vai para outro plano?

    As possibilidades são infinitas, talvez nunca chegaremos numa resposta.

  • André de Sá:

    Sim Deus existe! E porque eu tenho tanta certeza disso? Bom eu posso afirmar que Deus existe porque eu já espíritos, anjos e demônios! Alguns foram tão nítidos que eu pude ver e até ouvir. Só posso dizer que é uma experiência sem igual. Antes eu não acreditava em Deus, mas agora eu acredito até em E.T.

  • Marciel Degasperi:

    Imagino um futuro distante onde dois robôs discutem se os humanos realmente existiram…

  • Renato Pereira:

    Primeiro; A teoria da Evolução não é contrária à da Criação de Deus porque ambas tratam de coisas diferentes: Criação, e uma consequência da criação, a evolução. Faço Biologia, acredito em Deus e uso a ciência constantemente como base de argumentação. Por isso,se não existe uma teoria concreta, provada para criação, então a Existência de Deus não pode ser negada. A bíblia, tida como palavra direta de Deus aos homens, é erroneamente tratada ao pé da letra por muitos sacerdotes, além de manipulada para o interesse deles, o que acarreta em críticas e em plenas condenações por parte de ateus sem base intelectual. O islamismo é um exemplo de se levar ao pé da letra algumas partes do alcorão. A ciência é algo que Deus nos forneceu para entendermos melhor o mundo. Não há nada de errado em acreditar em Deus, nem em louvá-lo.
    Algumas pessoas se intitulam ateus porque atualmente estar atualizado e par do que acontece é ter o que há de mais avançado em tecnologia, que está atrelada ao crescimento do conhecimento científico, que é erroneamente mostrado pela mídia como antagonista da religião.
    No final das contas, não há como provas se Deus existe ou não, provavelmente porque Ele está em um nível transcendental, inalcançável para nós com apenas a quantidade de conhecimento que nós temos. Concordo plenamente com o Lucas Melo, pois Deus alcançou e existe na mais avançada dimensão, por isso não sofre mais a influência e limitações das dimensões interiores, como nós.

  • Alyson Bates:

    claro que não existe, nós somos frutos de um acontecimento raro no universo!

  • Lucas Melo:

    Deus realmente existe. a fundamentação dessa linha de pensamento acarreta muito mais que uma simples discussão sobre existir ou não existir, vai mais alem, parte para as condições de existência de Deus. Se considerarmos o peso da onipotência, da onisciência e da onipresença (que são aceitas em todas as religiões cristãs), a existência de Deus se assemelha a um fluxo constante que vai do principio(desencadeado por Ele próprio)ao infinito.

    Essas qualificações garantem a Ele a imortalidade, já que pela onisciência ele possui os segredos da morte. O total domínio dos mecanismos quânticos e das forças elétricas fluidas, podendo molda-las de acordo com seu imaginário, pela onipotência, e tem acesso atemporal a todos os fatos e fenômenos do universo, pela onipresença. isso faz D’ele um ser de proporções infinitas, totalmente inimagináveis,e ininteligíveis ao ser humano atual.

    não há formas de percebe-lo em nosso meio, mas podemos observar os mecanismos da vida, a evolução em seu sistema perfeito, onde os seres vivem e interagem sendo moldados pelos seus próprios instintos, que surgem de acordo ao seu meio. Sem a regência de Deus isso seria impossível. Pode parecer muito filosófico, mas esse é um ponto de vista que acolhe a lógica, ao menos em meu ver. não sou adepto a nenhuma religião, estudo várias, e procuro explicações no respaldo do pensamento lógico.

  • Douglas Fernandes:

    para mim é impossivel tudo isso que existe vim da tal evoluçao,tudo isso que foi criado com uma engenharia perfeita,inteligencia,todas as celulas do nosso corpo por exemplo agem de forma harmonica, a biomecanina dos animais.. e tudo isso para mim é obra Divina.

    • Leonardo Agne:

      Se Deus existisse e tivesse criado tudo e todas as pessoas com essa tal “engenharia perfeita” não existiria câncer ou doenças, pessoas não nasceriam com problemas mentais ou físicos, pessoas não passariam fome, como por exemplo, as crianças na África. Deus é tão bom assim? Na história da arca de Noé, não morreram mulheres, crianças e homens por causa do diluvio e só se salvou Noé.

  • Paulo Ricardo Evermore:

    mano, tudo que existe de alguma forma foi criado ou passou a existir assim como nossos computares são inteligencias artificiais programadas para fazerem tudo oque mandarmos são linguagens de programção,bom no nosso caso creio que seja quase a mesma coisa creio que existe sim algo ou alguem superior que criou tudo isto, mas em relção a Deus a Bíblia creio tambem que pode ter cido fruto criado do homem para simplesmente adquirir poder e riquesa exemplo disso era a igreja católica na época das cruzadas, roubavam as pessoas matavam quem não acreditavam em sua ideologia para que ninguem descobrice a verdade se não fosse a igreja a ciência teria avançado muito mais a onde estariamos hoje?!.

  • MEinstein:

    É impossível exagerar a magnitude do problema que Darwin e Wallace solucionaram. Eu poderia mencionar a anatomia, a estrutura celular, a bioquímica e o comportamento de literalmente todo organismo vivo como exemplo. Mas os feitos mais impressionantes de evidente design são aqueles escolhidos a dedo — por motivos óbvios — pelos autores criacionistas, e é com uma ironia sutil que extraio meu exemplo de um livro cria-cionista. Life — How did it get here? [Vida: como chegou aqui], sem autor definido, mas publicado pela Watchtower Bible and Tract Society* em dezesseis idiomas e com 11 milhões de exemplares, é obviamente um dos grandes favoritos, porque nada menos que seis dos 11 milhões de exemplares me foram enviados na forma de presentes não solicitados por simpatizantes do mundo inteiro. Abrindo uma página aleatória dessa obra anónima e tão difundida, encontramos a esponja conhecida como cesto-de-vê-nus (Euplectella), acompanhada por uma citação de ninguém menos que sir David Attenborough: “Quando se observa um esqueleto complexo de uma esponja como o feito de espículas de sílica conhecido como cesto-de-vênus, a imaginação fica desnor-teada. Como podem células microscópicas quase independentes colaborar entre si para secretar 1 milhão de agulhas de vidro e construir uma estrutura tão bela e intricada? Não sabemos”. Os autores da Torre da Vigia não perderam tempo e acrescentaram: “Mas de uma coisa nós sabemos: o acaso não deve ter sido o autor”. Não mesmo, o acaso não deve ter sido o autor. Isso é algo com que todos concordamos. A improbabilidade estatística de fenómenos como o esqueleto da Euplectella é o problema central que qualquer teoria da vida tem de solucionar. Quanto maior a improbabilidade estatística, menos plausível é o acaso como solução: é isso que improvável significa. Mas as soluções-candida-tas para o enigma da improbabilidade não são, como se implica erroneamente, o design e o acaso. Elas são o design e a seleção natural.

  • Luiz Carlos Rodrigues:

    Olá Pessoal tudo bom? Como já sitei em meu perfil amo conhecimento e por fazer constantemente analogias percebo que nós por sermos seres de naturaza amorosa e inteligente, só podemos descender de um ser ou de seres com inteligencia similar, haja visto, o movimento de rotação e tranlação de nosso planeta marcando precisamente a sucessão dos dias e das noite e também as estações do amo, a evaporação das águas a precipitação, a genialidade celestial no macrocosmo e no microcosmo, o exemplo das sementes que guardam dentro de si incomensuráveis florestas, se isso não é inteligência amorosa é o que? Apenas por uma questão de bom senso não dá pra deixar de perceber que por toda parte existe vida, existe um ecosistema, criador e mantenedor da própria vida,por isso e por incontáveis acontecimentos por mim experenciados sei que existe vida em outras dimensões e neste caso não é mais uma questão de crer e sim de viver, é ai quando nós deixamos para traz a crença e vivemos a certeza absoluta, posso garantir que há um estado existencial de incomensurável amor que chamo de estado de extase espiritual semelhante a um mergulho em um vasto oceano de bem aventuranças, é muito dificil explicar só esperenciando e para isso se faz mister a precursora a Fé na Inteligencia amorosa. E quanto e quando a pessoa vai encontrar ou mergulhar neste estado, de inicio já é um bom começo decidir-se por encontrar, é tão valoroso, que no mínimo devemos investir toda á vida, se for preciso é claro, vale lembrar as sabias palavras do MESTRE jESUS EU ESTOU NO PAI, O PAI ESTÁ EM MIM EU E O PAI SOMOS UM, reflexão é bom, imagine só se ele não estivesse transbordando de inteligencia amorosa divina ele teria suportado tudo o que suportou? Para mim é certo Podemos e devemos a cada dia mais buscar e mergulhar neste oceano incomensurável de amor celestial. Já experencio lampejos sei que chegará o momento que se tornará constante. Um Forte Abraço a todos e busquem o amor do criador amoroso do Universo, quanto mais mentes nesta sintÔnia melhor para todos.

  • Carlos Ossola:

    Se Deus considera o homem igual a uma barata, como alguém declarou, e a única diferença está na nossa capacidade de aprendizado, então as expectativas do Criador são diferentes. Um homem pode chegar a ter as medidas de um anjo, mas a barata, mesmo tendo alma de barata, vai morrer barata. Respondendo à pergtunta: Deus não existe, Ele personifica a própria existênia. Se apenas existisse, como nós, teria princípio e fim. Mas Deus é de eternidade à eternidade. Está tão distante do nosso humano entendimento, que se apresenta segundo a imaginação e a mentalidade da época. No Antigo Testamento Deus é imaginado mais humano do que divino, muitas vezes pior do que a pior de suas criaturas, mas seria aceito de outra maneira? Nos tempos do Eterno Testamento de Jesus, Deus é imaginado como um ser espiritual piedoso, terno,infinitamente perdoador (70×7) pelos pessoas de bom coração. E continua sendo imaginado como aquela divindade cruel, ciumenta e vingativa pelos que ainda o imaginam assim, pela dureza de seus corações. Em suma: cada qual tem o Jeová que merece.

  • José Santana:

    Deus nada mais é do que: a fuga do real para o fantastico. Deus está em tudo o que é bom, o Demonio está em tudo o que é ruim. A hipocrisia do ser Humano é tão drastica que, ele acha que é melhor do que os outros animais. Porem para Deus, tanto o Homem ou uma Barata tem o mesmo valor. Em media, morre todos os dias no Mundo 145.000 pessoas, e também morre milhares em outras esoecies. Porque tenho Alma e os outros animais não tem?. A nossa diferênça está no aprendizado, nada mais.

    • Francisco Baptista Burgos:

      Prezado José Santana:Pense que quem fez tudo (Deus)´deve ser “superinteligente”, como a ciencia, algo próprio do homenm que pensa e raciocina está chegando cada vez mais lá…você e todos temos um medo irracional da morte…mas a existencia da morte não elimina a existencia de Deus como você diz,imagino que você deve ter amado muito à familia aos amigos…sendo um simples mortal…pense talvez no caminho do Amor para entender melhor. Abs

  • Ademar Souza:

    Não há nada mais estéril do que esta discussão sobre a existência sobre a existência de Deus. Ou de algum deus. Que deus existe ou não? Estamos falando de Jeová? De Cristo? De Ganesh? De Oxalá? De Krishna? Será que todos estes deuses existem? Será que alguns deles existem e outros não? Será que só um é o verdadeiro e os outros são falsos? Será que nenhum deles existe? Como saber? Podemos nos basear nos textos sagrados? Quais textos sagrados são confiáveis? Por que os outros não são? O certo é que ninguém pode responder nada disso com certeza. Só resta a cada um sua crença na existência ou não de um ou de vários deuses. A única coisa que é certa é que, ao final da discussão todos os debatedores vão continuar firmes nas suas convicções. Discussão não muda a opinião (fé, crença) de ninguém. Que cada um fique na sua fé ou na falta dela.

    • Renato Barros:

      Perfeito seu comentário Ademar Souza…a verdade é que ninguém consegue provar nada, e nem mesmo as escrituras conseguem provar algo…
      Minha opinião é que existe um ser que nos criou…assim como nós agora conseguimos criar maquinas e robôs pensantes…mas de alguma forma esse ser que nos criou não nos visita a muito tempo…talvez daqui alguns milhares de anos este planeta será só habitado por maquinas que farão o mesmo questionamento e buscarão a existência do seu criador…!!!

  • Domenico:

    Adorar a Deus com este louvor é muito bom, só sabe quem realmente adora.

  • Toni Cruz:

    Fui católico e estudei em colégio de padres e hoje com mais de 60 anos não acredito que haja Deus, mas sim uma força espiritual muito grande que nos locomove através dos tempos. Também não sou Ateu, mas a ciência está aí para provar a verdade. É só querer buscar o conhecimento científico.*

  • Caio Santos:

    Já que é um artigo de opinião, vou também expor a minha.

    Acredito que Deus realmente existe, porém, assim como a ciência não pode provar que ele não existe, é impossível que ela prove que exista, até porque todos sabemos que nenhum dos dois grupos (Ateus e Cristãos) assumiria um possível erro.
    Enfim, a Ciência jamais se provaria de bom grado uma possível existência de Deus assim como os cristãos jamais aceitariam uma possível não-existência de Deus.

    Siga seus conceitos, e não se aliene às opiniões alheias. Escolha no que acreditar e vá em busca da verdade. =D

    • Gabriel Lima:

      Respondendo amigavelmente,
      O que você fez foi utilizar a falácia da inversão do ônus da prova. ”Uma hipóteses levantada sem argumentos pode ser descartada sem argumentos”. Aquele que faz uma afirmação que deve embasá-la. Eu posso afirmar que qualquer coisa mágica existe que não será possível provar o contrário. Você não pode provar que unicórneos não existem. Contudo, devido a total ausência de evidencias da existência desses, podemos chegar a um consenso de que eles muito provavelmente são parte do nosso imaginário.

  • Pedro Henrique:

    Saber que o velho testamento é um absurdo, com seus genocídios, apedrejamentos e preconceitos, é fácil pra qualquer um que tenha um mínimo de raciocínio.

    Já uma análise do Novo Tetamento é mais complicada. Para aqueles que busquem a verdade acerca de Jesus e dos Evangelhos, recomendo essas duas excelentes leituras, de dois dos maiores eruditos bíblicos do mundo:

    1. O que Jesus disse, o que Jesus não disse – Bart D. Ehman
    2. O messias antes de Jesus – Israel Knohl

    “Conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará”. Nisso, acredito piamente. ;]

  • Domenico:

    Misericórdia!

  • Domenico:

    Ademar!

    Se liberte dos falsos profetas que te realizaram ameaças algum dia. Se permita viver através da nova aliança que foi feita através da vida de Jesus para nós, pois foi isto que Ele fez permitiu que este povo escolhido que você comentou que eram somente os Judeus, fossemos também nós no dia de hoje.
    Não precisamos dos homens para receber a palavra de Deus, mas precisamos estar em comunhão para vivermos a palavra Dele, não permita se afastar de Deus por causa de homens que são tão erroneos e pecadores tal como eu e você, busque a Deus e o resto mais Ele fará.
    Abraço

  • Domenico:

    Boa tarde Ademar!

    Penso que todos os religiosos expostos em tua questão, devem ser respeitados. Porém Deus deixou um manual de instruções para os homens. Este manual é a Bíblia, se alguns povos tem ou não acesso ao material, acreditam ou não; não depende de Deus mas sim de sua origem.
    O Deus único e onipotente que exite para os homens é sim o Deus dos Judeus o qual tu colocaste. Creio que Deus é único porém quem crê em Deus sabe que também existe o outro lado, que não vem de Deus, é permite confusão entre os homens.
    O problema é que as denominações de hoje em dia, seja qual forem tem o intuíto de criarem suas próprias regras e por isto que se causa tanta dinstinção e confusão, pois os homens criam e inventam doutrinas da qual não tem intendimento.
    A palavra de Deus atual para os homens, vem do novo testamente Jesus deixou um legado para aquele que nele crê, que é o seu caráter exposto no novo testamento. O que ocorreu no velho testamento não tem mais valor para os homens, serve de ensinamento mas não de via de regra, pois a nova aliança com Deus foi realizada através do Sangue de Jesus.
    Através do nome de Jesus Deus permite nos aproxegarmos do Pai.
    Exite um ditado onde dizem que todos os caminhos levam a Deus realmente é verdade, mas a Deus de justiça também … Porém um único caminho leva a Deus:
    “Eu sou o caminho a verdade e a vida, ninguém vem ao Pai senão por mim ” João 14 :6

    • Rodrigo Campos:

      Amigo, citar a Bíblia não ajuda…tente outro argumento…

    • Ademar Souza:

      Domenico, se os seus argumentos se baseiam na existência de um “manual” você está dando também credibilidade ao Hinduismo que tem como livros sagrados os Vedas. O Bhagavad Gita é um bom equivalente ao Novo Testamento. Temos também o Torá, o Alcorão e a Sutra do Diamante. Eu vejo o Velho Testamento como um manual que enaltece o povo hebreu/judeu: eles é que são o povo escolhido por Jeová, e não nós outros, não-judeus. Os alguns povos que não seguem o cristianismo representam, na verdade, 67% da Humanidade e não apenas “alguns povos”. No mais, todos estes textos são meramente textos e não existe nada que dê a um credibilidade maior que a que se poderia dar aos outros. Criado desde pequeno em ambiente católico tive muito tempo de vida para questionar e buscar respostas à incoerências absurdas das ditas Sagradas Escrituras e tudo que obtive foram ameaças e argumentos falaciosos.

  • Ademar Souza:

    Parece que o que se discute aqui resume o mundo a uma parcela da população que vive imersa em um ambiente social, cultural e religioso no qual a imensa maioria acredita em um Deus Único, Eterno, Perfeitíssimo e Criador do Céu e da Terra. O Deus das religiões judaico-cristãs. Como fica a existência deste Deus e Sua influência na vida de todos os outros seres humanos budistas, xintoístas, povos “não civilizados” como os que vivem em tribos brasileiras, australianas, ainus, norte-americanas, canadenses ou africanas? O que dizer de crianças criadas em ambientes sem prática religiosa e não educados para acreditar e temer a Deus? Alguns destes poderão, por algum motivo, passar a acreditar em Deus mesmo depois de adultos. E isso é normal. Mas como fica a situação contrária? A daqueles que foram educados em ambiente judaico-cristão e por motivos vários deixam de acreditar em Deus? Existe um “caminho certo” em um ou outro sentido?

  • Domenico:

    Macederia, discutir da forma como estamos fazendo não é ofender, ofender é de outra forma como já foi postado anteriormente. Mas não digo isto de forma como me ofende e sim a ofender um Deus que existe e só pode ser exaltado em crença, pois não é para os que só acreditam vendo e sim para o povo Dele que acredita crendo, por isto nos chamam de crente, fácil ?!!
    Respeito todas as suas colocações e acho de grande valia, pois é de fácil intelecto a compreensão, se estou disposto a defendê-lo? Muitos fazem isto dando a sua vida e eu não vou defende-lo simplesmente através de uma postagem ?
    SIM é lógico que irei me posicionar, mas defende-lo não pois ele é Deus não precisa de mim para isto e sim eu que preciso da misericórdia Dele sobre a minha vida e minha família, todos os dias.
    Mateus 5:18
    Qualquer pois que viloar um destes mais pequenos mandamentos, e assim ensinar aos homens, será chamado o menor no reino dos céus; aquele, porém, que os cumprir e ensinar será chamado grande no reino dos céus.
    A partir deste dia você pode ler uma pequena passagem da palavra do Senhor e o dia que se encontrar com Ele, não poderá dizer que não era sabido ….
    Espero que Deus possa tocar o seu coração, assim como um dia o fez comigo e também que Ele abençõe a sua família tremendamente.
    Fica na paz e obrigado pelo ponto de vista, pois assim Jesus nos ensinou a respeitar a todos.

  • thebestofsh4rk:

    Ele existe?

    Não no meu ponto de vista. É óbvio que há diversas contradições quanto a sua existência, e não é como diz à bíblia, onde nem mesmo uma folha cai sem seu consentimento. Vemos diariamente coisas que se pararmos para analisar a forma ética e moral em que deus age é o mesmo que dizer aos humanos, “eu não tô nem ai …”. E não é só isso, através de muito estudo, nós seres humanos, conseguimos evoluir extremamente usando ferramentas da ciência as quais só passou a ser difundida depois que à religião “parou” de atacar a quem se opusesse às doutrinas ali contidas.

    E em caso positivo, qual a prova científica de sua existência?

    Não há caso positivo e muito menos evidência de sua existência. Se houvesse todos sem exceção, teria à devida crença. Presenciamos uma infinidade de coisas às quais ocupam lugar no espaço, onde no meu ponto de vista, para algo ter essência e submergir do imaginário ao real, deve interagir com nossa realidade, e para isso, precisa-se de matéria, pois se algo existe e mesmo que não possa ser visto, deve haver maneira de ser mensurado, como por exemplo o ar. Se usar seus pulmões e inspirar este material, poderá coloca-lo em algum recipiente como uma balão de festa. A partir desta premissa que se algo existe e para existir precisa de espaço foram desenvolvidos métodos para mensurar e evidenciar sua existência. Onde deixa duas perguntas: Se deus existe, onde ele está? Somente no imaginário da mente?

    Cada religião tem a sua própria personificação de Deus. Qual está certa? Porque?

    Essa pergunta deixa algo inere à religião que é uma outra pergunta. O que eu sei sobre deus?
    Sabemos que qualquer religioso tem uma visão “própria” da personificação de deus. Partindo da premissa que isso é gerado pelo conhecimento por ela adquirido e representado ora em formas de arte contemporânea ou em escritas. Podemos ver as evidências disso que para difundir uma tal religião, a ferramenta usada para isso foi à escrita. Não me aprofundei muito no assunto, mas pelo que entendi, as primeiras evidências de escrita foram na suméria e datam de cerca de 5.000 anos. E nelas contida, há escritas dizendo como era a religião naquela época, onde diversos deuses eram venerados para saciar ama necessidade inteiramente humana que é o medo do desconhecido. E após algum tempo, mudou muitas características torna-se o monoteísmo que é hoje.

    É possível conceber Deus sem a crença, portanto, fora da esfera dogmática?

    Sim. Usando apenas o imaginário, já que para que algo tenha tanto poder e fique agindo de forma tão confusa, deixa uma pergunta. Será que isso é proposital? Se ele realmente definiu tudo e sabe de tudo, deve estar neste momento fazendo algo novo ou apenas assistindo. E é o que contradiz o fato de muitas pessoas ficarem implorando sua misericórdia, se está tudo definido, o que tiver de acontecer é apenas questão de tempo mesmo. Fora de uma esfera dogmática, esse criador pode estar em vários pedaços neste momento. Pedaço que fazem parte de mim e de você. Veja por exemplo uma estrela, será ela uma representação da existência de deus? Se é, ela não age da forma como os religiosos vêem. Para religião deus é amor, paz, transcendência e poder infinito. Poder este que pode lhe criar, destruir, gerar vida, matar e tortura-lo pela eternidade caso deseje escolher o que deve-se fazer de sua própria vida. O que pra mim além de não ser certo é medonho, pois acredito que deus é uma representação humana da falta de sabedoria, a qual me guiou e deu liberdade ao meu pensamento de ir muito mais além do que está escrito em apenas um livro.

  • Domenico:

    Porque se discutir tanto algo que não existe?
    Deus é Deus, Ele não vai mudar e nem deixar de existir porque vocês não acreditam que ele exista, ou por este monte de bobagens que falam. Se fossem realmente homens instruídos e evoluídos tal qual se apresentam, não atacariam e ofenderiam as pessoas que Nele acreditam, da forma como o fazem.
    Eu como Cristão que sou, não concordo com a exposição dos senhores, e nem por isso deixo de respeita-los e valoriza-los,
    pois Jesus assim nos ensinou a ser.
    Que Deus possa tocar o coração de vocês para que não se igualem mais, a esta forma de homens que buscam e falam em nome de Deus somente para tomar vantagem, pois quando caracterizam estes homens que roubam em nome de Deus e etc… a forma como ofendem quem acredita em Deus … estão se tornando igualzinho a eles.
    “Eu não posso estar certo de que Deus não existe”
    (Richard Dawkins).
    “Conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará”
    (João 8.32)
    SE VOCÊ CRÊ QUE DEUS NÃO EXISTE, VOCÊ CRÊ !!!

    • Rodrigo Campos:

      Exatamente porque é uma DISCUSSÃO. Toda e QUALQUER forma de debate, é uma forma de amadurecimento mental. Acho que religião se encaixa perfeitamente nisso…
      E você não respondeu a nenhuma questão proposta pelo post…

    • Macederia:

      Porque discutir algo “que não existe”? Por conta da presunção quase que disseminada de que ele existe. Por mais estapatúrdia que seja a hipótese de que existe uma inteligência sobrenatural vagando por trás do universo, milhoões de pessoas no mundo todo assumem que deus existe e pronto. com base nisso fazem presunções, julgamentos, justificam seus princípios morais (ou a falta deles), e o que é pior, discriminam, condenam e buscam excluir aqueles que não compartilhem das suas crenças.

      Provavelmente o que você chama de ofensas feita pelos ateus podem ser meras opiniões racionais sobre a a origem do universo. Você só se ofende com elas porque elas vão de encontro às suas crenças. Não sou a favor de ofender ninguém, mas não posso usar luvas de pelica para falar da hipótese da existência de deus, ainda que minha opinião soe ofensivo para você.

      Sobre a sua citação de Richard Dawkins é óbvio que ele não pode estar certo sobre se Deus não existe. Dawkins é racional e uma pessoa racional nunca estará certo sobre a inexistência de alguma coisa, no sentido de que é simplismente impossível se provar a inexistência de qualquer coisa. Dawkins não acredita na existência de deus ou deuses, (assim como milhões de pessoas no mundo todo não acreditam)por muitas razões, mas eu diria que podem ser resumidas assim:

      1) A hipótese da existência de deus, é, principalmente com todo conhecimento que temos hoje, de uma implausibilidade que beira o absurdo.

      2)A aparente utilidade que a religião oferece para humanidade é falsa, porque as pessoas não extraem sua moral dos dogmas religiosos, que, na prática, acaba servindo muitas vezes para justificar suas falhas ao invés de nortear sua linha de conduta. Além disso, como disse Bertrand Russel “as pessoas deveriam acreditar em algo por considerá-lo verdadeiro, e não por considerá-lo útil, caso contrário estaremos praticando um ato de traição intelectual”

      3)A disposição humana em acreditar em deus parece estar ligada ao fato de não consequirmos lidar com as nossas fraquezas, nossas crises existenciais e principalmente a nossa relação com a morte (tanto a dos nossos entes queridos como a nossa própria). Richard Dawkins diz no preâmbulo de Deus, um delírio: “voltando à necessidade de consolo da humanidade, ela existe, é claro, mas não há alguma infantilidade na crença de que o universo nos deve um consolo, como de direito?…se o consolo que a religião parece oferecer se fundamenta na premissa neurologicamente implausibilíssima de que sobrevivemos à morte de nosso cérebro, você está mesmo disposto a defendê-lo?”

    • Oiced Mocam:

      “Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará”

      É este o lema de todas as religiões. Cada uma é dona da verdade. No entanto, todas se contradizem.

      Destarte, permanece no ar a dúvida e a pergunta:
      “Que é a verdade?” (S. João, 18: 38).

      O que me fez sentir-me mais distante da verdade não foram as opiniões contrárias das religiões, mas as existentes na própria Bíblia, que, segundo todas as religiões, contém palavras divinamente inspiradas.
      “É a Bíblia a palavra de Deus, um livro coerente, sem qualquer contradição, discrepância.”
      É a afirmação que sempre se ouve dos pregadores religiosos.

      Milagres não acontecem,como Jesus de Nazaré não existiu, não houve milagres de modo que a história dos três hebreus andando no meio de uma fornalha ardente sem sequer chamuscar os cabelos não pode ser verdade. Daniel também não poderia ter sobrevivido numa cova de leões famintos; portanto essa história também é ficção.
      Essa é a “evidência” que os críticos apresentam. A Bíblia nesse sentido é uma fraude intencional do princípio ao fim!

      Recebi a ideia numa família cristã e assim pensei. Porém, ao estudar atentamente, não consegui manter a mesma linha de pensamento. Contradições saltavam aos meus olhos, e, quando pedia explicações aos mestres religiosos, suas explanações me soavam distonantes, não me convencendo da pretensa harmonia.
      Inicialmente, não conseguia entender como seria bom (Salmos, 34:8), perfeito (Mateus, 5: 48) e justo (Salmos, 145: 17) um deus que “visita a iniqüidade dos pais nos filhos até a terceira e a quarta geração” (Deuteronômio, 5: 9). O homem imperfeito de hoje, pelo menos em teoria, repudia essa ideia, prescrevendo que “nenhuma pena passará da pessoa do condenado” (Constituição Brasileira/88, art. 5º, XLV).
      Outro questionamento não se afastava do meu íntimo:
      Deus falava pessoalmente com Abraão, Isaque, Jacó e outros, e Cristo se manifestou para converter Saulo no caminho de Damasco.

      Por que Deus não fala hoje com ninguém, e como Cristo mitológico não vem mostrar a verdade para tantas pessoas sinceras pertencentes a doutrinas errôneas?
      Entre tantos credos divergentes, seria insensatez crer que todos estão com a verdade, enquanto cada religião considera anticristã as opiniões contrárias das outras, sendo uma classificada por outra até como seitas ou a Besta do Apocalipse.
      Tanto orava para que Cristo me mostrasse, pelo menos em sonho, quem estava com a verdade, contudo nenhuma revelação recebia. Equivale a dizer, por exemplo, que não existe um só autor honesto entre os escritores bíblicos; todos eles mentiram! Deus e Jesus bíblicos mentem por que não atendem orações e preces.
      Tudo no cristianismo é uma enorme fraude, do Gênesis ao Apocalipse. Os discípulos devem ter sido personagens fictícios; Jesus histórico provavelmente nunca existiu; Paulo inventou um evangelho diferente do atribuído a Jesus … e os absurdos se sucedem.

      Deus possui quase todas as características de algo que não existe. Por exemplo: imaterial, incorpóreo, incompreensível, invisível, inexplendorável, etc… sabe qual a explicação que um pastor vai lhe dar? Porque que Ele é Espírito. Bem, ai vai pesquisar e se informar e chega a conclusão. Deus, alma, espírito são NADA !

      Sem verdade não há liberdade (e vice versa), bem sabia Tolstói, que dizia que ” não alcançamos a liberdade buscando a liberdade, mas sim a verdade. A liberdade não é um fim, mas uma consequência”. Dizia isso, ecoando as palavras de Jesus, segundo João.

      Desse modo líderes religiosos do Brasil que não forem “falsos profetas” deveriam fazer da verdade sua principal bandeira. Deveriam então fazer lobby e pregação pela verdade e pela liberdade. Em vez de pregar o ódio, a segregação ou de se omitirem ante as grandes injustiças de nosso tempo, como tem feito lideranças de igrejas supostamente tradicionais, tanto tradicionais e milenares, quanto das mais novinhas, que tem servido unicamente ao dinheiro e à dissimulação nesse mercado da fé. Não cultivam nem trabalham pela verdade nos tempos de hoje.

      Um exemplo.
      Veja o caso recente no Brasil. Os religiosos nunca entendem que, e querem guardar por nove meses na barriga um feto anencéfalo que não vai viver. É direito deles, mas não podem impor isso como dever aos outros. É por isso que não podemos deixar religiosos no poder. Se tiverem força política, eles podem estabelecer uma nova inquisição.

      Sds
      Oiced
      Pesquisem sobre Mitologias, a Origem do Cristianismo e Critica Superior à Religião!

    • Gabriel Lima:

      “Eu não posso estar certo de que Deus não existe”
      (Richard Dawkins).

      Nossa, amigo…
      Por favor, não faça isso. Colocar esse fragmento de pensamento como uma frase reveladora é anti-ético.

      ”SE VOCÊ CRÊ QUE DEUS NÃO EXISTE, VOCÊ CRÊ !!!”
      ??????????????????????????

  • Edemir Dauzacker:

    Sem ofensas, mas vamos pelos fatos. Sem exceção as centenas de denominações evangélicas por exemplo, o DEUS que cada uma tem a sua, ele é apresentado como misericordioso e milagroso!!! Mas ao mesmo tempo pregam que se você não fizer o que ele MANDA e SEGUIR suas vontades, você será CASTIGADO (tem todo tipo de castigo(financeiro, saúde, morte etc, etc…)) No caso da igreja católica e suas desmenbrações, são extremamentes sugadores financeiros (vem a mim e a tu nada). Começaram a primeira guerra do mundo, vendiam perdão a reinos que não conheciam o latim em troca de muita riquezas. Queimavam as prostitutas onde criaram o nome dados a elas de bruxas, porque os padres e sacerdotes como até hoje são na maioria GAY´s e eram proibidos de ter relações com mulheres por isto acabavam optando por isto entre eles ou como é hoje a famosa PEDOFILIA na igreja.
    Criaram um tal de DIABO (capeta ou…) para intimidar as pessoas e amedronta-las para que fossem cegamente fiéis a igreja utilizando do argumento DEUS.
    Enfim, para mim DEUS ou o DIABO não existem. cada mente humana é dotada de autocura ou sabedoria oculta, que precisa de uma ferramenta chamado crença para ser ativada. Mas no caso dos humanos, esta ferramenta está com o código errado (DEUS/DIABO). Cada um é seu própio DEUS/DIABO. Ai até a justiça que afirma ser cega, quando inicia um julgamento, você tem de colocar a mão no livro da mentira (BIBLIA)!!! Você não está sendo julgado pela sua crença e sim pelo seu(s) ato(s).
    Talvez o tal de PAPA ou alguem da justiça vem mem encher o saco por causa destre comentário. Porque a justiça não obriga o papa a abrir as portas do vaticano e revela ao mundo o que eles escondem da humanidade. Com certeza lá tem muita coisa que se fosse do conhecimento público o nosso planeta viveria avançado uns 3 mil anos de conhecimento cientifico e os humanos teriam uma vida melhor com mais igualdade e saúde.
    Enfim, eu sou contra qualquer espécie de religião que acredita em Deus, acho um retrocesso na vida e um aprisionamento.
    Se Deus existisse e fosse tão bom assim, não teriam tantas guerras em nome de Deus, o vaticano seria publico e não teria nenhum religioso pobre, doente ou…
    As pessoas não querem enxergar, não estou aqui incitando a destruição dos religiosos, apenas expondo o que eu tenho direito de falar publicamente. Mas tem pessoas que querem ser cegas e obedecer a um mito.
    Sugiro que estas pessoas procurem se informar mais sobre ciência dentro e fora de nosso planeta e se quiserem enxergar, vão ver que viemos de outro lugar e somos uma experiencia ainda em evolução. Temos de deixar de lado os mitos, crenças dos nossos antepassados e admitirmos que quem cura é a ciência, as máquinas, os remédios e as tecnologias que criamos que nos tornam o nosso dia a dia melhor.
    Biblia é apenas uma correçaõ deixada por seres inteligentissimos, que foi apoderada pela religião e transformada no manual de beneficio própio da venda do produto comercial mais vendido no mundo chamado DEUS.

  • Raeno Rocha:

    Suponhamos que eu não assuma nenhuma posição nessa duscussão. A bíblia é a história de um povo. Ocorreram fatos inexplicáveis na história daquele povo. Se perguntássemos a esse povo: “existe deus”? Ah eles devem ter lá 1001 fatos históricos que comprovem que sim. A bíblia tem falhas? Creio que sim, foi escrita há alguns milhares de anos e se em 2013 se escreve tão errado imagina a escrita e traduções pelas quais a bíblia passou. Mas é um livro histórico e não pode ser ignorado. Querem saber mais se Deus não existe, favor para com discussão, pois é vão.

  • Roberto Petresco:

    Uma pergunta? Que tal mudar o foco e perguntar se nos realmente existimos ?
    Ou ainda se somos mesmo o que achamos que somo?
    Que tal o sonho ser real e o despertar um sonho ?

    Corpo e alma (uma parte dela) perecem, mas a nossa Consciencia NAO.
    Seria isto o espirito que nao perece ?

    Veja por. Exemplo o caso da experiencia. De quase morte em que pessoas sao declaradas mortas pela ciência e depois voltam a vida e muitas delas dizem que se viram fora do corpo e ate conseguem dizer o que médicos falaram sobre o corpo delas enquanto eram dadas como mortas (sem. Batimentos cardíacos e sem sinal no eletroencefalograma)

    Se nos nao morremos mas apenas “passamos” entao perguntar se Deus existe no mínimo passa a ter outra dimensão.

    Existe um conceito que empresto da fisica que eh a simetria e a quebra de simetria
    Imagine um dado em cima da mesa
    Voce olha para ele e vê uma face e lá esta o Nr 6
    Ja o cara do outro lado da mesa olha. O mesmo dado e vê o Nr 1
    Quem esta certo ?
    E se estiver em jogo o controle da mesa ?
    Sera que voce que vê o Nr 6 e o outro que vê o Nr 1 chegariam a se matar por suas crenças ?
    Mais uma vez quem esta certo ?

    Por fim uma pessoa que estivesse em baixo da mesa (vamos supor uma mesa de vidro) veria o Nr 4 e um cara no teto veria o Nr 3 agora temos 4 pessoas e 4 opiniões…. Quem esta certo.

    Agora vamos colocar 7 bilhões de pontos de. Vista individual (devo estar atrasado acho que já sao mais do que 7 bilhões) quem esta certo.

    Ate prova em contrário somos todos filhos de Adão (sob um ponto de vista religioso)
    Mas acho que nao estamos muito “amigos” uns dos outros, pelo menos ainda NAO.

    Foi dito que corpo e alma morrem
    Mas alma eh um conceito dificil de definir
    Na tradição ela tem pelo menos 5 partes
    Nefesh Ruach Neshama Chaya e Yehida
    Quando dizemos que a alma morre junto com o corpo, que parte da alma morre ?
    As 5 partes ?
    Ou apenas a alma vivificante ou seja Nefesh ?
    “Homem e animal Sao iguais e tem alma” (estou citando o que um comentarista escreveu)
    Ótimo mas o animal tbem. Tem a alma dividida em 5 níveis com santidade crescente ?
    E se o animal soh tiver os primeiros 3 níveis da alma e NAO tiver ous outros 2 mais santos ?

    Como da para perceber, usar nosso vocabulário para tentar explicar assuntos sagrados nao eh nada facil
    Nao precisa ficar preocupados no mundo da fisica subatômica tentar explicar o que se percebe lá tbem eh bem dificil em palavras (e olhe que nem estamos falando do sagrado mas apenas do infinitamente pequeno)

    Perguntar se Dus existe ??.
    Olha façam-me o favor ?? Quem ousa perguntar ?
    Se voce nao acredita que ele existe esta vivendo uma faceta do dado
    Se acredita vive a outra ?
    Qual delas eh a correta ?

    Na tradição quando um milagre (algo que aberetamente contrária as leis da natureza) ocorre o lugar onde ele ocorreu torna-se sagrado (para todo o sempre) e deve ser respeitado. Justamente os locais de culto das pessoas de Fe.

    A ciência nao pode provar que Dus existe e nem que Dus nao existe, ela nao se propõe a estudar este assunto.
    O fantastico progresso alcancado pela ciência esta justamente em nao entrar neste nebuloso campo da Fe

    A Fe trancende a razão ela opera aonde a razao para.
    Ela chega mais longe mas eh cheia de armadilhas e falácias.
    Por acaso o caminho cientifico NAO tem falácias e armadilhas ?
    Marie Curie morreu ao descobrir o elemento Radio justamente por ignorar os terríveis efeitos da radiação sobre o corpo humano.
    Eh razoavel supor que nos domínios da Fe devam igualmente existir riscos e ameacas
    Se com o poder da materia (melhor compreendido graças a ciência) chegamos ao poder da Bomba atômica (e tbem dos reatores que podem nos dar energia por um tempo enorme) por que NAO pensar que igualmente nos dominios da Fe podemos chegar a dimensoes nao compreendidas.

    Mas no caminho da Fe tem algo curioso …
    Voce transcendeu e teve uma experiencia mística ….
    Agora tenta por isto em palavras ….
    Conseguiu …. Entao tenta explicar para os outros o que foi que voce viu ?
    Como se vê o caminho da Fe tem suas complicações.

    A meu ver vivemos no domínio do humano
    Existe o domínio do Supra Humano e isto ainda pode estar longe de se aproximar de Dus
    Como entao vou ficar discutindo de Dus existe ou NAO ?

    Ate mesmo uma ideia tem uma dimensao supra humana (a chamada Egregora)
    Um ser humano nao abarca o todo de uma ideia ele apenas eh parte dela e a engrandece ou NAO.
    A ideia esta lá e soh morre se todos deixarem de replicar esta tal ideia.

    Ora uma ideia nao eh material mas também nao me parece divina…. E mesmo assim transcende o humano.

    Vivíamos o drama do dogmatismo religioso.
    Agora temos o dogmatismo pragmático.

    Um dia teremos a chance de raciocinar com assuntos que hoje só podem ser atingidos por Fe.

  • Domenico:

    20 perguntas que os ateus têm dificuldade em responder
    http://haeckeliano.blogspot.com.br/2012/06/20-perguntas-que-os-ateus-tem.html

    • Gabriel Lima:

      Muito legal o post. Tinha que ser biólogo! UIASHIAUS

  • Domenico:

    Oiced, ótimas frazes realizadas por homens, que se basearam em na razão que o cerébro permitiu. Mas como já disse antes, Deus é para quem tem fé, afinal de contas a palavra crente vem de crer e é o que sou. Creio em um Deus todo poderoso criador do céu, da terra e de tudo que ainda nem imaginamos e agirei desta forma até o meu último suspiro!
    Muitas vezes esqueçemos que Deus nos criou com o livre arbitrio e esta permissão concedida por Ele é o que nos difere dos demais seres.
    Eu sou livre, livre em Jesus, pois foi Ele quem sofreu naquela cruz e tomou sobre si os pecados para que pudessemos estar aqui hoje, discutindo qualquer tipo de assunto inclusive este…
    Na paz do Senhor Jesus e que Deus abençõe a todos, na sua infinita misericórdia.
    “As misericórdias do Senhor são a causa de não sermos consumidos porque as suas misericórdias não têm fim; renovam-se cada manhã. Grande é a tua fidelidade.” Lamentações 3.22-23

  • Fabs:

    Sei que esse assunto gera livros e mais livros, horas e horas de discussão…mas minha opinião é até resumida: Meu discurso se divide em duas partes, a pessoal e a social. Pessoalmente, as pessoas atribuem suas conquistas a deus e suas desventuras ao diabo ou a falta de deus…mas não caem na real de que são elas que provocam tudo o que acontecem com elas, claro que de forma direta, pois o sujeito não é culpado por aquele que não respeita o semáforo e bate em seu carro, por exemplo. Basta ter inteligência pra saber o que é certo ou errado, pra fazer o melhor pra sua vida.

    Na sociedade, as coisas são mais complicadas, pois pouquíssimas pessoas se ligam na “psicologia de sociedade”, onde a concepção de deus provoca nas pessoas, sem a percepção delas(mas as vezes com…), o aspecto de submissão, de servidão, que se torna claro pra quem é descrente, além do aspecto de adoração evidente e proclamada pelos crentes em divindades. Essa submissão e adoração, inevitavelmente é transferida para outras áreas, principalmente para a política e economia, onde essas esferas, aos olhos do cidadão comum, se tornam inatingíveis e imutáveis, as vezes com uma admiração cega, assim como é com deus. Dessa forma, é facilitada a dominação e a manutenção dessa dominação por parte da minoria comandante do sistema em que vivemos, humilhante e escravista.

    Conclusão: Assim como era na antiguidade, em que a famosa frase “quando o primeiro espertalhão encontrou o primeiro bobão, nasceu deus”, se dá a criação dessas crendices por valores de dominação, de uma forma bem discreta mas bastante eficaz.

    “Quanto mais inteligência, menos metafísica…”

    Desde já agradeço.

  • Oiced Mocam:

    “Os teólogos dizem: isso são mistérios insondáveis. Ao que respondemos: são absurdidades imaginadas por vós próprios. Começais por inventar o absurdo, depois fazei-nos dele a imposição como mistério divino, insondável e tanto mais profundo quando mais absurdo. É sempre o mesmo procedimento: credo quia absurdum [creio porque é absurdo]”.
    — Mikhail Bakunin

    “Se as pessoas são boas só por temerem o castigo e almejarem uma recompensa, então realmente somos um grupo muito desprezível”. — Albert Einstein

    “Não há no mundo amor e bondade bastantes para que ainda possamos dá-los a seres imaginários”. — Friedrich Nietzsche

    “O jeito de ver pela fé é fechar os olhos da razão”.
    — Benjamin Franklin

    “Há algo débil e um pouco desprezível no homem que não consegue de encarar as adversidades da vida sem a ajuda de mitos confortáveis”. — Bertrand Russell

    “…-Reprova-me que, de vez em quando, entretenha-me com Tasso, Dante e Ariosto. Mas é que não sabem que sua leitura é a deliciosa beberagem que me ajuda a digerir a grosseira substância dos estúpidos Doutores da Igreja? É que não sabem que esses poetas me proporcionam brilhantes cores, com ajuda dos quais suporto os absurdos da religião?…”
    — BENEDICTO XIV, Papa

  • Oiced Mocam:

    Domênico, não tenho dúvida alguma que você esteja sendo sincero na sua afirmação.

    Mas eu repito: esse tipo de prova não serve de nada, pode servir para você, mas para ninguém mais no mundo tem serventia, pois como você mesmo disse são pessoais, são do “seu” deus.
    Esse é o maior problema que encontramos com pessoas religiosas (a maioria )elas acham que porque elas (e o seu grupo) de pessoas sentem algo profundo quando estão cantando/louvando/glorificando ao Senhor, todas as pessoas são obrigadas a sentir e compartilhar o mesmo, e quem não o faz tem algum problema, que é cego espiritualmente e bláblábla

    Também não foi de uma hora pra outra, não dormi crente pra acordar ateu… nasci ateu, tentaram me impor os ritos e passagem do meio, fui evangélico durante 50 anos, mas voltei a ser com maturidade o que era quando nasci: irreligioso,
    Nunca pensei muito em Deus como Papai Noel, um homem que dá presentes pelo seu bom comportamento…cresci numa família cristã praticante e só me lembro de pensar em Deus quando alguém morria e tínhamos que fazer todo o ritual fúnebre ( e mesmo assim o de meu pai já aposentado foi negado, por que estava atrasado com os dízimos junto à tesouraria da sua igreja)… fiz catecismo e esses rituais religiosos tradicionais.
    Em uma delas, os pastores diziam que a hóstia era o corpo de Jesus e não deveria ser mastigada, ou verteria sangue. Passei a mordê-la todos. Não saiu sangue nenhum.

    Nunca me senti atraído por essa história, depois, estudei, li a bíblia de forma vertical, as histórias absurdas, crueldades, lendas, fábulas, mitologias gregas do AT, reli de forma vertical comparando as discrepâncias, um mundo de contradições nas narrativas dos Evangelhos…aprofundei com (Crítica Superior à Religião, Crítica Bíblica, Bíblia do Cético, Filosofia, Mitologia, Humanismo, História, Ciência…) mais, me formei…e então depois de todo um processo de avaliação da Bíblia e outras religiões do mundo, e uma vasta biblioteca, sobre o que realmente acredito foi que me declarei ateu,cético, racionalista, livre pensador e humanista secular.

    Lhe garanto que não foi um caminho fácil, eu escolhi o meu caminho. Apenas não penso que algo superior precise intervir e reger a minha vida.
    Se você afirma algo é você quem tem que provar que é verdade…injusto é alguém querer que outra acredite em algo por causa de um livro comprovadamente falho, não escrito ou inspirado por um Deus. Ou por causa de uma experiência pessoal, ou porque a maioria acredita, ou porque tá na moda agora ser evangélico…
    Rapaz, se fosse pra levar a sério aí essa sua “regra” a Bíblia só teria umas 4 páginas…

    Eu acho que você, como quase todo religioso que eu conheço, nunca leu a Bíblia e a verdadeira história do Cristianismo construído em cima de um suposto Jesus mitológico.

    Pois é na Bíblia que está tudo o que se pode saber sobre esse Deus em que os crentes cristão dizem acreditar. E vou te falar um negócio, o Deus que tá descrito lá não tem nada de bom, nem de amoroso, nem de caridoso, nem de solidário. E quando eu digo nada, é nada mesmo.

    Um dos maiores problemas na fé cristã é o fato do crente não conhecer o Deus da sua própria religião. O cristão tem pra si uma amostra grátis de um Deus encarnado que “disse” três ou quatro frases interessantes sobre amor e perdão, nada que o Confucionismo ou o Taoísmo já não tivesse dito séculos antes, e esquece todo o resto.
    E o resto sendo a descrição detalhada de um Deus que, se existisse mesmo, seria um monstro dos mais malignos que a mente humana já conseguiu criar.

    Essa visão de muitos de que tudo o que é “bom” na Bíblia vem de Deus e o que não é vem dos seres humanos que a escreveram é uma visão bem perigosa de se defender, porque nada impede de se estar encarado os fatos de forma errada:

    De repente, Deus é mesmo um Deus mau, assassino, que manda matar a três por quatro, manda exterminar povos, que afoga toda humanidade num dia que acordou de mau humor, um Deus que preparou um “inferno”, um Deus que é mesquinho e injusto, exatamente como tá na Bíblia; e aquelas partes que a gente acha “legais”, tipo amar o próximo, dar a outra face, sejam justamente as partes inseridas sem a autorização divina.
    Só o cristão, valendo-se da sua hipocrisia, não enxerga que seu Deus é mau. Muito mau.
    Se Deus existisse, não haveria nenhum problema para se justificar a maldade humana, uma vez que Deus nos teria feito à sua imagem e semelhança.
    Discordo totalmente. Existem muitas teorias tentando justificar e explicar Deus ilusão.
    A Bíblia é uma coleção de mitos — do Paraíso foi muito engraçada.
    Deus “deu” o livre-arbítrio à humanidade?
    É uma prova do amor de Deus ele ter “dado” o livre-arbítrio? Mas por esse mesmo mito, ele não deu não… Aliás, ele ficou muito puto depois que o povo lá comeu o fruto proibido .

    Uma vez que Deus é um personagem criado por seres humanos, ele não tem nada de perfeito. Muito ao contrário, ele é cheio de defeitos humanos: ele tem raiva, tem ciúmes de outros deuses , ele se esquece das coisas às vezes, ele se arrepende, ele muda de ideia e de opinião, ele é injusto, ele é mau, etc.

    O problema para o crente é que ele só consegue palmas e aleluias para uma imbecilidade dessas quando fala isso para um outro crente, porque, se fala para um ateu ele vai passar vergonha.
    Qual é o Jesus idiota mito verdadeiro?
    O que não atende orações?
    O que pregava o amor ao próximo ou aquele sobre o qual os pastores poucos falam, aquele que diz ter vindo à Terra não para trazer a paz, mas a espada? (Leia…Marcos 11: 13-14; Mateus 8:32; Mateus 14: 3-7; Lucas: 12:14; João 15:6 ou Mateus 10:34).

    Pode-se argumentar que as contradições fazem parte da dimensão humana. Mas isso se aplica a Jesus, um humano que é filho do sobrenatural, de Deus?
    Se pergunto a um crente se ele acredita mesmo, que Jesus nasceu de uma mãe virgem…ele morre de vergonha.

    Chamar Deus de bom só prova que você nunca leu sua Bíblia, ou não faz a menor ideia do que seja ser “bom”. O Deus do mito cristão não tem nada de perfeito; ele é apenas um ser inventado com a média de todos os defeitos asquerosos da moral asquerosa dos seres primitivos que o criaram. E o cristão acha que ele é único apenas por vontade, tradição ou por ignorância, pois bilhões de pessoas creem em milhares de outros deuses.
    Ah, esses outros milhares de outros deuses não existem? Parabéns!! Você está certo.
    Só que o seu Deus também não existe. Se você conseguir “matar” só mais esse Deus, vai ficar igual a mim: um ateu, um ser livre de verdade.

    Aham, Deus é muito legal. Quem sabe ele faz os padres ficarem sem pintos para ter a dor de não molestar ninguém? Ou deve ser muito bom uma menina ser estuprada aos 12 anos pelo pai bêbado? Aposto que ela vai se tornar uma pessoa bem feliz. Ou então alguém com uma doença incurável? Para ele deve ser confortante ser amado pelo mesmo Deus que deixa estupradores, assassinos, ladrões, corruptos, pedófilos, e outras mazelas da sociedade vivendo tranquilamente, aproveitando a vida e curtindo do bom e do melhor.
    Então você pensa: Ah! Deus vai mandá-los pro inferno!
    Eu duvido, pois ele perdoa, não é?
    Então você vai viver no céu com bôa parte dessa gentalha que faz coisas abomináveis, mas acredita e pediu perdão a Deus ao invés de tentar reparar o erro com ações concretas. E outro detalhe pra calar a crentalhada: Os bandidos que estão nos presídios são todos ateus por acaso?
    Então se divirtam com eles por toda a eternidade, puxando o saco de deus, infelizmente isso não existe, pois se existisse eu iria achar muito engraçado.

    A afirmação da existência do” seu deus das lacunas” são crenças pessoais sem nenhum valor para mim, mas que me fazem cada vez ser mais cético, racionalista, humanista e descrente.
    Será que “irrito” tanto porque falo de coisas que não podem ser racionalmente negadas?

    Domênico. Escrevo para conscientizar as pessoas que estão presas a dogmas e doutrinas, no sobrenatural, para um dia se tornarem homes livres de verdade!

    Leia mais: http://www.bhservico.com.br/religiao.htm

    • Domenico:

      Boa tarde Oiced!

      Lendo tua postagem, percebo o quanto é inteligente e também ressalto quea inteligência em demasia nos afasta de Deus, pois ainda nem sabemos nada nesta vida e nos achamos superiores a muitos….
      Vejo que já tiveste uma vida buscando ao Senhor e onde relatas que os pastores não realizaram o funeral, machuca muito. Porém entendo que isto é realmente coisa de homem e vergonhosa mas é onde vivemos… a sociedade que o homem constitui e quer se colocar acima de tudo… até mesmo dos ensinamentos do mestre Jesus; se fossem apreciadores do que Jesus foi, aqui na terra, nunca teriam renegado um auxílio destes…
      Não sou um crente fanático, muito longe disto sou um homem que já foi salvo por Deus através da sua infinita misericórdia e defendo a sua existência, não para ter mérito, mas por já ter vivido por diversas vezes esta situação com Deus. Nâo falo de sentimentos, pois sentimento é algo que é sempre bom ou ruim e hoje tento viver através do espírito que o Senhor nos deu. Creio que Deus nos permitiu a “religião” para que o homem se torna-se algo melhor e infelizmente não é o que vemos, pois hoje envolve mentiras e dinheiro, mas também coisas do homem e sim exatamente isto coisas do homem.
      Porque Deus há de trazer a juízo todas a obra, e até tudo o que está encoberto, quer seja bom quer seja mau. (eclesiastes 12:14)
      Oiced respeito a tua posição e sempre respeitarei, pois Deus te respeita e até mesmo por isto que estás vivo ainda, se Deus fosse tão mal o qual tu diz, será que você estaria aqui ainda ??!!
      Que Deus te abenções e possa trazer ao teu coração os ensinamentos que teu pai algum dia te passou a respeito do Senhor, pois és homem de fibra e de valor, mas não existe liberdade fora da vida com o Senhor.
      Vivendo fora da vida de Deus estamos vivendo na tranca que o nosso cerébro nos impõe e eu creio nisto.
      E te digo que não me irrita nem um pouco, pois aprecio homens de valor e vejo que fala em verdade tudo que digita, o que muitos que se dizem Cristãos não o fazem… viver na verdade.
      Só espero que possa retomar o caminho para o qual o Senhor te criou e usar esta energia mental acentuada que tens travando batalha com o lado das trevas e creio que Deus possa fazer isto.
      Seu coração é bom Oiced o problema é quando deixamos a nossa mente dominar ele…
      No apreço de um homem que sabe que Deus existe e não crê em homens sim em Deus.

  • Domenico:

    Eu orei e fui curado, ore e vai ver a Glória de Deus em sua vida.
    Não viva somente da leitura do que os outros escrevem Oiced, se permita orar e sentir a presença de Deus, não lhe custa nada…
    Ninguém pode falar tanto do que não se existe, e destinar tanto tempo em um site digitando… concorda ??!!!

    • Julius Roche:

      Argumento infantil: por que algumas oram e não são curadas? E por que a maioria dos crentes recorrem aos médicos e hospitais? Quanto mais ignorante, mais próximo de “deus” – essa é a verdade.

  • Domenico:

    Boa noite !
    Agradeço a Deus pela oportunidade que todos nós temos de nos expressar através deste site. Oiced MOcan li todo o teu post e entendo as dificuldades que tens de assimilar todas estas passagens, porém para que entendas tem que ler o contexto todo e não somente uma frase solta, pois tenho certeza que pelo seu grau de entendimento não será difícil de realizar.
    A fé não é pálpavel e receber Deus e sua palavra é algo mais do que somente ler algumas palavras, é ler e acreditar, é receber e ter entendimento, pois conhecimento sem entendimento de nada adianta …
    Um dia eu já fui um homem que foi capaz de dizer que não acreditava na Bíblia, pois era escrita por homens e homem é tudo mentiroso…..
    E hoje posso dizer com muita paz no coração, que através de várias experiências que o Senhor me permitiu eu sei que realmente foi escrita por homens, mas o autor é um só e muitas destas passagens, não tem a necessidade de serem cumpridas, pelo único motivo de que a Aliança que está em validade com o homem nos dias atuais não é esta aliança antiga e sim a nova Aliança, que foi permitida através da misericórida de Deus que permitiu que o seu filho Jesus, um homem de carne e osso que recebeu um conhecimento sobrenatural e uma unção sobrenatural nos provou de que é possível ser bom e levar a palavra de Deus para os nosso semelhantes. Me permita lhe oferecer um desafio.
    Ore a Deus por 15 dias todos os dias no mesmo horário nem que seja 5 minutos por dia e Ele vai se revelar na sua vida, garanto que isto vai acontecer.
    Que Deus amplie e alargue as tuas fronteiras profissionais, pessoais e espírituais.
    No amor do Senhor Jesus
    Domênico Covello

  • Oiced Mocam:

    O Deus das religiões abraâmicas – Judaísmo, Cristianismo e Islamismo -, tem três características principais. Mormonismo tem outra visão diferente.
    Primeiro, esse Deus existe fora do espaço e do tempo e decidiu criar o mundo e as leis da natureza a partir do nada.
    Segundo, ele tem um interesse moral nesse mundo — na diferença entre o bem e o mal, naquilo que devemos ou não fazer.
    Por fim, esse Deus de Moisés interfere nesse mundo por meio de revelações, escrituras ou milagres.

    O Deus do Antigo Testamento personagem nais desagradável da ficção, é um deus babaca, a farsa tragicômica do ciúme de Deus contra outros deuses reaparece em todo o Antigo Testamento, magalomaníaco, controlador, genocida étnico e vingativo, sedento de sangue; homofóbico, racista, infanticida, sadomasoquista, proibe a produção de imagens esculpidas e proíbe dizer seu nome em vão, malévolo, a favor da escravidão,.um deus mal-humorado, implacável,violento, sanguinário com atributos clássicos de um ditador.

    No Novo Testamento, obra tambem de carpintaria ruim, já parece um cara mais legal, que amadureceu
    e teve controle da raiva antes de ter um garoto.
    Ou os Evangelhos são de certa forma essencialmente verdade, ou toda a coisa é fundalmente uma fraude e talvez fraude moral. Bem, pode ser afirmado com certeza que os Evangelhos quase certamente não são verdade literal, são corrompidos e falsificados.
    Isso significa que muitos “ditos” e ensinamentos de Jesus são ouvi dizer em cima de ouvir dizer, o que ajuda a explicar sua natureza truncada e contraditória. Alegações que as religiões usam para impressionar multidões de fiéis, são a razão mais forte que muitos crentes têm para sua fé; e milagres, por definição, violam os princípios da ciência. E alegações exepcionais demandam provas exepcionais.

    Argumentos refutados para a existência de Deus
    1) O argumento cosmológico:

    1. Tudo que existe deve ter uma causa
    2. O universo deve ter uma causa
    3. Nada pode ser causa de si mesmo
    4. O universo não pode ser causa de si mesmo
    5. Algo fora do universo deve ter causado o universo
    6. Deus é a única coisa que está fora do universo
    7. Deus causou o universo
    8. Deus existe

    Falha: Se tudo que existe deve ter uma causa, quem causou ou criou Deus? Os teístas dizem que suas premissas têm ao menos uma exceção, mas não explicam por que Deus precisa ser a única exceção. O próprio universo poderia existir sem causa. Já que a responsabilidade precisa ir para alguém, por que não para o universo?

    2) O argumento do projeto

    1. Sempre que existem coisas que se combinam de forma coerente apenas por causa de um propósito ou função (por exemplo, todas as complicadas partes de um relógio que lhe permitem marcar o tempo), sabemos que houve um projetista, alguém que projetou com a função em mente; são coisas improváveis demais para terem surgido por processos físicos aleatórios (um furacão soprando através de uma loja de peças não conseguiria montar um relógio).
    2. Os órgãos dos seres vivos, como o olho e o coração, se mantêm coesos apenas por terem uma função (o olho tem a córnea, lente, retina, e assim por diante, que se encontram no mesmo órgão apenas porque em conjunto possibilitam que o animal veja).
    3. Esses órgãos precisam ter um projetista que os desenhou com sua função em mente: assim como um relógio implica um relojoeiro, o olho implica um fazedor de olhos
    4. Essas coisas não tiveram um projetista humano
    5. Portanto, essas coisas devem ter tido um projetista não humano
    6. Deus é o projetista não humano
    7. Deus existe

    Falha: A falácia no argumento é a premissa 1. Partes de um objeto complexo servindo uma função complexa não requerem, na verdade, um projetista. Charles Darwin mostrou como processos de replicação podem dar origem à ilusão de projeto e projetista. Replicadores podem fazer cópias de si mesmos, que fazem cópias de si mesmos e assim por diante, dando origem a um sem número de descendentes. Os replicadores precisam competir pela energia e os materiais necessários para a replicação.

    Uma vez que nenhum processo de copiagem é perfeito, podem acabar surgindo erros, e qualquer erro que leve o replicador a se reproduzir com mais eficiência que os competidores resultará na predominância daquela linhagem na população. Após várias gerações, os dominantes parecerão ter sido projetados para replicação eficaz, mas tudo que fizeram foi acumular erros de copiagem, que no passado levaram a uma reprodução eficaz.
    A Evolução se sustenta porque as evidências a sustentam, e a abandonaríamos num piscar de olhos se surgissem novas evidências que a desmentissem. Os crentes fundamentalistas e perturbados não conseguem enxergar isso e se recusam a pensar nisso, porque isso contradiz o seu livro sagrado. Ela debocha da ciência e mina o intelecto.

    3) O argumento do Big Ban

    1. O Big Bang, de acordo com a melhor opinião científica de nossos dias, foi o início do universo físico, incluindo não apenas matéria e energia, mas o espaço e o tempo e as leis da física
    2. O universo veio a existir do nada
    3. Algo fora do universo, inclusive de fora das leis físicas, deve ter trazido o universo para a existência
    4. Somente Deus poderia existir fora do universo
    5. Deus deve ter feito o universo existir
    6. Deus existe

    Falha: Nem os cosmólogos concordam que o Big Bang é uma singularidade, a aparição súbita de tudo. Ele pode representar a emergência de um novo universo a partir de outro previamente existente, situação explicada por leis físicas. Nesse caso, seria supérfluo invocar Deus para explicar o surgimento de algo a partir de nada.

    4) O argumento das preces atendidas

    1. Às vezes as pessoas rezam a Deus pedindo boa fortuna, e contrariando enormes chances, os pedidos são atendidos (por exemplo, um pai que reza pela vida de um filho moribundo, e a criança se recupera)

    2. As chances de o evento benéfico acontecer são enormemente reduzidas
    3. As chances de a prece ser seguida pela recuperação da criança por puro acaso são extremamente pequenas
    4. A prece só poderia ter sido seguida pela recuperação se Deus a escutasse e a fizesse realizar-se
    5. Deus existe

    Falha: A premissa 3 é verdadeira. Contudo, usá-la para inferir que ocorreu um milagre (uma prece atendida é certamente um milagre) é subvertê-la. Não há nada que seja menos provável que um milagre, já que constitui violação de uma lei da natureza. Portanto, é mais razoável concluir que a conjunção de prece e recuperação seja uma coincidência do que ser uma prece atendida.

    Além disso, dada a amostragem suficientemente grande de preces (o número de vezes que as pessoas pedem a Deus para ajudar a elas é muito grande), o improvável está sujeito a acontecer ocasionalmente. Se Deus atendesse à maioria das orações para que um parente se recuperrase do câncer, o câncer não seria mais problema a ser solucionado pelos seres huamnos.

    5) O argumento do consenso da humanidade

    1. Toda cultura em toda época tem tido crenças teístas
    2. Quando povos, largamente separados tanto por espaço como por tempo, possuem crenças semelhantes, a melhor explicação é que essas crenças sejam verdade
    3. A melhor explicação para o porquê de cada cultura ter crenças teístas é que essas crenças são verdade
    4. Deus existe

    Falha: A premissa 2 é falsa porque povos largamente separados poderiam muito bem inventar as mesmas crenças, só que falsas. A natureza humana é universal, e assim propensa a ilusões universais e deficiências de percepção, memória, raciocínio e objetividade. E é obviamente falso que “todo mundo” acredita em algum deus — quanto mais no deus dos cristãos. Afinal, em termos mundiais, para cada cristão existem hoje dois não-cristãos. Se muita gente tem a impressão de que não existem ateus é porque muitos descrentes se sentem forçados a ficar “no armário” devido ao preconceito e à discriminação que sofrem.

    Para mim e para os que não acreditam em deuses, não aceitamos nem a mais fraca premissa de possibilidade de sua existência. Nunca poderemos provar plenamente a inexistência de nada. O que interessa não é se a inexistência de Deuses pode ser comprovada (não pode), mas se sua existência como ser capaz de enviar sinais inteligíveis a milhões de pessoas simultaneamente e de receber mensagens e de ler os pensamentos de seres humanos, de todas elas simultaneamente é possível. Essa é outra história (sobrenatural), que prefiro chamar de mitologia.Se Você faz alguma coisa ruim, ou alguma coisa boa, o mesmo homem sem pai tudo vê, mesmo que ninguém mais veja. Você pode ser recompensado ou punido, inclusive depois de sua morte. Absurdos que são a abdicação completa de responsabilidade e bom senso.

    Nossa espécie nunca ficará sem insensatos, mas eu ouso dizer que deve ter havido pelo menos tantos idiotas crédulos que professaram fé em deuses quanto trem havido parvos e simplórios que concluíram o contrário

    Crie opiniões independentes com base em seu próprio raciocínio e em suas experiências; não se permita ser dirigido pelos outros, muito menos por “revelações”, dogmas, doutrinas, contos, lendas ou mitos.
    Ponha todas as coisas à prova, sempre compare suas idéias com os fatos, e esteja disposto a descartar mesmo a crença mais cara se ela não se adequar a eles. QUESTIONE TUDO”

    • D. R.:

      Oiced,

      devemos lembrar que Deus é infinitamente misericordioso, mas sua justiça não é menor (aliás, Jesus morreu para aplacar a justiça divina sobre nós)! Devemos procurar amar a Deus como Ele realmente é não como gostaríamos que Ele fosse; se Deus realmente existe (e seu comentário dá a entender que Ele existe, mas é cruel) e é nosso criador, então, somos nós que temos que nos submeter a Ele e não Ele a nós!

      Deus teve que agir daquela forma por causa da dureza de coração daquele povo rude; se com a dureza que Ele agiu ainda assim não o respeitaram, imagina se tivesse sido ‘mole’ com eles; basta ver quando mandou seu próprio Filho ao mundo para pregar a paz e, mesmo assim, o mataram. Mas, em várias passagens bíblicas dá para entender que Deus sempre quis o bem e agiu como um pedagogo, até a vinda de seu Filho ao mundo que revelou a verdadeira face de Deus aos homens.

      E, enquanto os outros povos sacrificavam seus próprios filhos a seus deuses, o Deus judaico/cristão não permitiu que Abraão sacrificasse seu filho; apenas havia pedido o sacrifício para testá-lo. E, quando Cristo veio ao mundo, aboliu até o sacrifício de animais, substituindo pelo seu próprio sacrifício na eucaristia.

      Não podemos deixar de acreditar em Deus apenas porque não concordamos com Ele; se o julgamos pelas tragédias bíblicas, então, teríamos de condená-lo também pela morte de todos os homens; já que todos nós um dia, cedo ou tarde, vamos morrer. Para Deus, a morte não existe, a vida neste mundo é apenas uma passagem para a verdadeira vida, um vale que temos de atravessar para chegar à Terra Prometida (o Céu); é como se a Terra fosse, na verdade, um útero materno. Essa é a boa nova que Jesus veio trazer ao mundo; ou seja, que a morte não tem a palavra final na nossa vida; a morte é um mistério, pois a própria Bíblia afirma que a morte é o último inimigo que Deus irá vencer.

      Quanto ao Argumento Cosmológico, os argumentos filosóficos da existência de Deus fazem bastante sentido sim; pois, todo mundo sabe que do nada absoluto (quando digo NADA, é nada mesmo: nem matéria, nem energia, nem leis físicas e matemáticas, nem entes reais ou abstratos, nem nada). Portanto, existe a necessidade de um ente eterno que deu origem a tudo; seja a cosmovisão “de cima para baixo” (ou seja, um ser extremamente superior que deu origem aos seres inferiores) ou seja a cosmovisão “de baixo para cima” (ou seja, uma ou mais partículas ou energia primordiais que, através do tempo, da evolução e do acaso, deu origem ao universo, à vida, à consciência, aos sentidos e sentimentos, à inteligência, etc.) que é verdadeira, a verdade é que do nada, nada pode surgir!

      Quanto ao Argumento do Projeto, basta assistir uma animação 3D de uma célula viva no YouTube para ver que ela se parece muito mais com uma micro-indústria ou micro-cidade extremamente complexa (mais complexa do que qualquer máquina já criada pelo homem) e repleta de sofisticadas nanomáquinas; em vez de uma simples bolsa gelatinosa de reações químicas, como se pensava na época de Darwin. Se você estudar como se dá o processo bioquímico de automontagem de um olho, vai ver que isso não tem nada de trivial. Agora, imagina a complexidade da automontagem de um ser humano completo a partir de um único embrião? São coisas tão complexas e tantos eventos coincidentemente concatenados que nem um tempo inimaginavelmente grande (talvez, nem um tempo infinitamente grande) seria capaz de produzir algo tão complexo e ordenado sem, pelo menos, deixar uma infinidade de lixo e de bizarrices para trás.

      Penso que se o homem, com toda a sua inteligência, ciência e tecnologia, ainda não conseguiu entender por completo o universo, a vida e a consciência, imagina o poder, a criatividade e a inteligência para se inventar, projetar e criar tudo isso? Ainda mais através da evolução a partir de um único Big Bang!

      Quanto ao Argumento do Big Bang, o físico jesuíta Dr. Robert Spitzer afirma justamente o contrário quando diz que “… Cada modelo do Big Bang mostra o que os cientistas chamam uma singularidade; e, a existência de cada singularidade, exige que exista um elemento externo ao universo” e que “… Esta teoria é tão sólida que 50% dos astrofísicos estão ‘saindo do armário’ para aceitar uma conclusão metafísica: a necessidade de um Criador, fora do espaço e do tempo”.

      Quanto ao Argumento das Preces, na verdade, milagres mesmo (comprovados pela Ciência) são extremamente raros; e, segundo o Pe. Quevedo e outros pesquisadores do assunto, só ocorrem na Igreja Católica. Muitas dessas curas que vemos pela TV, quando não são fraudes descaradas, a grande maioria são curas psicológicas dos sintomas e não das causas da doença; ou, então, cura de doenças psicossomáticas (que até hipnose cura) e não de doenças fisiológicas. Nada que se compare, por exemplo, a um Coxo de Calanda cuja perna amputada reapareceu após três anos enterrada. Não é à toa que o Pe. Quevedo vem desafiando há muitos anos qualquer médium, pastor ou curandeiro que lhe cure uma simples cárie de dentes.

      Infelizmente, muita gente confunde cura com milagre divino; veja o que muitos evangélicos e até leigos católicos pensar ser milagre: http://www.youtube.com/watch?v=T_zp6L5R9-4.

      Ora, se um milagre não violasse as leis da natureza como poderíamos saber que ele vem de Deus? Aliás, os milagres bíblicos nem são assim tão impossíveis para quem tem a “senha de administrador do MATRIX” para violar as leis do nosso mundo; como multiplicar os pães, andar sobre as águas, etc.

      Quanto ao Argumento do Consenso da Humanidade, sim, existem inúmeras crenças e religiões no mundo com doutrinas completamente contraditórias; porém, somente em uma delas, a Igreja Católica, ocorrem inúmeros MILAGRES AUTÊNTICOS que passam pelo crivo da própria Ciência. Isso é um fato existente no mundo que não deveria ser ignorado por ninguém. Sim, não acreditem em mim, QUESTIONEM TUDO (até mesmo o ateísmo) e pesquisem por vocês mesmos!

      Só que todos os argumentos contra a existência de Deus caem por terra quando verificamos que o LOGOS dos filósofos gregos se revelou ao mundo na pessoa de Jesus Cristo; que, por incrível que pareça, tem as mesmas qualidades do Deus ontológico da filosofia. Ora, um ente eterno sem inteligência não poderia ter se revelado ao mundo; mas, um ente eterno infinitamente inteligente e criador de todas as coisas, um dia teria de se revelar aos homens. E tudo indica que esse Ser se revelou publicamente ao mundo na pessoa de Jesus Cristo há cerca de 2.000 anos atrás. Basta ver as centenas de profecias bíblicas sobre o Messias (comprovadamente escritas séculos antes do nascimento de Jesus) que se cumpriram integralmente na pessoa de Cristo; e basta ver os incríveis milagres (que passam pelo crivo da própria Ciência) que ocorrem na Igreja fundada por esse tal Jesus que dizia ser Filho do Deus Verdadeiro.

      Sim, podemos ficar brincando de “Deus existe ou não existe?”, desde que ignoremos as profecias bíblicas e os grandes milagres da Igreja. Os homens podem fazer muitas coisas, podem falar palavras sábias e bonitas, podem criar máquinas, ciência e tecnologia, podem fazer grandes feitos e muitos truques. Mas, se tem duas coisas impossíveis dos homens fazer, são PROFECIAS e MILAGRES autênticos! Por isso, se queremos encontrar Deus, busquemos Ele nas profecias da Bíblia e nos milagres da Igreja; pois, as profecias e os milagres autênticos são o elo entre a razão e a fé, entre a ciência e a religião; são como que a assinatura de Deus para provar a sua existência, a sua Igreja e a sua verdadeira doutrina.

      Para não estender demais meu comentário, quem não leu, aconselho a ler as evidências FILOSÓFICAS, HISTÓRICAS e CIENTÍFICAS a favor da existência de Deus, que citei em meus comentários anteriores, para ver que a cosmovisão “de cima para baixo” (DEUS NOS CRIOU) faz muito mais sentido e possui muito mais evidências do que a cosmovisão “de baixo para cima” (NÓS CRIAMOS DEUS).

      QUEM PROCURA, ACHA: http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=mZQQpXzWPdY#!

  • José Ferreira Santiago:

    José Ferreira Santiago
    Cientista brasileiro J F Santiago descobre origem do universo e a existência de Deus na conservação da energia constante não é criado e nem destruído somente transformado de uma espécie de energia em outra. Na termodinâ-mica a energia interna é definida como a soma das energias cinéticas e de interações de seus constituintes este princípio enuncia a conservação da energia. U = Q – W. A relatividade especial das quatro forças subatômicas nucleares de energias fundamentais da natureza é a grandeza de leis físicas escalarem força ativa Deus, fenômeno físico da equivalência energia-massa, energia-dinâmica simétrica Anton quântica eletrofesfera dos elétrons, a energia do universo é constante. E = mc². Este autorweb e cientista autodidata estudou 40 anos ininterruptos fez intensas pesquisas em varias áreas dos conhecimentos científicos para descobri as estruturas dos fenômenos físicos de sistemas escalar uniforme quantitativo e qualitativo de energia simétrica não vista observáveis a olho nu macroscópico somente explicados por leis físicas através da concepção e observações empírica das ciências físicas nucleares, também intensificou estudos de pesquisas em outras vertentes factíveis de conhecimentos dos sistemas religiosos e seus aspectos conceituais de ritos e crenças. O criacionismo darwinismo evolucionismo ateísmo etc. etc.: Autor cria um divisor de águas atualizando informações de todas as fontes e suas vertentes criando um único conhecimento empírico em ciências exatas e ciência pura.

    Descartando toda informação caracterizada de conjecturas por pseudos-intelectuais ou dogmáticas filosóficas e teológicas dos sistemas religiosos. Tema discorre sob grandezas físicas relevantes: Deus existe é energia e não espírito; Não houve big-bang; Jesus Cristo nunca existiu esse nome é um dogma da igreja católica de nº 5º ao 13º do episcopado ecumênico criado em 325 DAC. No concilio de Nicéia vaticano I criação da Santíssima trindade Pai, Filho e Espírito Santo, modelo de deidade politeísta; A bíblia sagrada não é um livro inspirada e contêm erros. As religiões são mitológicas e cultuam rituais espíritas de crendices e preceitos dogmáticos. Cientista cria modelo virtual inédito de simulação computadorizada 3D tridimensional para representar dados científicos de sua descoberta em ciências físicas nucleares de estudo do núcleo subatômico de energia simétrica das quatro forças de interações fundamentais da natureza, conceitua modelo técnico cientifico do Núcleo de grandeza subatômica de forças de altas energias dinâmica constante Anton quantum simétrico dos eletros-fera Léptonico de Neutrinos e Elétrons as interações de leis físicas do universo é fato. O espaço-tempo cosmológico é uniforme sobre grande pressão negativa que produz energia quântica simétrica constante homogênea enchendo todo vácuo no universo simultaneamente provocando forças e densidade de ação e reação nos campos escalares dinâmicos do cosmo podendo transformar-se em escalas de níveis eletrônico ambientes sob a mesma força de grandeza potencial de magnitude quadrimencionais das quatro forças de ondas de altas energias subatômicas nucleares de irradiação bariônicas sob ondas de interações e entrelaçando energia sobre energia em todos os sistemas ativo formando o núcleo subatômico de forças como se fosse quatro grandes rodas de ondas uma dentro da outra.

    Cientista J F Santiago fundamenta descoberta baseado em dados científicos registrado na internet, em ciências físicas nucleares, ciências matemáticas, historia geral e em parte da bíblia sagrada fonte comprobatória desta descoberta. Os nomes pseudômonios e datas de vários autores inseridos. Gravitação Universal de Isaac Newton 1687. Maxwell 1864. Albert Einstein 1905 relatividade restrita.

    Paul Dirac 1927 Teorias Quântica de Campos e Gross, Wilczek, e Politzer foram gratificados com o premio Nobel de Física em 2004 com a teoria no Cromo dinâmica quântica: Força Nuclear Forte; Flavordinâmica quântica: Força Nuclear Fraca; Eletromagnética quântica: Força Eletromagnética, e Geometrodinâmica quântica: Força de Gravidade. No campo da ciência o cientista da seqüência a estudos e pesquisas de antecessores reformulando dados e fenômenos atualizando informações de novas descobertas dentro do contexto tecnológico de conhecimento cientifico. Em 2011 Jose Ferreira Santiago após 40 anos de estudos e pesquisas lança modelo subatômico nuclear das quatro forças de interações de energia constante fundamentais da natureza.

  • D. R.:

    Ehud, entendo e concordo com seu ponto de vista; porém, acredito sim que um dia a ciência poderá provar (direta ou indiretamente) a existência de Deus, através dos estudos dos milagres. Pois, o milagre é o elo entre a ciência e a religião, entre a razão e a fé, entre Deus e os homens; já que ele pode ser objeto de estudo da ciência.

    Se não leu, leia os meus comentários onde listo algumas evidências FILOSÓFICAS, HISTÓRICAS e até CIENTÍFICAS a favor da existência de Deus.

    Para que ainda não viu, vale a pena assistir a palestra do Dr. Ricardo Castañon que conta como ele, um ex-ateu, se converteu ao catolicismo por causa de suas investigações de supostos milagres. Embora não posso afirmar que tudo o que ele disse é realmente verdade e qual a posição da Igreja frente a esses supostos milagres modernos, aconselho assistir as 9 partes do vídeo; mas destaco essa sobre um milagre eucarístico:

    http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=mZQQpXzWPdY#!

  • Ehud Canhoto:

    Em relação a existência de Deus, devemos separar as religiões e seus documentos (Bíblia, Corão,escritos, etc..) do contexto para fazer uma análise real, pois os sistemas religiosos prejudicam o entendimento do conceito de uma origem causada. Por outro lado não será possível concluir pela existência de Deus pelo método científico, senão indiretamente por uma incerteza. As bases desta conclusão indireta residem na incerteza cuja explicação se adéqua mais à lógica quando se confrontam propriedades atuais. Por outro lado não é objetivo da ciência provar o sobre natural, que inclusive não é o objeto do seu Universo de trabalho. Ainda mais que é ilógico provar que algo inexiste, portanto declarar que Deus não existe não constitui matéria de ciência. Algo não muito difícil de concluir em relação à provável causa primordial é: Tudo o que se manifesta no Universo é um subproduto do que deu origem ao Universo, ou seja, as propriedades da causa primordial se manifestam no Universo através do que foi criado. O que se conclui que a cada fase da evolução dos seres vivos, por exemplo, se manifestam propriedades da vida primordial. Se há uma evolução da inteligência, então a prática inteligente de qualquer época em análise é um subproduto da causa primordial. Assim tanto quanto evolua a inteligência, identidade e autoconsciência isso se constitui em subprodutos do que deu origem ao Universo, ou seja, as propriedades do que deu origem ao Universo. Cito a vida porque é onde se percebe com maiores detalhes as propriedades do que deu origem ao Universo, principalmente a nossa em que se verifica a evolução da mente e objetos como consciência, autoconhecimento, capacidade de análise, criação, compreensão e manipulação do Universo, etc.

    • Francisco Baptista Burgos:

      Prezado Edú: Entendo o seu comentário sobre a ciencia e a religião,de qualquer maneira penso que seria do seu interesse ler unas conferencias de Ratzinger em Munich com o título da Criação para ter uma ideia mais clara de como o conceito de Deus foi se formando na Historia, partindo de algo ou alguém que criou um mundo ou universo que o homem vai entendendo via categorias inteletuais. Obrigado pela atenção.

  • César Ferreira:

    Não acredito em deus acho que o universo é muito complexo pra uma (coisa) fazer . E depois que me tornei ateu acabou os ruidos , sombras que eu achava que era fantasma(já foi provado cientificamente que vultos e sombras são coisas da nossa cabeça que criam formas.) começei a não ligar e vivo muito bem assim não preciso acreditar numa coisa que EU não enxergo nem sinto . E acho que a maioria das pessoas que acreditam em deus são iguinorantes que não sabem aceitar as opiniões alheias e abrir a mente para novas idéias.

    • D. R.:

      César, se não leu, leia as evidências FILOSÓFICAS, HISTÓRICAS e CIENTÍFICAS a favor da existência de Deus que listei em meus comentários anteriores; você vai ver que existem muito mais evidências a favor da existência de Deus do que da sua não existência!

  • Olivia:

    Uma pergunta: Deus criou o universo, e quem criou Deus? Se Deus não precisa de um criador, logo o universo também não precisa?

    • D. R.:

      Olivia,

      antigamente, a maioria dos cientistas acreditavam que o universo era eterno e estático; mas, após a Teoria do Big Bang, mostrou-se que o universo teve um começo no tempo e, portanto, não pode ser eterno.

      E se Deus tivesse sido criado, ele não seria Deus! O raciocínio filosófico e teológico, necessariamente, leva à conclusão de que Deus sempre existiu, é incontingente; pois, Ele é princípio incausado de todas as causas; é o Logos dos filósofos gregos.

      Estranhamente, o Deus bíblico que se revelou publicamente ao mundo na pessoa de Jesus Cristo tem todas essas características: de ser eterno, onisciente, onipresente, onipotente, etc. Por exemplo, o nome de Deus é JAVÉ que significa “EU SOU” ou “AQUELE QUE É”. Jesus disse ser o alfa e o ômega, o princípio e o fim, aquele que é, que era e que há de vir, etc.

      Se você não conhece, procure sobre as provas filosóficas da existência de Deus; as famosas “Cinco Vias de São Tomás de Aquino” para entender o conceito de Deus para a teologia.

      E se não leu meus comentários, leia o que eu disse sobre as evidências filosóficas, históricas e científicas sobre a existência de Deus.

      Talvez eu possa estar dizendo uma grande besteira ou até mesmo uma heresia; mas às vezes eu penso que, ao contrário do nosso mundo físico, lógico e matemático, deva haver entes eternos ou substâncias divinas que sempre existiram (talvez, como o amor, o poder, a razão, etc.) e que nos criaram para habitar em nós; ou seja, ao invés da matéria ter se tornada consciente e criado os sentimentos, eles que nos criaram para habitar em nós! E o contrário se pode pensar dos maus sentimentos, como ódio, inveja, etc.

      Pensar nisso me dá medo! Mas, mesmo sendo estranho e parecendo loucura, esse pensamento não deixa de ser uma alternativa mais lógica e racional do que acreditar que o universo, a vida e a consciência surgiram do nada absoluto!

      O que quero dizer é o seguinte: no nosso mundo físico, matemático e lógico é impossível existir algo eterno ou que surgiu do nada; mas, pode haver um outro mundo (talvez o espiritual) onde a existência de entes eternos (que criaram nosso universo) seja algo normal!

      É difícil imaginar que Deus sempre existiu se imaginarmos ele com uma forma humana, ou seja, com cabeça, cérebro, tronco e membros. Porém, é mais fácil imaginar um Deus que sempre existiu se ele for formado por tais entes ou substâncias divinas eternas (como o poder, a razão, o amor, etc.); a causa infinita das causas, da qual emana todo o bem e que, por isso, teria de ser onipotente e onisciente como mostrou Jesus na própria Bíblia.

      Seja lá o que for, parece que realmente há mais mistérios entre o Céu e a Terra do que supõe a nossa vã filosofia.

      Isso é o máximo que consigo imaginar sobre o mistério de Deus e do amor:

      NÓS CRIAMOS O AMOR OU O AMOR NOS CRIOU?

      DEUS É AMOR OU DEUS É O AMOR?

      EIS A QUESTÃO!

  • Ademar Souza:

    Deus não existe. Não este Deus colérico e vingador do Antigo Testamento. nem o Deus confuso dos Evangelhos. Se existe alguma entidade cósmica, não sei. Não acredito em um Deus antropomórfico que se desdobra para cuidar o tempo todo de cada ser vivente. Para todos os fins e efeitos sou ateu. E olha que eu demorei 49 anos, depois de uma infância de educação em escola católica, para me posicionar.

    • D. R.:

      Ademar,

      também penso que imaginar um Deus eterno antropomórfico (com olhos, braços, órgãos e cérebro como o nosso corpo) é muito difícil. A existência eterna de Deus faz muito mais sentido se ele for formado por uma ou mais substâncias espirituais simples naturalmente eternas; talvez, como o próprio amor, a razão, o poder, etc.

      E, estranhamente, a Bíblia afirma algo parecido; por exemplo, que Jesus é a própria Sabedoria em pessoa, que o Verbo (ou Logos) é Deus, que Deus é amor, etc.

      Não podemos deixar de acreditar em Deus, apenas por não concordarmos com seus pensamentos e atitudes; não devemos esquecer que a misericórdia de Deus é infinita (Cristo provou isso morrendo por nós), mas que sua justiça não é menor.

      Por incrível que pareça, há muitas evidências da existência de Deus e que Ele é o Deus de Abraão que se revelou publicamente na pessoa de Jesus Cristo há +- 2000 anos atrás. Nos meus comentários anteriores, eu listei algumas evidências filosóficas, históricas e até científicas da existência de Deus.

      Os fundadores de todas as demais religiões, por mais iluminados e bem intencionados que foram, eram todos homens comuns. Porém, Jesus Cristo afirmou ser filho de Deus vivo e verdadeiro e provou isso através de seus milagres e da sua ressurreição do mortos (comprovada pelo Santo Sudário). E, antes de partir, ele fundou a sua Igreja sobre a rocha de Pedro; portanto, a religião católica (embora administrada por homens falíveis) tem uma origem divina, pois foi fundada pelo próprio Deus. A qual ele prometeu que estaria com ela todos os dias até o fim dos tempos e que as portas do Inferno jamais prevalecerão contra ela.

      A prova de que a Bíblia (embora não tenha caído do Céu e nem seja um compêndio de científico) foi inspirada por Deus são suas profecias comprovadamente escritas séculos antes do nascimento de Cristo (pelos manuscritos do Mar Morto). A página da Wikipédia sobre “CRISTO” lista dezenas de profecias sobre o Messias que se cumpriram integralmente na pessoa de Jesus Cristo; inclusive, que ele nasceria de uma virgem, que seria traído por trinta moedas de prata, que seria crucificado, que repartiriam suas vestes, que ressuscitaria no terceiro dia, etc.

      E a prova de que a Igreja Católica foi fundada pelo próprio Deus, são os seus milhares de milagres permanentes autênticos; muitos dos quais, já investigados e comprovados pela Ciência. Pesquisem a fundo na internet (tanto os prós como os contra) sobre o Santo Sudário, a Imagem de Guadalupe, Milagre de Lanciano, Sangue de São Genaro, Casa de Loreto, corpos e órgãos incorruptos de santos que destilam água e óleo e exalam perfume por séculos. Pesquisem também sobre os supostos milagres das outras grandes religiões do mundo (inclusive as cristãs) e verão que milagres autênticos, que passam pelo crivo da própria Ciência, só ocorrem mesmo (gostemos ou não) na Igreja Católica.

      Por exemplo, pode começar assistindo (no YouTube) o incrível documentário do History Channel “GUADALUPE: UMA IMAGEM VIVA” que conta a fascinante história e também os principais estudos científicos realizados na Imagem de Guadalupe, com entrevista de pintores, astrônomos, físicos e até do Dr. Aste da IBM. E também o excelente e sério documentário do Discovery Channel (disponível em DVD ou no YouTube) “O MISTÉRIO DO SANTO SUDÁRIO” e sua continuação “O SUDÁRIO DE TURIM”.

      Verá que não estou fazendo apologia gratuita ao catolicismo, mas que isso é um fato concreto existente no mundo que não deveria ser ignorado por ninguém!

    • Edemir Dauzacker:

      Concordo plenamente contigo Ademar. Muito bem definido sobre o Deus confiso dos Evangelhos e Deus vingador.
      Realmente é isto que é pregado em 98% dos Crentes e demais religiões.
      Mas os motivos comerciais e de ignorancia a evolução, faz com que os pregadores distorçam para ameaças e os seguidores percam suas razões e capacidade de pensar por si, e passam a se opor no escuro contra a evolução, a verdade e a ciência. Tornando-se eles própios escravos de uma doutrina de um Deus pior que o Diabo.
      Se não fosse esses cegos, estariamos evoluido uns 3 mil anos na ciÊncia e automaticamente na nossa qualidade de vida fisica e energética. Deve rolar muita propina para que autoridades não fiscalizem estas religiões e quando aparecem… ai que os fieis cegam de vez. Eles são tão cegos que abdicam da vida e se acham os todos poderosos e corretos ao ponto de sairem com meios sonoros em tons elevadissimos nas ruas ou em seus locais de reuniões para que a quadras de distância você seja importunado pelas baboseiras deles, alem das redes de TV´s que são uma verdadeira lavagem cerebral seguido de uma aula descarada ao vivo de como tirar dinheiro do povo.
      Não acredito em nenhuma forma de Deus. Sou mais que ATEU.

  • Silvano Paraná:

    Basta olhar para si mesmo e ao redor para perceber a verdade. Não acreditar em DEUS é, no mínimo, prova de ingenuidade. A complexidade da vida orgânica, do universo, e de tudo que existe já é prova mais do que suficiente da existência de um Ser Supremo, que é o idealizador e executor de todas estas criações. O funcionamento de organismos e sistemas tão complexos e organizados, do macro ao micro, seria fruto do acaso? Mera coincidência que se originou com o Big Bang? Aliás, se a grande explosão realmente aconteceu, quem é que a desencadeou? E se algo explodiu, mesmo que uma minúscula partícula, quem foi que a criou? A ciência desvenda apenas uma ínfima parte de tudo que existe. Tanto é que ela mesmo (a ciência) se contradiz, muitas vezes.

    Os estudos que agora estão sendo feitos sobre a “Matéria Escura” do universo irão acabar por finalmente provar a existência do Criador, DEUS! Com certeza o caminho pela frente ainda é longo, mas se provará que a matéria escura é na verdade o princípio vital que gera todas as formas materiais e elementos conhecidos e ainda desconhecidos também. A ciência se encarregará de provar irrefutavelmente que o Fluido Cósmico Universal é a própria matéria em estado primitivo e energético, que pode ser convertida em qualquer tipo de elemento físico material. E finalmente na busca da origem desta hoje chamada matéria escura, irão constatar que a expansão percebida no universo nada mais é do que a própria emanação deste componente sendo originado pelo próprio DEUS.

    Outra grande evolução nos rumos da ciência será quando os pesquisadores perceberem que não adianta procurar tão longe o que pode estar tão perto. Busca-se vida em planetas e lugares que tenham composição química e leis físicas parecidas com as da Terra. Quem é que disse que a vida existente fora do nosso planeta tem que possuir as mesmas propriedades existentes aqui? A composição material dos seres de outros planos pode possuir características que escapem aos nossos sentidos (que aliás são muito limitados). Pensando assim, seria possível admitir que existe vida aqui ao nosso lado, porém em padrões de energia e matéria imperceptíveis a nós.

    Nada gera nada. Ou seja, tudo que de fato existe tem que ter uma origem, mesmo que esta origem seja desconhecida. O ser humano ainda desconhece 90% de tudo que existe no seu próprio mundo. Novas fronteiras da ciência irão desvendar muito mais ainda, aqui mesmo, ao nosso lado, e iremos dizer: “como ninguém nunca percebeu isto antes?”.

    Com relação à segunda pergunta:
    A ciência se desvinculou de DEUS justamente por causa das religiões. Inclusive porque em tempos passados a religião era usada simplesmente para manipular a massa humana de manobra. Um dia a ciência irá explicar racionalmente sobre DEUS. A fé será embasada na razão, sem mistérios ou incompreensões. A humanidade, em sua grande maioria, partilhará dos mesmos conhecimentos acreditando num Criador que realmente existe de maneira simples e sem mistificações. Mas até esse dia chegar, ainda existirão muitos debates e divergências em torno do assunto. Com certeza absoluta a pessoa pode acreditar em DEUS mesmo não praticando nenhuma religião.

  • Flávia de Sousa Silva:

    Eu sou atéia assumida desde os 14 anos de idade. Como Nietzsche disse uma vez: “Deus não existe, nós criamos e matamos deus.” Então acho que deus foi uma invenção do próprio homem para explicar coisas que há eras não poderiam ser explicadas. Acho que o homem procura acreditar em algo para não tornar essa vida sem sentido, para ter um apego à algo, e esperança de que o que não foi bom aqui, seja bom em outra vida. Existem mil coisas que a ciência AINDA não pode explicar, mesmo assim não me apego a religião, crença ou fé para justificá-las.
    Deus é invenção do homem. Ser criado apartir de ideias. Não gosto de colocar em xeque ciência e fé, nem laicidade com religiosidade, SEMPRE tem alguém pra se doer e não respeitar sua opinião e criticar e até atacar com ignorância o seu ponto de vista. Não condeno ninguém por ter fé ou ter uma crença, mas para mim é só perca de tempo. Não creio em deus. Não sinto falta de crer em deus e não me importo que “ele possa existir”. É minha opinião.

  • Oiced Mocam:

    POR QUE HÁ RELIGIÃO NO MUNDO INTEIRO?

    Por que a religiosidade é universal?
    Por que em toda parte do mundo há crença em algo sobrenatural?
    Porque quase todas as pessoas têm uma crença?
    Seria isso prova de que Deus existe?

    Muitas pessoas chegam a contar como evidência da existência divina o fato de a religião existir em todas as diversas sociedades humanas. Embora não vejam nada de sobrenatural, acham que essa universalidade da religião seja prova de que no passado o deus em que acreditam tenham sido visto e tenha falado com os primeiros humanos.

    Todavia, a causa dessa religiosidade mundial é bem outra.
    Uma gazela, ao ouvir um rugido, se prepara para a fuga, porque reconhece a presença de um leão por perto. Mas, ao ouvir um trovão, deve sentir que existe nas proximidades um bicho muito mais perigoso do que o leão. E, no decorrer de sua curta existência, deve se acostumar e perder o medo, uma vez que o mostro nunca aparece.

    O homem primitivo, por sua vez, com sua maior facilidade de discutir e transmitir informações modelou mais o caráter desse ser imaginário e lhe deu nome de deus, supondo mesmo a existência de diversos deuses.
    A enorme criatividade humana, em um mundo tão misterioso, cheio de fenômenos incompreensíveis, buscando explicações para tudo isso, produziu um universo imaginário riquíssimo em personagens sobrenaturais. Em sua imaginação, o animal inteligente povoou a Terra e os céus de deuses, anjos, demônios, duendes, almas imateriais (fruto do sonho), com um sem-número de invisíveis entidades sobre-humanas, dominadoras dos destinos dos homens.

    O homem do passado (e mesmo alguns de hoje) ouviu as vozes dos deuses no trovão e nos ecos de seus próprios gritos; sentiu o poder maléfico dos demônios nas pessoas acometidas de distúrbios mentais; agradeceu as bênçãos divinas, expressas na chuva, no crescimento das plantas e outros frutos da natureza, com sacrifícios de animais e… até de seus semelhantes. Em todos os tempos, tudo para que o homem não encontra uma explicação plausível tende a ser atribuído a entidades sobrenaturais.
    Essa ideia primitiva, por milhares de anos sem contestação, passando de pais para filhos, imprimiu-se no imaginário humano de tal forma, que, apesar de todas os esclarecimentos hoje existentes, é bem difícil de sair do pensamento das pessoas.

    A universalidade da religião não deriva de uma existência real do sobrenatural, mas sim da perpetuação da ignorância do pensamento primitivo por toda a sociedade humana.

    Por que o Cristianismo, o Judaísmo e o Islamismo predominam atualmente, e as outras religiões vão perdendo força?

    Os judeus, embora nunca se tenham cumprido as promessas divinas do seu livro sagrado, continuam acreditando que um dia irão dominar o mundo ( e já estão), e assim permanecem unidos em torno desse alvo.
    Os cristãos, fazendo uso distorcido do livro sagrado dos judeus, o completaram com mais uma estória que dominou o mundo romano, tornou-se a religião oficial do império, adquiriram poder para impor sua crença à maior parte do mundo na base da tortura.
    Os muçulmanos, assim como os cristãos, se impõem pela violência até hoje, conseguindo o domínio político em vários países do oriente, onde não há liberdade de pensamento e expressão.

    Quem está inconformado com a perspectiva de crescimento global da fé é o agnóstico e cientista britânico Richard Dawkins, biólogo, evolucionista, professor da Universidade de Oxford e, certamente, o ateísta mais conhecido da atualidade. Para ele, o século 21 deveria ser conhecido como a era da razão, “mas a fé militante irracional voltou a marchar rumo à alienação”, diz o autor. Quando ao avanço do ateísmo, cabe observar que o ateísmo cresce nos lugares onde há mais conhecimento, e a religião cresce nos lugares mais atrasados. E, como o atraso está em maior parte da população, o saldo geral ainda está sendo em favor da religião.
    As religiões formam a raiz dos conflitos mais violentos do mundo.
    Aproveitando a esteira de visibilidade que a mídia lhe proporcionou, Dawkins no seu livro chamado Deus um delírio, um manifesto ateísta, polêmico, repleto de afrontas e acusações às religiões, sobretudo ao cristianismo, onde o autor pretensiosamente promete convencer o leitor de que

    “Deus é um delinquente psicótico inventado por pessoas maldosas”; que “a religião, além de ser infantil e irracional, é um insulto à dignidade humana, uma vez que ensina seus seguidores que é uma virtude se satisfazer com o não-entendimento”; que “a fé é o processo de não pensar”, dentre tantas outras objeções blasfemas.

    Só nos resta ver que:
    “ Enxergamos o que somos ensinados a enxergar”, o que explica a continuidade da existência de tantas pessoas ainda crendo nessas ideias arcaicas.
    A origem das religiões está na incompreensão das coisas pelo homem primitivo, cujo pensamento prevalece até hoje, apesar das descobertas científicas;
    “O homem criou deus à sua imagem” e arranjou “alternativas contra a morte”; porém tudo aponta que “vida e morte não têm ciclos”. E os “testemunhos da fé” só revelam as “barbaridades dos deuses”, que são produtos de mentes bárbaras.
    Assim, não vejo qualquer base para aceitar a crença na existência do divino.

    Não admira, pois que, nos dias de hoje, apesar do irrefutável conhecimento científico baseado na evidência, na razão e na lógica, numa procura constante de explicações consistentes e válidas para as grandes questões que desde sempre suscitaram a curiosidade humana, tal seja pura e simplesmente desprezado e ignorado pela maioria, continuando a prevalecer a ilusão, a superstição, a crença no divino, que ninguém sabe o que é, mas no qual se acredita piamente, e como se tal não bastasse ainda se afirma com a maior das convicções que todos temos um destino, um propósito na nossa existência, um juízo final, uma recompensa ou um castigo! Nada mais patético!

    Tal como afirmou Richard Dawkins, tudo isto seria a maior anedota a nível cósmico se não fossem tão trágicas as consequências para a humanidade.

    Sobre todas essas atitudes, não podemos descartar o risco de voltarmos a ser subjugados pelo pensamento primitivo e submetidos a um comando estatal teocrático.
    A única forma de evitarmos esse retorno da barbárie divina é esclarecer e conscientizar a sociedade sobre os equívocos humanos do passado que resistem ao conhecimento moderno em detrimento da humanidade e da liberdade de pensamento.

    Com um pouquinho de esperança,
    Oiced Mocam

  • D. R.:

    Além das evidências FILOSóFICAS e HISTóRICAS, por incrível que pareça, há também evidências CIENTÍFICAS para a existência de Deus. Vejamos algumas delas:

    EVIDÊNCIAS CIENTÍFICAS:
    —————————————

    Em 1973, o astrofísico e cosmólogo Brandon Carter, sugeriu a ideia do Princípio Antrópico e o ajuste fino das constantes cosmológicas. É como se o universo, desde o Big Bang, tivesse sido feito na medida para a existência do homem; o que, necessariamente, nos leva a um criador extremamente inteligente; já que são tantas as coincidências que fica quase que matematicamente impossível ser pura sorte.

    A ideia do Princípio Antrópico é tão forte que uma das poucas alternativas para dispensar um criador seria a existência do multiverso; com infinitos universos, cada um com leis e constantes físicas distintas, para termos a probabilidade de um universo ajustado para a vida como o nosso. Ou, então, que o nosso universo fosse quase infinito e as leis e constantes físicas variassem de ponto a ponto do universo e nós estaríamos numa região favorável.

    Vale a pena ler:

    http://www.cleofas.com.br/ver_conteudo.aspx?m=art&cat=110&scat=82&id=5240

    http://www.sbfisica.org.br/rbef/pdf/331504.pdf

    Interessante também são as afirmações do Dr. Robert Spitzer; que, além de físico e filósofo, é também jesuíta:

    “… Spitzer assinalou que as provas científicas mais recentes evidenciam que “o Universo não é infinito, mas finito, que começou em um certo ponto (estimado aproximadamente em treze bilhões de anos) e está em constante expansão.

    ‘A complexidade do Universo se apóia em um equilíbrio incrivelmente delicado de 17 constantes cosmológicas. Se qualquer uma delas se modificasse uma décima a tetragésima potência, estaríamos mortos e o Universo não seria o que é’, adicionou.

    Do mesmo modo, assinalou que ‘cada modelo do Big Bang mostra o que os cientistas chamam uma singularidade, e a existência de cada singularidade exige que exista um elemento externo ao Universo’.

    Neste sentido, recordou que Roger Penrose, o famoso matemático e físico inglês, corrigiu alguma das teorias de seu amigo e colega Stephen Hawking, concluindo que todas as teorias do Big Bang, inclusive a chamada ‘teoria quântica’, confirmam a existência destas singularidades.

    Todas as explicações nos levam ‘a uma força que é prévia e independente ao Universo. Pode soar a argumento teológico, mas é realmente uma conclusão científica’, assegurou conforme informa La Razón.

    O perito indicou que ‘não se pode não aceitar a existência desta singularidade. Esta teoria é tão sólida que 50 por cento dos astrofísicos estão ‘saindo do armário’ para aceitar uma conclusão metafísica: a necessidade de um Criador, fora do espaço e do tempo’.

    “.

    FONTE: http://www.acidigital.com/noticia.php?id=17187

    Agora, se existe uma prova objetiva da existência de Deus, essa prova são os milagres autênticos (que passam pelo crivo da própria Ciência) que ocorrem apenas na Igreja fundada por Cristo e em nenhuma outra religião do mundo. Pois, os milagres autênticos são o elo entre a fé e a razão, entre a ciência e a religião, entre Deus e os homens; são como que a assinatura de Deus para confirmar sua existência, sua Igreja e sua verdadeira doutrina.

    Se Jesus não existiu ou não fez milagres quando veio ao mundo e nem ressuscitou, com certeza, também não faz milagres agora; e, portanto, todos (repito: todos) os milagres da Igreja têm de ser falsos! Por isso, insisto tanto no estudo dos grandes milagres da Igreja, tais como: Santo Sudário (que nada mais é do que a foto radiográfica e tridimensional de um homem ressuscitando), Imagem de Guadalupe (cujo olho reflete a cena do milagre e cuja pupila dos olhos reage à presença de luz como se fosse um olho VIVO, cuja imagem mantém a temperatura de um corpo humano e têm batidas de coração, etc.), Santa Casa de Loreto (a casinha onde viveu a Virgem Maria milagrosamente transportada de Nazaré até Loreto, passando por outras cidades, durante a invasão islâmica à Terra Santa), Milagre Eucarístico de Lanciano (cuja hóstia e vinho virou carne e sangue de uma pessoa viva atualmente), Sangue de São Genaro (que se liquefaz no dia do seu aniversário), Coxo de Calanda (cuja perna reapareceu após enterrada por quase três anos), Espinho da Coroa de Cristo (cujo sangue coagulado se liquefaz a cada 11 anos, toda vez que a sexta-feira da paixão ocorre num dia 25 de março, o suposto dia da crucificação de Cristo), corpos e órgãos incorruptos de santos (que exalam perfume e destilam água e óleo por séculos) e tantos outros espantosos milagres que, por incrível que pareça, só ocorrem na Igreja Católica e em nenhuma outra religião do mundo. Isso é um fato espantoso e extraordinário que existe no mundo e que não deveria ser ignorado ou desprezado por quem quer que seja.

    Quem ainda não viu, não deixe de ver, por exemplo, o incrível documentário do History Channel “GUADALUPE: UMA IMAGEM VIVA” (http://www.youtube.com/watch?v=7yTwabUjgYQ) e também o excelente e sério documentário do Discovery Channel “O MISTÉRIO DO SANTO SUDÁRIO” (http://www.youtube.com/watch?v=M9j38PmEGWA) e sua continuação “O SUDÁRIO DE TURIM” (http://www.youtube.com/watch?v=h_1_ag_H6Kk).

    Ou ler os livros “Milagres – A Ciência Confirma a Fé” e “Os Milagres e a Ciência”, do Pe. Oscar Quevedo. Ou mesmo em sites como OEPNET (http://oepnet.sites.uol.com.br/milagres.htm) e CIÊNCIA CONFIRMA A IGREJA (http://cienciaconfirmaigreja.blogspot.com.br/).

    E, também, sobre a doutrina e história da Igreja no site VERITATIS SPLENDOR e em tantos outros sites de apologética católica. Recomendo ainda o programa ESCOLA DA FÉ, do ilustre Prof. Felipe Aquino (engenheiro, físico, doutor pelo ITA, escritor, ex-reitor de universidade, apresentador, etc.), na TV Canção Nova todas as quintas-feiras às 20:40 horas (e também no YouTube); onde ele ensina muito sobre ciência e religião, sobre a história da Igreja e sobre a fé católica.

    É ver para crer!

    Portanto, dá sim para ficar ‘brincando’ de ‘Deus existe ou não existe?’; desde que ignoremos as grandes profecias e os grandes milagres da Igreja.

    Meu raciocínio é muito simples: Se Deus não existe, então, Jesus não era Deus e, portanto, todos (repito: todos) os milagres da Igreja fundada por ele,
    necessariamente, têm de ser falsos. Caso contrário…

    Por isso, digo e repito:

    QUEREM SABER SE DEUS REALMENTE EXISTE? ESTUDEM OS GRANDES MILAGRES DA IGREJA!

  • Gilberto Fürst:

    Ele existe?

    Ele existe sim, pois ele é o criador de todas as coisas, e as pôs aqui obedecendo determinadas ordens.

    E em caso positivo, qual a prova científica de sua existência?

    O amor existe e como poderia ser provado cientificamente? a saudade existe, como prova-la? o fato do ser humano sentir necessidade de adorar algo é a prova de que existe um poder maior, e esse é Deus.

    Perguntas complementares:
    Cada religião tem a sua própria personificação de Deus. Qual está certa? Porque?

    A unica religião correta é o cristianismo Biblico, pelo fato de que temos a palavra de Deus a qual é a Biblia sagrada, a qual possui centenas de profecias que já se cumpriram, outras estão se cumprindo e outras ainda se cumprirão.

    É possível conceber Deus sem a crença, portanto, fora da esfera dogmática? Deus se manifesta a quem ele quer das mais variadas formas possiveis, portanto não podemos confinar a fé nele em nenhum dogma.

    Sugira novas perguntas para serem publicadas neste espaço.

    O que voce pensa que te acontecerá depois que morreres?
    Se a religião é absurda, o que faz os indios selvagens venerarem divindades?

  • Luis Dantas:

    Ele existe?

    Um Deus literal? Não. Ele existe, e de fato está em sua forma mais perfeita concebível, enquanto um conceito de inspiração.

    E em caso positivo, qual a prova científica de sua existência?

    Deus não teria serventia se pudesse ser provado cientificamente.

    Perguntas complementares:
    Cada religião tem a sua própria personificação de Deus. Qual está certa? Porque?

    Todas e nenhuma, na exata medida em que sirvam para criar inspiração construtiva em quem nelas crê.

    Definir o que é inspiração construtiva é uma outra dor de cabeça, mas não a considero irresolvível.

    É possível conceber Deus sem a crença, portanto, fora da esfera dogmática?

    Faço distinção entre dogma e crença. Deus sempre será uma crença, mas como qualquer crença funciona melhor quando não é tomada de forma dogmática. O dogma é indesejável e pode ser evitado, enquanto que a crença não é necessariamente ruim nem pode ser completamente evitada.

    Sugira novas perguntas para serem publicadas neste espaço.

    Seria interessante elaborar a diferença entre os vários conceitos de divindade, que vão bem além da simples crença ou descrença. Particularmente interessantes são as deidades dos vários dharmas (que são rotineiramente interpretados de forma diferente por adeptos distintos, sem qualquer crise) e as entidades de inspiração (não propriamente deuses) do Xintoísmo e do paganismo.

  • Jerome Schinetski:

    A verdadeira questão não é saber se Deus existe, mas saber que (qual) deus existe, e se existe ou existiu um Deus-Criador. O mais difícil de tudo é abstrair o princípio da existência das noções que as religiões ensinam sobre Deus. Ora, religião é uma estrutura organizada de poder como qualquer outra (política, times de futebol, grupo de estudos etc.), que muito pouco – ou absolutamente nada – tem a ver com a existência de deus. Não precisa deus existir para que as religiões existam e se proliferem todos os dias.

    A questão então da existência de Deus nada tem a ver com as doutrinas religiosas. Provas da existência de um Deus-criador: a impossibilidade da existência a partir da inexistência sem a intervenção de uma vontade consciente dotada de poder; o aparente projeto existente no universo, que o mantém em relativa estabilidade e não numa situação de caos constante; a inteligência do cérebro humano, cuja evolução ainda não pôde ser explicada de maneira satisfatória a partir de criaturas inferiores (macacos); aspectos do corpo humano que, como a existência inexpressiva de pelos, que destoa do que seria racional que tivesse ocorrido a partir da seleção natural dos macacos.

    Por outro lado, a existência de Deus não necessariamente contraria a teoria da evolução, uma vez que nem a própria teoria pôde provar a diferença entre adaptação e evolução, já que apenas a adaptação pôde ser provada, e com base nisso a evolução tem sido entendida, ou, em termos mais expressos, “crida” por muitos.

    Desta forma, para a evolução, uma espécie pode envolver indivíduos com características diferentes mas capazes de se cruzarem dando origem a crias férteis. Assim, ao passo que a teoria da evolução não considera o Neanderthal como sendo humano, os brancos, negros e asiáticos modernos são considerados todos como sendo da mesma raça. Isso, no meu modesto entender, não faz o menor sentido.

    De qualquer forma, a teoria evolutiva precisa ser melhor aperfeiçoada, já que são constantes nela as contradições – o que implica que continue a ser estudada. Os ateus reclamam das contradições na ordem religiosa, mas ao fazerem isso não costumam ‘tirar a trave do próprio olho’. Há outros aspectos acerca da existência de Deus que merecem ser provados, mas as questões se concentram mais em provar aspectos ensinados pela religião – como a existência da alma, de anjos ou se o mundo teria mesmo sido feito em seis dias – do que questionar a existência de um criador em si.

    Não é uma questão de fé, a existência é lógica, e isso implica uma preexistência potente e inteligente, cruzando muito acima de qualquer espécie de crença.

  • Alzir Fraga:

    Ninguém é dono da verdade. Minha opinião seria longa demais para este comentário.
    Se alguém se interessar: http://alzirfraga.blogspot.com.br/2011/06/deus-existe.html

  • Antonio Canova:

    Muitas palavras, para explicar Deus ou a inexistência dele. Ateus dão testemunhos irônicos ou irados. Por que ? Radicais religiosos, idem ? Por que ? Porque estão pensando como humanos que somos, defendendo um partido, um time de futebol, uma ideia, simplesmente. Tenho feito a experiência simples de simplesmente tentar meditar, tentando sentir que sou único e que sou parte do Universo, o que eh pura verdade. Átomos, moléculas, de tudo que sou constituído, me fazem único. E só sei disso porque a ciência estudou em detalhes, buscou a verdade explorando o Universo. Mas, isto também esta escrito ha muito tempo. E quem o escreveu o fez pela intuição e porque, no passado, religião e ciência andavam juntas. O que quero dizer eh que deveriamos tentar esquecer essa discussão, abandonar as “armas” e passar a estudar mais a alma humana, alem do Universo, mas semn paixões, sem querer provar que a fe e Deus existem ou não. Armar-se de humildade, simplicidade, admitir que amor e fe são parte do ser humano, admitir que somos pequenos e limitados demais para querer provar ou não a existência de um criador, admitir que somos como formigas em uma floresta, brigando entre si para advinhar o que esta além das árvores…e passarmos a explorar o amor, as boas ações, uma nova humanidade. Não quero ficar repetindo jargoes, mas o fato eh que se Deus existe, não e o que importa. Pois se Ele eh grandioso, Já sabe o que se passa aqui. Se não existe, o fato eh que somos um milagre, vivemos e pensamos, somos conscientes e temos poderes para fazer o bem. Por que ficarmos perdidos em discussões? Cada um siga sua fe, seus meios, suas religiões e convicções. Cada um tem uma forma de “chegar la”, mas seria importante que cada um fosse livre e ao mesmo tempo consciente de que eh unico e pode contribuir com a humanidade, na busca de desenvolvimento, ou na busca de Deus!

  • D. R.:

    Sim, as evidências à favor da existência de Deus são bem maiores do que da não existência de Deus.

    Vejamos:

    EVIDÊNCIAS FILOSÓFICAS:
    —————————————–

    Qualquer um entende que do NADA, nada pode vir a existir. Quando digo NADA, é o NADA ABSOLUTO da Filosofia (nem matéria e energia, nem espaço e tempo, nem espírito, nem matemática, nenhuma entidade real ou abstrata.) e não o ‘nada’ do vácuo quântico de Stephen Hawking e Krauss. No entanto, o universo existe e, portanto, não pode ter surgido no NADA.

    Observamos também que, no mundo, para tudo há uma causa; todo ser é contingente, pois depende da existência de outro ser para existir. Por exemplo, a causa do filho são seus pais; os seres vivos são formados por células, que são formadas por moléculas, que são formadas por átomos, que são formados pelas partículas subatômicas e assim por diante; toda a vida deriva da biologia, que deriva da química, que, por sua vez, deriva da física das partículas elementares; cuja causa é a energia e a matéria gerada no Big Bang.

    Porém, nesta sequência de causa e efeito, necessariamente deve existir uma causa primeva, um ser necessário, incontingente e eterno (que sempre existiu) e que é a causa de si mesmo e de todos os outros seres existentes. Portanto, logicamente e necessariamente, tem de existir pelo menos esse ENTE ETERNO que nunca foi criado e não causado por nada, mas que é causa de todas as outras coisas. Isso gera duas cosmovisões do mundo; uma que vai de cima para baixo e outra que vai de baixo para cima.

    Para os filósofos gregos, São Tomás de Aquino, os teólogos e os crentes, esse ENTE ETERNO necessariamente tem de ser infinitamente grande, sábio e poderoso; pois, ele tem de possuir todas as qualidades que dá ao entes contingentes (aqueles que para existir precisam de uma causa anterior). E esse ente ou ser eterno nós chamamos de DEUS. Estranhamente, o Deus revelado por Jesus Cristo possui todas essas qualidades.

    http://andrehenriquerodrigues.blogspot.com.br/2010/07/as-vias-de-sao-tomas-de-aquino.html

    Nesta cosmovisão de cima para baixo, a suprema inteligência (ou Logos) criou a matéria e a energia, o universo e tudo o que existe. Notem que essa suprema inteligência eterna não precisaria necessariamente ser um ser antropomórfico, ou seja, ter um cérebro, órgãos e membros; ela poderia ser um ente espiritual ou abstrato como a própria razão (ou logos), amor, poder, etc. Seria algo cuja existência naturalmente é eterna e sem causa.

    Estranho que a própria Bíblia diz: “Onde está o AMOR aí está DEUS, porque DEUS é AMOR”.

    Será que Deus criou o amor, é amor, ou é o próprio Amor? Eis a questão!

    Já para os materialistas, esse ENTE ETERNO não é algo inteligente ou consciente, mas algo como uma energia ou partícula primordial que pelo tempo e acaso mais seleção natural “criou” todas as coisas. Notem que, neste caso, o tempo tem que existir naturalmente.

    Nesta cosmovisão de baixo para cima, a matéria e energia ou partícula primordial eterna (aliada ao acaso + tempo + seleção natural) “criou” todas as coisas superiores a ela; inclusive a ordem, a beleza, a inteligência e a consciência.

    Essa cosmovisão era mais fácil de ser aceita antes do Big Bang, pois a grande maioria dos cientistas acreditavam que o universo era eterno e estático. Com a Teoria do Big Bang, comprovou-se que o universo teve um começo no tempo; e, portanto, teve uma causa; o que dificultou muito essa linha de raciocínio.

    Seja lá o que for, o fato é que ninguém pode negar que este mundo físico, lógico e matemático, cheio de ordem e beleza, parece ter sido projetado e criado por um matemático e artista extremamente inteligente, talentoso e poderoso.

    Penso que se o homem, ao longo de toda a sua história, com toda a sua inteligência, ciência e tecnologia, têm se esforçado tanto para entender só um pouquinho do universo; imagina a inteligência e o poder para se inventar e criar tudo isso?

    Pergunto:

    Pode a desordem e o acaso ter gerado a ordem e a vida?

    Pode a não-inteligência ter gerado o código genético, a inteligência e a consciência?

    (…)

    • D. R.:

      (…)

      EVIDÊNCIAS HISTÓRICAS:
      —————————————

      Ora, se DEUS existe, é razoável que em algum momento da história da humanidade Ele se revelasse ao mundo.

      E há evidências de que isso realmente já aconteceu; primeiro, houve uma revelação ao povo hebreu e, depois, a revelação pública de DEUS na pessoa de Jesus Cristo.

      E como podemos saber que houve essa revelação?

      Ora, se tem duas coisas que homem nenhum não pode fazer são profecias e milagres autênticos, que violam as próprias leis da natureza.

      E a Bíblia está cheio de milagres e profecias:

      Por exemplo, o artigo da Wikipedia sobre ‘CRISTO’ mostra dezenas de passagens do Antigo Testamento (escritas séculos antes do nascimento de Cristo) que se cumpriram na pessoa de Cristo, inclusive: que ele nasceria de uma virgem, falaria em parábolas, faria milagres, seria rejeitado e traído por trinta moedas de prata, seria acusado injustamente, seria rejeitado e ferido por nossas iniquidades, seria cuspido e esbofeteado, teria os pés e mãos transpassados, oraria pelos inimigos,lançariam sorte para repartir suas vestes, o fariam beber vinagre, não teria os ossos quebrados, um rico o sepultaria, ressuscitaria no terceiro dia, etc., etc., etc.

      Alguns céticos argumentam que Jesus poderia ser um charlatão que aproveitou-se de algumas dessas profecias do Antigo Testamento. Porém, poderia ele ter forjado a profecia de sua própria crucificação, um instrumento de pena de morte usado pelos Romanos?

      “E Iahweh respondeu-lhe: Faze uma serpente abrasadora e coloca-a em uma haste. Todo aquele que for mordido e a contemplar viverá.” (Números 21,8)

      “Como Moisés levantou a serpente no deserto, assim é necessário que seja levantado o Filho do Homem.” (João 3,14)

      “Porquanto cães me cercaram; a assembléia de malfeitores me rodeou; traspassaram-me as mãos e os pés. Posso contar todos os meus ossos; eles estão-me encarando e mirando. Repartem entre si os meus vestidos, e deitam sortes sobre a minha vestidura.” (Salmos 22,16-18)

      “Então o crucificaram. E repartiram as suas vestes, lançando sorte sobre elas, para saber com o que cada um ficaria.” (Marcos 15,24)

      “Ele, então, lhes disse: ‘Insensatos e lentos de coração para crer tudo o que os profetas anunciaram! Não era preciso que o Cristo sofresse tudo isso e entrasse em sua glória?’ E, começando por Moisés e por todos os Profetas, interpretou-lhes em todas as Escrituras o que a ele dizia respeito.” (Lucas 24,25-27)

      E a descoberta dos Manuscritos do Mar Morto demonstrou que tais profecias, realmente, foram escritas séculos antes do nascimento de Jesus Cristo.

      (…)

  • Ericson Cardoso:

    O homem sempre buscou respostas para suas duvidas, e conforto para seus pensamento, isso levou-o a se unificar com o ambiente a sua volta e tentar entende-lo, assim se deu inicio aos mitos e religiões.
    Na história da humanidade Deus é um ser em constante transformação. Tanto que o homem molda deus conforme a sua aparência e seu estilo de vida.
    Atualmente muitos ficam em um jogo de inércia “-Quem criou o mundo?
    -Foi Deus.
    -E quem criou deus?”
    muitos simplesmente respondem “Ele sempre existiu”
    Por que não encarar isso com o TEMPO
    Não existiu um início e nem haverá um fim, o tempo é relativo
    por isso o universo e todos os seres estão em constante transformação
    sempre evoluindo e aprendendo
    (Notaram que para cada época existe um estilo de Deus diferente? e uma personalidade diferente, tal como “…Ahhh isso aconteceu na sua vida pq vc não acredita em Deus, foi um castigo!
    …Ahhh isso aconteceu por que deus quis assim… Isso é uma oportunidade)
    Na verdade a necessidade de se sentirem seguros e protegidos por alguém leva as pessoas frisarem fé (energia) em fatores externos, sendo que isso existe dentro deles mesmos!
    A vida é um ciclo sem início nem fim, simplesmente se transforma e se adapta ao momento.
    Por isso este Deus do evangelho ou de qualquer outra religião não existe, é apenas mais uma adoração fantasiada necessariamente para a força emocional do ser humano.
    Tudo é energia aplicada de forma diferente, “Nada se perde, nada se cria, tudo se transforma!”

  • Wellington Silva:

    Um sujeito ou coisa invisível e mágico que vive no céu??? acorda.
    Tudo que existe/existiu veio desta simples formula: E=MC2.

    O resto é mentiras e senso comum. nenhuma evidência ou fato.

  • jodeja:

    Deus não existe. Deus é tudo. É o Uni e o Verso. Ou seja, tudo que vemos, planetas, estrelas, galáxias, o Uni e o outro lado que não vemos, o Verso.

  • SIDNEY BATISTA AZEVEDO:

    Deus realmente existe,não explicação cientifica pra isso,é apenas fé.Mas estudando as mitologias de todas as religioes dá pra explicar cientificamente que todos os deuses citados por elas existiram entre nós.Só não eram deuses sim pessoas que podem ter sido pessoas de outro planeta ou humanos mais desenvolvidos que formaram essas culturas.De alguma forma existe um unico Deus que pode ter tido concorrentes,ter sido copiado ou imitado por esses seres que teriam sido subordinados a ele no inicio.

  • Afonso Pepinelli:

    Postei esse mesmo comentário em outro página desse site, mas acho válido repeti-lo aqui também:
    Na minha concepção Deus sempre existiu e não faria sentido alguém criar Deus,pois então não seria Deus e sim criatura. Ele é além do tempo, pois o tempo existe no universo e é relativo conforme o observador como Einstein nos mostrou, então se Deus está além do universo, esta além do tempo, e portanto é eterno, o tempo existe para que este universo e nós pudéssemos existir. E se o universo existe é por que está em algum lugar, em uma dimensão, Ele é a dimensão “Diremos muitas coisas, porém faltarão palavras. Mas o resumo de nosso discurso é este: Ele está em tudo (do grego: Ele é tudo)” Eclesiástico 43:29.
    Não entendo de física porém sei que a teoria das cordas admitem 11 dimensões 4 conhecemos altura, largura, comprimento e o tempo, e as outras 7 ? e não é o numero 7 que indica perfeição na bíblia ?
    Não quero discutir sobre a existência ou não de Deus, mesmo porque nunca saberemos por meios físicos por que ele está além disso e não é acreditar Nele que nos salvará, pois Deus é essência e quem segue essa essência dentro de si, acreditando ou não encontrará a verdade e a verdade o libertará.

  • Francisco Baptista Burgos:

    Vou responder com o argumento do Papa Bento XVI:A quem considera o futuro como o seu próprio dever e possibilidade, a Fe apresentada com a etiqueta de .tradição. lhe parecerá uma coisa superada;a Fe não poderá,portanto abrir-lhe o seu lugar existencial.Isto quer dizer que o primeiro escândalo da Fe,a distancia entre o visível e o invisível se torna mais aguda mediante um segundo escândalo, mediante a antítese entre ontem e hoje, entre a tradição e o progresso, e pela vinculação com o passado que parece supor a Fe……..Com isto quero dizer que a Fe cristã não trata, como a primeira vista, se pudesse pensar, do eterno que fica fora do mundo e do tempo humano como coisa totalmente distinta deles. A Fe trata, antes de Deus na história, de Deus como homem… Jesus Cristo se tornou a exegese de Deus.

  • Jose Romildo nachbar:

    Estou convencido de que Deus nunca foi o criador do mundo, e nem do que tudo nele existe, mas a natureza é responsavel pela criação de tudo inclusive do homem, sou convicto de que o homem criou Deus, e nele coloca toda a responsabilidade por seus fracassos de projetos mau elaborado e de tudo que é ruim que lhe aconteça.

  • Gilberto Almeida:

    Para mim a resposta a essa pergunta e um sonoro sim!!!, a Bíblia diz que a divindade e poder de Deus pode ser comprovado por meios das coisas feitas(Romanos 1:20) existem muitas coisas sobre as quais poderia falar mas vamos nos concentrar em nós seres humanos. Nós usufruímos de muitos prazeres na vida, comer uma comida saborosa, escutar uma música prazerosa, observar belas paisagens com nossos olhos capazes de diferenciar uma quantidade enorme de cores e tons, estar na companhia de pessoas que amamos e muitas outras coisas. Será que foi a evolução que foi responsável por isso? para mim parece ser uma afirmação ilógica, existem habilidades que temos que não são necessárias a sobrevivência mas são para o nosso prazer, como nossa visão em cores por exemplo e sentir o sabor dos alimentos, Deus não só nos deu essas habilidades mas também encheu a Terra de coisas que as estimulam, para mim isso só poderia vir de alguém que nos deu a vida e quer nosso bem, para mim a Ciência é uma aliada porque ela estuda o Mundo e o Universo que nos cerca e revela a incrível complexidade da vida e isso faz aumentar a minha fé em um projetista inteligente. vou resumir tudo o que disse até agora com a seguinte ilustração: Suponhamos que você esta caminhando perto de um riacho que termina em uma linda cachoeira, você para e observa uma pedra que lembra o formato da cabeça de um cachorro, bom isso pode acontecer afinal alguns lugares receberam seus nomes pelo formato de uma formação rochosa por exemplo, mas observando no riacho você encontra uma pequena estátua de uma pessoa, será que como aquela pedra encontrada anteriormente você acreditaria também que essa estátua foi feita por processos geológicos ao acaso? Hebreus 3:4 expressa uma ideia similar mas usando uma casa como ilustração, diz: Cada casa, naturalmente, é construída por alguém, mas quem construiu todas as coisas é Deus.
    Mas a ciência nunca vai poder encontrar Deus ou retirar uma amostra dele para estudar em laboratório, porque ele é um espirito uma forma de vida superior as criaturas físicas, na verdade é um ato de amor Deus não se mostrar para nos pois a Bíblia nos informa que homem algum pode ver Deus e continuar vivo, isso não é tão difícil de intender, por exemplo nos não olhamos diretamente para o Sol porque sua energia radiante pode nos cegar, imagine então o poder do criador do Sol!!!(Êxodo 33:17-20).

  • Oiced Mocam:

    Resposta para Lídia,
    COMO ACREDITAR EM TAMANHOS ABSURDOS?

    Das doutrinas egípcias e suas superstições do Deus Rá, o Deus Sol; Osíris – o Deus da Ressureição que prometia vida eterna a seus seguidores e Ísis e seu filho Hórus (protótipo da virgem Maria e seu filho) a humanidade ainda não se livrou das ideias e crenças sobrenaturais absurdas ancestrais. Agora temos menos Deuses (já houve milhares de deuses mortos, enterrados não se sabe a onde). Agora temos Deus em um ou seria Deus em três partes? E que se importa pelo nome pelo qual é chamado!

    No tempo dos ancestrais, um homem nasceu de uma mãe virgem, sem nenhum pai biológico envolvido. Os maiores MILAGRES são mitologias, para citar só alguns exemplos:

    1) A criação do mundo por seu Deus Bíblico (não vamos nem considerar os deuses das outras religiões).

    Até o século XVI, a religião detinha o monopólio da explicação dos mistérios da criação. A responsabilidade pela criação de tudo era divina, e ai de quem duvidasse! Aquele monopólio da fé começou a ser solapado a partir da obra de Copérnico (Nicolau Copérnico, astrônomo polonês do século XV) e a de Galileu (Galileu Galilei, astrônomo italiano do século XVI), que substituíram o milagre metafísico pela realidade física. Quando, há 300 anos, Newton (Isaac Newton, físico e matemático inglês do século XVII) explicou que o movimento dos planetas podia ser compreendido por meio de leis físicas bem simples que não requeriam a intromissão dos anjos, tudo mudou. O avanço da física, da química e da biologia nos fez desvendar o funcionamento da matéria e dos fenômenos biológicos.

    Os religiosos quase nunca tocam na questão da criação de Deus, pois essa é ainda mais confusa do que a solução religiosa que deram para a criação do Universo. Para os religiosos, Deus simplesmente existe, não importando quantas e quão fortes sejam as evidências que a ciência fornece para indicar a extrema improbabilidade de tal coisa ser verdade.Os religiosos afirmam que conhecem as verdades fundamentais… É inacreditável. Eles afirmam saber que Deus criou o Universo. Isso é preguiça intelectual. A ciência lida muito bem com a existência de mistérios à espera de ser revelados. Sempre haverá perguntas sem resposta e mistérios a descobrir. Os milagres se tornaram obsoletos

    2) O nascimento ridículo e virginal de Jesus.
    MILAGRES – DEUS TRABALHA DE FORMAS MISTERIOSAS

    Jesus teve um pai humano, ou sua mãe era virgem na época de seu nascimento? Trata-se, de uma pergunta estritamente científica com uma resposta definida por princípio: sim ou não. A própria ideia e pergunta já é uma piada.

    O mesmo homem sem pai clamou um amigo chamado Lázaro, que estava morto havia tempo bastante para cheirar mal, e Lázaro imediatamente voltou à vida.

    O próprio homem sem pai voltou à vida depois de ficar três dias morto e enterrado.

    Quarenta dias depois, o homem sem pai subiu ao topo de uma montanha e depois desapareceu no céu.

    Se você murumurar coisas dentro da sua cabeça, o homem sem pai, e seu “pai” (que também é ele mesmo), ouvirá seus pensamentos e pode tomar providências em relação a elas. Ele é capaz de ouvir simultaneamente os pensamentos de todas as pessoas do mundo.

    Se Você faz alguma coisa ruim, ou alguma coisa boa, o mesmo homem sem pai tudo vê, mesmo que ninguém mais veja. Você pode ser recompensado ou punido, inclusive depois de sua morte.

    A mãe virgem do homem sem pai nunca morreu, mas “foi transportada” corporeamente para o céu.

    Pão e vinho, se abençoados por um padre (que precisa ter testículos), “transforma-se” no corpo e no sangue do homem sem pai.

    O que um antropólogo objetivo que desse de cara com esse conjunto de crenças numa excursão de pesquisa pensaria delas?

    Lembra da passagem em que um faraó egípcio manda matar todos os bebês dos hebreus porque recebeu um alerta de que nasceria dali o próximo rei?

    Pois veja isso: “Conta a tradição védica que Kamsa, temendo que Vishnu nascesse em qualquer uma das famílias do reino, mandou matar todos os meninos com até dois anos de idade, a fim de evitar o cumprimento da profecia.” Essa é a lenda sobre o nascimento de Krishna, avatar de Vishnu, o segundo deus na trindade hindu. Será que os hinduístas nunca ouviram falar de direitos autorais?

    Basta pesquisar um pouco sobre o Mazdeísmo e entenderá porque historiadores o consideram como religião fundadora das três gigantes monoteístas.

    Leituras recomendadas: Blog deuses Existem?

    • Carlos Ossola:

      Deus não existe. Ele é a própria existência. Tudo que existe teve princípio e terá fim, Deus é de eternidade a eternidade. Nenhuma idéia sobe Deus é mais certa do que outra, por que Deus está muito além da imaginação humana. Cada pessoa idealiza Deus conforme sua índole. Para os perversos, Deus pode assar alguém no fogo do inferno. Para os de boa índole, Deus é descrito como perfeito amor sem preconceitos, sem fazer acepção de pessoas. Crer em Deus através das escrituras é como comer o menu do restaurante pensando encher a barriga. Todos possuem um sentimento de religiosidade inato. Pergunta a uma criancinha quem é Deus, e vais ficar assombrado com sua inteligente resposta. Tudo que se pode conceber do Altíssimo é que personifica o amor sem sombra de variação. O resto, é paisagem.

      Cada religião tem a sua própria personificação de Deus. Qual está certa? Porque?
      É possível conceber Deus sem a crença, portanto, fora da esfera dogmática?

  • Lidia Radke:

    Deus é a inteligência suprema de tudo. Os mecanismos que ordenam o nascimento de uma estrela, o crescimento de uma planta, o projeto do desenho do olho e seu mecanismo funcional, o pensamento humano… como tudo isso existe? o acaso? Ah ! então chamarei Deus de acaso. Que acaso fantasticamente poderoso ! Mas, quem inventou o acaso?

  • maalalel:

    Deus existe? essa pergunta nem Deus se preocupou em responder para nós pois Ele disse:

    “Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como a sua divindade, se entendem, e claramente se vêem pelas coisas que estão criadas, para que eles [os homens] fiquem inescusáveis;

    Porquanto,[os homens] tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes em seus discursos se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu.

    Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos.

    E mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, e de aves, e de quadrúpedes, e de répteis.

    Por isso também Deus os entregou às concupiscências de seus corações, à imundícia, para desonrarem seus corpos entre si;

    Pois mudaram a verdade de Deus em mentira, e honraram e serviram mais a criatura do que o Criador, que é bendito eternamente. Amém.”
    Romanos 1:20-25

    A Bíblia sagrada não tem a preocupação de provar a existência de Deus, pois todo o Seu poder pode ser evidenciado por nós, através da ciência. Sim, a ciência é o instrumento para provar a Sua existência:

    Com a ciência descobrimos a existência do DNA, por exemplo, que é comprovado que através dele as características de um individuo são passadas para seus descendentes, onde raramente os fatores externos podem modificar a estrutura do DNA (basicamente o nosso genótipo pode ser alterado através de radiação ou mutação, mas esses casos não criam benefícios para nós, e sim, aberrações).

    Mas, alguns preferem acreditar na teoria da evolução, onde é totalmente contraria à existência de Deus e fere numerosas leis da ciência: dizendo que formas de vida “simples” evoluíram em mais complexas. Mas como isso pode acontecer, já que o DNA não permite fatores externos alterar o nosso genótipo?

    E mais, se a teoria da evolução é verdadeira, como se explica a primeira forma de vida no nosso planeta? Pois se ela é simples, gostaria de entender como ela teria capacidade de existir, já que existem tantos fatores que dificultam a vida: essa forma de vida, que se formou “há bilhões de anos atrás”, teve a capacidade de resistir a pressões dos oceanos (se ela teve sua origem lá); a capacidade de se reproduzir; a capacidade de acima de tudo, criar um sistema que transmita sua informações genéticas para sua prole (DNA ou até mesmo RNA).Pois sem esse sistema é impossível ter um padrão ou até mesmo uma mudança entre seres vivos.

    Resumindo, nós nem conhecemos como é complexa a nossa existência, como vamos entender a de Deus? Até os cientistas céticos não sabem explicar como é possível o surgimento da primeira forma de vida capaz de ter todos os mecanismos que garantam a existência…

    Enfim, Deus EXISTE!!!

    Não só porque os céticos são equivocados em suas alegações, mas porque Deus nos deu a capacidade de questionar, nos deu o amor pela a ciência, onde através dela podemos descobrir a complexidade do nosso universo, apontando para um Criador.

    Parabéns Hypescience, que Deus abençoe à todos.

  • Tiago Mello:

    Na minha opinião, Deus existe, simplesmente porque é logicamente plausível que Ele exista. E eu falo de um Deus criador do universo (do cosmos como um todo), de um Deus-razão, não-físico, imaterial, que está além do espaço e do tempo (já que foi Ele que criou) e não de um Deus dogmático que te julga suas ações.
    Até hoje não há provas da existência de Deus, assim como não há provas para sua não-existência, então acho justo sustentar sua existência (ou não-existência, para os Ateus) em uma cadeia lógica de argumentos ligados entre si.

    Então, vamos aos argumentos (chamado de O Argumento Cosmológico da Contingência):

    1. Tudo que existe possui uma explicação para sua existência, seja na necessidade de sua
    própria existência, seja em uma causa externa.
    2. Se o universo possui uma explicação para sua existência, esta explicação é Deus.
    3. O universo existe.
    4. Portanto, o universo possui uma explicação para sua existência (de 1 e 3).
    5. Portanto, a explicação para a existência do universo é Deus (de 2 e 4).
    (William Lane Craig)

    E o que eu elaborei, q:

    1. Tudo que existe teve um início.
    2. O Universo

    • Marcos Almeida:

      Não admitir a existência de um criador (DEUS), é imaginar que é possível uma montanha de lixo, com elementos eletrônicos (chips, memórias, circuitos…) (imagine que esse lixo é o ACASO/CAOS/DESORDEM) após bilhôes/trilhões/zilhões de anos se juntem e formem um COMPUTADOR. SE FOR POSSÍVEL, DEUS NÃO EXISTE.

  • Oiced Mocam:

    “OS MILAGRES SE TORNARAM ABSOLETOS”

    Lawrence Krauss: ” DEUS SE TORNOU REDUNDANTE”

    O físico Lawrence Krauss, em fevereiro deste ano. Ele afirmou que nosso Universo surgiu do nada. “ OS MILAGRES SE TORNARAM ABSOLETOS”

    A ciência finalmente chegou ao ponto de poder explicar a criação do Universo. E Deus não tem nada a ver com isso, afirma o físico americano.
    Lawrence Krauss: “Deus se tornou redundante”, em entrevista a Revista Época.

    O ateísmo militante está na moda. depois do biólogo Richard Dawkins e do físico Stephen Hawking, chegou a vez de o Cosmologista americano Lawrence Krauss atacar as crenças na existência de Deus. Krauss, de 57 anos, é mundialmente conhecido por seu trabalho teórico, por livros como A física de Jornada nas Estrelas e por seus programas no Discovery Channel.
    Em seu novo livro, A universe from nothing (Um universo a partir do nada, ainda inédito no Brasil), ele parte das leis da física para dizer que os mistérios em torno da origem do Universo são uma mistificação. Nesta entrevista, ele diz que a ciência finalmente é capaz de explicar como o Universo surgiu. “Os religiosos afirmam saber que Deus criou o Universo. Isso é preguiça intelectual”, afirma.

    ÉPOCA – O que aprendemos sobre a origem do Universo, graças ao avanço da ciência, tornou obsoleta a crença em Deus?

    Lawrence Krauss – Até o século XVI, a religião detinha o monopólio da explicação dos mistérios da criação. A responsabilidade pela criação de tudo era divina, e ai de quem duvidasse! Aquele monopólio da fé começou a ser solapado a partir da obra de Copérnico (Nicolau Copérnico, astrônomo polonês do século XV) e a de Galileu (Galileu Galilei, astrônomo italiano do século XVI), que substituíram o milagre metafísico pela realidade física. Quando, há 300 anos, Newton (Isaac Newton, físico e matemático inglês do século XVII) explicou que o movimento dos planetas podia ser compreendido por meio de leis físicas bem simples que não requeriam a intromissão dos anjos, tudo mudou. O avanço da física, da química e da biologia nos fez desvendar o funcionamento da matéria e dos fenômenos biológicos. Ao mesmo tempo, esse avanço foi reduzindo o alcance do termo milagre até deixá-lo restrito ao que teria existido antes do big bang, a explosão primordial que criou o Universo há 13,7 bilhões de anos. Agora, o milagre divino perdeu esse último bastião. A cosmologia do século XX chegou ao ponto em que podemos falar sobre a criação e a evolução de todo o Universo, um tema que não é mais do domínio exclusivo da teologia.

    ÉPOCA – Os religiosos sempre disseram que há algumas questões fundamentais para as quais nenhuma teoria científica jamais encontrou respostas. Ainda não é o caso?

    Krauss – Não é nem nunca foi o caso. A religião alegava ter as respostas para as perguntas mais básicas do Universo e da vida antes mesmo de essas perguntas terem sido feitas. A religião também afirma que suas respostas são verdades inquestionáveis. Ora, nós, cientistas, somos movidos pela dúvida. O que move nossa curiosidade é a busca de respostas para os mistérios da natureza. Sabemos que não temos todas as respostas e que as respostas que temos não são verdades definitivas. Que questões ficariam sem resposta? Só o tempo e o esforço concentrado de pesquisa dirão. Por isso, não podemos nos deixar satisfazer com as respostas científicas já reveladas nem descansar sobre os louros conquistados, relegando a busca de novas respostas que tenham o poder de revelar uma visão mais profunda da natureza.

    ÉPOCA – Os religiosos afirmam que a humanidade jamais descobrirá as verdades mais fundamentais, como a origem do Universo e como surgiu a vida.

    Krauss – Jamais saberemos se essas são de fato verdades inatingíveis se não tentarmos elucidá-las. Os religiosos afirmam que conhecem as verdades fundamentais… É inacreditável. Eles afirmam saber que Deus criou o Universo. Isso é preguiça intelectual. A ciência lida muito bem com a existência de mistérios à espera de ser revelados. Sempre haverá perguntas sem resposta e mistérios a descobrir. Os milagres se tornaram obsoletos.

    ÉPOCA – A ciência ensina que o Universo começou com o big bang e que antes dele não havia nada.

    Krauss – A ciência nos ensina que houve um big bang, mas não diz o que havia antes. Em meu livro, explico por que, com base nos conhecimentos de ponta atuais, é plausível imaginar a hipótese de que o Universo tenha surgido a partir do nada. E, a partir do nada, o Universo teria evoluído por meio de processos naturais que levaram à formação de átomos, moléculas, estrelas, planetas, galáxias e vida.

    ÉPOCA – Como o Universo surgiu do nada?

    Krauss – Nosso Universo tem todas as características de um universo criado a partir do nada. Uma das descobertas mais notáveis da física moderna é que o vácuo espacial não é vazio. O vácuo pode ser inteiramente vazio de matéria, mas não de energia. Se pudéssemos observar o vácuo em dimensões infinitamente pequenas e lapsos de tempo infinitamente curtos, muito menores e mais curtos do que a tecnologia atual é capaz de fazer, veríamos que o vácuo é tudo, menos estático, e que nele partículas pipocam a partir do nada e desaparecem instantaneamente. Em determinadas condições, entretanto, essas partículas virtuais não precisariam necessariamente desaparecer. Elas poderiam não só continuar existindo, como se multiplicar, dando origem a um big bang e a um novo universo em expansão. A evidência de que isso pode ter sido realmente o caso da origem de nosso Universo é um feito notável.

    ÉPOCA – Aconteceu apenas uma vez? O pipocar de partículas não poderia ter criado outros universos?
    Krauss – Sim, tudo leva a crer que é o caso, embora não tenhamos como provar. Podemos viver num “multiverso”. Nosso Universo pode ser apenas um entre infinitos outros de um “multiverso que é eterno e infinito”.

    ÉPOCA – Os religiosos afirmam que Deus é anterior ao Universo e existiria antes do big bang.

    Krauss – O principal problema dessa noção da criação é que ela requer a existência de alguma coisa que anteceda o Universo, de modo a poder criá-lo. É aí que quase sempre entra a noção de Deus, alguma entidade que existiria em separado do espaço, do tempo e da realidade física. Para mim, Deus não passa de uma solução semântica fácil para uma questão tão profunda como a criação. Os religiosos nunca tocam na questão da criação de Deus, pois essa é ainda mais confusa do que a solução religiosa que deram para a criação do Universo. Para os religiosos, Deus simplesmente existe, não importando quantas e quão fortes sejam as evidências que a ciência fornece para indicar a extrema improbabilidade de tal coisa ser verdade.

    ÉPOCA – O Universo se expandirá para sempre? Num futuro remoto, as galáxias desaparecerão, as estrelas evaporarão e o cosmos voltará ao nada? Saber disso não torna a vida sem sentido?
    Krauss – A vida não precisa ter nenhum sentido, a não ser aquele que damos a ela. Por que ficarmos deprimidos? Para mim, essa é uma imagem revigorante. Justamente porque a vida é efêmera, todos nós deveríamos tirar o máximo proveito do breve momento que desfrutamos sob o sol. Deveríamos aproveitar ao máximo o fato de evoluirmos com uma consciência que nos possibilita apreciar a beleza do cosmos, ao mesmo tempo que buscamos melhorar a vida na Terra. Prefiro viver num universo onde a vida é breve e preciosa a noutro onde o sentido da vida nos é ditado por um Saddam Hussein dos céus!

    ÉPOCA – O senhor diz que vivemos num momento especial da história do Universo. Como assim?
    Krauss – O Universo tem 13,7 bilhões de anos. Ele é muito antigo. Quando olhamos o infinito futuro a nossa frente, o Universo ainda é muito jovem. Todas as evidências de que um dia há 13,7 bilhões de anos aconteceu um big bang ainda podem ser vistas por meio de nossos observatórios astronômicos. É o que acontece quando os astrônomos verificam que todas as galáxias estão se afastando cada vez mais rápido umas das outras. Num futuro distante, as galáxias estarão tão longe de nossa Via Láctea que não poderão mais ser observadas. Elas desaparecerão no breu cósmico. Para todos os efeitos, será como se jamais tivessem existido. Uma civilização que viva num planeta da Via Láctea naquele futuro jamais saberá como o Universo surgiu.

    ÉPOCA – Para entender e aceitar a origem do Universo como descrita pela ciência, é preciso ter bom nível cultural e intelectual, pois não se trata de conceitos simples. A religião lida com conceitos que podem ser apreendidos por qualquer criança.

    Krauss – Ninguém precisa ser um especialista em cosmologia para apreciar o panorama do surgimento e da evolução do Universo, da mesma forma como não é preciso ser músico para apreciar a música de Bach (que, aliás, era muito complexa!). Sim, as versões da ciência são mais complicadas que as da religião, mas também são muito mais interessantes. O Universo tem uma imaginação muito maior que a nossa e seus fenômenos que observamos, como a explosão de supernovas ou a criação de buracos-negros, são muito mais fascinantes do que os contos de fadas criados por gente que viveu há milhares de anos, muito antes de descobrirmos que a Terra orbita o Sol e que não estamos no centro do Universo.

    ÉPOCA – Nos últimos anos, muitos cientistas e intelectuais começaram a defender a bandeira do ateísmo. É o caso de dois célebres ingleses, o biólogo Richard Dawkins e o físico Stephen Hawking. O senhor pertence a esse movimento?

    Krauss – Acho que sim. As pessoas com frequência me colocam ao lado de Dawkins e Hawking, o que me enche de orgulho. Mas prefiro pensar em mim não como um ateu, e sim como um antiteísta. Não posso provar sem sombra de dúvidas que Deus não existe, mas posso afirmar que preferiria muito mais viver num universo em que ele não exista.

    ÉPOCA – Deus se tornou irrelevante para a humanidade?

    Krauss – Porque eu penso que Deus é uma invenção da humanidade, minha resposta é não. Se existisse um Deus, ele certamente teria deixado de se preocupar com os desígnios do cosmos logo depois de criá-lo, há 13,7 bilhões de anos, pois tudo o que aconteceu desde então pode ser explicado pela ciência. Não, Deus talvez não seja irrelevante. Ele é redundante.

    “Prefiro viver num universo onde a vida é breve e preciosa a noutro onde o sentido da vida nos é ditado por um Saddam Hussein dos céus!” Lawrence Krauss

    Colaborou, Oiced Mocam (pesquise no Google sobre o Blog de Oiced com 135 artigos- digite na caixa de pesquisas)

  • Nicolas Lacerda:

    Pediram uma prova cientifica, a única prova de existência de Deus é como o universo é regido, e tu influi perfeitamente em nossa vida

  • Vitor Ribeiro:

    boa noite,

    O problema que a maioria diz que deus não existe, e porque essas pessoas estão maior parte das vezes a pensar em bens materiais, estão presas ao sistema do mundo, dai a não terem a precessão das grandeza de deus, porque, tem tudo de mão beijada assim que isso parar de acontecer cada um vai ter de falar com o seu eu interior ai Deus vais falar com qualquer um de nos porque a humildade esta no seu estado mais puro e livre de vícios.

  • Jonas:

    Eu por ser um gênio, posso responder essa questão com tremenda razão!
    Ele existe? E em caso positivo, qual a prova científica de sua existência?
    “ninguem sabe e nao se pode provar… obs: ninguem q discute isso é normal.

    mas como pessoas assim não se conformam com a realidade…:

    Deus existe, nao importa qual a suadefinição dele, um pai, um criador, um tirano, um mito. Se ele existe nao vai se alterar com nada disso e vai continuar sendo, bom… sendo Deus. Em minha desefesa eu digo da complexidade irreutivel;
    e nao existem varias religioes, existem varios nomes para religião; da pra simplesmente organizar em 2 grupos, mas isso nao interessa por provavelmente estao todas erradas.

  • Carlos Roberto Smith:

    O Deus Divindade, este que todas as religiôes “oram” para ele, este nunca existiu. Porque a palavra Deus devidamente traduzida siginifica doutrina. Como se ora para uma doutrina?
    Veja bem a doutrina é uma só, ou seja a teologia. Teologia explicada por professores como Tomás de Aquino, Santo Agostinho etc..

    • ricardoluiz7:

      Carlos,
      com todo o respeito, não posso deixar de aproveitar o trocadilho:
      tua colocação lembra o Dr. Smith (era esse mesmo o nome?) da série Perdidos no Espaço.
      Como o personagem do teu sobrenome você está “perdido no espaço”.
      Ainda que fosse etimologicamente correto, o termo já teria suplantado sua própria origem.
      Assim, apenas para você raciocinar, o fato de teu nome ser “Smith” não o torna mentiroso como o da série… Será?
      Vamos estudar!

  • Lucas Ramos:

    é uma pergunta dificil de responderm, afinal você sabe que o amor existe, mais você não o vê. Sabe que o ódio existe, mais você não o vê. Enquanto a Deus, apenas é possivel sentir a tranquilidade e a paz que ele lhe traz.

    O problema do mundo de hoje é justamente esse, tão pouco estamos ligando pro que sentimos, pelo que estamos passando ou como superar nossas dificuldades, apenas fazemos isso por força e vontade propria, ou seja, uma nova especie de obrigação de nossa vida social, tornando a paz que Deus nos oferece um infimo do que precisamos, quando na realidade precisamos com a mais alta urgência.

  • Liana Cardoso:

    Por que não podemos conciliar ciência e religião como meu filho de 12 anos faz ele não intende essas coisa de partículas que colidiram e formaram o universo por que ou quem fez com que essas tais partículas colidisem e fosse formado o nosso universo ou vocês acham que isso foi obra do acaso so isso que tenho a dizer e que DEUS tenha miséricordia de todos que blasfemam seu nome amém.

    • Alexsandro Reis:

      Porque ele entenderia essas coisas, se você nem entende que não é intender, mas sim entender. Nem sequer entende a utilidade da pontuação na língua portuguesa. Vê se me intendi!

  • Ana Luiza Cardoso:

    Fé é a crença ilógica na existência do improvável.
    Afinal, é mais fácil seguir à um líder imaginário do que ser responsável por si próprio.

  • José Ferreira Santiago:

    DEUS existe, é a Grandeza das leis Físicas de Energia Constante. Não é espírito ou divindade espiritual Autor dessa descoberta física nuclear é o cientista J F Santiago

  • pablo:

    Tudo na natureza é criado por algo superior a si.Observe os ninhos nas árvores, são feitos pelos pássaros.Veja agora uma maçã,ela é produzida por uma macieira.O televisor,computador,aspirador etc é criado pelo homem. Deus foi o nome que os homens deram para identificar o criador fenomenal de tudo o que está a nossas vistas. A explicação é simples nós é que complicamos as coisas com tantas teses,certificados,estudos que não passam da soleira de um laboratório. Acabamos por esquecer de nosso conhecimento natural olhe ao seu redor e descubra o mundo pois ele ainda não foi descoberto. Quem achar o meu por favor me avise kkkk adoro brincar com coisa seria.

    • Marcio B:

      Existe uma diferença para realidade e outra para metáfora.

      Veja o caso de Adão e Eva, é uma metáfora.

      Quem vai dizer que um átomo não tem inteligência, só não sabemos como.

      Agora a mente engana muito, ela esta sempre suscetiva a truques e dogmas, cuidado.

  • Rômulo Mauriz:

    O homem, lua, saturno, galaxias, vida em si o UNIVERSO contradiz a ciência é a razão!!!!!

  • Lucas Silva de araujo:

    Com certeza não!
    Depois de uma profunda reflexão do todo iremos descobrir que a ideia de dinvidade está limitada apenas a mente humana, não é algo real.

  • Claudio Bucci:

    Voce acredita em deus , ou deuses.?Eu não . E daí ?qual o seu problema? Seja feliz com ele por que estou muito feliz assim.Fique na sua e deixe os outros nas deles . Ponha ele em sua vida e não fique enchendo o saco com teu deus na vida dos outros. Voce torce para um time , e eu para outro , certo? Já imaginou eu ficar tentando fazer voce passar a torcer para o meu?É mais ou menos por aí. Deu para entender?????Meu time é outro , só isso. Voce me da licença de pensar assim? Obrigado.E não se fala mais nisso.

  • Domenico:

    DEUS EXISTE E É TAO CERTO QUANTO O AR QUE TU RESPIRA TODOS OS DIAS PORÉM NÃO ENXERGA E NÃO SENTE. QUE O SENHOR TENHA MISERICÓRDIA DE TI.

  • Davidson Lima:

    Deus não existe, fim de papo. Pensem: seria este o melhor mundo possível? Ainda que o homem tenha ferrado com tudo, um ser que pode ajudar pessoas mas nada faz é digno de crença? A omissão se tornou benevolência?

    =P

  • Domênico Francesco Covello:

    Haverá uma grande explosão, da confirmação de existência do SENHOR de todos, a quem ler este texto. O único DEUS vivo vai se revelar a vocês!

  • junior:

    o Deus verdadeiro haje dentro da revelação só podemos conhece lo se ele quiser se revelar. não me pergunte é soberania de Deus.

  • denison:

    Primeiramente e necessario definir o que é Deus, o criador?
    Em um nivel tão elevado, Deus em sua grandesa seria imcapaz de observar até mesmo nossa galaxia, quem dirá o ser humano. Nessa escala seriamos somos imperceptiveis, Deus como o criador e improvavel, porém, se imaginarmos o universo como um organismo vivo… plausivél, deus seria o proprio universo ou o universo parte de Deus.
    Mas o que me leva a crer em um Deus não está na grandesa do universo, mas sim em nós seres humanos, na grandesa de sermos entre 300 milhoes (ou mais), de especies de seres vivos, fora as que já não mais existem, somos a unica que tem conciencia de que está vivo, em toda a complexidade do universo essa é de longe a mais estraordinaria, pórem nem tanto, em um ambiente dinamico como a terra não me é tão espantoso assim, não é a natureza que nos deus essa abilidade, é sim o dinamico ambiente em que abitamos.
    Então como posso crer em Deus se eu mesmo digo que o mesmo não existe?
    A partir do momento em que lá nos primordios da humanidade algum ancião filho da puta teve que dar uma de sabe tudo foi questionado sobre a complexa dinamica do ambiente em que ele vivia, sua resposta s´ha uma Deus.
    Apartir desse momento deus passou a ser resposta para tudo, bem quase, pois em um determinado momento criaram o diabo pra levar a culpa pela desgraça alheia.
    Imposto a nós o conseito de deus, bem e do mal etc…
    Se deus existe ele não faz nem ideia de que estamos aqui. assim como nem fazemos ideia de quantos organismos vivem em nosso corpo.
    Do lado interno do universo tudo e previsivel e matematico do bigbang até nossa conciencia E é em nossa conciencia que deus existe e isso que vem nos tornando cada vez mais evoluidos que as demais formas de vida, a necessidade por resposta vai acabar por nos tornar Deus.

  • lucas:

    Eu creio que Deus de fato exista, não como um homem que mora em um paraíso e escreve num caderno de linhas tortas a história de cada pessoa na terra, esse Deus tenho quase certeza que não existe, eu creio que Deus seja a soma de tudo no universo, seja a energia que levou a criação de tudo.Não é algo que tenha uma forma definida(mas como qualquer teoria eu posso estar errado)….

  • Thomas:

    O Céu e a terra segundo o livro dos Salmos, são um exemplo de seu poder e criação.
    Como o nada pode ser transformar em algo?
    Essa é a questão!

  • Alexandre:

    Deus não existe, depois de muitos anos de análise, estudo, meditação, informação, de ambos os lados, não tenho a menor duvida disto. As pessoas estão tão certas que deus existe quanto o romanos que Netuno (deus dos mares) existia. A crença da civilização atual é a mitologia da próxima.

  • Domenico:

    O SENHOR é SENHOR mesmo alguns não acreditando, DEUS não precisa de você mas você precisa muito de DEUS assim como eu. Aceitem ao SENHOR JESUS e modifiquem suas vidas para algo que vale a pena, deixem a sabedoria do SENHOR tomar conta dos seus sentimentos e pensamentos. Que o SENHOR se revele a cada um de vocês como se revelou a mim.
    O ser humano não é capaz nem de controlar a sua própria respiração e quer diagnosticar e receber provas do SENHOR.
    DEUS é que nem o oxigênio que você não enxerga mas sabe que existe, sabe porquê precisa e não porque vê, então é por isto que eu provo a vocês que ELE existe pois eu preciso DELE e todos vocês também precisam do SENHOR.
    GRAÇAS A DEUS PELAS NOSSAS VIDAS!!!

  • Eder:

    Acredito que não.

  • Gabriela:

    Se ele existe, me mostrem ele? quero ver se é verdade.

    • MARCELO:

      se voce gabriela, comeu bacalhau ou outro peixe ou prato que lembre a tradiçao no dia de sexta-feira santa e tambem deseja presentear alguem no natal(celebraçao de nascimento de Jesus Cristo)PARABENS, você é uma cristã. em ultima analise: não está longe do reino de Deus.

    • Matheus Dyzzy:

      o natal é uma celebração pagã do culto ao deus sol que foi surrupiado depois pelo cristianismo, é caro amigo se nem sua religião conhece direito quem é você pra dizer se outra pessoa é ou não é dela ?

  • Mário Victor:

    E o homem disse:

    “Que se faça Deus”

    Deus é uma criação do homem,nada mais,nada menos.

  • laissa gabriela faria coelho:

    A estrada para o sucesso não é uma reta…há uma curva chamada fracasso…um trevo chamado confusão…quebra molas chamado amigos…faróis de advertência chamados familia…e peneus furados chamados empregos…mas se vc tiver um estepe chamado FÉ e um motorista chamado JESUS,vc chegará a um lugar chamado SUCESSO!!!

    • Marcio B:

      Isto é uma piada de motor fundido.

    • Rômulo Mauriz:

      SHOW DE BOLA!!!!!!!!

  • burro:

    ‘Eu tenho certeza que existe,e a minha opnião,’;O que vale é a lógica de cada pessoa,uns acreditam outros não;É a diversidade religiosa.

  • Pandemônio:

    Ele existe? E em caso positivo, qual a prova científica de sua existência?

    Inversão de planos, A ciência não versa sobre o metafísico, como a matemática não versa sobre a arte. Deus está acima do escrutínio da ciência, não se ”fatia” uma mente com um bisturi.

    Cada religião tem a sua própria personificação de Deus. Qual está certa? Porque?

    Nem uma nem outra, ”acreditar” é escolha pessoal. São apenas interpretações temporais imperfeitas de algo atemporal perfeito.

    É possível conceber Deus sem a crença, portanto, fora da esfera dogmática?

    Se chama Deísmo.

  • JPX:

    Caro Arnaldo,

    Fiquei um tato confuso com seu texto, mas, se entendi corretamente, você se proclama, ou foi proclamado, um “novo Cristo” ou alguem com a mesma missão que Ele. Estou certo?

    Att.

    João Paulo

  • FEIO:

    -Sigam as suas opiniôes se existe ou não existe,no final todos vamos descobrir.

  • Pedro Henrique:

    Esta primeira pergunta é estúpida, não se pode “provar” que Deus existe, mas também não se pode provar que ele não existe, então ele é uma incógnita. Eu acredito em Deus, então, o máximo que eu posso fazer é puxar a razão para o meu lado o máximo possível.
    Em primeiro lugar, definamos as divisões do ser, que são corpo, mente, e alma. Mente e alma são uma incógnita aqui, então tentarei puxa-las ao máximo para o lado da razão.
    Todos sabem que um corpo é constituído de orgãos>tecidos>células>organelas>moléculas>átomos. Partamos do último elemento, e então, façamos a questão : Um átomo pensa? Obviamente não, mas pensemos em um conjunto um pouco mais complexo de átomos, que formam uma molécula, que formam uma célula. Uma célula pensa? Um órgão pensa? Não. No cérebro, ninguém achou a parte que é responsável por pensar, agir conscientemente, raciocinar, definir o que é certo e o que é errado, ninguém definiu ainda uma parte responsável pela mente. Logo, é mais provável que a mente seja um elemento separado do corpo. Se a mente é separada do corpo, agora não fica mais tão difícil de se acreditar que existe um terceiro elemento nesta história, a alma.
    Quanto ao fato de Deus existir, pensemos bem na exigência requerida acima. Eles querem uma explicação científica para isto. Mas como podem exigir uma explicação científica para Deus, algo tão grande, quando a ciência não pode ter explicações científicas o suficiente para os acontecimentos mais simples que ocorrem no dia a dia?
    Ex: Por que a pedra cai? Por causa da gravidade. E de onde vem a gravidade? Vem da terra. E de onde vem a terra? Da galáxia. E de onde veio a galáxia? Do universo. E de onde veio o universo? Do Big-Bang. E de onde veio o Big-Bang? Agora vem a resposta “Não sei”. O caso é, tudo vai chegar a uma causa irredutível, que ninguém vai saber qual é. Deus não se originou de lugar algum, sempre existiu, e foi o grande causador de tudo. aA diferença entre acreditar que Deus sempre existiu e que a matéria sempre existiu é que junto com a matéria, vem incluídas as leis da física, e tudo o mais, as quais também necessitam de explicações para o seu desconhecido princípio, já que nada tão perfeito e tão impressionante pode simplesmente sempre haver existido, isto exige a mão de um ser perfeito para funcionar, e então, é muito mais plausível acreditar em Deus do que na matéria. Simplesmente, quanto mais eu penso nisto tudo, mais certeza eu tenho de que Deus existe, tomara que meus argumentos ao menos faça alguém pensar sobre a existência de um Deus.

    • Rômulo Mauriz:

      Seus argumentos são de fato, uma bela verdade universal!!!!

      Parabéns você esta no Hall dos Cientistas Divinos!!!!!!

  • Moabe:

    è só observar o universo, todo os dias os cientistas ficam boquiabertos com tanta coisa que os surpriende, só um tolo acredita que o NADA tem força suficiente pra criar alguma coisa com regras específicas e leis, um ser humano não consegui criar uma especie nova. imagine bilhoes de galaxias com bilhoes de estrelas como bilhoes de anos luz de espaço conhecido 1 ano luz= 1 trilhao de quilometros….ufa ja desiti de medir e ainda
    tem gente que diz que o NADA fez tudo isso!!!

  • Samuel C.:

    Realmente não sei sequer se tenho opinião a respeito disso. Talvez seja melhor que não exista, ou se existir, que seja muito bom com todo mundo. Justo. Então nos resta esperar quando morrermos, ou cometer suicídio. (:))

  • Ivani Medina:

    Quando se fala em Deus, refere-se ao da bíblia. Esta questão nada tem a ver com teologia, filosofia ou com as ciências exatas. Tem a ver com a história. A maioria das pessoas desconhece isso http://www.debatesculturais.com.br/a-questao-deus/ Dê uma lidinha.

  • Marcio B:

    O mito constitui uma realidade antropológica fundamental, pois ele não só representa uma explicação sobre as origens do homem e do mundo em que vive, como traduz por símbolos ricos de significado o modo como um povo ou civilização entende e interpreta a existência.
    Mito é uma narrativa tradicional de conteúdo religioso, que busca explicar os principais acontecimentos da vida. O conjunto de narrativas desse tipo e o estudo das concepções mitológicas encaradas como um dos elementos integrantes da vida social são denominados mitologia.
    A narração mitológica envolve basicamente acontecimentos relativos a épocas primordiais, ocorridos antes do surgimento dos homens (história dos deuses) ou com os “primeiros” homens (história ancestral). O verdadeiro objeto do mito, contudo, não são os deuses nem os ancestrais, mas a apresentação de um conjunto de ocorrências fabulosas com que se procura dar sentido ao mundo. O mito aparece e funciona como mediação simbólica entre o sagrado e o profano, condição necessária à ordem do mundo e às relações entre os seres. Sob sua forma principal, o mito é cosmogônico ou escatológico, tendo o homem como ponto de interseção entre o estado primordial da realidade e sua transformação última, dentro do ciclo permanente nascimento-morte, origem e fim do mundo.
    As semelhanças com a religião mostram que o mito se refere – em seus níveis mais profundos – a temas e interesses que transcendem a experiência imediata, o senso comum e a razão: Deus, a origem, o bem e o mal, o comportamento ético e a escatologia (destino último do mundo e da humanidade). Crê-se no mito, sem necessidade ou possibilidade de demonstração. Rejeitado ou questionado por diversas teorias, o mito é convertido em fábula ou ficção. Porém, nada é mais verdadeiro que os mitos em seus significados, em sua profundidade e sabedoria.
    Alguns especialistas, como Mircea Eliade, estudioso de história comparada das religiões, atribuem importância especial ao contexto religioso do mito. Com efeito, são muito frequentes os mitos que versam sobre a origem dos deuses e do mundo (chamados, respectivamente, mitos teogônicos e cosmogônicos), dos homens, de determinados ritos religiosos e de preceitos morais. Em certas religiões, os mitos formam um corpo doutrinal e estão estreitamente relacionados com os rituais religiosos.
    Nas religiões monoteístas, as mitologias, sobretudo as teogonias, são geralmente repudiadas como exemplos de ateísmo ou politeísmo, pois representariam uma desvirtuação do Deus único e transcendente, à medida que o relacionam a manifestações ou representações de outras criaturas. Entretanto, essas mesmas religiões também recorrem a descrições fantásticas, de caráter simbólico, para explicar a origem do mundo e do pecado, o fim do mundo e a vida ultraterrena, e não deixam de atribuir a Deus reações e sentimentos humanos.
    O mito, portanto, é uma linguagem apropriada e universal para a religião. Isso não significa que a religião, tampouco o mito, conte uma história falsa, muito pelo contrário, ambos traduzem numa linguagem cabível ao entendimento dos homens, uma realidade que transcende o senso comum e a racionalidade humana e que, portanto, não cabe em meros conceitos analíticos.
    Como forma de comunicação humana, o mito está obviamente relacionado com questões de linguagem e também da vida social do homem, uma vez que a narração dos mitos é própria de uma comunidade e de uma tradição comum.
    Algumas concepções mitológicas podem exemplificar a complexidade e a variedade das relações entre mito e sociedade. A tribo lugbara (do noroeste de Uganda e do Congo) utiliza um sistema conceitual para relacionar sua ordem sociopolítica a dois heróis ancestrais, relacionados, em contrapartida, à criação do universo. As narrações sobre a evolução da tribo a partir de seus heróis ancestrais são apresentadas na forma de saga, embora a história mais primitiva seja contada em mitos.
    A China antiga não apresenta um amplo sistema de mitos e, a esse respeito, difere marcadamente da China pós-clássica, com vasto número de mitos e deuses. Na China antiga, são feitas referências literárias a figuras e evoluções históricas muito anteriores à época em que foram escritas. Muitas dessas referências, especialmente em palavras atribuídas a Confúcio, abordam a natureza do estado e a qualidade dos governantes.
    A existência do inconsciente coletivo permite compreender a universalidade dos símbolos e dos mitos, pois que estes se revelam em todas as culturas e em todas as épocas de modo idêntico.
    Pelo caráter simbólico que reveste, o mito pode ser considerado manifestação artística e geradora de arte. Em cada povo e civilização, os mitos são fonte de inspiração para as mais diversas obras de arte. Os monumentos megalíticos, a disposição dos túmulos e a maneira de construir os templos são a expressão plástica da crença num destino ultraterreno e num vínculo do homem com a Terra e o universo.
    O mito é originalmente uma narração oral espontânea que se cristaliza ao longo de gerações. A literatura, como veículo de maior abrangência, tende a explicar, a clarificar e desenvolver o mito que havia nascido de forma fragmentária, afim de perpetuá-lo.
    Os mitos enfim, não se rebaixam a uma mera literatura fantástica e fantasiosa. E por isso deve ser cuidado para que suas características originais não se diluam ao serem adaptados à esfera e às dimensões da vida humana, e não se tornem apenas lendas, contos ou novelas.
    Tipos de Mitos
    Mitos cosmogônicos – Dentre as grandes interrogações que o homem permanece incapaz de responder, apesar de todo o conhecimento experimental e analítico, figura, em todas as mitologias, a da origem da humanidade e do mundo que habita. É como resposta a essa interrogação que surgem os mitos cosmogônicos. As explicações oferecidas por esses mitos podem ser reduzidas a alguns poucos modelos, elaborados por diferentes povos.
    É comum encontrar nas várias mitologias a figura de um criador que, por ato próprio e autônomo, estabeleceu ou fundou o mundo em sua forma atual. Os mitos desse tipo costumam mencionar uma matéria preexistente a toda a criação: o oceano, a escuridão ou a terra (nas mitologias africanas). A criação ex nihilo (a partir do nada, sem matéria preexistente) já reflete algum tipo de elaboração filosófica ou racional. A cosmogonia chinesa, por exemplo, atribui a origem de todas as coisas a Pan Gu, que produziu as duas forças ou princípios universais do yin e yang, cujas combinações formam os quatro emblemas e os oito trigramas e, por fim, todos os elementos. No hinduísmo, o Rigveda descreve graficamente o nada original, no qual respirou o Um, nascido do poder do calor.
    A água é o elemento primordial mais frequente das cosmogonias, sobretudo nas mitologias asiáticas e da América do Norte.
    A criação a partir do nada, unicamente pela palavra de Deus, aparece claramente no livro bíblico do Gênesis (associado, por sua vez, a mitologias mesopotâmicas) e em cosmogonias polinésias. Outro mito cosmogônico muito difundido (no Pacífico, na Europa e no sul da Ásia) é o do ovo primordial. Na tradição hindu, a oração do mundo é simbolizada pela quebra de um ovo.
    Alguns ciclos cosmogônicos se referem a um par ou casal primevo, geralmente o céu e a terra, que tiveram de ser separados violentamente para tornar possível a vida no espaço intermediário. Essa separação dolorosa se verifica em outros modelos, nos quais se menciona um sacrifício inicial ou uma batalha entre seres superiores, de cujos membros esquartejados brotam o cosmo e a vida terrestre. Na grande lenda babilônica da criação, o Enuma elish, Tiamat, personificação do mar, é morto por Marduk, o deus protetor da Babilônia, que então constrói o universo a partir dos despojos daquele e cria os homens com o sangue de Kingu, outro deus rebelde. O “hino do homem primordial”, nos Vedas, fala de Prajapati – o senhor dos seres, mais tarde identificado com o deus Brahma – como o homem cósmico cujo corpo é sacrificado e do qual surge a variedade do mundo das formas. Outros mitos, por fim, descrevem o surgimento da humanidade a partir das profundezas da terra (mitologia dos índios Zuni, da América do Norte) ou a partir de uma rocha ou de alguma árvore de importância cultural.
    Mitos escatológicos – ao lado da preocupação com o enigma da origem, figura para o homem, como grande mistério, a morte individual, associada ao temor da extinção de todo o povo e mesmo do desaparecimento do universo inteiro.
    Morte: a filosofia platônica e o orfismo, seguindo de tendências orientais, anunciavam a reencarnação. Zoroastro falou de Chinvat, uma ponte a ser atravessada após a morte, larga para os justos e estreita para os perversos, que dela caíam no inferno.
    Destruição escatológica: os mitos retratam frequentemente o fim do mundo como uma grande destruição, de natureza bélica ou cósmica. Como uma inspiração, para uma posterior expiração. Antes da destruição, surge um messias (“ungido”) ou salvador, que empreende uma batalha final contra as forças do mal e, após a vitória, inaugura um novo estágio da criação, um novo céu e uma nova terra.
    Os mitos da destruição escatológica manifestaram-se tardiamente, na literatura apocalíptica judaica, que floresceu entre os séculos II a.C. e II d.C., e deixou sua marca no livro do Apocalipse, atribuído ao apóstolo João. Exemplo típico de mito de destruição (embora não no fim dos tempos) são as narrativas a respeito de grandes inundações. É bastante conhecido o episódio do Antigo Testamento que descreve um dilúvio e o apresenta como castigo de Deus à humanidade. Esse tema tem origens mais remotas e provém de mitos mesopotâmicos. Em quase todas as culturas pré-colombianas encontram-se também mitos a respeito de dilúvios.
    Mitos sobre o tempo e a eternidade – os corpos celestes sempre atraíram a curiosidade e o interesse humano, em todas as culturas. A regularidade e precisão inalteráveis do movimento dos astros foram com certeza uma imagem poderosa na formação de uma idéia de “tempo transcendente”, concebido como eternidade, em contraste com o mundo de incessantes alterações e os acontecimentos inesperados vividos no tempo terreno. O retorno cíclico dos fenômenos siderais e de processos naturais terrestres projetou-se, em algumas culturas, na concepção cíclica do tempo.
    Nas escrituras hinduístas e budistas, elaborou-se um complexo sistema de mundos que desaparecem e ressurgem. Essa concepção cíclica determinou a adaptação de relatos védicos anteriores e o desenvolvimento de uma doutrina que explica a formação e absorção periódicas do universo como fases de atividade e repouso de energia. Os astecas e os maias acreditavam que o mundo atual havia sido precedido de outros quatro, o último dos quais teria sido destruído por um cataclismo; ambos os povos desenvolveram um complicado calendário, a cujo estudo se dedicavam vários sacerdotes astrônomos.
    Mitos de transformação e de transição – numerosos mitos narram mudanças cósmicas, produzidas ao término de um tempo primordial anterior à existência humana e graças às quais teriam surgido condições favoráveis à formação de um mundo habitável. Outras grandes transformações e inovações, como a descoberta do fogo e da agricultura, estão associadas aos mitos dos grandes fundadores culturais. Nos mitos, são frequentes as transformações temporárias ou definitivas dos personagens, seja em outras figuras humanas ou em animais, plantas, astros, rochas e outros elementos da natureza.
    As mudanças e transformações que se dão nos momentos críticos da vida individual e social são objeto de particular interesse mitológico e ritual: nascimento, ingresso na vida adulta, casamento, morte – acontecimentos marcantes para a pessoa e sua comunidade – são interpretados como atualizações de processos cósmicos ou de realidades míticas.
    Deuses e Heróis
    Em muitas mitologias, delineiam-se hierarquias de deuses, cada uma com um ou mais deuses supremos. A supremacia pode ser partilhada pelos membros de um casal, ou ser atribuída simultaneamente a dois ou três deuses distintos. Pode também variar com o tempo, segundo circunstâncias históricas, como por exemplo o domínio de um povo sobre outro ou o predomínio de determinados interesses e atividades (de tipo agrícola, guerreiro etc.). São frequentes os relatos de deuses supremos, por vezes identificados como criadores originais do mundo, que a seguir ficam inativos e deixam o governo a cargo de outro deus ou deuses. Em tais casos, a supremacia significa perfeição, autonomia, onipotência (relativa), mas não unicidade, como é o caso nas religiões monoteístas.
    Na mitologia grega, segundo a apresentação de Homero, Zeus é o “pai dos deuses e dos homens”. Essa expressão não significa que ele seja um deus criador, mas sim representante da figura do patriarca familiar.
    Os três grandes deuses escandinavos que ocupavam posição superior no grande templo de Uppsala eram Odin, Thor e Frey. Eles representavam as três funções da sociedade indo-européia: autoridade, poder e fecundidade. Odin era o deus da suprema autoridade cósmica, pai universal, rei dos deuses e senhor do Valhalla (a morada final dos guerreiros mortos em combate). Thor era o deus guerreiro e do trovão, correspondente ao deus védico Indra. É representado como um gigante de barba ruiva, e os mitos narram seus festejos pela vitória sobre as forças do caos. Durante o período das migrações e do florescimento dos viquingues (entre o século IX e XI da era cristã, aproximadamente), em que predominava o ideal guerreiro, a primazia sobre os deuses era atribuída a Thor. Frey era o deus da fecundidade. Governava a chuva e o brilho do sol e, conseqüentemente, o crescimento das plantas e as colheitas.
    No panteão hinduísta, há uma entidade divina tríplice – a Trimurti – formada pelos deuses Brahma, Vishnu e Shiva, criador, conservador e destruidor do universo, respectivamente. Em certos aspectos, Brahma é um deus personificado; em outros, é um princípio impessoal e infinito. Vishnu é o deus social por excelência e destruidor daqueles que ameaçam a boa ordem, enquanto Shiva representa a selvageria indomada.
    O interesse pelas próprias origens motivou a formação de mitos sobre os grandes ancestrais dos povos ou fundadores da sociedade. Na mitologia asteca, Huitzilopochtli conduziu seu povo até o lago Texcoco, onde se fundou a Cidade do México. A inimizade entre Tezcatlipoca e Quetzalcóatl representa a luta entre o povo asteca e o tolteca, e, quando este foi derrotado, o deus dos vencidos passou a figurar em lugar preeminente do panteão asteca. A tendência a incorporar os deuses dos povos conquistados é comum entre os povos politeístas.
    O pensamento mítico é uma constante atemporal, complementar e superior ao pensamento racional. A ciência que equipara os mitos, os símbolos religiosos, morais ou épicos a pura “ilusão” já está em declínio, devido à própria ciência nova que vai mais além e acaba descobrindo aquilo que os mitos há milênios já revelavam.

    Matéria publicada na EmDiv Magazine Kindle Edition – Maio 2011

  • Francisco Ribeiro:

    A palavra de DEUS diz em Deuteronômio cap. 4, vesc. 35-36.
    A ti te foi mostrado para que soubesses que o SENHOR é DEUS; nenhum outro há, senão ele.
    Desde os céus te fez ouvir a sua voz, para te ensinar, e sobre a terra te mostrou o seu grande fogo, e ouviste as suas palavras do meio do fogo.
    Arrependei-vos dos vossos pecados, aprendei a ouvir a voz que vos liberta, dai ouvidos aos mandamentos do SENHOR, porque está próximo o fim, arrependei-vos enquanto há tempo.

  • Marcio Braga:

    Caros amigos.
    A piedosa lenda de um hebreu Moisés, colocado numa cestinha no Rio Nilo, para livrá-lo das perseguições faraônicas, foi uma maneira sutil que os redatores da Bíblia encontraram para amenizar uma estranha contradição. Como justificariam para si próprio e para os seus descendentes que o homem que salvara seus antepassados e criara sua religião monoteísta era um egípcio da elite faraônica?

    Gravura antiga mostrando Moisés sendo recolhido do rio Nilo (reprodução)

    Moisés não tinham nada de hebreu. Era um legítimo príncipe egípcio. Seu nome deriva de Filho de Ra (Ra-Moses). Parece que os redatores do Êxodo, por volta de 500 aC, sequer procuraram um artifício mais complicado para explicar a história da origem de Moisés, que viveu por volta de 1500 aC. Copiaram a antiquíssima história do rei Sargão de Akkad (2334-2279 aC), colocado numa cestinha no rio Tigre, para ser recolhido por um funcionário real.

    Moisés era egípcio, provavelmente um alto sacerdote. E como tal, guardião de um objeto antiquíssimo, preservado hermeticamente em algum templo de Hórus. Era uma máquina perigosíssima, de finalidade ainda obscura: a Arca da Aliança!

    A misteriosa Arca da Aliança: herança dos Senshor-Hor (reprodução)

    Talvez Moisés tenha tido atrito com outros grupos de sacerdotes ou nobres. O certo é que, aproveitando o caos que se abateu sobre as nações mediterrâneas, causadas por um corpo celeste que por ali caiu ou pela erupção vulcânica da ilha de Santorini, Moisés, que devia ter como servos um pequeno grupo de hebreus, com eles fugiu do Egito. Foi o Êxodo. Era Moisés, seus sacerdotes egípcios, que ficaram conhecido como levitas e uns 5.000 hebreus.

    O Egito estava assolado por desordens meteorológicas, provocadas por um corpo celeste e/ou por atividades vulcânicas. Na Bíblia, o resultado da catástrofe ficou patente nas Dez Pragas, na abertura do Mar vermelho, nas colunas de fogo, etc.

    A Coluna de Fogo do êxodo: uma das manifestações da catástrofe natural que se abateu sobre o Egito (reprodução).

    O faraó egípcio jamais se importaria em perseguir uns poucos milhares de fujões e moisés, principalmente no meio do caos que se abateu sobre o seu reino. E, se o fez, foi porque o sumo-sacerdote Moisés roubou do templo de Hórus um segredo guardado há milênios entre os egípcios: a Arca da Aliança.
    A Arca da Aliança era talvez a última grande herança trazida ao vale do Nilo pelos Senshor-Hor, ouSérvos de Hórus, que, por volta do ano 4.000 aC, atravessaram o ainda razoavelmente verdejante Sahara, para se instalar no Vale do Nilo. A pátria dos Shenshor Hor nos é desconhecida.
    A Arca da Aliança foi, pois, a única razão pela qual os egípcios perseguiram os seguidores de Moisés, até então, todos politeístas, como o próprio Moisés.
    Abraços.
    Texto de Reinaldo Coutinho em http://groups.msn.com/schwennhagen
    Fonte: MISTÉRIOS DA ARCA PERDIDA (inédito) de Reinaldo Coutinho

    Obs.: Moises levou 3 anos para voltar com os 10 mandamentos, na verdade 9, depois incluíram mais 1. Ninguém nunca viu estes mandamentos, só em contos.

    Segundo escrita do EGITO em sua biblioteca difere da forma que a Bíblia anuncia 600 mil seguidores de Moises, na verdade eram apenas no máximo 600 famílias, nunca foram escrevo do Egito, trabalhavam e ganhavam sua remuneração, eram sim nômades.

    É impressionante, tudo que esta escrita do romance de Moises no Egito, em seu acervo, este foi copilado pela Bíblia, sendo que a Bíblia por sua vez, aumentou e inventou, distorcendo os verdadeiros fatos.

  • Marcio Braga:

    Gente…!!! Já perceberam, dando uma olhadinha para o passado, e se constatando que os DEUSEUS existentes na nossa cultura TODOS vieram de mulheres virgens.

    Um caso a típico, por exemplo: Lameque dito como sendo o Pai de Noé, na verdade não é o pai legitimo, quem é então!

    A mãe engravidou sem relação sexual, a Pai de Noé quis explicações, como!

    Então Enoque disse que foram os de lá de cima, os mesmo que o levaram para dar um passeio nas nuvens.
    E assim se acalmaram os ânimos.

    Noé ou Noach (do hebraico נח, “descanso, alívio, conforto” ) é o nome do heroi bíblico que “recebeu ordens de Deus para a construção de uma arca, para salvar a Criação do Dilúvio”. De acordo com o Pentateuco, os cinco primeiros livros do tradicional velho testamento da Bíblia escritos por Moises, Noé era filho de Lameque, que era filho de Matusalém, que era filho de Enoque, que era filho de Jarede, que era filho de Malalel, que era filho de Cainan ou Quenã, que era filho de Enos, que era filho de Sete, que era filho de Adão que era filho de Deus.

  • Nave:

    E nao estou enganado não

    • Marcio Braga:

      Claro que não. 5% do nosso cadeia de DNA ainda é desconhecido.

  • Nave:

    PARA MARCIO B,

    Os ETs já chegaram na terra… Você é um deles

    • Marcio Braga:

      Sim, sou um ET evoluido, nada de muletas.

  • Marcio B:

    Muitos se enganam.

    Na verdade os chamdos 10 mandamentos, eram só nove, depois incluieram mais um.

    Fiquem atendo, os ETs estão chegando.

  • Francisco Ribeiro:

    Apocalipse cap. 22, vesc. 13-14.
    Assim diz o SENHOR:
    Eu sou o Alfa e o Ômega, o Principio e o Fim, o Primeiro e o Último.
    Bem-aventurados aqueles que lavam as suas vestiduras no sangue do Cordeiro, para que tenham direito à árvore da vida e possam entrar na cidade pelas portas.

    JESUS CRISTO nos ensina como devemos viver para DEUS, porque o SENHOR não abandona ninguém, mesmo quem não acredita, DEUS não deixará de Ama-los, pois somos obras das suas próprias mãos. a Biblia nos diz que nós seres humanos somos a única obra feitos pela própria mão de DEUS, no livro de Gênesis cap. 1, vesc. 26 diz: E disse DEUS: Façamos o homem a nossa imagem, conforme a nossa semelhança… a passagem do texto de Apocalipse citado acima nos diz que DEUS é verdadeiro, é único e é o SENHOR sobre todas as coisas e que não há outro DEUS.
    Para sermos verdadeiramente chamados filhos de DEUS, devemos aceitar a JESUS como o nosso único e suficiente Senhor e Salvador das nossas vidas, arrependermos dos nossos pecados e confessarmos com a nossa boca diante de JESUS CRISTO, e no mais sermos simples e humildes assim como CRISTO foi, Amar a DEUS acima de todas as coisas e amar o próximo como a si mesmos e sempre estarmos em comunhão com o SENHOR e em oração conversando com DEUS, porque nós precisamos a todo momento da presença de JESUS em nossas vidas, ler a biblia, porque é o nosso manual de vida e seguir os madamentos de DEUS porque é precioso e nos matém vivos, e assim possamos ser dignos de habitar na cidade de DEUS e sermos chamados de seus filhos… honra e glória ao Senhor JESUS para todo o sempre, Amém.

    • Paulo Roberto Liberato:

      Prezado Francisco também acredito na existência de um ser, e de seres superiores a nós, mas é evidente que não podemos basear nossa exitência somente na Bíblia. Primeiro, deve-se saber a história desse livro, como foi escrito,como chegou até nós, quais as mudanças que ele sofreu durante a história, quem foram seus escritores, qual o conhecimento que eles possuíam, sua cultura, suas crenças e quais as influências do meio em que viviam sobre o que eles escreveram. Não se pode afirmar todos os trechos da Bíblia como se fossem a verdade suprema. Há em muitos deles a visão do homem em relação ao seu espaço e não a visão de um ser superior passada para o homem. No livro de Genêsis, cap. 1, vers. 6, diz que os Céus estavam no meio das águas, sabe o motivo, o motivo é porque a ciência não era avançada como hoje e o homem acreditava que a terra possuía outra forma, até a própria igreja católica baseada na própria Bíblia acreditava que a terra era quadrada e que era o centro do universo e muitos estudiosos que não aceitaram isso foram mortos acusados de heresia. Com o tempo a Bíblia sofreu modificações dentro dos próprios mosteiros, através de copiadores, incluindo a terra na forma esférica. O livro de Genêsis em muitos trechos, principalmente os primeiros capítulos revela a visão do homem sobre o mundo, de forma poética, envolta num sentido simbólico, uma maneira que o homem da época usou para passar à sua geração o surgimento do universo. Imagine o escritor falando para aquela geração sobre os tipos de elementos químicos, sobre os átomos, etc. Muitos trechos da Bíblia é visivelmente a visão humana para explicar um fato através da fé pois não havia como comprovar racionalmente. Eles consideravam o raio um ataque divino, o trovão a voz de Deus, pense você naquela época um estudioso questionando isso,íria morrer com certeza.Hoje a ciência explica racionalmente esses fenômenos. Todas as catástrofes naturais eram consideradas na visão de um escritor não cientista, a ação de um ser superior enraivezido fazendo justiça, as pesquisas e estudos de hoje mostram claramente que muitas estão relacionadas ao próprio sistema da natureza e até de ações humanas. Até a ação de vulcões em erupção destruindo cidades como Sodoma e Gomorra, para aquele povo era a ação de Deus castigando o homem, pois quem escreveu o livro não aceitava o comportamento daquele povo como o correto, era sua visão. E quando acontece uma catástrofe envolvendo pessoas religiosas, seria um castigo divino? Pense em qual o motivo de um conselho religioso se reunir para decidir quais livros fariam parte do sacrado, do correto para o homem? Domínio, domínio da mente humana, com a finalidade de adquiri poder. Até hoje as religiõe tem esquecido a função do amor e estão ligadas ao capital, ao dinheiro, usando o temor humano de morrer e ir para o inferno, que aliás procure saber como surgiu o inferno ao longo dos tempos, pois antes era considerado como Seol um lugar de punição por tempo determinado e não por tempo indeterminado como passou a ser. Qual o interesse da Igreja em relação a isso? Veja na história, milhares de mortos e acúmulo de riquezas e consequentemente de poder. Qual o motivo de não existir nenhum livro na Bíblia falando sobre a vida de Jesus durante sua adolescência até a vida adulta? Por que a Igreja dominou o conhecimento durante vários anos e a maior parte do conhecimento antigo ainda é protegido por ela? Deve-se pensar nisso. A arma mais poderosa do ser humano é o pensamento, e ninguém tem o direito de impedir o conhecimento, de dizer que a “verdade” é a minha e não existe outra, isso é ditatura do saber, do conhecer. Ainda bem que existem pessoas que tem buscado o conhecimento sem se apegar em ideologias arcaicas, desprovidas de racionalidade e conhecimento.Se Lutero não tivesse questionado a religião? Se a ciência fosse barrada até hoje pela Igreja e com que intenção? Não dividir o poder. É falta de respeito considerar o indívuduo como ateu só porque não acredita literalmente na Bíblia, só porque discorda de determinada visão de mundo. Não se deve manipular ninguém utilizando o desconhecido. Usar o homem como marionete, um ser robotizado que diz pra ele que aquilo é a verdade e ele não deve questionar, pois vai perecer eternamente num lugar infernal, que aliás, se compararmos esse julgamento bíblico proveniente de um Deus misericordioso e justo, é incontroverso, pois nem um tribunal humano, e o homem é cheio de erros, seria capaz de tanta pervesidade. Respeito a opnião de cada um, mas me impedir de pensar é radical demais e as religiões cristãs devem mudar isso, o homem não é mais o primata, o medieval ou o analfabeto, ele está se conhecendo, conhecendo seu mundo, seu espaço e conhecer não o torna incapaz de crer.

  • Francisco Ribeiro:

    À Gabriela…
    e quanto aos 10 mandamentos foi DEUS quem instruiu o homem a escreve-los. leia os 10 mandamentos ( Deuteronômio capitulo 5) e vc verá que só nos ensina coisas boas, no tempo em que os 10 mandamentos foram escritos, o povo vivia em um caos, ninguém respeitava ninguém, traições, mortes, humilhações. DEUS viu que era preciso fazer algo para que as pessoas não se perdessem no pecado. os 10 mandamentos nos diz que matar e roubar é ruim, vc não acha? que devemos honrar pai e mãe, vc nã vai querer ser honrada por seus filhos não?
    que devemos amar o nosso próximo como a nós mesmo, vc também não quer que as pessoas amem vc não? que não podemos cometer adultério, vc quer que o seu marido (ou futuro) traia vc? que devemos amar o nosso DEUS acima de todas as coisas, e somente a ele adorar, pq ele é único e não há outro deus além dele.
    Leia a Biblia, a Biblia não é religião não, é o amor de DEUS por vc, é o manual para que possa viver bem, feliz…
    JESUS CRISTO te abençõe…

  • Francisco Ribeiro:

    Olá Gabriela, bom dia.
    A palavra de DEUS não está relecionada a religião, religião é algo criado pelo homem. a Biblia relata claramente o que DEUS quer de nós, não está escrito na Biblia que devemos ser pessoas egoistas, pessoas ambiciosas e interessadas em coisas materiais, que devemos ser mal educados ou que não podemos ter sonhos, não está escrito que devemos ser indiferentes com o nosso próximo, que não devemos ajudar o irmão que precisa de ajuda. também não encontraremos na biblia palavras de desprezo, palavras que nos incentiva a odiar as outras pessoas ou as coisas, não tem nada disso não…
    pelo contrário, a palavra de DEUS, através da Biblia nos instrui a fazermos aquilo que nos faz bem, aquilo que desejamos que as outras pessoas façam a nosso favor, a palavra de DEUS nos ensina a amar, a ser misericordioso, a seguir as coisas boas e construtivas. DEUS permite que tenhamos sonhos, que sejamos prosperos e fartos, sem ambição e maldade. e não deixemos nos enganar, só podemos chegar até DEUS através de JESUS CRISTO. no evangelho de João capitulo 14, vesciculo 6 JESUS diz: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida. ninguém vem ao Pai senão por mim.
    a única maneira de conhecer a DEUS, de estar perto, de agradar a DEUS é através de JESUS CRISTO, não há outro caminho. não se engane…

  • Gabriela Pereira:

    Acho que Deus existe sim, por que como que ia surgir tudo assim do nada ? eu não acredito na teoria do big-bang, mas eu também não acredito em religião, religião é uma coisa que inventaram para controlar as pessoas, eles impuseram os ” 10 mandamentos ” para as pessoas não fazerem com a ameaça de ir ao inferno, isso na religião católica, por que existem alguns protestantes que não deixam as pessoas nem ao menos se depilarem, existem pessoas que extorquem dinheiro das pessoas usando o nome de deus religião é a coisa mais controladora que existe, então eu acho que as pessoas devem acreditar em deus a sua maneira, mas não seguirem a religiões extremamente controladoras, mas seguir a deus da maneira que o seu coração achar melhor (:

  • Francisco Ribeiro:

    Isaias: cap 55, vesc 6-7.
    “Buscai ao SENHOR enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto.
    Deixe o ímpio o seu caminho, e o homem maligno, os seus pensamentos e se converta ao SENHOR, que se compadecerá dele; torne para o nosso DEUS, porque grandioso é em perdoar”.

  • Francisco:

    A palavra de DEUS diz:
    Buscai ao SENHOR enquanto se pode achar,
    invocai-o enquanto está perto.
    Deixe o ímpio o seu caminho, e o homem
    maligno, os seus pensamentos e se converta
    ao SENHOR, que se compadecerá dele; torne
    para o nosso DEUS, porque grandioso é em
    perdoar.
    Isaias: 55, 6-7.

  • Sirlene Santos:

    Caro Francisco,

    Você tem duas opções, “Querer acreditar! ou Querer saber!” Se você prefere em continuar acreditando, não posso fazer nada, pois o conhecimento é algo que se adquire por vontade própria e não algo que se impõe!

Deixe seu comentário!